Tag Archive: governo


Dilma: casa própria é direito de todo cidadão

por redacao
 

Dilma Rousseff visita unidade do Minha Casa Minha Vida em Ribeirão das Neves (MG). Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

 

 

O Conversa Afiada reproduz informação do Blog do Planalto e, antes, recomenda a leitura “PT e Dilma derrotam Eduardo Campriles em Recife“.

Garantir a casa própria é um direito de cidadania de cada um de vocês, afirma Dilma

Durante a entrega de 1.640 unidades habitacionais pelo Minha Casa Minha Vida, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, a presidenta Dilma Rousseff destacou a importância de se garantir o acesso a casa própria, que é um direito de todos os cidadãos.

“O Brasil tem obrigação de garantir e de fazer com que a casa própria seja um direito de cada um dos homens e das mulheres aqui presentes. E isso não é um favor que alguém faz a vocês, não é um favor do governo federal. (…) E isso significa que garantir a casa própria é um direito de cidadania de cada um de vocês”, afirmou.

Para a presidenta, o programa de habitação está no centro da política social do governo, junto com o Bolsa Família, que, em Minas Gerais, retirou 1,4 milhão de pessoas da pobreza extrema; a implementação de creches; e o pacto pela alfabetização na idade certa, entre outras. Segundo Dilma, as políticas sociais do governo vão ajudar cada vez mais o país a crescer, gerando mais renda e melhores empregos.

“O Programa Minha Casa, Minha Vida faz parte de um grande esforço que o nosso país tem obrigação de fazer. (…) Nós temos de dar conta do atraso, da ausência de benefícios que nós, enquanto país, tínhamos de ter assegurado para o povo brasileiro. No passado, o país crescia, o povo não crescia junto, a renda do trabalho não crescia junto, as oportunidades de emprego não eram muito boas”, completa.

4 horas atrás

Santayana e os funerais de uma desalmada

por redacao
 

Conversa Afiada reproduz artigo de Mauro Santayana no JB online:

Os funerais de uma desalmada

por Mauro Santayana

“Ela foi uma mulher perversa”, disse o eminente parlamentar George Galloway, o mais corajoso homem de esquerda da Grã Bretanha da atualidade, ao protestar contra a falácia da tentativa de glorificação de Margaret Thatcher pelo governo conservador.

“Nós estamos gastando 10 milhões de libras na canonização dessa mulher malvada, dessa mulher que arrasou a indústria britânica, da Escócia, no Norte, ao País de Gales, no Sul. A comparação com Churchill é  rematado absurdo. Ele salvou a real existência de nosso país, enquanto Thatcher fez tudo o que pôde para acabar com 1/3 de nossa produção manufatureira e reduzir-nos ao que somos hoje”.

Os protestos populares da noite do último sábado, contra mais cortes no orçamento social britânico (que se iniciaram nos anos 80, com Margaret Thatcher) foram marcados pelas manifestações de júbilo pela morte da Dama de Ferro, que já se encontrava exilada de sua mente, acometida da doença de Alzheimer. Enquanto  mantinha plena consciência de seus atos, planejou seus funerais com toda a pompa desejada: honras militares e cerimônia religiosa na Catedral de São Paulo – homenagens que  não se prestaram à Rainha Mãe, quando de sua morte, em 2002.

Os cartazes exibidos pelos trabalhadores nas ruas de Londres foram impiedosos na expressão de sua revolta contra a única mulher, até agora, a chefiar o poder executivo de um país anglo – saxão. 

No mesmo tom de Galloway manifestou-se Lord Prescott, que foi vice-primeiro ministro de Tony Blair:  “Ela só defendeu os multimilionários, os banqueiros, os privilegiados. Nunca mostrou a menor compaixão pelos doentes, necessitados e desesperados”.

Prescott foi o primeiro a denunciar a pompa fúnebre, e sugeriu que apenas os multimilionários beneficiados por Thatcher contribuíssem para o enterro.

O consulado tirânico de Thatcher, com suas conseqüências abomináveis para os povos do mundo, deixa lições que não podem ser esquecidas. A primeira delas é a de que as massas, sem uma vanguarda política, e, assim, sem consciência social, são facilmente manobradas pelos líderes carismáticos da direita – ou de uma falsa esquerda. 

Ela, como Hitler, nunca enganou. Desde os seus primeiros passos na política, mostrou logo a que vinha. Como funcionária do primeiro escalão do Ministério da Educação, no governo Heath, mandou cortar a ração diária de leite fornecida às crianças das escolas públicas, como medida de economia, com o argumento de que os pais podiam dar-lhes o leite em casa. Diante dos protestos – os trabalhistas vaiavam-na aos gritos de “Thatcher ladra de leite!” – ela decidiu que as cantinas escolares distribuiriam 1/3 de copo de leite a cada criança, a fim de “evitar sua desnutrição”.

O corolário de sua estranha teoria política se resume em poucas palavras: não há sociedade; há indivíduos. Cabe a cada indivíduo buscar o seu bem-estar, sem nada pedir ao Estado. Em suma: se o Estado não protege os fracos, ele só existe para garantir os fortes. Abole-se, desta forma, o princípio imemorial da solidariedade tribal, assumida pelo Estado, que garantiu a sobrevivência da espécie. 

A segunda lição é a de que a mobilização política é sempre mais poderosa do que os atos de violência, quando há ainda espaço para essa conduta.

Em 1983, quando terminaria o seu mandato, com a renovação da Câmara dos Comuns, um fato inesperado serviu para que, ganhando o pleito para os conservadores, permanecesse no poder: a insensatez de Galtieri em invadir as Malvinas, sem dispor de poder militar para isso, nem do necessário suporte diplomático. E o atentado do IRA, no ano seguinte, que visava mata-la, em um hotel de Brighton, e que fez cinco vítimas, consolidou seu poder.

O atentado pode ser explicado pela brutalidade da repressão contra os militantes irlandeses, prisioneiros em Ulster. O líder Bobby Sands e vários outros iniciaram uma greve de fome que terminou com a sua morte e a de nove de seus companheiros.

A contra-revolução mundial de Mme. Thatcher contra os direitos do homem continua, na brutal insolência do neoliberalismo, sob o comando do Clube de Bilderberg e dos grandes bancos mundiais. 

Em todos os paises do mundo, principalmente na Europa, os pobres estão morrendo, por falta de empregos, de hospitais, de teto, de vontade de viver. Há endemia de suicídios, principalmente nos países meridionais. Thatcher morreu, mas Ângela Merkel está aí, para defender as suas idéias. 

Um cartaz impiedoso, exibido sábado à noite em Londres expressa o sentimento dos ofendidos e humilhados pelas “reformas” de Thatcher: “The bitch is dead” – a cadela morreu. Seus filhotes, no entanto, se multiplicam no mundo.

Se a Humanidade quiser sobreviver com a dignidade construída pela razão, e não se entregar a uma tirania universal, terá que reagir com a mobilização política dos cidadãos organizada em torno de iniciativas concretas que restabeleçam  os direitos previstos nas leis que pretendiam assegurar, em todo o mundo, o Estado de bem estar social, antes que seja muito tarde. 

7 horas atrás

PT e Dilma derrotam Eduardo em Recife

por redacao
 

Do amigo navegante Paulo:


Paulo PE
Enviado em 16/04/2013 às 10:37
PHA, se é pra detonar Dudu “Campriles”, fique de olho no PIG pernambucano, onde o nome do traíra é mencionado todo santo dia e em amplo destaque. Mas, anteontem o Jornal do Commercio divulgou uma pesquisa que frustra todo esse deslumbramento por Dudu.

Leia:

PT é o partido mais admirado

Partido do ex-presidente Lula é admirado por 34,3%, bem a frente do PSDB, o segundo, com 7,3%

Publicado em 12/04/2013

A despeito da condenação de alguns de seus quadros políticos envolvidos no chamado caso do mensalão, o PT é o partido mais admirado pelos recifenses. Na pesquisa espontânea, diante da pergunta “qual o partido político que você mais admira”, a legenda da presidente Dilma foi citada por 34,3% dos entrevistados, uma liderança com folga frente ao segundo colocado, o PSDB (7,3%). Por sinal, o segundo percentual mais alto nesta pesquisa espontânea não coube a um partido, mas ao índice de pessoas que disseram não admirar nenhum partido: 23,7%.

Em 2012, o eleitorado do Recife ajudou a tirar a sigla da prefeitura, substituindo-a pelo PSB. O partido do governador Eduardo Campos, no entanto, apareceu apenas em quarto lugar, lembrado apenas por 6% dos entrevistados na sondagem.

Mesmo à frente de uma gestão cujo índice de aprovação é de 75%, o governador Eduardo Campos (PSB) enfrentaria uma disputa acirrada com a presidente Dilma Rousseff (PT), no Recife, caso a eleição presidencial acontecesse hoje e os dois se enfrentassem. No levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN), em parceria com o Jornal do Commercio, os dois aparecem empatados tecnicamente em primeiro lugar. Dentre os 816 entrevistados, 36% declararam voto na petista enquanto 34% afirmaram que votariam no governador. Os outros dois prováveis concorrentes, Marina Silva (ex-PV) e Aécio Neves (PSDB) somaram, respectivamente, 4% e 2 % das intenções de votos. A margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais.

Não deixe de ler “Depois de Malafaia, Roberto Freire (1%) lança Eduardo Campriles”.

clique aqui para ler “Carta aos brasileiros, Eduardo Campriles”.

8 horas atrás

Lula pisa no tomate da oposição

por redacao
 

Saiu na Folha (*)

Em festa do PT, Dilma e Lula dizem que tomate não abalará a economia


Ex-presidente ironizou efeito do ‘tomatezinho’; Dilma afirmou que tendência da inflação é de queda 

“Tenho ouvido discurso que eles [oposição] têm feito, a novidade do tomate. O que não sabem é que uma mulher calejada na luta como esta mulher não vai permitir que um ‘tomatezinho’ venha quebrar as forças da economia e de um país que teve um povo que aprendeu a viver com inflação controlada.” 

O petista fez ainda referência indireta ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que ensaia concorrer à Presidência e que tem adotado o discurso de que é preciso “fazer mais”. 

“Tem gente que diz que é preciso fazer mais e melhor, acho importante. Mas agora as pessoas terão que mostrar que têm competência.” 

Clique para ler também:

“A democracia não é um pacto de silêncio”, afirma Lula em Belo Horizonte

Lula recebe título de Cidadão Honorário de MG e destaca história de lutas do estado

Aqui para ler “Freire, depois de Malafaia, lança Eduardo”.

Aqui para ler “Carta aos brasileiros, de Eduardo Campriles”.

Aqui para ver a alegria do Renato Machado, no “Bom (?) Dia Brasil” ao anunciar que o tomate tinha chegado ao Financial Times. Você pode deixar a Colônia, mas a Colônia não sai de você …

Aqui para votar na trepidante enquete Quem é a “Rainha do Tomate ?”.

aqui sobre o roubo dos tomates do jornal nacional.

Paulo Henrique Amorim

(*) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que matou o Tuma e depois o ressuscitou; e que é o que é,  porque o dono é o que é; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

10 horas atrás

Depois de Malafaia, Freire lança Eduardo Campriles

por redacao
 

 

Saiu na Folha (*):

Novo partido deve apoiar Campos, afirma dirigente


(MÁRCIO FALCÃO) 
CATIA SEABRA 
FERNANDA ODILLA 
DE BRASÍLIA

O presidente nacional do PPS, Roberto Freire, disse ontem que o novo partido que resultará da fusão com PMN deverá apoiar a candidatura do governador Eduardo Campos (PSB-PE) à Presidência. 

Um dos principais articuladores da criação do Mobilização Democrática –nome que deve ser dado à nova legenda–, Freire descartou rumores de que a fusão servirá para que o ex-governador de São Paulo José Serra deixe o PSDB e dispute pela terceira vez o Palácio do Planalto. 

“No partido, há uma tendência majoritária [de ingressar] na campanha do Eduardo Campos”, disse Freire.  “O partido vê nisso uma oportunidade de um reencontro permanente da esquerda democrática, caracterizado com a candidatura do Eduardo”, completou.

(…)

Clique aqui para ler “Malafaia, que apoiava Cerra, lança Eduardo”.

 

Navalha

Clique aqui para ler “”Carta aos brasileiros, de Eduardo Campriles”.

O apoio de Roberto Freire é central ao projeto da “esquerda democrática”.

Freire é um campeão de votos.

Na eleição presidencial de 1989, Freire teve um por cento dos votos.

Um por cento !

Derrotou de forma impiedosa Aureliano Chaves (0,83%), Ronaldo Caiado (0,68%), Affonso Camargo (0,52%), Enéas (0,50%) e Marronzinho (0,33%).

Como se sabe, Collor venceu a eleição, no segundo turno, contra Lula.

Mas, nasceu aí a ideia fixa de Freire: ser Presidente.

Ou fazer presidentes.

Ninguém mais preparado que ele.

Só o Cerra.

E o FHC, que o conquistou com uma irresistível Carta … de Vinhos.

Quando era comunista, Freire tentou adaptar ao Brasil princípios gramscianos, como demonstra importante trabalho da socióloga Vilma Figueiredo.

De Gramsci a FHC foi um passo.

E hoje ele milita no que chama de “esquerda democrática”, ou seja, o PSDB de São Paulo, a barriga de aluguel da Casa Grande paulista.

É a essa “esquerda democrática” que ele serve com devoção estaliniana.

Levar o PPS ao colo do “esquerdista democrático” Eduardo Campriles é um desdobramento natural.

Porque serve aos interesses – provisórios – do Padim Pade Cerra, para quem, em primeiro lugar, trabalha, hoje, com entusiasmo.

É o que sobra a Eduardo, como previu o Oráculo de Delfos, em irretocável síntese: the Big House.

E Freire continua a tentar: ser Presidente, fazer Cerra Presidente, fazer Eduardo Campriles Presidente.

E viva Gramsci !

 

Em tempo: esta “reportagem” denota um notável avanço tecnológico da Folha (*).

Nunca se viu, antes, o emprego de TRÊS repórteres para recolher declarações de um político em busca de repórter que lhe dê ouvidos – leia-se, Roberto Freire.

Segundo avanço tecnológico: o emprego das aspas.

Repórteres da Folha (*) costumam dar furos retumbantes sem aspas.

São uns jenios.

Em tempo2: quem disse que o Cerra desistiu de ser Presidente ? Afinal, ele tem mais grana e mais PiG (**) que o Aécio Never. E quem disse que o Aécio Never vai ser o Presidente nacional do PSDB ? Quem sabe Aécio volta para Minas ?

Em tempo3: a estratégia de Roberto Freire atende perfeitamente à que o Ataulfo Merval de Paiva (***) esboçou; lançar o máximo de candidatos à Presidência e levar a eleição ao segundo turno; ou seja, ao jornal nacional e ao Supremo. Porque, aí, está no papo !

Paulo Henrique Amorim

(*) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que matou o Tuma e depois o ressuscitou; e que é o que é,  porque o dono é o que é; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

(**) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

(***) Até agora, Ataulfo de Paiva era o mais medíocre dos imortais da história da Academia Brasileira de Letras. Tão mediocre, que, ao assumir, o sucessor, José Lins do Rego, rompeu a tradição e, em lugar de exaltar as virtudes do morto, espinafrou sua notoria mediocridade.

12 horas atrás

Safatle: a verdade sobre a Comissão da ½ Verdade

por redacao
 

Saiu na Folha (*), que desempenhou edificante papel no regime militar:

Esperando a verdade


Desde o início, as suspeitas em relação à possibilidade de bom funcionamento da Comissão da Verdade eram muitas. Número reduzido de membros, tempo escasso, foco amplo: esses eram apenas alguns dos problemas levantados por vários críticos. Hoje, parece claro que as críticas não estavam erradas. 

Com sete membros, mas funcionando realmente com cinco ( leia “em tempo”- PHA), a comissão sente a falta de mais participantes. Um ano depois de sua instalação, amplos setores da sociedade civil ainda esperam o acesso às informações que poderiam fornecer uma história mais honesta dos atentados contra a humanidade e do governo criminoso instaurado no Brasil durante 20 anos. 

A comissão mostrou, por exemplo, como a presença de empresários em locais de tortura era uma constante. Mas queremos uma visão clara de como funcionava o aparato civil-militar na ditadura. Quais foram as empresas que financiaram a Operação Bandeirantes, responsável por alguns dos crimes mais brutais da ditadura? Até onde foi a participação das empresas na formação do aparato repressivo? 

Vimos também quão plausível é a possibilidade de presidentes como João Goulart e Juscelino Kubitschek terem sido assassinados pela Operação Condor. Seria a primeira vez na história do Brasil que descobriríamos governos que tramaram a morte de ex-presidentes. Mas qual foi a verdadeira participação do Brasil nessa internacional do terror? Como se deu a linha de comando? 

(…)

Em tempo: em nome da verdade, seria interessante a sociedade saber quem são os gazeteiros e por que faltam ao trabalho. A depender da resposta, não seria interesante a Presidenta substituí-los ? PHA

Clique aqui para ler sobre o “PIB da tortura e as visitas de Paulo Sawaya ao DOPS”.

Aqui para ver que “a Operação Condor começou no Brasil”.

aqui para ler sobre o documentário “Dossiê Jango”, que, provavelmente, fará mais pela verdade sobre o “enfarte” de Jango do que a Comissão da ½ Verdade.  

(*) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que matou o Tuma e depois o ressuscitou; e que é o que é,  porque o dono é o que é; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

“Beiradeiros do Rio Iriri, na Estação Ecológica da Terra do Meio”: três minutos de beleza e sensibilidade

RACISMO por racismoambiental
 

“Este vídeo foi produzido por Tiago Bucci, antropólogo colaborador durante expedição de campo de março de 2013 à Estação Ecológica da Terra do Meio, Pará. Estes moradores às margens do Rio IRIRI necessitam de acesso à cidadania. A construção participativa de acordos em termo de compromissos é uma conquista jurídica importante, mas educação, saúde e outras questões sociais de direito ainda são desafios”.

5 horas atrás

Ducci dispara contra Fruet: ” é inexperiente”

 
: “Existe realmente uma grande imprecisão ou manipulação nos números que são divulgados pela administração Gustavo Fruet”, diz um trecho da nota de Ducci, ex-prefeito de Curitiba, que garante ter deixado R$ 416 milhões em caixa 
5 horas atrás

Parceria Gurgel & Valério oficializa candidatura JB

FICHA CORRIDA por Gilmar Crestani
 

E depois o MP precisa de um factóite para dizer de sua importância. Quando, por seu procurador-geral, o MP vira o braço armado dos golpistas, mostra apenas que o papel que foi dos militares em 1964, avocam para si em pleno século XXI. Quem não sabe investigar, e mistura desejo com acusação, merece ser colocado de volta ao seu lugar e deixar quem existe para investigar (Polícia Federal) que cumpra o papel que é a razão de sua existência.

Gurgel tem posição incoerente, diz presidente do PT

DE SÃO PAULO

O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou ontem considerar “curioso” que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, dê crédito ao empresário Marcos Valério, mas não ao ex-ministro José Dirceu, ambos condenados pelo Supremo Tribunal Federal no caso do mensalão.

A declaração fez referência à entrevista na qual Dirceu disse à Folha que o ministro Luiz Fux, do STF, prometeu absolvê-lo no processo do mensalão.

Ao comentar a declaração, Gurgel disse que Dirceu não merecia crédito.

O procurador, no entanto, enviou depoimento de Valério para que o Ministério Público investigasse um suposto envolvimento do ex-presidente Lula com o mensalão.

Falcão afirmou ainda não ver necessidade em aprovar uma nota de solidariedade a Lula pela investigação e disse se tratar de mais uma “invencionice” para atingir a imagem do ex-presidente.

Filed under: Marcos ValérioRoberto Gurgel Tagged: Golpismo  

5 horas atrás

‘Triple collection’ junta três álbuns com três formações diferentes do Yes

NOTAS MUSICAIS por Mauro Ferreira
 
 Lançado no Brasil neste mês de abril de 2013, via Warner Music, o volume dedicado ao Yes na série The triple album collection – que embala em box simplórias reedições em CD de três títulos da discografia de determinado artista ou banda – repõe em catálogo três álbuns que flagram o grupo inglês de rock progressivo com três formações distintas. Por ordem cronológica, o primeiro título é Yes, álbum de estreia da banda, gravado e lançado em 1969 com a formação original do grupo, que incluía o guitarrista Peter Banks. Na sequência, The Yes album – terceiro álbum da banda, lançado em 1971 – marca a entrada no grupo do guitarrista Steve Howe, recrutado para substituir Banks. Por fim, 90125 – álbum de 1983 – se diferencia da formação dos anteriores por contar com Trevor Rabin, o guitarrista, compositor e cantor sul-africano convidado em 1982 a se juntar ao Yes, com o qual permaneceu até 1994.
5 horas atrás

Programa MCMV. Dilma está cega há 4 anos?

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://ossamisakamori.blogspot.com.br Veja em que mão está entregue a administração no nosso País, para uma pessoa considerada “gerentona”, mãe do PAC, tocador do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). O governo dos presidentes Lula e Dilma vem executando o programa desde 2009. Exatos 4 anos depois, Dilma gerentona, descobre que as casas do programa MCMV, não […]
5 horas atrás

Pablo Neruda: “Assim é minha vida”

RACISMO por racismoambiental
 
Meus deveres caminham com meu canto.
Sou e não sou:
é esse meu destino.
Não sou,
se não acompanho as dores
dos que sofrem:
são dores minhas.
Porque não posso ser
sem ser de todos,
de todos os calados
e oprimidos.
Venho do povo
e canto para o povo.
Minha poesia
é cântico e castigo.
Me dizem:
“Pertences à sombra”.
Talvez, talvez,
porém na luz caminho.
Sou o homem
do pão e do peixe,
e não me encontrarão
entre os livros,
mas com as mulheres
e os homens:
eles me ensinaram o infinito.
6 horas atrás

Pirâmide de favores e desfavores

FICHA CORRIDA por Gilmar Crestani
 

Um amigo maçônico diz que apesar de ser secreta, a maçonaria não prejudica, só ajuda as pessoas. Primeiro, é meia verdade. Só ajuda, os maçônicos. Segundo, se você beneficia um amigo este benefício com algo que não é seu, tipo cargo público, alguém mais merecedor pode estar sendo prejudicado. E por aí vai… Na minha opinião, se fosse boa não precisava ser secreta.

Principal ramo da maçonaria reelege servidor aposentado

DE SÃO PAULO – Com 43,5% dos votos, o servidor aposentado Marcos José da Silva foi reeleito grão-mestre geral do Grande Oriente do Brasil (GOB), o cargo máximo do maior ramo da maçonaria brasileira.

Devido ao grande número de recursos, a apuração da votação feita em 9 de março só foi concluída ontem. A expectativa era de que até 40 mil maçons votassem, mas menos de 24 mil compareceram em todo o país.

Silva derrotou o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), que disputou pela terceira vez, e o advogado Benedito Ballouk.

Filed under: Maçonaria Tagged: Entre Amigos  

6 horas atrás

Governo não apoia desaposentadoria, diz ministro

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://economia.estadao.com.br BRASÍLIA – O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse nesta sexta-feira, 11,que o governo não está apoiando a proposta que permite ao aposentado elevar o valor da aposentadoria, caso tenha tempo adicional de trabalho e contribuição. “Estamos pedindo um prazo para fazermos uma análise, portanto o governo não está […]
6 horas atrás

Terrorista, Veja produz seu segundo caso Boimate

 
: Em 1984, o jovem repórter Eurípedes Alcântara caiu numa pegadinha de primeiro de abril e acreditou numa reportagem de uma revista científica sobre o cruzamento genético entre o boi e o tomate; o caso “boimate”, levado às páginas de Veja, se consagrou como a maior “barriga” jornalística de todos os tempos, mas não impediu que Eurípedes se tornasse diretor de redação da revista da Abril; nesta semana, Veja diz que a presidente Dilma “pisou no tomate” e que o alimento virou piada nacional; tabelinha entre Abril e Globo é mais um momento baixo do jornalismo brasileiro, em sua campanha para disseminar terrorismo, pedir juros altos e combater o PT 
6 horas atrás

Serra virou uma ameaça à democracia

CENTRODOMUNDO por Paulo Nogueira
 

Ele parece ignorar que para tirar um partido do poder no Brasil de hoje basta ter mais votos. Quando você imagina que Serra não pode descer mais baixo, ele sempre surpreende. Veja um trecho de uma palestra sua num encontro do PPS: “O Estado brasileiro foi capturado por um grupo em seu benefício. Esta força

O post Serra virou uma ameaça à democracia apareceu primeiro em Diário do Centro do Mundo.

6 horas atrás

EM CAMPANHA CONTRA DILMA, ÉPOCA PISA NO TOMATE

SINTONIA FINA por Rilton Nunes
 
 
Em sua capa desta semana, a revista semanal das Organizações Globo anuncia que o governo Dilma faz tudo errado no combate à inflação e diz que a presidente e o ministro Guido Mantega pisaram no tomate; auto-referente, a Globo usa declaração da global Ana Maria Braga, que disse usar uma joia ao pendurar um colar de tomates no pescoço, para afirmar que a inflação hoje assusta os brasileiros; nunca é demais lembrar, no entanto, que, nos dois governos FHC, a inflação foi substancialmente maior do que a agora, sem disparar o mesmo alarme; será síndrome de abstinência de juros altos ou de ter amigos no poder? 
Nunca é demais relembrar os dados de inflação dos últimos governos. Na primeira gestão FHC (1995-1998), a taxa média foi de 9,7% ao ano. Na segunda (1999-2002), de 8,8%. Com Lula, os índices foram mais civilizados, sempre dentro da meta e, agora, com Dilma, a taxa média é de 6,2%. No entanto, nunca o alarma dos veículos de comunicação tradicionais soou tão alto como agora. Em sua capa desta semana, a revista Época, das Organizações Globo, afirma que a presidente Dilma Rousseff e seu ministro Guido Mantega pisaram no tomate – produto que simboliza a alta de preços recente. Anuncia ainda que o governo federal faz tudo errado no combate à inflação – como se, por exemplo, iniciativas recentes, como a desoneração das contas de luz não tivesse a menor importância. Auto-referente, a Globo usa uma declaração da apresentadora global Ana Maria Braga, a de que estava usando uma joia, ao pendurar um colar de tomates no pescoço, para indicar que a população brasileira estaria apavorada com a inflação. Detalhe: quem será que pediu para Ana Maria Braga fazer sua piadinha ridícula? Com a capa desta semana, Época, na verdade, apenas acentua sua cruzada contra o governo Dilma e, a um só tempo, alia interesses políticos da Globo a interesses econômicos seus e de apoiadores. Os dois objetivos principais são derrotar o PT nas próximas eleições e garantir o início de um ciclo de alta de juros. No fundo, trata-se de uma síndrome de abstinência de juros e também um sintoma da falta de amigos no poder. Abaixo, um trecho da reportagem:  Estou usando uma joia.” Com essa frase, a apresentadora Ana Maria Braga apresentou o colar de tomates de seu figurino no programa da quarta-feira passada. Foi apenas uma das muitas piadas que pipocaram ao longo da semana sobre o mais novo símbolo da inflação. Numa piada da internet, a atriz Claudia Raia, chefe de uma quadrilha internacional de prostituição na novela das 9, diz que mudará de ramo e traficará tomates. Em outra, um caqui que se passa por tomate vai para a cadeia. Alguém sugeriu um novo programa social – Meu Tomate Minha Vida. Na semana em que a inflação acumulada nos últimos 12 meses ultrapassou o teto da meta estipulada pelo Banco Central, o Brasil se transformou no “país do tomate”. Com alta de 122% em um ano, o fruto contribuiu para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechar o período em 6,59%. Inflação oficial acumulada em 12 meses fica em 6,59%, diz IBGE 
Não se acredita num descontrole que leve o país aos patamares de inflação do final dos anos 1980, quando, na casa dos 1.000% ao ano, ela obrigava os brasileiros a apostar corrida, entre as gôndolas dos supermercados, com os funcionários responsáveis pela remarcação de preços. É um erro, porém, comparar os índices desses dois períodos, tantas foram as mudanças da economia na conquista da estabilidade. Mesmo que o patamar atual não pareça assustador, ele é. Índices desse porte estão longe de representar um problema trivial.

Um primeiro efeito: na semana passada, os supermercados divulgaram que, em fevereiro, registraram queda de 2,1% nas vendas de alimentos e bebidas, em comparação com o mesmo mês de 2012. O consumo diminuiu sobretudo entre a classe média e os mais pobres. De acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), as vendas para famílias de menor renda caíram 4% em 12 meses. Essa situação – em que os maiores beneficiários do crescimento recente da economia brasileira perdem poder de compra – é a principal fonte de preocupação para o futuro político da presidente Dilma Rousseff. 
Dois dias antes da divulgação do IPCA, a presidente convocara a seu gabinete três de seus principais consultores econômicos: o ex-ministro Delfim Netto, Luiz Gonzaga Beluzzo e Yoshiaki Nakano, que cuidou das contas de várias administrações tucanas. O governo só se pronunciou sobre o assunto depois que o índice foi divulgado, na última quarta-feira. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que não pouparia esforços para evitar a alta de preços e quis demonstrar otimismo. 
 Afirmou que a entressafra agrícola terminará em breve, que as pressões sobre o setor de serviços estão mais brandas. Também lembrou que a inflação de março foi a mais baixa do ano – segundo ele, um bom sinal. Procurado por ÉPOCA para comentar o assunto, Mantega não quis dar entrevista. O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, também não quis se pronunciar.  Na sexta-feira, durante um evento em São Paulo, Mantega afirmou que “as medidas que forem necessárias serão tomadas pelo governo”. “Não titubeamos em tomar as medidas, inclusive, posso dizer, mesmo medidas que são consideradas não populares, como elevação da taxa de juros, quando isso é necessário”, afirmou. “O Banco Central tem dito que não há e não haverá tolerância com a inflação”, disse Tombini no mesmo dia. SINTONIA FINA 

6 horas atrás

Serra, esse é o homem que a imprensa brasileira chama de ‘o mais preparado’ e que tem um ‘currículo exemplar’. É muito cinismo!

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Serra não declara apoio, mas quer união  
Em evento do PPS, ex-governador afirma que oposição deve se unir e diz considerar Aécio um “bom nome” para a disputa eleitoral. Logo depois, entretanto, nega ter feito o comentário 

JULIANA BRAGA 

No dia seguinte à participação do presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) em encontro do PPS no Congresso, o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) rompeu o isolamento para prestigiar o evento, em que pregou a união das forças de oposição. No entanto, Serra deu declarações dúbias quanto o apoio ao correligionário mineiro na corrida eleitoral de 2014. 

Após quarenta minutos de discurso no seminário “A esquerda democrática pensa o Brasil”, José Serra foi indagado se apoiará o nome de Aécio Neves para a presidência do partido, em maio. “Claro que apoiarei”, respondeu. Em seguida, ao ser interpelado se o senador mineiro representa um bom concorrente à Presidência da República, o ex-governador de São Paulo foi menos enfático: “É um bom nome”, limitou-se a responder. Já na saída do Congresso, enquanto aguardava o carro, foi perguntado novamente sobre o assunto, mas se recusou a comentar o assunto e negou que a pergunta anterior tivesse sido feita. 

Serra se limitou a dizer que, na política, era necessário ser racional e deixar as “paixões no passado”, mas, novamente, se esquivou de responder se a afirmação poderia ser interpretada como um apoio ao senador mineiro. “Eu sou passional, mas não levo paixão para as grandes decisões políticas. Sou racional demais para isso, é perda de tempo. Não posso deixar paixões do passado influírem nas decisões para o futuro”, afirmou.

O tucano, que tem sido cortejado pelo PPS, disse ser necessário aglutinar a oposição e se mostrou otimista em relação a 2014. “Eu me proponho a trabalhar pela união de todas as forças. Para que o movimento seja vitorioso, nós temos que somar, trazer gente que está do outro lado, de boa-fé, para o lado de cá”, sustentou. Mais uma vez, negou que a afirmação significasse uma eventual candidatura própria. “Eu disse que estou à disposição para o trabalho de união, e acho que tenho credencial para isso, pela melhor fórmula possível. Pode ser por meio de várias candidaturas ou de uma só. Mas isso não significa que eu esteja me colocando.” Ele ainda teceu duras críticas aos petistas e disse que as heranças das gestões de Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff serão “piores que as da ditadura e do ex-presidente Fernando Collor de Mello”.

Filiação
Desde a derrota na eleição do ano passado, quando concorreu à prefeitura de São Paulo, José Serra tem perdido espaço dentro do PSDB enquanto tenta frear o crescimento da influência do ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves na legenda. Desde então, tem crescido o desejo do PPS de atraí-lo para a sigla e lançá-lo candidato à Presidência da República em 2014. “Quem não gostaria de ter o Serra em seu quadro? É um grande nome e ajuda a incorpar a oposição”, afirmou o líder do partido na Câmara, Rubens Bueno (PR). Tanto Serra quanto Bueno, entretanto, negaram ter tratado do assunto na reunião que tiveram a portas fechadas, com o presidente do partido, Roberto Freire, após a palestra. 

Hoje, o Diretório Nacional da legenda se reúne para tratar sobre a possibilidade de fusão com outras legendas da oposição. A ideia é ter um grupo maior, inclusive para seduzir José Serra. Um dos partidos com quem o PPS tem conversado é o PMN.

6 horas atrás

Cardeais sem batina

CONSA por Hélio Consolaro
 
Os ministros do STF estão nus. E a imagem que a sociedade brasileira vê não é nada imaculada – 247

Num belo dia, uma segunda-feira, o presidente do 

Leonardo Attuch

Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, marca reunião com presidentes de associações de magistrados e, sorrateiramente, permite que o encontro seja gravado por jornalistas. Sua intenção era passar um pito coletivo nos próprios colegas, como se sua posição permitisse abusos de autoridade. Na manhã seguinte, na terça-feira, os juízes respondem com uma nota inédita na história da República, dizendo que os homens passam e as instituições ficam – e Barbosa é tratado como um “erro histórico” da suprema corte. Vinte e quatro horas depois, na quarta-feira, um político condenado na Ação Penal 470, José Dirceu, revela ter sido procurado por outro ministro do STF, Luiz Fux, que prometera sua absolvição enquanto escalava rumo ao poder. Se for verdade, trata-se de um ato no mínimo reprovável, cometido por um integrante da instância máxima da Justiça. Um dia depois, na quinta-feira, o dono da maior banca de advocacia do Rio de Janeiro, Sergio Bermudes, revela que irá pagar do seu próprio bolso uma festa de arromba, para mais de 200 convidados, destinada a celebrar os 60 anos de Fux. A cada dia que passa, a suprema corte brasileira avança no seu strip-tease permanente, retirando uma peça a mais de roupa. E o fato é que todos os seus ministros estão nus. Até recentemente, protegidos pela toga preta, eles eram percebidos como representantes máximos de uma elite da ética, do conhecimento e da sabedoria. Mas agora, expostos à luz do sol, são revelados ao público como realmente são: seres humanos dotados de vaidade, ambição, complexos de superioridade, esperteza e até alguma dose de malandragem. Hoje, as mentes mais maduras do STF deveriam estar refletindo sobre o erro histórico que foi julgar a Ação Penal 470 às vésperas de uma eleição e permitir que o processo, transmitido pela TV Justiça, sofresse ampla manipulação midiática. Se tivesse seguido seu curso natural, passando pelo primeiro grau e por todas as instâncias do Judiciário, o que garantiria aos réus o direito básico ao duplo grau de jurisdição, a instituição teria sido preservada. A vaidade, no entanto, falou mais alto. E os ministros acreditaram estar participando daquilo que seria “um julgamento para a história”. Só agora, aos poucos, começam a se dar conta de que eles é que estão sendo julgados por suas ações. Nus, são como cardeais sem batina, que perderam a pureza e todo o ar de santidade. Hélio Consolaro é professor, jornalista, escritor. Membro da Academia Araçatubense de Letras. 

6 horas atrás

Corte avalia que postura do presidente do STF estimula discurso de cerceamento do direito de defesa

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 

Ministros apelam a Barbosa para que analise recursos de réus do mensalão

Corte avalia que postura do presidente do STF estimula discurso de cerceamento do direito de defesa

Felipe Recondo, de O Estado de S. Paulo BRASÍLIA – A resistência do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, em levar a julgamento do plenário os recursos de réus do mensalão mobilizou ministros do tribunal. Mesmo aqueles que votaram pela condenação maciça dos réus consideram um erro do ministro deixar engavetados pedidos da defesa para que os prazos de recursos contra a condenação sejam estendidos. 
Barbosa ouviu ponderação de Celso de Mello para que leve os recursos da defesa ao plenário - Antônio Cruz/ABr - 19/03/2013 Antônio Cruz/ABr – 19/03/2013 Barbosa ouviu ponderação de Celso de Mello para que leve os recursos da defesa ao plenário Ao final da sessão de quinta-feira, 11, o Estado presenciou a conversa inicialmente entre o decano do tribunal, ministro Celso de Mello, com o presidente da Corte. Depois, juntaram-se Dias Toffoli e Luiz Fux. Celso de Mello fazia uma ponderação – em tom de apelo – para que Joaquim Barbosa levasse os recursos movidos pelos advogados a plenário antes da publicação do acórdão do julgamento.
A conversa antecipava o que viria pela frente. Uma hora depois, um grupo de nove advogados, incluindo os ex-ministros da Justiça Márcio Thomaz Bastos e José Carlos Dias, encaminhava ao STF a mais enfática petição protocolada até agora no processo. O pedido era o mesmo que fizera Celso de Mello ao presidente do tribunal: que o plenário analise os pedidos por mais prazo para a defesa antes da publicação do acórdão.
Celso de Mello argumentara que a resposta ao pedido dos advogados por mais prazo é um tema sensível e diz respeito à garantia ao direito de defesa. Além disso, ele lembrou a Barbosa, o andamento do processo poderia ser prejudicado se os agravos não fossem julgados antes da publicação do acórdão. Afinal, o prazo para recursos estaria correndo com questões prévias pendentes de decisão do plenário. 
Nas palavras de Celso de Mello, o julgamento dessas questões prévias pelo plenário evitaria dúvidas sobre o procedimento do tribunal. E esvaziaria, como disse um integrante da Corte, qualquer discurso de que o tribunal perseguiu os réus por não ter julgado os recursos a tempo.
Ainda na conversa, Celso de Mello alertou que a condução do processo do mensalão seguiu “tão bem” ao longo dos sete anos de tramitação. Não poderia, na reta final, sofrer percalços.
Atraso. Se os recursos não forem julgados antes da publicação do acórdão, o processo poderá sofrer atrasos, na avaliação de alguns ministros. 
Com a publicação do acórdão do julgamento, o tribunal começa a contar o prazo de cinco dias para recurso contra a condenação. Se posteriormente os ministros decidirem ampliar esse tempo, como pedido pelos réus, será aberto novo prazo. 
Joaquim Barbosa inicialmente mostrou-se resistente, mas ouviu a ponderação dos colegas. Na saída da sessão, o ministro desconversou sobre a possibilidade de levar a julgamento do pleno os agravos movidos pelos réus. Disse apenas que até quarta-feira não há sessão. Então por isso não poderiam ser julgados. 
“Minha preocupação número um com esse processo é publicar. Só não foi publicado ainda porque é grande e o serviço do tribunal não tem capacidade, agilidade de fazê-lo de um dia para outro”, respondeu Barbosa após sessão de quinta-feira.
Se a ponderação de Celso de Mello – que é partilhada por outros ministros – surtir efeito, os agravos seriam levados a julgamento na sessão plenária de quarta-feira. Até lá, o acórdão do mensalão não seria publicado. Análise dos votos. Os advogados pediram a Joaquim Barbosa aumento no prazo para os embargos de declaração – recurso contra possíveis contradições ou obscuridades nos votos dos ministros. Queriam ter, em vez de cinco dias corridos, pelo menos 20 dias.
Alegam que o acórdão terá milhares de páginas e que será humanamente impossível ler tudo e preparar recursos em apenas cinco dias. 
Todos os pedidos feitos pelos advogados foram negados por Barbosa. Em uma das decisões, ele afirmou que a defesa do ex-ministro José Dirceu tentava manipular prazos para atrasar o processo. Contra essa decisão, os advogados moveram outros recursos – agravos regimentais. E por meio deste recurso, o pedido por mais prazo obrigatoriamente tem de ser julgado em plenário. Márcio Thomaz Bastos, que defende um dos réus, moveu uma reclamação contra Barbosa.

6 horas atrás

Belluzzo: ‘Obsessão de analistas e da imprensa em cobrar alta de juros virou uma doença’

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 

Belluzzo: ‘Obsessão de analistas e da imprensa em cobrar alta de juros virou uma doença’

12/4/2013 9:54
Por Redação – de Brasília 
Belluzzo, um dos mais respeitados economistas brasileiros, acredita que 'União Européia poderia ser reconstruída se ela usufruísse um pouco mais liberdade' Belluzzo, um dos mais respeitados economistas brasileiros, fala sobre inflação e pressão da mídia sobre a economia O economista Luiz Gonzaga Belluzzo, em entrevista ao editor Luis Nassif, intitulada Quatro perguntas para Luiz Gonzaga Belluzo, falou sobre a inflação, a política de juros e sobre a carga negativa de analistas e da mídia conservadora sobre o desempenho econômico brasileiro. Acompanhe aqui o pensamento do professor da Universidade Federal de Campinas (Unicamp) e consultor em Economia.
– A presidenta Dilma pediu ao senhor e aos seus colegas conselhos sobre como o BC deve reagir à persistência da inflação?
– Fomos convidados a avaliar a proposta de criação de um fundo de reserva dos membros do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). É claro que o comportamento da inflação, a necessidade de proteger e estimular a indústria, em dificuldade há 30 anos, e o cenário internacional foram avaliados. A obsessão de analistas e da imprensa em cobrar uma alta de juros virou uma doença, um samba de nota só, uma visão de prazo curtíssimo.
– O senhor não acha que a evolução do IPCA e as respostas do BC geram ainda mais incertezas?
– É verdade que a economia está crescendo pouco e isso é um problema. Mas as perspectivas mais amplas não são tão ruins. Estamos sujeitos ao contexto internacional, que não é bom. Pela primeira vez, começamos a ter noção do que está acontecendo aqui e que respostas estão sendo dadas. Desde a instituição do regime de metas, o Banco Central tem tido dificuldade em atingi-las.
– Isso significa que domar a inflação continua sendo um desafio além da política de juros?
– Sim. Mesmo após a instituição do câmbio flexível, do maior controle fiscal e das metas, que garantem a estabilidade, a inflação se mostra resistente. A média dos últimos 15 anos, de 5,8%, deixa claro que os índices ainda são influenciados por um resquício de indexação que não permite quedas maiores. Em todo começo de ano, há pressões dos hortifrutis. O vilão da vez é o tomate. O sistema de formação de preços segue uma lógica na qual há todos os agentes econômicos querendo indexar pela maior taxa.
– Seria o caso de o BC mexer na meta de inflação e ajustá-la à realidade?
– Isso acabaria gerando uma expectativa mais negativa. De forma acertada, o Banco Central tem deixado claro que continua caminhando em direção à meta usando os instrumentos que tem. Mas cumprir a meta na paulada provocaria uma desaceleração muito forte da economia. A situação é bem diferente da que vivi quando estive no governo. Na época, os preços se orientavam pela correção monetária, formando uma catraca com salários. É pena que alguns colegas meus leiam tão pouco e façam análises que levam muitos a embarcar em equívocos.
O texto foi publicado, originariamente, na edição do diário Correio Brasileiense, nesta quinta-feira.

6 horas atrás

PT brilha no Distrito Federal

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Acesso a informação passa a valer no DF
Entra em vigor a norma que permite aos brasilienses saber sobre gastos públicos e processos relacionados a licitações e contratos de órgãos do Distrito Federal 

ALMIRO MARCOS 

Vânia Vieira:  
Vânia Vieira: “O sigilo é exceção. A transparência é a regra”

Desde ontem, qualquer cidadão passou a ter o direito legal de acessar o conteúdo de documentos e informações relacionados com órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), da Câmara Legislativa do e do Tribunal de Contas do DF (TCDF). Será possível se informar sobre contratos, licitações e projetos, por exemplo, além de gastos com obras públicas. A entrada em vigor da Lei Distrital de Acesso à Informação regulamenta, inclusive, algumas iniciativas de transparência que já vinham sendo adotadas no âmbito local desde o ano passado, sendo que a mais conhecida delas é a divulgação dos salários dos servidores públicos na internet.

“O que ocorre a partir de agora é uma ampliação das informações disponíveis para a população. Somente aqueles documentos considerados de caráter sigiloso é que não podem ser divulgados. Mas que fique claro que o sigilo é exceção. A transparência é a regra. O cidadão tem o direito de saber e terá acesso total a isso”, explica a titular da Secretaria de Transparência e Controle do DF (STC), Vânia Lúcia Ribeiro Vieira. 

Ela explicou que houve um esforço das diversas áreas do governo para se organizar a fim de facilitar a divulgação das informações. “Se surgirem dificuldades, iremos ajustando com o tempo”, acrescentou. Uma das novidades é a criação de um Serviço de Informações ao Cidadão Digital (www.e-sic.df.gov.br), por meio do qual a pessoa poderá solicitar o dado desejado. Ele foi criado nos moldes do que já existe na Controladoria-Geral da União (CGU) e terá o funcionamento centralizado na STC. 

A busca por detalhes dos gastos públicos também poderá ser feita pessoalmente, por meio das ouvidorias das diversas áreas do governo. Os órgãos terão prazo de 20 dias (prorrogáveis por mais 10) para dar uma resposta a quem solicita as informações. “Uma questão fundamental é que o cidadão não precisará mais justificar o motivo pelo qual está buscando a informação. Ela é pública e terá de ser repassada”, reforça Vânia Vieira.

Em 18 de novembro do ano passado, a presidente Dilma Rousseff (PT) sancionou a Lei Federal de Acesso à Informação Pública, que tem como objetivo principal dar publicidade e transparência aos gastos e ações públicos. O prazo era de seis meses para regulamentação, sendo que cada unidade da Federação e município deveria tomar providências para criar suas próprias leituras da lei. 

Em junho, o DF iniciou a primeira iniciativa relacionada com o assunto, publicando na internet o salário dos seus servidores. A medida chegou a ser contestada na Justiça por sindicatos, mas o GDF conseguiu respaldo do Judiciário. A Lei Distrital da Informação foi assinada em dezembro pelo governador Agnelo Queiroz, com prazo de quatro meses para regulamentação, e entrou em vigor ontem. “Se antes havia contestações, elas agora perdem força com a entrada em vigor da legislação”, conclui a secretária.

Festa na Emater

Os 35 anos da Emater-DF foram comemorados ontem com a entrega de sete patrulhas mecanizadas a seis associações e uma cooperativa de produtores rurais. Na ocasião, o governador Agnelo Queiroz também autorizou a contratação de 21 servidores concursados para o órgão, além de outros 40 para a Secretaria de Agricultura. O evento ainda marcou a premiação das empresas de laticínios Kapra e São Lucas no Concurso do Queijo Candango. Elas foram escolhidas por um júri especializado como as melhores produtoras do novo tipo de queijo, elaborado com base em receita elaborada pela Emater-DF.  

Verba para  a educação

As 657 escolas da rede pública do DF contarão com R$ 103,8 milhões este ano para despesas de custeio e manutenção. Os recursos fazem parte do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira e serão administrados pelas próprias unidades de ensino. “Esse dinheiro está inserido no contexto da Gestão Democrática das Escolas, efetivada pela atual administração, onde os gestores das unidades têm mais autonomia para aplicar os recursos. Mas eles também têm responsabilidade na prestação de contas”, explica o secretário de Educação do DF, Denílson Bento.  

6 horas atrás

O Aposentado Invocado diz o mesmo diuturnamente:”Sempre que vejo alguém falar mal do Congresso, tenho a certeza que o faz por não ter vivido um país sem a voz da instituição mais democrática do Brasil, o Legislativo.”

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Além do poder 

ORLANDO BRITO
orlandobrito.df@dabr.com.br 

 

Pacote de AbrilO dia 13 de abril de 1977 ficou marcado como aquele em o Brasil viveu um dos episódios mais tristes da nossa história: o fechamento do Congresso por uma Emenda Constitucional. A intervenção na Constituição continha seis decretos-lei que permitiam ao então presidente, o general Ernesto Geisel, maior domínio e controle sobre o Parlamento. Ficou conhecida como a “Constituinte do Alvorada” e, principalmente, “Pacote de Abril”. 

Além de fechar o Senado e a Câmara, o Pacote de Abril cassava o mandato de vários parlamentares, mantinha a eleição indireta para governadores e estabelecia que dois terços dos senadores passariam a ser escolhidos pelo próprio Palácio do Planalto. Estava criada a figura do “senador biônico”. E mais, estendia o mandato presidencial de cinco para seis anos. 

Como foi – No dia seguinte à edição das medidas, consegui chegar até o plenário da Câmara, cenário da minha cobertura cotidiana para o jornal em que eu trabalhava à época, O Globo. É preciso lembrar que, mesmo fechado por decreto presidencial e cercado pelos militares, os soldados não entraram no edifício do Parlamento. Os poucos autorizados a ter acesso eram alguns funcionários, encarregados da manutenção de aparelhos dos gabinetes mais importantes, como refrigeradores e, ainda, de irrigar as plantas dos jardins internos. E foi numa dessas que entrei, com um grupo de conhecidos meus do dia a dia, servidores da Câmara. Para não chamar a atenção e não ser barrado pelos sentinelas, troquei meu equipamento sofisticado, pesado e vistoso por uma simples câmara Leica, pequena, leve e silenciosa que cabia no bolso do paletó.

Pois foi com a discreta Leica, que me acompanha até hoje, que fiz essa triste imagem aí: em vez de parlamentares em suas cadeiras, no lugar de oradores na tribuna e do povo nas galerias, somente um vigilante guardando o plenário completamente vazio. Era 14 de abril de 1977. 

Sempre que vejo alguém falar mal do Congresso, tenho a certeza que o faz por não ter vivido um país sem a voz da instituição mais democrática do Brasil, o Legislativo.

6 horas atrás

A imprensa brasileira se contradiz. No Japão é bom, mas no Brasil a mesma receita é ruim. É triste!

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Japão lança cartada radical para crescer Pacote do governo, conhecido como “Abenomics”, conta com injeção de recursos para reverter longa deflação 
Banco central do país terá papel fundamental no plano, que espera reverter fenômeno que se perpetua há 15 anos RODRIGO RUSSO DE SÃO PAULO Chamado de radical e até revolucionário, o recém-lançado pacote para reverter 15 anos de deflação e estimular o crescimento no Japão é visto por especialistas como uma última cartada para estimular a economia local –a terceira maior do mundo, atrás de EUA e China. 
Mas a ação, apelidada, de “Abenomics” (referência ao novo premiê, Shinzo Abe), não está livre de críticas. 
À Folha Rajiv Biswas, economista-chefe para Ásia e Pacífico da consultoria IHS Global Insight, observa que, com alto nível de endividamento público em relação ao PIB e taxas de juros praticamente a zero, as alternativas estratégicas do país eram muito limitadas –e muitas das opções anteriores não conseguiram reverter a deflação. 
O fenômeno da deflação faz com que as pessoas e empresas poupem dinheiro em vez de gastá-lo, piorando ainda mais a situação econômica e as perspectivas de crescimento em um país que envelhece de forma rápida e com mão de obra em queda. 
O “Abenomics” tem três vertentes: uma maciça injeção de dinheiro na economia, por meio de afrouxamento monetário (“quantitative easing”) e compra de títulos de longo prazo do governo, a cargo do Banco do Japão (banco central local), medidas de estímulo fiscal, com aumento de gastos públicos, e reformas estruturais. 
BANCO DO JAPÃO
O Banco do Japão terá papel fundamental na proposta de sair de taxas negativas e alcançar taxa de inflação de 2% nos próximos anos. 
No início deste mês, o Legislativo local confirmou a indicação de Haruhiko Kuroda, 68, para o cargo de presidente da instituição –que logo anunciou a injeção de US$ 1,4 trilhão na economia em menos de dois anos. 
Kuroda, mestre em economia pela prestigiosa Universidade de Oxford, onde teve aulas com o vencedor do Nobel John Hicks, está alinhado com a política mais agressiva desejada pelo premiê Abe. Antes de assumir o cargo, em março, Kuroda exercia a presidência do Banco Asiático de Desenvolvimento. 
“Ele tem sólidas credenciais para a presidência do Banco do Japão, combinando fortes noções de administração com uma considerável experiência em coordenação econômica internacional na instituição regional, componentes tidos como chave para o papel no banco central nacional”, avalia Biswas. 
O antecessor de Kuroda no cargo, Masaaki Shirakawa, tinha mentalidade mais conservadora e defendia ação disciplinada dos bancos centrais. Durante sua campanha para premiê, Abe chegou a ameaçar mudança nas leis que garantem independência do Banco do Japão caso a instituição não implementasse políticas mais agressivas. 
RESULTADOS
Até o momento, o “Abenomics” já resultou em depreciação do iene, fazendo com que as exportações do país ganhem competitividade, em aumento dos índices de confiança dos negócios e em alta nos mercados financeiros. 
Além disso, a OCDE (Organização para a Cooperação e para o Desenvolvimento Econômico) elogiou as medidas e revisou de forma bastante favorável a projeção de crescimento do Japão no primeiro trimestre de 2013: de 1,5% do PIB, estimativa de novembro, para 3,2% em março. 
O economista Biswas alerta que as novas políticas devem gerar recuperação em 2013, mas terão desafio maior a partir de abril de 2014, quando haverá aumento de imposto sobre vendas, de 5% para 8%, o que pode reduzir o consumo doméstico. 
Outro problema que terá que ser desarmado pelo governo japonês é o nível de dívida pública. “Apesar de uma crise não ser iminente, já que 95% da dívida é doméstica, essa é uma possibilidade real no médio prazo, a não ser que o governo reduza firmemente o deficit fiscal nos próximos cinco anos, uma tarefa difícil”, afirma Biswas. 
Há o temor de que, com a implantação do “Abenomics”, as taxas de juros também aumentem e tornem o pagamento dessa dívida insustentável a longo prazo, o que poria em risco o crescimento do país. 
6 horas atrás

NICOLE BAHLS, GERALD THOMAS E O MACHISMO CONTEMPORÂNEO

MINGAU DE AÇO por Alexfig
 
 
Por Alexandre Figueiredo

O incidente entre Gerald Thomas e a paniquete Nicole Bahls, ocorrido na noite de anteontem na Livraria da Travessa, no Rio de Janeiro, não requer maniqueísmos. Mas há uma tentação em parte da opinião pública em criar esse maniqueísmo, até mesmo nas esquerdas médias, embora aparentemente não havia um texto sistemático nisso.

Antes de detalharmos isso, avisamos, para quem chegou da viagem, que no incidente Gerald Thomas, conhecido diretor e autor teatral, afeito a uma polêmica bem nos matizes chamados “pós-modernos” de banalização da vanguarda e do escândalo, num sensacionalismo pretensamente cult, estava lançando um livro, Arranhando a Superfície, quando a equipe do programa Pânico na Band se aproximou dele.

Gerald Thomas parecia contraditório, no seu misto de revolta e rendição. Ele quis agarrar Nicole Bahls como um valentão queria agarrar uma menina pequena pelo qual se sentia sexualmente atraído. A atitude de Gerald Thomas foi extremamente machista, pretensamente provocativa e cínica, e apenas resultou, como em toda atitude “polêmica” e “pós-moderna”, a uma controvérsia sem muito sentido.

Mas quem imagina que Nicole Bahls representava, dentro desse teatrinho maniqueísta, a imagem do “feminismo oprimido”, se enganou. O conflito não era entre machismo e feminismo, mas entre dois lados de uma cultura machista que só causa problemas, quando há um grande choque de interesses, já que o único problema estava mesmo é que Gerald Thomas queria forçar o assédio à moça, que não o queria.

Nicole Bahls também é uma musa da mídia machista, e naquele evento ela, como sempre, vestia roupas sumárias. Consta-se que ela só se veste discretamente em dias de muito frio, mas naquela ocasião, o de um lançamento de um livro numa livraria conceituada como a Livraria da Travessa, não era para ela estar vestida assim, mesmo quando fazia o papel de “repórter sensual” de um humorístico.

Os partidários de Nicole Bahls e de Gerald Thomas tentam dar suas respectivas rotulações aos respectivos ídolos. Os de Nicole a definem como uma “feminista dotada de liberdade do corpo” e os de Gerald o definem como um “intelectual vanguardista arrojado e polêmico”. Nem um, nem outro.

No machismo contemporâneo, associado a um contexto pós-tropicalista tanto da parte do “erudito” Gerald quanto da parte da “popular” Nicole, os dois lados tentaram disputar para ver quem é que ganha uma imagem de “transgressor” na opinião pública, e na opinião pública média, a vitória aparentemente é da paniquete, que “enfrentou” o assédio de um diretor teatral prolixo e arrogante.

No entanto, o que se viu foi um empate. Nicole errou feio, porque mesmo naquele contexto “sensual”, vestiu de forma apelativa demais, não bastasse o corpo siliconado e anabolizado que ela exibe que a faz “cheinha” demais. E errou Gerald Thomas, porque foi mais um ato de “provocação gratuita” que ele fez.

Vale aqui dizer que Gerald Thomas tornou-se a banalização, desde os anos 90, do vanguardismo cultural dos anos 60, levando ao extremo a atitude de provocar e chocar o público. Chega a um ponto que essa provocação, quando se torna gratuita, perde o seu sentido expressivo, pois a provocação como um fim em si mesmo elimina o sentido da arte e transforma a polêmica num mero produto.

Deve-se tomar cautela com o episódio. Não houve maniqueísmos. Nicole não foi a mocinha inocente assediada sexualmente por um diretor teatral decadente, mas uma mulher a serviço da imagem mercadológica da sensualidade, que reduz o corpo feminino a um objeto de consumo.

Se Gerald Thomas agiu feito um machista assanhado, Nicole também fez por onde para se envolver nesse escândalo. Ela acaba pagando o preço caro das mulheres que “sensualizam demais”, como tantas outras que não foram assediadas por diretores teatrais, mas tiveram fotos reproduzidas em propagandas de prostíbulos europeus. É o espetáculo do machismo contemporâneo.

7 horas atrás

Lula pula fora da briga entre Lindbergh e Cabral

 
: Ex-presidente deixa claro que não irá intervir no PT do Rio, impedindo a candidatura de Lindbergh Farias, como quer o governador Sergio Cabral, do PMDB; clima fratricida torna mais complexa a corrida eleitoral no Rio de Janeiro, liderada pelo deputado Anthony Garotinho, do PR 
7 horas atrás

Governo do 1,5%

FICHA CORRIDA por Gilmar Crestani
 

FHC sob orientação  subserviente de Margareth Tatcher foi o governo do 1% contra os 99%. Agora o PSDB levanta outra bandeira, que atinge 1,5% do universo dos menores infratores. Essa gente gosta de pensar pequeno, na miudagem. Um foco desfocado, pela miopia daquele que a mídia incensou como tendo “os melhores quadros”…  É por isso que os grupos mafiomidáticos, que também são minúsculos embora barulhentos, apoiam essa chinelagem!

Jovens internados na antiga Febem por mortes são 1,5%

Punição mais dura defendida por Alckmin atingiria 134 adolescentes

Maioria dos internos da Fundação Casa está lá por tráfico de drogas e roubos; debate ganhou fôlego após crime em SP

AFONSO BENITESDE SÃO PAULO

Se aprovada, a proposta que o governo de São Paulo quer levar ao Congresso Nacional para endurecer a punição de jovens infratores atingiria hoje 134 adolescentes do Estado que cumprem medida socioeducativa.

São menores de 18 anos que cometeram crimes de homicídio e latrocínio (roubo seguido de morte). O número representa menos de 1,5% dos 9.016 internos da Fundação Casa (antiga Febem).

A discussão sobre a punição de jovens foi reaberta após o assassinato do estudante Victor Hugo Deppman na terça-feira, em São Paulo.

Ele foi morto após entregar o celular ao assaltante, sem reagir. O suspeito estava a três dias de atingir a maioridade.

Os dados da Fundação Casa mostram que a maioria foi detida por roubo (44,1%) e tráfico de drogas (41,8%), crimes que não se enquadrariam no critério de gravidade estipulado pela gestão de Geraldo Alckmin (PSDB).

Hoje, um jovem pode ficar até três anos detido e, quando libertado, as informações da internação não constam de sua ficha criminal.

O projeto prevê que esse prazo chegue a até dez anos, em caso de reincidência. Além disso, assim que o jovem completasse 18 anos, seria levado para uma penitenciária. Seus crimes também ficariam registrados na ficha de antecedentes criminais.

Para especialistas ouvidos pela Folha, a proposta não necessariamente interfere na redução da criminalidade.

“Não adianta instituir a pena de morte se a polícia não investigar direito. Quem comete um crime imagina que, se não for pego, não vai ser punido. Isso vale para jovem e adulto”, diz o defensor público Flávio Frasseto, da área de Infância e Juventude.

O advogado Ariel de Castro Alves, ex-conselheiro do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, disse que é mais fácil reeducar um jovem na Fundação Casa do que em um presídio.

“Essa questão é financeira. Um interno da fundação custa cerca de R$ 5.000 ao mês. Já um preso, R$ 1.000.”

Ontem, Alckmin disse que há dez anos discute a revisão do ECA e que acredita que a atual legislação não educa os adolescentes infratores.

“Hoje, o menor não pode passar mais de três anos [internado] e sai com a ficha limpa. O menor com 17 anos, 11 meses e 29 dias, se cometer um crime, dois crimes, três crimes, o máximo é três anos. Nós entendemos que isso não educa”, disse o governador.

O governo federal disse ser contrário às mudanças.

Colaboraram DANIELA LIMA e EDUARDO GERAQUE

Filed under: Isto é PSDB! Tagged: geraldo alckmino minúsculo  

7 horas atrás

Ministro Luiz Fux cancela jantar bancado por advogado

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 

Ministro Luiz Fux cancela jantar bancado por advogado

MÔNICA BERGAMO
COLUNISTA DA FOLHA
MARCO ANTÔNIO MARTINS
DO RIO 

O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), pediu ontem ao advogado Sergio Bermudes que ele cancelasse o jantar que estava preparando para o magistrado. 
O organizador da festa, marcada para o dia 26, queria reunir políticos e a cúpula do judiciário nacional e do Rio de Janeiro em seu apartamento de 800 metros quadrados, na zona sul do Rio. O evento celebraria os 60 anos de Fux. 

SCO/STF e Folhapress
Ministro Luiz Fux e advogado Sergio Bermudes
Ministro Luiz Fux e advogado Sergio Bermudes

“Estamos cancelando a pedido do ministro”, disse Bermudes na noite de ontem. 
Segundo relato do advogado, Fux informou que sua mãe, Lucy, de 78 anos, teve uma crise de hipertensão com a repercussão negativa da celebração, o que teria preocupado o ministro. 
A divulgação do jantar pela Folha causou constrangimento no Supremo. Nos bastidores, ministros criticaram a festa, para a qual foram disparados 300 convites. 
Além de ser bancada pelo advogado, ela ocorreria pouco depois de o presidente da Corte, Joaquim Barbosa, ter criticado o que considera “conluio” entre juízes e advogados no Brasil. 
Coincidiria também com o julgamento dos recursos apresentados pelos réus do mensalão, que tentam reduzir suas penas. 
Além de todos os ministros do Supremo, Bermudes chamou para o evento todos os integrantes do Superior Tribunal de Justiça, os 180 desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio, o prefeito da cidade, Eduardo Paes, e o governador Sérgio Cabral. 
O mal-estar foi agravado pela informação de que a filha do ministro, Marianna Fux, é candidata a desembargadora do TJ do Rio. 
Na festa, ela teria a oportunidade de circular entre potenciais eleitores, já que cabe aos desembargadores do TJ, convidados para a celebração, escolher, a partir de uma lista sextupla da OAB-RJ, os três nomes que serão apresentados ao governador Cabral. O governador então escolhe o novo desembargador. 
Cabral negou ontem ter recebido o convite para o jantar. Ele também disse não ter conhecimento de articulação em prol da escolha da filha do ministro. “Nunca ouvi falar disso. A mim nunca chegou esse assunto. Agora, que ela é uma advogada brilhante e respeitada, ela é.” 
Antes da desistência de Fux, Bermudes havia defendido a realização do evento sob o argumento de que Fux nunca julgou ação em que atua como advogado, informação reiterada pelo gabinete do ministro. 
“Sempre fomos muito amigos. É uma amizade de 40 anos que começou quando ambos éramos professores. Fui orientador dele e o ministro Fux sempre se julga impedido de atuar nas ações assinadas por mim ou por sua filha”. Marianna Fux, 32, trabalha no escritório do advogado. 
Colaboraram CRISTINA GRILLO e ITALO NOGUEIRA, do Rio, e FELIPE SELIGMAN, de Brasília

7 horas atrás

PT desautoriza pedido de investigação contra Luiz Fux. “A investigação é sobre se a campanha teve utilização de caixa dois. Essa é a investigação e não sobre o [ex] presidente Lula”, disse. O dirigente Romênio Pereira disse que o PT não precisa fazer ato em defesa de Lula. “Os ataques que eles estão sofrendo são os mesmos dos últimos oito anos”, afirmou. Na mesma linha, a ex-prefeita e presidente do diretório estadual do Ceará, Luizianne Lins, disse que “há tempos queriam processar Lula por tudo quanto é motivo”.

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 

PT desautoriza pedido de investigação contra Luiz Fux

DO VALOR O presidente do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP), desautorizou nesta sexta-feira (12) qualquer pedido, feito em nome do partido, de investigação do ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal). 
A declaração de Falcão foi em sentido contrário à articulação do setor jurídico do PT de São Paulo, que quer entregar uma representação à Procuradoria-Geral da República defendendo a apuração da conduta de Fux no Supremo e o “impeachment” do ministro. 

Silva Junior – 14.nov.2012/Folhapress
Rui Falcão, presidente nacional do PT
Rui Falcão, presidente nacional do PT

“Não estamos propondo nenhuma investigação do ministro do Supremo Tribunal Federal. O PT não está propondo essa investigação”, repetiu Falcão, na sede do PT em São Paulo, depois de reunir-se com o diretório nacional do partido. 
O núcleo jurídico do PT de São Paulo, coordenado pelo advogado Marco Aurélio Carvalho, pretende enviar uma representação ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pedindo a apuração da conduta de Fux durante sua candidatura ao cargo de ministro do STF. 
O grupo cita entrevista dada pelo ex-ministro José Dirceu à Folha, na qual disse que Fux teria prometido “absolver” o petista no julgamento do mensalão, enquanto ainda pleiteava uma vaga no Supremo. 
O presidente do PT, no entanto, afirmou que Carvalho não representa a opinião do comando petista. “Ele não fala em nome do partido. Ele pode falar por ele. Se falou em nome do PT está desautorizado”, disse Falcão. 
Apesar disso, Falcão criticou Gurgel por ter defendido Fux. “É curioso que o próprio procurador que diz que Dirceu não merece crédito porque é réu, dá crédito a outro réu, que tem uma pena maior”, disse Falcão, referindo-se ao publicitário Marcos Valério.
A declaração do dirigente petista foi uma resposta à afirmação do procurador-geral, que desmereceu Dirceu, réu no caso do mensalão. 
LULA
Ao mesmo tempo, a Procuradoria da República do Distrito Federal pediu à Polícia Federal a abertura de um inquérito criminal para investigar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por suposto envolvimento no esquema do mensalão, com base em depoimento prestado por Valério em setembro. O inquérito da Polícia Federal foi aberto na noite de quinta-feira. 
Hoje, o PT decidiu não divulgar nota em apoio ao ex-presidente. Dirigentes petistas, de diferentes correntes internas da legenda, minimizaram a investigação envolvendo o presidente de honra do partido. 
Para Rui Falcão, a investigação é “mais uma das muitas invencionices criadas para atingir Lula”. 
“Não há nenhuma necessidade de soltar nota de solidariedade até porque a gente não acha que ele [Lula] esteja agravado e nem que esteja sendo investigado pessoalmente”, afirmou Falcão a repórteres, depois de participar de uma reunião do diretório nacional do partido, em São Paulo. “A investigação é sobre se a campanha teve utilização de caixa dois. Essa é a investigação e não sobre o [ex] presidente Lula”, disse. 
O dirigente Romênio Pereira disse que o PT não precisa fazer ato em defesa de Lula. “Os ataques que eles estão sofrendo são os mesmos dos últimos oito anos”, afirmou. 
Na mesma linha, a ex-prefeita e presidente do diretório estadual do Ceará, Luizianne Lins, disse que “há tempos queriam processar Lula por tudo quanto é motivo”. 

7 horas atrás

Gurgel tem posição incoerente, diz presidente do PT

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Gurgel tem posição incoerente, diz presidente do PT DE SÃO PAULO O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou ontem considerar “curioso” que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, dê crédito ao empresário Marcos Valério, mas não ao ex-ministro José Dirceu, ambos condenados pelo Supremo Tribunal Federal no caso do mensalão. 
A declaração fez referência à entrevista na qual Dirceu disse à Folha que o ministro Luiz Fux, do STF, prometeu absolvê-lo no processo do mensalão. 
Ao comentar a declaração, Gurgel disse que Dirceu não merecia crédito. 
O procurador, no entanto, enviou depoimento de Valério para que o Ministério Público investigasse um suposto envolvimento do ex-presidente Lula com o mensalão. 
Falcão afirmou ainda não ver necessidade em aprovar uma nota de solidariedade a Lula pela investigação e disse se tratar de mais uma “invencionice” para atingir a imagem do ex-presidente.
7 horas atrás

Fernando Rodrigues Os conservadores

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Fernando Rodrigues Os conservadores BRASÍLIA – Com 21 anos de ditadura militar (1964-1985) nas costas, o Brasil desenvolveu uma aversão natural a tudo que pudesse recender a conservadorismo ou pensamento de direita. Nas eleições presidenciais diretas no atual período democrático, os candidatos mais competitivos sempre se definiram como de centro ou de esquerda. 
O Brasil passou a ser uma das maiores democracias do planeta com uma aberração. Não havia ninguém relevante para ocupar de peito aberto o campo conservador de direita. 
Muito disso foi só retórica. Todos os presidentes da República eleitos pós-ditadura sempre flertaram com políticas ortodoxas na economia. Não foram propriamente de esquerda. Até o ex-presidente Lula, que governou o Brasil de 2003 a 2010, adotou várias ações que poderiam ser classificadas como conservadoras –sobretudo na condução das regras de livre mercado e finanças. 
Nesse ambiente, por rejeitar o seu próprio DNA, o principal partido vocacionado para o conservadorismo acabou definhando. Trata-se do PP (Partido Progressista). Essa legenda é herdeira direta da Arena (que também se chamou PDS, PPR e PPB). Foi a agremiação que sustentou a ditadura militar. Mas, exceto por alguns de seus integrantes mais exóticos, todos os demais pepistas passaram a rejeitar a classificação de “conservadores”. Direita, nem pensar. 
O PP foi grande até 1994, quando elegeu 86 deputados. Depois, desceu a ladeira. Tem agora meras 37 cadeiras na Câmara. Nesta semana, trocou seu presidente. Saiu Francisco Dornelles, de 78 anos, e entrou o senador Ciro Nogueira, de 44 anos. 
A intenção de Nogueira é fazer do PP o principal partido conservador do Brasil. “Há um vácuo nesse campo da política. Vamos preenchê-lo”, diz ele. Aliado de Dilma Rousseff, terá de demonstrar na prática essa intenção nas eleições de 2014. 
O PP terá sucesso? Aí é outra história. As urnas dirão no ano que vem. 
fernando.rodrigues@grupofolha.com.br
7 horas atrás

Defensores acusam Barbosa de ‘cerceamento’

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Defensores acusam Barbosa de ‘cerceamento’ Réus do mensalão foram prejudicados, dizem advogados em documento enviado ao STF DE BRASÍLIA Depois de o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, afirmar que a defesa do petista José Dirceu no julgamento do mensalão tenta manipular os prazos recursais, nove advogados que atuaram no caso enviaram novo documento ao ministro da corte e relator do caso, acusando-o de “cerceamento” de direito, “abuso”, “incoerência” e “erro”. 
As críticas se referem tanto à decisão de Barbosa de não permitir que as defesas tenham acesso antecipado aos votos dos ministros antes da publicação do acórdão (resultado oficial do julgamento), como ao fato de ele não ter levado ao plenário o debate, conforme requerido diversas vezes ao longo das duas últimas semanas. 
“Os recursos regimentais cabíveis não podem ser sonegados ao conhecimento do plenário, como têm sido neste caso”, diz o documento. 
Segundo os advogados, ao negar o acesso aos votos, o presidente do Supremo “cerceou o direito fundamental de examinar o texto do acórdão condenatório em condições materialmente dignas”. 
Eles afirmam que a disponibilização dos votos é algo possível, tanto que o próprio ministro já adotou a prática em outros casos “igualmente televisionados”. “A incoerência da proibição –ainda mais num caso tão excepcional como esta ação penal 470– não se justifica por nenhuma razão de direito”, afirma o recurso. 
DIREITOS FUNDAMENTAIS
A peça foi elaborada por nove advogados que atuam na defesa de sete réus, entre eles o próprio José Dirceu, Delúbio Soares, João Paulo Cunha, José Genoino e José Roberto Salgado, entre outros. Assinam o documento nomes como Márcio Thomaz Bastos, Alberto Toron, Arnaldo Malheiros Filho e José Luis Oliveira Lima. 
Eles criticaram o argumento de Barbosa de que eles tiveram oportunidade de acompanhar o julgamento ao vivo, via rádio ou pela TV Justiça. Segundo os advogados, os direitos fundamentais em jogo são “muito sérios” e “devem ser tratados por meio de argumentos rigorosamente jurídicos”. 
(FELIPE SELIGMAN)
7 horas atrás

Novo presidente do PP defende apoio à reeleição de Dilma

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Novo presidente do PP defende apoio à reeleição de Dilma Senador Ciro Nogueira diz querer transformar partido em referência conservadora para a política brasileira 
Político quer penas duras para usuários de drogas e se diz contra Comissão da Verdade e liberação do aborto FERNANDO RODRIGUES DE BRASÍLIA Cortejado por todos os principais partidos que tentam chegar ao Planalto, o novo presidente do PP (Partido Progressista), o senador pelo Piauí Ciro Nogueira, se declarou pessoalmente favorável a uma aliança formal entre o seu partido e o PT para sustentar a reeleição da presidente Dilma Rousseff, em 2014. 
Aos 44 anos, mas com uma longa carreira política (quatro mandatos de deputado federal antes do Senado), Nogueira faz uma ressalva sobre a necessidade de unificar a legenda. Em entrevista à Folha e ao UOL, ele reconheceu que hoje a situação é desfavorável para que o PP dê o seu tempo de TV e rádio para Dilma usar na campanha. 
Só não deixa dúvida sobre sua preferência pessoal: “Eu defendo o apoio à presidente Dilma”. É um posicionamento muito diferente da neutralidade mantida pelo ex-presidente do PP, senador Francisco Dornelles, do Rio, que em 2010 manteve a sigla neutra na disputa presidencial. 
Nogueira não deseja hostilizar a ala anti-PT do seu partido e contrária ao apoio oficial à reeleição de Dilma, mas se empenha na construção de um consenso que possa resultar na aliança em 2014. 
O fato de o PP comandar o Ministério das Cidades não implica uma aliança automática, pois essa também era a conjuntura em 2010. O que poderá mudar o cenário é um processo de consulta aos diretórios da sigla nos Estados. 
Para Ciro Nogueira, a presidente e o PT terão de se esforçar para oferecer um acordo que não sufoque o PP nas disputas por vagas no Congresso e em algumas eleições de governadores. 
“O PT, historicamente, é um partido que não costuma apoiar candidatos de outros partidos. Nós estamos precisando também de gestos do outro lado”, diz o pepista. 
O problema para esse acordo de apoio mútuo é que o PP tem como prioridade dois Estados nos quais o PT também deve ter candidato próprio ao governo: Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Nesse caso, seria necessário firmar um pacto de não agressão e garantir que Dilma se mantenha equidistante nessas disputas. 
O PP é o herdeiro direto da Arena (depois renomeada como PDS), legenda de sustentação da ditadura militar (1964-1985). Embora a sigla já tenha feito acordos regionais com o PT, o acerto nunca foi reproduzido eleitoralmente em nível nacional. 
O PP apoiando o PT em 2014 seria o fechamento completo do ciclo da redemocratização, com a união formal das duas forças mais antagônicas do fim da ditadura. 
Se embarcar no projeto reeleitoral de Dilma, o PP sufocará ainda mais os presidenciáveis que tentarão concorrer contra a atual presidente. 
Ideologicamente, o PP deseja ser o “partido conservador” do Brasil. Segundo Nogueira, “há um vácuo” que pode ser ocupado pela sigla. 
Fala sem ressalvas que defende menos impostos e menos presença do Estado na economia. É a favor de endurecer as penas até para usuários de drogas. Não deseja flexibilizar a lei do aborto. Também quer reduzir a maioridade penal e se declara contra a Comissão da Verdade.
7 horas atrás

Com Dirceu e Genoino, PT debate ação anticorrupção e a Folha não gosta

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Com Dirceu e Genoino, PT debate ação anticorrupção Campanha preliminar feita pelo marqueteiro João Santana, porém, foi rejeitada 
Depois de condenação no mensalão, petistas querem mobilização em favor do financiamento público em eleições DE SÃO PAULO DE BRASÍLIA Com a presença de José Dirceu e de José Genoino, condenados no julgamento do mensalão, a cúpula do PT discutiu ontem o formato de uma campanha publicitária pela reforma política, contra a corrupção eleitoral. 
A criação da campanha foi objeto de discussão no comando do partidário, que busca uma saída para a crise em que a sigla mergulhou após o mensalão. Para os petistas, levantando a bandeira da reforma, o partido apresenta uma proposta concreta para sair da defesa no caso. 
O PT partiu da constatação de que não adianta insistir no argumento de que houve, na verdade, um esquema de caixa dois. No julgamento do escândalo, em 2012, petistas defenderam a tese de que o dinheiro pago a congressistas era doação eleitoral irregular, o que foi rejeitado pelo STF (Supremo Tribunal Federal). 
O principal mote da campanha petista é a adoção do financiamento público exclusivo de campanhas, com o fim das doações privadas. A medida foi classificada pelo presidente da sigla, deputado Rui Falcão, como ” a melhor maneira de combater a corrupção e o abuso do poder econômico” nas eleições. 
O partido começa hoje a coletar assinaturas para apresentar ao Congresso o projeto de lei de iniciativa popular sobre o assunto. Além do financiamento público, a proposta defende o voto em lista nas eleições para deputado e vereador e a convocação de uma Assembleia Constituinte exclusiva sobre o tema. 
A primeira versão das peças publicitárias, elaboradas pelo marqueteiro João Santana, foi apresentada ontem ao Diretório do PT e reprovada pelos dirigentes. Em preto e branco e com imagem de cédulas de reais, as peças tratavam como “dinheiro sujo” o financiamento privado de campanhas eleitorais. 
Foram consideradas excessivamente agressivas e violentas pelos petistas, que as devolveram para a equipe de marketing. 
O partido pretende coletar, até fevereiro, cerca de 1,5 milhão de assinaturas para apresentar o projeto 
Estão previstos, no dia 16, quatro eventos, em Minas Gerais, no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo –este último com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na comemoração do aniversário do Sindicato dos Bancários. 
(PAULO GAMA E CATIA SEABRA)
7 horas atrás

É hoje também! RJ – Ato-Encontro de Resistência de Comunidades Impactadas na Aldeia-Quilombo ManguiN’Ação: a partir das 13 horas

RACISMO por racismoambiental
 

O filme abaixo é um exemplo do que vem acontecendo em Manguinhos e em outras comunidades e que justifica Atos-Encontros como o do próximo sábado. Produzido por A Nova Democracia, seu título é “Manguinhos: Jovem é eletrocutado por PMs e população se levanta contra as UPPs”. Mas é muito mais do que isso que ele mostra. TP.

Este Ato-Encontro visa denunciar a violação sistêmica de direitos humanos e a situação de grave risco à saúde e à vida de centenas de famílias das favelas de Manguinhos e do Jacaré-Jacarézinho devido à precariedade dos sistemas de saneamento, poluição dos rios e do ar, às remoções arbitrárias e ao cerceamento da cidadania de seus moradores pelo controle social e militarizado do Governo Federal, do Estado e da Prefeitura, em suas políticas de urbanização (PAC-Grandes Favelas), pacificação e de privatização dos serviços públicos direta ou através de parcerias público-privadas. Este Encontro também visa ampliar a área de contato e interação com as redes de solidariedade de resistências e de lutas e fortalecer estas resistências através da ação em rede, coordenada, sistêmica e anti-sistêmica. Vejam, a seguir, algumas reflexões a respeito dos motivos que nos levam a esta atividade e, em seguida, dados objetivos sobre a Programação, incluindo como chegar ao local.

Justificativa

Apesar de ter recebido centenas de milhões em investimentos, que, supostamente, deveriam melhorar as condições de habitação, saneamento e de saúde das comunidades de Manguinhos pelo PAC-Manguinhos, o que vemos, cerca de 5 anos após o anúncio dos investimentos e início das obras, é que Manguinhos ainda está vulnerável às enchentes, como ocorreu em março deste ano (uma das cheias de maior intensidade e impacto para a região em toda a sua história, conforme relatos de moradores antigos), que os efluentes de esgoto doméstico e industrial continuam sendo despejados nos rios, pelas tubulações construídas pelo PAC, nos rios Faria-Timbó e Jacaré, o que caracteriza crime ambiental.

Nem mesmo os conjuntos habitacionais construídos pelo PAC resistiram à inundação. Técnicos e moradores denunciam a falta de qualidade do material utilizado nas obras e do projeto de drenagem de águas fluviais, pluviais e de esgotos, no conjunto localizado mais próximo de Benfica, junto a Av. Dom Hélder Câmara (antiga Suburbana), além da ocorrência de rachaduras em obras recém-inauguradas, buracos nas vias recentemente pavimentadas. Os moradores, técnicos e movimentos sociais de Manguinhos também denunciam a insuficiência do tamanho das residências dos novos conjuntos habitacionais, cuja metragem é inferior ao mínimo convencionado internacionalmente pelas ONU (44 metros quadrados), os do PAC tem cerca de 40m. Os moradores dizem que cozinham o feijão com a água que pinga da roupa no varal e reclamam: ‘a sociedade não entende por que nos estendemos a roupa do lado de fora, ou por que fazemos ‘puxadinho’ então vem me visitar e mora aqui uns dias pra entender…’

As obras do PAC, ainda que os investimentos tivessem como prioridade o saneamento e a habitação, não reduziram os pontos de alagamento pluvial de Manguinhos, ao contrário, estes foram elevados. Nem resolveu o problema da coleta precária do lixo, que continua precária. Nem apontou uma solução real para o problemas dos aterros sanitários (lixões) que existem nas favelas de Manguinhos, apenas maquiagens.

O padrão individualizado dos processos de indenização, reassentamento e/ou remoção do PAC também têm causado graves riscos à saúde, com histórico recente (pós-PAC) de famílias com vários registros hospitalares de problemas respiratórios, leptospirose, tuberculose, problemas motores por cortes e invalidez para o trabalho, entre outros associados à contaminação da água, que estão co-relacionados com a precariedade do sistema de saneamento e à condição de baixa renda e de miséria de parte expressiva dos moradores desta região. As famílias que ainda não receberam a indenização, que muitas vezes demora a ser cumprida, ou não chegaram a um acordo com o Estado, em uma relação mediada por agentes privados (Trabalho Social) que tem interesse direto na redução dos custos da ‘realocação’, esta famílias vivem entre escombros, no que eles mesmos chamam de ‘cidade dos ratos’.

Além dos danos ambientais, este padrão de ‘remoção’ tem desestruturado laços familiares e comunitários. O PAC tem usado a sua Procuradoria para induzir oficiosamente à aceitação dos seus termos nos processos de negociação. Além disto, são constantes e prolongadas as situações de corte de água, luz, telefonia (e internet), que, além da poeira das obras, e do barulho das demolições que já se arrastam por cerca de 3 a 4 anos, são causa de adoecimento, além do estresse causado por estas péssimas condições de vida, o que também reduz a capacidade de resistência e luta pela garantia do Direito à Moradia Digna. Movimentos sociais de Manguinhos vêm denunciando, desde o início das remoções, a insuficiência dos valores de indenização regulamentados por Decreto (a nosso ver, inconstitucional), o que leva ao endividamento de muitas famílias ou à reprodução de condições de moradia irregular e inadequada.

O mais grave no entanto é a manutenção de relações de poder neocoronelistas e alianças entre as classes dominantes no local e no governo municipal, estadual e federal que se traduzem em práticas de controle social d’exceção, de fragmentação do movimento social local e ameaças contra ativistas e moradores das áreas atingidas, para que não denunciem, com a sua própria existência e presença física, os processos de corrupção institucionalizados nas políticas ‘sociais’ e de ‘urbanização’, de indenização para fins de remoção (desadensamento), seleção dos moradores dos novos conjuntos habitacionais, entre outras.

A implantação da UPP reitera este cenário, não altera as correlações de forças dominantes no local, pior, as reforça, mantendo à margem do campo institucional, as resistências críticas e independentes. Estas relações de poder são constituídas por práticas de ruptura com a institucionalidade democrática, sem a convocação de eleições, sem consultas à população, acumulação de cargos e até postos de chefia em partidos e na gestão de políticas ‘sociais’ ‘público-privadas’, golpes d’estado, etc… Todo este conjunto de práticas reforçam o domínio político do PMDB sobre as favelas da região norte da cidade, conforme já foi denunciado na imprensa, sob a proteção das UPPs…

As UPPs estão inscritas em um projeto de segurança da cidade da Copa e das Olimpíadas, de especulação imobiliária e gentrificação (expulsão dos mais pobres para áreas mais distantes e suburbanizadas), de controle político-social institucionalizado (UPP Social) e militarizado. Seu pano de fundo são os conflitos pela posse e apropriação do território, uso social ou privatização e espoliação? Ela, a UPP, é o braço armado deste eixo estratégico de reprodução deste projeto de cidade global capitalista d’exceção.

Os conflitos entre a UPP e a comunidade, principalmente com determinado segmento –  a juventude -, são cotidianos. Os jovens relatam que são revistados diariamente, diversas vezes por dia, de forma constrangedora. Violência verbal, racismo, agressões e tortura. Detenção ilegal. Uso abusivo da força, com a presença marcante em espaços de convívio como padarias e lanchonetes, armados de fuzis e granadas. Há relatos de quedas consecutivas de armas de fogo nestes espaços, entre outros abusos, inclusive em relação ao estatuto da PM. Estas violências não são denunciadas, muitas vezes, devido ao medo da presença constante e ameaçado dos algozes no espaço de convívio comunitário. Os conflitos, no entanto, começam a emergir cada vez com maior força nestas comunidades. E o histórico e clima do confronto, cada vez mais acirrado.

No intercurso de nossa participação formação do GT Rede das impactadas notamos diversos relatos de violação de direitos pelas UPPs. Mas, este conflito latente só ganha oficialidade quando ‘não temos mais nada a perder’, quando a vida de um parente querido foi ceifada, em casos de desespero e de catarse coletiva. Mas, é preciso notar que esta catarse tem um vetor de conhecimento coletivo que zela pelo cumprimento do rito legal no registro das ocorrências e identificações policiais (Posso Me Identificar?), como ocorreu em Manguinhos, em que o protesto dos amigos e moradores não permitiu que a versão dos militares fosse naturalizada e no Jacaré-Jacarezinho, recentemente, diante da morte de dois jovens moradores destas áreas em conflito com os militares das UPPs. Desde então, outros tantos, dezenas, de conflitos expressos, cotidianamente, têm ocorrido nesta região. O que corresponde a uma situação explosiva em que outros casos extremos virão à tona, repetindo a tragédia como farsa, ou serão ‘silenciados’…

O primeiro pré-encontro de um grupo/rede em formação

Este será o primeiro pré-encontro itinerante do processo de formação e fortalecimento da rede dos grupos de resistência de base comunitária das comunidades impactadas da cidade e região metropolitana do RJ.

A construção desta rede de favelas, ocupações entre outras comunidades impactadas pelo projeto dominante de cidade/sociedade e de desenvolvimento urbano-capitalista vem sendo sugerida e requisitada desde 2010, quando nos encontramos na organização do Fórum Social Urbano, como forma de fortalecimento da resistência de cada uma e do conjunto destas comunidades. Mas, provavelmente, desde antes disto, seu reconhecimento como uma rede articulada em conjunto por diversos agentes territorializados, têm sido difícil devido aos processos vigentes de fragmentação social, induzidos por práticas de exceção e de agenciamento e cooptação do campo social-institucionalizado.

Desde então (2010), vimos nos encontrando nas resistências das ocupações, contra as remoções arbitrárias, mais recentemente, na Rio + 20, em Conferências, Seminários sobre a questão das favelas e direitos humanos, mas nossa ação não é diretamente articulada com nossos pares, co-irmãos de luta e de luta, em experiências que construirmos como na formação da Rede de Comunidades de Favelas Contra a Violência de Estado, a partir de 2003, e de suma importância para as resistências na cidade até hoje, e da qual queremos ser, junto e na relação com outros espaços de articulação, um grupo de trabalho e ação direta das comunidades impactadas.

Em 2012 nos encontramos nos protestos da Rio + 20, nas ações e resistência dos pescadores, contra os impactos da TKCSA, de discussão das UPPs e protestos contra diversas situações de violências em comunidades de favelas e ocupações. Mais especificamente, em uma leitura crítica do campo social institucionalizado, estas comunidades, desde fins deste ano passado (2012) vem emergindo a necessidade de reconhecimento, formação e fortalecimento deste GT/Rede das Impactadas junto as demais articulações da sociedade contra o modelo de cidade dominante.

Os grupos sociais que estão organizando este Encontro são grupos de resistência às remoções arbitrárias e ao projeto de cidade dominante, de base comunitária, que contam com o apoio de Fóruns abrangentes como o Fórum de Saúde. o Fórum de Justiça, e que também estão juntos em outros espaços de articulação de lutas como o Comitê Popular da Copa e das Olimpíadas, o Conselho Popular e a Rede de Comunidades de Favelas e Movimentos Sociais Contra a Violência de Estado, também muito importantes para as suas resistências.

Encontro:

  • Praça Américo Júnior – na sede da Associação de Moradores da Vila Turismo/Favelinha – Manguinhos, a partir das 13h.

Como chegar:

  • De Trem: Estação de Manguinhos (ramal Central – Saracuruna), passar ponte sobre o Rio Faria Timbó e subir pela Estrada de Manguinhos até a Rua Luiz Gregório de Sá (pu Rua do Meio), seguindo-a até o fim dela na Praça.
  • De Metrô: Estação de Maria da Graça (Linha 2 – Pavuna) – descer até a Av. dos Democráticos e desta até Rua Fiscal Monteiro (ao lado da Igreja Universal), descer até a Rua Luiz Gregório de Sá (Rua do Meio) e daí no sentido da sede na Praça.
  • De ônibus: Pela Av. dos Democráticos, descer próximo a GRES Unidos de Manguinhos, descer pela Estrada de Manguinhos e virar à esquerda, na segunda entrada, na esquina da padaria, após o mercado, na Rua Luiz Gregório de Sá ou Rua do Meio e descer até a Praça.
  • Av. Dom Hélder Câmara (antiga Suburbana), no ponto posterior ao da UPA-Manguinhos, descer na Praça e caminhar pela Av. dos Democráticos até a Estrada de Manguinhos, descer por esta e virar à esquerda, na segunda entrada, na esquina da padaria, após o mercado, na Rua Luiz Gregório de Sá ou Rua do Meio e descer até a Praça.
  • Linha Amarela (ponto de ônibus da saída de Bonsucesso) – terá que voltar pela Av. Dos Democráticos, no sentido Jacarézinho, passar pela Ten. Abel Cunha até a Rua Gil Gafré (na esquina tem um posto Ipiranga) e descer até a Praça.

PROGRAMAÇÃO EM CONSTRUÇÃO:

Abertura:

13h-14h – Mística do Encontro nos Labirintos da Favelinha

13h30-14h30 – Evocação e acolhimento dos nossos saudosos Luiz Poeta e do jovem Matheus e seus parentes e amigas na Praça de Vila Turismo… Mística de Confraternização das comunidades participantes sobre o Coração da Luta!

14h30-16h – Visitas guiadas: Beira Rio, Linha (Parque João Goulart), Mandela de Pedra (ao lado da Refinaria de Manguinhos) e Conab (Vitória de Manguinhos) pelo Parque Metropolitano de Manguinhos, como espinha dorsal – Ponto de Encontro no ‘anfi-teatro’ de rua próximo à Estação e à entrada da Fiocruz, pela Leopoldo Bulhões

16h – Passeata de retorno

17h – Retomada da Feira Grátis (próximo à Beira-Rio)

18h30 – Lançamento do Dossiê de Tipologias de Violações de Direitos à Moradia, do Ambiente (Territorialidade) e à Cidade/Cidadania

19h – Artivismo, Malabares, Grafite e Exibição de vídeos e fotos – com Câmera Aberta e transmissão ao vivo via web (a confirmar)

20h30 – Roda de Rima – Faixa de Gaza Poética! – CCRP-Manguinhos Com Sahel Relato 7, BCNHP e DJ Tikano, entre outras atrações (a confirmar)

FEIRA GRÁTIS:
É uma ideia bem simples, cada um leva o que quiser e/ou puder (roupas, cds, serviços, abraços, massagem, comida, fotos, música, enfim, qualquer coisa) e quem não puder não leva nada além da presença e da alegria. Também não há restrições sobre o que pegar, a ideia é fazer as coisas circularem, no fundo sempre é um troca, de experiências. Por isso, a feira grátis é diferente da feira de trocas, pois aqui, você não precisa dar nada para receber alguma coisa em troca.

Fora isso, tragam suas faixas e cartazes contra as remoções, contra a violência policial, contra o extermínio da juventude favelada, contra a militarização, etc

7 horas atrás

ALTA RODA – CORRIDA AO OURO

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://www.carronovo.com.br Dessa vez, um segredo bem guardado. Congelamento das alíquotas do IPI até 31 de dezembro – cancela os dois aumentos previstos para abril e julho – foi anunciado durante feriado da Páscoa. No momento, o governo está preocupado não apenas em sustentar o crescimento no mercado de veículos, mas de tabela controlar reflexos na […]
7 horas atrás

Focco pede ao MP atitude contra nomeação Zé Gomes

 
: Fórum Goiano de Combate à Corrução encaminha pedido ao procurador-geral de Justiça, Lauro Machado Nogueira, para que tome providências judiciais necessárias à anulação da nomeação e posse do presidente da Saneago, considerado ficha-suja pela organização; pede ainda abertura de inquérito civil público para investigar a conduta dos membros do Conselho de Administração da empresa, que deu posse a Gomes 
8 horas atrás

Maílson, 80% ao mês, critica inflação de Dilma

 
: Bras�lia-DF 29/06/06 Foto: Jos� Paulo Lacerda
Encontro Nacional da Ind�stria. Terceiro painel. Na foto: Mailson da Nobrega.É ou não ou cúmulo da cara de pau? O economista Maílson da Nóbrega, que comandou o Ministério da Fazenda no fim do governo Sarney e entregou ao País uma hiperinflação, tem a pachorra de condenar a atual política monetária e criticar a meta de inflação brasileira de 4,5% ao ano, segundo ele, “já em si muito alta”; lobista do sistema financeiro, Maílson pede a combinação de recessão, desemprego e juros altos; o incrível é que este personagem tenha espaço para comentar a economia com ares de guru 
8 horas atrás

Aos vencedores, os tomates

HARIOVALDO por Morvan Bliasby
 

A Dama dos Homens Bons, já cansada, também luta pelo tomate

Devotos de São Serapião.

Esta guerra contra a ninguenzada só está começando. Mas, com firmeza, devagar e sempre, venceremos. Relembrando nossos mentores-mor, os quais já se encontram com Belzeb., digo, com a beleza do paraíso, hermanos Reagan e Tatcher, para os quais o Estado é um entrave, ou, consoante o próprio Reagan, “O Estado não é solução, é o problema”, “Reduziremos o Estado a uma situação que ele caberá em uma bacia” e outros aforismos e adágios reservados aos bem-nascidos e cultos, como nossos hermanos do Norte.

Não vos desespereis. Perdemos a Batalha do Tomate (por Hariovaldo, o sumo-serapiano), não a guerra. O Mantega que nos aguarde. Ou se derreta. Sobre isto, ainda, texto de dois comunistas empedernidos:  Tomate trai, baixa o preço e oposição vai pro vinagre (de Emir Sader, por Gerson Carneiro)!

Relembrando ainda recentes quase-sucessos, na Bolívia, terra do índio (arhhhhg!) Evo [i]Morales, quase ganhamos a Guerra da Água, proibindo o canelau de pegar água da chuva! Que acinte. Água, mesmo da chuva, pertence aos de benz… Na Venezuela, nem nos falem. Lá, infelizmente, o povo está bastante Maduro, graças ao tal de Chavez, que continua influindo, infelizmente…

Aqui no Brasil, estamos tendo progresso, apesar da vermelhoide de nome nefando. Jerôme Walkce, moleque de recad., digo, porta-voz da FIFA, já proibiu a patuleia de utilizar o nome Mané Garrincha para o Estádio construído em Brasília. Por causa da FIFA, o Estádio irá se chamar “Estádio Nacional“. O sr. Walcke alega que o nome “Mané Garrincha” criaria problema de pronúncia para outros povos e outras abobrin., digo, explicações teóricas, sobre a importância dos nomes para os Estádios. Que o sr. Walcke é um Mané, é fato. Infelizmente, jamais será Garrincha

Este, de Mané, só a alcunha. Pernas desalinhadas. Passes iluminados. Saudade eterna.

A FIFA também está tentando fazer o Acarajé ficar de fora da Copa 2014!  Apoiado. O acarajé prejudica aos homens de benz proprietários da cadeia (neles?) de lojas patrocinadora da FIFA. Esta cadeia (vejo gente correndo!) de lojas é conhecida por vender a gororob., digo, iguaria, mais cara do planeta e a merluza com nome pomposo, por isso cara, mesmo que insípida. Mas o que está em jogo (sem trocadilho) é a saúde dos homens de benz que insistem em se misturar com os pés-rapados: nós, os de benz, comemos nossas iguarias; o ninguenzau consome sarrabulho, caninha, acarajé e outros alimentos quentes (em todos os sentidos) e seus produtos organo-sulfurosos acabarão por infestar o ambiente. Além do mal que isto faz à camada de ozônio, é hospital na certa.

Por fim, lembrar a vocês, irmandade serapiônica, que a Monsanto está fechando o cerco! Esta amabilíssima empresa está tentando conseguir apreender e controlar o resto das patentes sobre comida que eles ainda não possuem. É uma questão de tempo: a comida do mundo vai ser toda patenteada e nós os da Casa Grande, teremos conforto ilimitado. A plebe que coma grama ou assista tevê, o que dá na mesma…

Só para registro, existe um texto na Internet, denominado Monsanto vs Mãe Terra! Mais de hum milhão de comunistas rubiáceos, carmins, marcianos, que sejam, já assinaram. É um abaixo-assinado contra nossa querida Monsanto e o seu plano de tornar os bens da terra atributos exclusivos para os de benz, com d’antanho o era. Não assinem, por amor de São Serapião. Nós, da Casa Grande, temos que ficar do lado das corporações. Elas são a salvação do mundo contra a pobraiada indomável.
Monsanto neles. Tomates, não; ainda estão muito caros. E não esqueçam: “Çerra é 45, ou qualquer número. Çerra é Çerra” (d. a. Emerson57).

E pensar que este hortirrubro já foi nossa bala de prata… que salada.

Morvan, Abril de 2013.

8 horas atrás

Após erupção solar, Terra pode ter tempestade geomagnética

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude Erupções ocorridas no Sol nesta semana, consideradas as mais intensas deste ano, podem provocar até o fim da manhã deste sábado (13) uma tempestade geomagnética na Terra, que, dependendo da intensidade, pode afetar sistemas de telecomunicações do planeta e a rede de distribuição de energia elétrica, segundo cientistas. Na última quinta-feira (11), a agência […]
8 horas atrás

Dilma mente sobre PIB per capital em 2022

 
Para chegar no PIB per capita, dobro de 2013, em 2022, o Brasil teria de crescer uma média de 8,5% ao ano. Isto em média! No mundo todo, só China mantém crescimento do PIB neste nível, com população controlado pelo governo 
8 horas atrás

Apocalipse 2013

 
O sertanejo é um forte, mas há muito está exausto; hoje, a tarefa de mudar a saga de seca é de todos os brasileiros 
8 horas atrás

Fiúza prevê a revolta das empreguetes

 
: Segundo o colunista do Globo, domésticas irão esfolar seus patrões com os direitos que lhes foram concedidos; o jornalista afirma ainda que o “socialismo chegou à cozinha”; será ele mais um escravocrata? 
9 horas atrás

‘Como homem de teatro minha função é apontar vossas falhas’

CENTRODOMUNDO por Paulo Nogueira
 

É o que escreveu em seu blogue Gerald Thomas a respeito da violência sexual cometida contra a modelo Nicole Bahls. Gerald Thomas deveria estar respondendo agora a uma tentativa pública de estupro, ocorrida na noite do lançamento de um livro seu. Mas não. Ele está escrevendo em seu blogue. E se jactando. E agredindo a

O post ‘Como homem de teatro minha função é apontar vossas falhas’ apareceu primeiro em Diário do Centro do Mundo.

9 horas atrás

Gerald Thomas defende apalpada em Nicole Bahls

 
: “Um dia depois, a imprensa ESCROTA (mas é o trabalho dela), explora somente o lado sensasionalista da coisa: “GERALD THOMAS ESTUPRA NICOLE BAHLS!!” ORA BAHLS!!! Vem uma menina, de (praticamente) bunda de fora, salto alto de “fuck me”, seios a mostra, dentro de um contexto chamado PANICO e eu (que não deixo me intimidar e gosto desse pessoal) entro no jogo e viro as cartas”. Assim o diretor de teatro Gerald Thomas explica sua tentativa de apalpar a genitália da paniquete 
10 horas atrás

Cardeais sem batina

 
Os ministros do STF estão nus. E a imagem que a sociedade brasileira vê não é nada imaculada 
10 horas atrás

Fux cancela festa de arromba paga por advogado

 
: Evento para 300 convidados seria bancado pelo advogado Sergio Bermudes, que também emprega Mariana Fux, filha do ministro do Supremo Tribunal Federal, mas foi cancelado diante da repercussão negativa; “Pago do meu bolso”, havia dito Bermudes ao 247; no STF, Joaquim Barbosa vêm condenando o “conluio” entre advogados e juízes, mas Bermudes também afirma que o presidente do STF comete “leviandades”; evento causou constrangimento no STF 
10 horas atrás

Em campanha contra Dilma, Época pisa no tomate

 
: Em sua capa desta semana, a revista semanal das Organizações Globo anuncia que o governo Dilma faz tudo errado no combate à inflação e diz que a presidente e o ministro Guido Mantega pisaram no tomate; auto-referente, a Globo usa declaração da global Ana Maria Braga, que disse usar uma joia ao pendurar um colar de tomates no pescoço, para afirmar que a inflação hoje assusta os brasileiros; nunca é demais lembrar, no entanto, que, nos dois governos FHC, a inflação foi substancialmente maior do que a agora, sem disparar o mesmo alarme; será síndrome de abstinência de juros altos ou de ter amigos no poder? 
14 horas atrás

O pênalti bizarro que virou mania na internet

CENTRODOMUNDO por Diario do Centro do Mundo
 

Quer rir? Aproveite. Esta é para rir no final de semana. A jogada mais hilariante da semana veio numa disputa de pênalti em que o time inglês Tottenham Spurs acabou eliminado para o Basel da Suíça na Liga Europa, o equivalente à nossa Sulamericana. O pênalti bisonho batido por um dos mais controvertidos jogadores do

O post O pênalti bizarro que virou mania na internet apareceu primeiro em Diário do Centro do Mundo.

Pena maior a menor infrator opõe Dilma e Alckmin

 
: Questão foi levantada pelo assassinato do estudante Victor Hugo Deppman, de 19 anos, morto por um adolescente de 17 anos na terça-feira; o infrator completa 18 anos nesta sexta, mas responde pelo crime como menor; governador de São Paulo, Geraldo Alckmin anunciou que vai encaminhar ao Congresso projeto de lei que propõe punição mais rígida a adolescentes envolvidos em casos graves de violência; “A gente é completamente contra”, avisou o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho   
15 horas atrás

Uma visão sobre “O Olho Itinerante”

AMALGAMA por Daniel Kamykovas
 
"O olho itinerante", de Jorge Emil

“O olho itinerante”, de Jorge Emil

Terceiro livro publicado pelo ator e poeta mineiro Jorge Emil, O olho itinerante surpreendeu-me. O principal motivo da surpresa foi a estrutura da obra: pelo simples fato dela existir.

Livros de poesia contemporânea quase sempre são coletâneas de poemas, raramente possuindo algum tipo de coesão. Este, ao contrário, se compõe de nove partes (“cantos”?) semanticamente relacionadas com o olhar, o olho, a percepção do mundo e sua interpretação lírica. A lírica consiste na arte de separar do tempo o instante para, assim, buscar sua eternidade, com o perdão do uso deste termo grandiloquente.

Uma espécie de retrato, uma pintura, ou um instantâneo de Polaroid (foto de instagram? Bah!). Esta imagem diz muito mais do sujeito do que do objeto – tanto que o sujeito pode se confundir com o próprio objeto. É uma imagem que advém da, digamos, “alma”. E se de fato for boa, provocará uma reação no leitor – ainda que negativa. Um poema ruim é um poema que não provoca emoções.

Certamente, os poemas do Emil conseguiram algumas reações de minha parte. É o que basta para que eu possa respeitá-lo como poeta, como artista. Mas, sensibilidades variam e a poesia é o campo da subjetividade. Para saber se o caro leitor que ora me empresta sua atenção vai se identificar ou não, teria de ser vidente, e não me interesso por artes divinatórias.

Alguns poemas pra vocês:

PERGUNTAS APÓS O DILÚVIO

Cada um, ao deus-dará,
está preso por um nó
à sua casquinha de noz?
À deriva, bilhões de nozes?
São vozes de fugitivos
as borbulhas lá no fundo?
Quis o mundo estar a sós?
O mundo todo se inunda
só pra livrar-se de nós?

 

CONSTRUÇÃO DE PAISAGEM

O olho, amargo de quanto já viu,
ao ver o horizonte ser tão só sertão
– mais longo e largo do que imaginara – ,
para pra descansar. À beira de um lago
que suas próprias lágrimas criarão.

 

CORDA

Um quadro sem ritmo está condenado.
O que a frase persegue é andamento.
Cadência é não cair. Faço ideia
de que fosso surgiria não fosse
um fio: a melopéia me sustento

O autor é adepto do verso livre e branco: versos brancos cheios de aliterações, assonâncias, jogos de sons e de sentidos; e livres remetendo às redondilhas, nos versos mais curtos, e aos decassílabos e alexandrinos, nos mais longos. Os poemas são concisos, embora parte de uma estrutura, cada qual encerra seu próprio significado. Muitos são monostróficos, soando perfeitamente bem quando lidos de um fôlego só, passando uma ideia de urgência meditada. Aliás, é ritmo do autor. Não sendo moroso, também não é frenético. Caminha com firmeza, “moderato”, se me permitem o empréstimo de um termo musical, até porque muitos poemas são dotados de uma musicalidade evidente. E, atrevo-me, uma musicalidade mineira.

Entretanto, como não recebo jabá, não estou apaixonado pelo cara e tenho nojo dessa política de “brodagem” que impregna toda a produção cultural no Brasil, tenho que dizer inconveniências (ou inconfidências). O livro tem defeitos. Por vezes os recursos de linguagem não funcionam, não soam bem, remetendo-me a letras de um determinado tipo de rock/mpb que abomino. Um ou outro coloquialismo que não funciona, um desfecho infeliz, uma onomatopéia meio tonta. Comprometem a obra? Não! E garanto que todos os heróis literários dos leitores também cometeram seus erros. E sinceramente, gosto de formas fixas, que o autor não cultiva, pelo menos aqui. Mas, conforme anteriormente dito, há valor. Um grande valor.

Recomendo a todos que gostam de poesia brasileira, especialmente para aqueles que ficam lendo os velhos medalhões da geração de 45 em loop infinito, se esquecendo que o tempo passa, muita gente escreve e que poesia tem de ser viva. Ainda que, claro, só esse mesmo tempo vá dizer quem vai e quem fica. Mas é muito covarde ler – e gostar – apenas de quem a posteridade já lavrou sentença.

::: O olho itinerante :::
::: Jorge Emil :::
::: Record2012192 páginas :::
::: compre na Livraria Cultura :::

 leia mais de Daniel Kamykovas — 
 quando for comprar na Livraria Cultura ou Submarino,
considere clicar antes em um dos links ou banners no Amálgama 

15 horas atrás

Chorando por causa do comunismo

HARIOVALDO por Sílvio Caldas
 

 

http://www.youtube.com/watch?v=XjMNOouIb0k

 

Ao ver nossa pátria completamente dominada pelo comunismo só me resta o pranto convulsivo. Depois secar as lágrimas e tomar uma taça de Romanée-Conti…

19 horas atrás

STF pop star ameaça democracia

CIDADANIA por eduguim
 

 

As associações de magistrados que divulgaram notas de protesto contra o tratamento truculento, exibicionista, absurdo que lhes dispensou o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, na semana que finda, citaram um dos aspectos mais revoltantes da conduta do indivíduo que comanda o Poder Judiciário no Brasil: a “premeditação”.

Muitos talvez não tenham atentado para esse detalhe da cena que Barbosa protagonizou, pois a imprensa foi chamada por ele para acompanhar a sessão de humilhação a que submeteu juízes togados que, no mínimo, deveriam ter sido tratados com respeito, mas que foram pisados e depois escorraçados do gabinete dele.

Aí reside a “premeditação” a que aludiram as associações de magistrados vitimadas por Barbosa: a intenção de usar seus colegas de magistratura para se promover como o grande cruzado da moralidade nacional.

Se Barbosa fosse o único naquela Corte a se comportar dessa forma, não seria nada. Contudo, à exceção dos ministros Ricardo Lewandowski e José Antonio Dias Tóffoli, todos os outros membros do Supremo oriundos do período em que foi encenado julgamento da Ação Penal 470, vulgo julgamento do mensalão, tornaram-se pop stars a convite da grande mídia.

Ressalte-se que Dias Tóffoli não está livre de críticas, pois, apesar de não ter sido transformado pela mídia em pop star, deixou-se intimidar por ela e, de forma pusilânime, condenou sem provas o deputado José Genoino.

De resto, os outros ministros todos se transformaram em estrelas de um “show judiciário”.

Aliás, o comportamento adolescente de Luiz Fux, por exemplo, na festa de posse do novo ministro do Supremo, ano passado, quando tomou uma guitarra e desatou em cantoria, assumindo, sem um mínimo de pudor, o papel de pop star, tornou-se emblemático.

Um colegiado que é também a instância máxima do Poder Judiciário brasileiro deveria se pautar pela sobriedade. Juiz não deveria ser notícia, não deveria posar para as câmeras, não deveria falar fora dos autos, de forma a inspirar confiança nos seus jurisdicionados, no conjunto da sociedade.

Um juiz confiável, no que tange sua capacidade de promover justiça, deve ter o comportamento de um sacerdote. Juízes que dão shows e que acompanham o que acreditam ser o “clamor da sociedade” não passam de enganadores, pois não desempenham a nobre função que lhes foi confiada.

Quem não se lembra das entrevistas à Globo da ministra Carmem Lúcia durante as eleições do ano passado, quando comandou a Justiça Eleitoral? Nunca tinha visto antes uma midiatização do TSE como aquela.

Os membros do STF tornaram-se habitués da mídia, dando declarações sobre tudo, até sobre política, como o ministro Marco Aurélio Mello, que chegou a justificar a ditadura militar criminosa que fustigou o Brasil dizendo-a “um mal necessário”.

Ou seja: um membro da cúpula da Justiça brasileira justificou uma das maiores injustiças que este país já viveu. É pouco ou quer mais, leitor?

Urge que a sociedade se levante através de entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil, as associações da magistratura, os Poderes Legislativo e Executivo, os movimentos sociais, pois precisamos parar de brincar com a Justiça, pois a ela todos estamos submetidos, inclusive os patetas que se deleitam com juízes dando showzinhos como os de Barbosa e Fux.

19 horas atrás

Decisão em Caracas

SUJO por Esquerdopata
 
Mauro Santayana

Interessa-nos, sim, e muito, o resultado das eleições venezuelanas do próximo domingo. Sendo assim, convêm-nos examinar o quadro sem as lunetas da paixão ideológica. Se o opositor Capriles, por essa ou aquela razão, desmentir o favoritismo de Maduro, e ganhar o pleito, não terá como inverter o curso histórico do país. 
Ainda que, nesse caso, seja possível uma guinada à direita, ela não ocorreria logo. A menos que se desse depois de sangrenta guerra civil. A História, antiga e contemporânea, nos ensina que, havendo imperialismo, guerras civis surgem por todo lado. Uma guerra civil, no entanto, pode levar anos e desorganizar a economia. E pode, até mesmo, favorecer o lado aparentemente mais fraco. 
O mais importante legado de Chávez não está em sua política distributiva, mas, sim, no que ela representou na alma do povo venezuelano. Os venezuelanos pobres são a imensa maioria do povo. Eles assumiram a consciência da dignidade como um bem coletivo, e não parecem dispostos a renunciar a esse sentimento. 
O militar, sendo mestiço, soube falar com a emoção ameríndia. Ele disse aos indígenas, e aos mestiços como ele, que a Venezuela é um bem comum de seu povo, e não colônia estrangeira. Seu discurso sempre foi autêntico.  
Seu opositor, Henrique Capriles Radonski, continua a ser visto como multimilionário,  venezuelano de primeira geração, de origem européia – distante da visão universal do povo. 
Em  tática eleitoral conhecida, tenta agora linguagem menos agressiva, na tentativa de angariar votos entre aqueles chavistas que preferiam outro candidato em lugar de Maduro. 
O sucessor de Chávez tem cometido erros primários, ao tentar, sem o mesmo carisma, a sintaxe emotiva do ex-presidente. Isso pode inspirar a cunha oposicionista e beneficiá-la, mas de forma marginal.  
Ao Brasil, como país, não interessa mudar a sua postura diante de Caracas, mesmo no caso em que a oposição vença. As nossas relações comerciais devem ser mantidas. Temos  imenso saldo na balança comercial e os nossos empresários que, em natural pragmatismo, não participavam do coro dos meios de comunicação contra o chefe de Estado da Venezuela, não querem perder os bons negócios que se iniciaram ainda no governo de Fernando Henrique Cardoso, e se ampliaram na administração de Lula e Dilma.  
Se não nos interessa mudar a postura nas relações com a Venezuela, no caso de eventual vitória da direita, com Capriles, é natural que essa hipótese nos preocupe, tendo em vista os nossos interesses continentais. 
Derrotada a esquerda, o governo de Caracas se alinhará aos Estados Unidos, e buscará, ali, as importações de que necessita, deslocando-nos do importante mercado. 
Além disso, as organizações regionais de que participamos, como o Mercosul e a Unasul, serão erodidas, pela ação direta de Washington. 
Capriles, o candidato oposicionista, como se sabe, não é judeu ortodoxo. Converteu-se ao catolicismo e foi ativo militante do ramo venezuelano da nossa famigerada TFP, em seus anos mais jovens. Há notícias de que pertence também à Opus dei. 
Todas essas razões convocam a nossa atenção para o pleito de domingo. 

11 de Abril de 2013 20:52

Eleições 2014? Dilma diz que Brasil “respeita a diversidade e é contra a discriminação” e Senador Aécio Neves diz ser contra Marco Feliciano e a favor do casamento gay

MUZA por noreply@blogger.com (Valmique)
 
 
As eleições para a presidência da república no Brasil é apenas no próximo ano, mas, obviamente, a campanha política, de uma forma ou de outra, já começou.  E pelo visto, o público LGBT do Brasil pode estar, ou não, no interesse dos principais candidatos: 
Apesar das óbvias razões políticas, é de se estranhar que a presidenta Dilma Roussef não tenha se pronunciado, ainda, sobre o deputado pastor Marco Feliciano como presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias. Além disso, também tivemos a visibilidade das declarações de Joelma da banda Calypso e a revelação de Daniela Mercury viver um relacionamento com outra mulher…   
…. mas fato é que, na últma sexta-feira, em seu discurso na inauturação da Arena Fonte Nova, em Salvador, Dilma, sutilmente, abordou a diversidade em suas falas. A presidenta disse: 
“Eu quero dizer para vocês que o Brasil é um país, hoje, com uma democracia consolidada. Uma democracia que respeita a diversidade, que é contra a discriminação” 
“Um país que sabe que é capaz de lutar pela superação da pobreza tem de lutar pela superação de todas as formas de discriminação” 
“Eu sempre destaco, quando me refiro à discriminação, a questão do acesso das populações marginalizadas, o problema das cotas raciais e sociais às universidades. Queria dizer que este país só é respeitado no cenário internacional porque ele se respeita e, por isso, talvez sejamos o país que melhor utilizou o crescimento econômico para elevar o padrão de vida de sua população.” 
Infelizmente é aquém do que realmente queremos ouvir da presidente, principalmente quando pensamos em presidentes como Barack Obama, que, por exemplo, divulgou a imagem abaixo em suas redes sociais recentemente, enquanto a corte dos Estados Unidos debatia a legalidade do casamento gay no país. 
Será que ela falará algo mais consistente? Mas como dizem… “é o que tem pra hoje”. 
 

Na oposição, literalmente,  o senador Aécio Neves (PSDB/MG), forte candidato à presidência do país pelo partido, concedeu entrevista à Folha de São Paulo, publicada no último domingo, e respondeu diretamente sobre dois assuntos que nos  interessa:  a polêmica sobreo deputado pastor Marco Feliciano e a legalização do casamento gay.Abaixo, o trecho: 
O que você acha da polêmica em torno do pastor Feliciano (PSC/SP), na Comissão de Direitos Humanos da Câmara? Eu acho que deixaram isso ir longe demais. Ele mostrou ser um sujeito totalmente despreparado, independentemente de suas convicções. Ele está fazendo um grande marketing pessoal, as pessoas não compreenderam isso ainda. Criaram um problema que agora vão ter de desatar. 
É a favor da união civil gay? Eu já me manifestei mais de uma vez. Sou a favor. É a realidade do mundo moderno, ninguém é contra a realidade do mundo. Isso já foi. Respeito quem tem posição divergente, lamento apenas que a pauta da Câmara esteja concentrada nisso. 
Pois bem, fiquemos atentos… não só aos candidatos à presidência, como os demais. Ou seja, 2014 não vai ser (mesmo) só Copa do Mundo! 😉 

11 de Abril de 2013 18:56

Beijo gay pode acontecer em “A Grande Família”

MUZA por noreply@blogger.com (Valmique)
 
 
A nova temporada do seriado “A Grande Famíilia”, exibido pela Rede Globo, promete exibir o primeiro beijo gay masculino da TV aberta. Segundo o diretor geral da série, Luís Felipe Sá, Tuco (Lúcio Mauro Filho) vai ser convidado para fazer um filme, cujo roteiro prevê um beijo em outro ator (Thiago Lacerda).

Porém, caberá a Tuco aceitar ou não. Mas ao que tudo indica e pelo suspense deixado no ar pelo diretor, o beijo gay vai mesmo rolar. Apesar de alguns episódios da nova temporada já terem sido gravados, este ainda não foi. Aguardemos!

11 de Abril de 2013 11:22

Uruguai legaliza casamento gay! É o segundo país da América Latina.

MUZA por noreply@blogger.com (Valmique)
 
 
Como divulgamos aqui no Muza, na última semana, o senado do Uruguai havia aprovado a a lei que autoriza o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Porém, o projeto ainda precisava ser submetido à votação na Câmara dos Deputados e, assim, a previsão era que no final de abril ou início de maio o casamento gay fosse aprovado e legalizado no país, mas… não foi preciso esperar tanto! 
Ontem, quarta-feira, 10 de abril, o Uruguai se tornou  segundo país latino-americano a tornar lei a união entre pessoas do mesmo sexo. O primeiro país, como já sabem, foi a Argentina.  
Como esperado, a Câmara referendou o projeto “matrimônio igualitário”. A lei, agora, afirma que o ‘matrimônio civil é a união permanente de duas pessoas de distinto ou igual sexo’.Gritos de “Liberdade, Liberdade” gritou uma multidão nas galerias, conforme informou o site G1.  
A partir da vigência da lei, no prazo de 90 dias, a idade mínima para contrair matrimônio será de 16 anos. Atualmente, é de 12 anos para mulheres e de 14 anos para os homens. 
E se você acha que o Uruguai começou por aí, você está, felizmente, enganado. Nos últimos anos o país vizinho do Brasil legalizou a união civil de homossexuais, a adoção de crianças por parte de casais do mesmo sexo, a mudança de nome e de sexo na identidade e o ingresso de homossexuais nas Forças Armadas.  
Infelizmente, neste caso, o jardim do vizinho é mais bonito! Chupa Brasil! 😉  
Com informações do G1 e site Terra
10 de Abril de 2013 17:44

Reality show com e sobre gays mais velhos? Sim! Conheça “Golden Gays”

MUZA por noreply@blogger.com (Valmique)
 
 
 
Golden Gays: um reality show só com homossexuais beeeeeem mais velhos. É isso mesmo! Uma TV canadense, Slice, resolveu inovar ao criar um reality show que mostra o dia a dia de um grupo de idosos da terceira idade em Palm Springs, Califórnia. 
Os participantes têm perfis bem diferentes. Tem ursos, lésbicas ladies, amantes de couro, butches, entre outros. Mas ambos chutaram a porta do armário ainda nos anos 1970 e, por isso, precisaram ser bem ousados e corajosos para tomarem tal atitude naquela época. E agora, eles querem só colher os frutos de uma vida já ganha. E sabe como? Farreando! 
A primeira temporada de “Golden Gays” conta com 13 episódios e estreou no fim de março. Veja abaixo um vídeo do programa. 

 
 

 

10 de Abril de 2013 11:07

Saiba como declarar seu parceiro (a) como dependente no Imposto de Renda

MUZA por noreply@blogger.com (Valmique)
 
 
Desde 2011, a Receita Federal passou a permitir que casais homossexuais incluam seus parceiros como dependentes na declaração do imposto de renda. Mas para que a declaração seja aceita, o casal deve comprovar união estável homoafetiva por acordo judicial ou contrato feito em cartório. Contudo, o dependente precisa ter renda inferior ao teto de isenção do Imposto de Renda, que em 2013 é de R$ 24.556,65. 
Fiquem atentos aos prazos para não caírem na malha fina. A declaração de 2013 será recebida até o dia 30 de abril e a multa mínima para quem não entregar no prazo é de R$ 165,74. Há duas formas de enviar o documento: pela internet, por meio da utilização do programa de transmissão da Receita Federal (Receitanet), ou via disquete, nas agências do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal, durante o seu horário de expediente. 
Assim como nas declarações conjuntas de casais heterossexuais, nas de casais gays também é possível deduzir despesas médicas, com educação e doações do companheiro. O valor para desconto por dependente legal é de R$ 1.974, 72. 
Com informações do IG Economia

Ele (o JB) acha que a defesa fará como ele que NÃO LEU…

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 
 

Ele (o JB) acha que a defesa fará como ele que NÃO LEU, apenas imaginou, pois os documentos da própria AP 470 desmascaram a tese ALUCINÓGENA do desvio (que não houve) de R$ “público” (que SEMPRE foi da multinacional Visanet). 
Joaquim Barbosa sobre a publicação do acórdão: “A minha preocupação número um em relação a esse processo é publicar. Não foi publicado ainda porque é muito grande e os serviços do tribunal não têm a agilidade para, de um dia para o outro, publicar isso”, disse o ministro nesta quinta-feira (11/4), acrescentando que não sabe o número de páginas do documento.” 
http://www.facebook.com/alexandrecesar.costateixeira 
http://ultimainstancia.uol.com.br/especialmensalao/para-barbosa-prioridade-agora-e-publicar-acordao-do-mensalao/?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=Informativo_UI_12_04_13

2 horas atrás

UM ASSESSOR DO STF PODE BIOGRAFAR BARBOSA? Pelo coleguinha pode…

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 
 

Contratado como secretário de Comunicação do Supremo Tribunal Federal, o jornalista Wellington Geraldo Silva irá escrever a história oficial de Joaquim Barbosa, segundo revelou Ancelmo Gois, em sua coluna no Globo. Ocorre que, no julgamento da Ação Penal 470, o então relator Barbosa tentou condenar João Paulo Cunha numa segunda ação de peculato, alegando que o ex-assessor de imprensa da Câmara dos Deputados, Luís Costa Pinto, era utilizado com fins pessoais. E agora: é diferente? 
247 – Vingador e vingativo, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, se vê com uma espécie de espada do mundo, sempre pronto a cortar cabeças em seu furor moralista. Aliás, esta é a imagem que boa parte da imprensa construiu a seu respeito. As grosserias e agressões em série contra colegas de magistratura, jornalistas e advogados seriam apenas, como diz o Globo, parte de seu estilo “assertivo”. 
No julgamento da Ação Penal 470, o Brasil inteiro pôde assistir ao espetáculo que o consagrou. Num dos capítulos, Joaquim Barbosa tentou condenar João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, numa segunda ação de peculato. Dizia o relator que a contratação da empresa Idéias, Fatos e Texto, do jornalista Luís Costa Pinto, visava apenas à promoção pessoal do próprio João Paulo Cunha. Segundo Barbosa, houve, inclusive, dolo na contratação da IFT, mas, neste ponto, foi voto vencido. Os demais ministros entenderam que o ex-assessor da Câmara prestou serviços à própria Câmara dos Deputados – e não a seu presidente. 
Nesta sexta, no entanto, o jornalista Ancelmo Gois faz uma revelação que poderia ser constrangedora para o presidente do STF, se o Globo, que lhe concedeu o prêmio “Faz Diferença”, não estivesse tão casado com suas posições. Diz Ancelmo que o assessor de imprensa da presidência do Supremo Tribunal Federal, o jornalista Wellington Geraldo Silva, irá escrever a biografia oficial do chefe. Leia abaixo: 
Joaquim, a biografia 
Escrita pelo coleguinha Wellington Geraldo Silva, atual secretário de Comunicação do STF, vem aí uma biografia de Joaquim Barbosa. 
Há cinco editoras interessadas. 
Se o caso fosse levado ao Joaquim Barbosa que atuou na Ação Penal 470, ele, provavelmente, enxergaria algum desvio de função ou a utilização de um recurso do Supremo Tribunal Federal, pago por todos os contribuintes brasileiros, para a promoção pessoal do seu presidente. Procurada pelo 247, a assessoria de imprensa do Supremo não se manifestou a respeito até a publicação desta matéria. Wellington, por sua vez, disse que trataria do caso apenas em seu horário de almoço por se tratar de uma questão particular – não relacionada aos assuntos do STF. 
O secretário de Comunicação, que fez questão de registrar que estava ligando de seu celular particular, entrou em contato com o 247 no intervalo do almoço e afirmou que ainda “não existe livro”, trata-se de um projeto pessoal que ele pretende tocar quando, um dia, deixar seu cargo no Supremo – disse não ter planos de quando isso irá acontecer. “Não comecei a escrever. Farei no dia em que eu não estiver mais aqui”, declarou. 
“Eu tenho um projeto de biografia que será executado quando eu sair do Supremo. Um projeto de fazer um livro, como qualquer jornalista”, disse. Segundo ele, o assunto sequer tem sido conversado com Joaquim Barbosa. Wellington confirmou já ter sido procurado por algumas editoras, que querem mais detalhes do projeto, mas afirmou não ter contrato com nenhuma delas. 
O assessor disse ainda que até poderia dedicar suas horas vagas – madrugas e finais de semana, como citou – para escrever a biografia. “Cada um usa o tempo livre como pode, nada me impede de escrever um livro”, afirmou. Mas garante que não fará isso, pois “trabalha muito”. Wellington disse chegar diariamente às 9h30 no STF e deixar o local às 21h. Ele não quis comentar a comparação com o assessor do deputado João Paulo Cunha.http://www.brasil247.com/pt/247/poder/98753/Um-assessor-do-STF-pode-biografar-Barbosa-assessor-STF-pode-biografar-Barbosa.htm

2 horas atrás

Ministro Luiz Fux cancela jantar bancado por advogado

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 

 
MÔNICA BERGAMO
COLUNISTA DA FOLHA
MARCO ANTÔNIO MARTINS
DO RIO O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), pediu ontem ao advogado Sergio Bermudes que ele cancelasse o jantar que estava preparando para o magistrado. O organizador da festa, marcada para o dia 26, queria reunir políticos e a cúpula do judiciário nacional e do Rio de Janeiro em seu apartamento de 800 metros quadrados, na zona sul do Rio. O evento celebraria os 60 anos de Fux. 

SCO/STF e Folhapress
Ministro Luiz Fux e advogado Sergio Bermudes
Ministro Luiz Fux e advogado Sergio Bermudes

“Estamos cancelando a pedido do ministro”, disse Bermudes na noite de ontem. Segundo relato do advogado, Fux informou que sua mãe, Lucy, de 78 anos, teve uma crise de hipertensão com a repercussão negativa da celebração, o que teria preocupado o ministro. A divulgação do jantar pela Folha causou constrangimento no Supremo. Nos bastidores, ministros criticaram a festa, para a qual foram disparados 300 convites. Além de ser bancada pelo advogado, ela ocorreria pouco depois de o presidente da Corte, Joaquim Barbosa, ter criticado o que considera “conluio” entre juízes e advogados no Brasil. Coincidiria também com o julgamento dos recursos apresentados pelos réus do mensalão, que tentam reduzir suas penas. Além de todos os ministros do Supremo, Bermudes chamou para o evento todos os integrantes do Superior Tribunal de Justiça, os 180 desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio, o prefeito da cidade, Eduardo Paes, e o governador Sérgio Cabral. O mal-estar foi agravado pela informação de que a filha do ministro, Marianna Fux, é candidata a desembargadora do TJ do Rio. Na festa, ela teria a oportunidade de circular entre potenciais eleitores, já que cabe aos desembargadores do TJ, convidados para a celebração, escolher, a partir de uma lista sextupla da OAB-RJ, os três nomes que serão apresentados ao governador Cabral. O governador então escolhe o novo desembargador. Cabral negou ontem ter recebido o convite para o jantar. Ele também disse não ter conhecimento de articulação em prol da escolha da filha do ministro. “Nunca ouvi falar disso. A mim nunca chegou esse assunto. Agora, que ela é uma advogada brilhante e respeitada, ela é.” Antes da desistência de Fux, Bermudes havia defendido a realização do evento sob o argumento de que Fux nunca julgou ação em que atua como advogado, informação reiterada pelo gabinete do ministro. “Sempre fomos muito amigos. É uma amizade de 40 anos que começou quando ambos éramos professores. Fui orientador dele e o ministro Fux sempre se julga impedido de atuar nas ações assinadas por mim ou por sua filha”. Marianna Fux, 32, trabalha no escritório do advogado. Colaboraram CRISTINA GRILLO e ITALO NOGUEIRA, do Rio, e FELIPE SELIGMAN, de Brasília http://www1.folha.uol.com.br/poder/1262098-ministro-luiz-fux-cancela-jantar-bancado-por-advogado.shtml

2 horas atrás

Governador dá cumprimento a ordem do Tribunal de Justiça e reempossa o delegado de polícia Marcelo Luis Alves de Freitas reintegrado por meio de mandado de segurança impetrado e sustentado oralmente pela advogada Tania Lis Tizzoni Nogueira…( Os argumentos oralmente sustentados alteraram o convencimento do Relator modificando o desfecho da causa e o futuro do Delegado )

FLIT PARALISANTE por Flit Paralisante
 

Atos do Governador

 

Reintegrando  em cumprimento ao acórdão proferido

pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado de

São Paulo, nos autos do Mandado de Segurança 0093948-

16.2011.8.26.0000, ao serviço público Marcelo Luis Alves de

Freitas, RG 21.230.873, no cargo de Delegado de Polícia de 3ª

Classe, Padrão I, da EV da LC 731-93, do Quadro da Secretaria

da Segurança Pública, em vaga decorrente da aposentadoria de

José Geraldo de Moura.

feliz-felicidade

 

4 horas atrás

SETE ADVOGADOS PEDEM MAIS TEMPO A BARBOSA NA AP 470

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 
 

O Agravo Regimental é assinado, entre outros, pelos advogados Márcio Thomaz Bastos, José Luís Oliveira Lima e Alberto Toron; eles insistem que o presidente do Supremo leve o pedido a julgamento pelo plenário do tribunal; até agora, contudo, Barbosa não submeteu nenhum dos pedidos por mais prazo à apreciação do colegiado 
Do Conjur – Sete dos 25 réus condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão, entraram com novo pedido no Supremo Tribunal Federal em que requerem o acesso ao inteiro teor dos votos escritos dos ministros antes da publicação do acórdão, que está prevista para a próxima semana. Eles reclamam ao presidente do Supremo, ministro Joaquim Barbosa, que leve o pedido ao Plenário e reconsidere sua decisão anterior: “A reconsideração da decisão agravada manifestaria grandeza. Por meio dela, o processo não ostentaria uma mancha historicamente indelével”. 
Joaquim Barbosa já negou por três vezes o pedido de réus para que seus advogados tenham acesso aos votos já liberados pelos ministros antes da publicação do acórdão. O argumento dos advogados é o de que é humanamente impossível apresentar os recursos cabíveis em um prazo de cinco dias, quando os ministros levaram mais de três meses apenas para fazer a revisão de seus votos. 
Os réus requerem que o presidente do Supremo “se abstenha de praticar qualquer ato processual que prejudique o pleno exercício de ampla defesa técnica”. O pedido é feito por José Roberto Salgado, Kátia Rabello, Delúbio Soares, José Dirceu, João Paulo Cunha, José Genoino e Vinícius Samarane. 
O texto da petição é forte. Os advogados dos réus sustentam que não pedem a extensão do prazo de recurso contra a lei, nem mesmo querem o mesmo tratamento privilegiado que o Ministério Público teve no processo: “Não postulam, contra legem, a dilação do prazo recursal. Não reclamam o mesmo tratamento privilegiado dado à acusação quando se lhe quintuplicou o tempo de sustentação oral. Não pretendem seja aberta uma nova exceção, ainda que justificável”. 
O que pedem é que o “texto excepcionalmente longo” do acórdão esteja disponível em prazo razoável antes da publicação. O que se requer, segundo os réus, é a possibilidade de fazer uma defesa técnica, “contra abuso que nega todos os meios e recursos a ela inerentes”. 
O pedido, um Agravo Regimental, é assinado pelos advogados Márcio Thomaz Bastos, José Carlos Dias, Arnaldo Malheiros Filho, Celso Sanchez Vilardi, José Luís Oliveira Lima, Alberto Toron, Luís Fernando Pacheco, Maurício de Oliveira Campos Júnior e Maíra Beauchamp Salomi. Eles insistem que o presidente o leve a julgamento pelo Plenário do Supremo na primeira oportunidade. Até agora, Barbosa não submeteu nenhum dos pedidos à apreciação do colegiado. 
Os advogados ainda se referem a uma brincadeira que o ministro aposentado Cezar Peluso fez, de que era impossível ler todo um voto, ainda que em ritmo de locutor de jóquei. “Trabalhando 24 horas por dia, nos cinco dias do prazo, talvez alcançasse a prodigiosa velocidade de 83 páginas por hora de locução. Sem contar o tempo necessário para a redação do recurso”, calculam. 
E continuam: “Embora tenha muito de aleatório, o processo judicial não é uma corrida de cavalos. Trata-se, antes, de instrumento racional de realização da Justiça”. http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/98803/Sete-advogados-pedem-mais-tempo-a-Barbosa-na-AP-470-Sete-advogados-pedem-mais-tempo-Barbosa-AP-470.htm

4 horas atrás

Negação do princípio da razoabilidade nos prazos para a defesa dos réus da AP 470 – Só mais um dos muitos ERROS do Joaquim!

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 
Xeque – Marcelo Bancalero 
Excelente artigo de Helena Sthephanowitz, fala do mais recente de muitos ERROS cometidos pelo STF… A negação do princípio da razoabilidade nos prazos para a defesa dos réus da AP 470. Entre outras coisas, como negação do direito a ampla defesa, transformar dinheiro privado em público, acusar um desvio que o próprio dono do dinheiro negou, inventar um crime e por ai vai… Agora, tentam de tudo para sabotar as medidas que a defesa possa utilizar-se. Joaquim Barbosa marca viagem para Costa Rica para tentar impedir que recursos sejam aceitos, ministros apagam suas falas dos votos, videos da internet, e agora mais essa… Negar o tempo necessário para que os advogados possam verificar o processo de maneira a poderem trabalhar na defesa de seus clientes… Por que? Que medo é esse? Se o ministro Joaquim Barbosa acredita realmente que o julgamento foi justo, por que tem tanto medo de que as coisas possam mudar? Por que impedir o direito à defesa? Seria medo das verdades que todo mundo já conheceu através da blogosfera, revista Retrato do Brasil, e livro do Paulo Moreira Leite? Leiam o artigo 
Mensalão: novas provas aparecem, mas não contra os réus Tags: mensalãoblog da helena 
Por: Helena Sthephanowitz, especial para a Rede Brasil Atual A cada dia aparecem indícios de que o julgamento do “mensalão” (AP-470) foi político, de exceção. O primeiro deles foi o calendário coincidir com a campanha eleitoral.O segundo foi o não desmembramento, julgando até a “mequetrefe” Geiza Dias na Suprema Corte, tudo para dar grandiloquência e chamar de julgamento do século. A terceira prova de que foi um processo político, foi condenar sem provas e, pior, ignorando todas as provas de inocência apresentadas pelas defesas. Agora vem a negação do princípio da razoabilidade nos prazos para a defesa. Se o STF não deu conta de cumprir os prazos para publicar o acórdão, porque ele é grande demais, qual a razão de só dar cinco dias para a defesa ler milhares de páginas e procurar erros jurídicos? Os cinco dias seriam mais aceitáveis se o processo tivesse sido desmembrado e houvessem só três réus sendo julgados. Mas não em um julgamento onde “empacotaram” 37 réus, e que uns estão sendo condenados por suposto “domínio do fato” sobre crimes dos outros, o que obriga os advogados de defesa a estudarem todo o conjunto da obra, tornando impossível fazê-lo em apenas cinco dias. Também não vale a alegação de que as sessões do julgamento foram vistas e gravadas, porque os ministros não leram os votos completos, outros foram confusos, outros não foram suficientemente claros, outros fizeram discurso político na hora de declarar o voto. E, além disso, se os magistrados demoraram mais de dois meses revisando o que será publicado oficialmente, é porque valerá o que será publicado, e que pode ser razoavelmente diferente do que foi dito durante as sessões. Prazos relâmpagos e inviáveis para a defesa será a versão brasileira do golpe paraguaio sobre o ex-presidente Lugo. Lá o objetivo foi derrubá-lo sumariamente, logo a defesa era só para figurar. Aqui o objetivo é condenar sumariamente, concedendo à defesa o papel de mero figurante, como se fosse um “faz de conta” meramente para cumprir o ritual de execução. Em um julgamento justo, direito de defesa não pode ser tratado com má vontade. Mais uma prova de que o julgamento é político. O problema de julgamentos políticos é que eles não acabam na sentença judicial. O processo político continua e vem o julgamento do julgamento. E aí é que abundam provas não contra os réus, mas contra os juízes. Se nas primeiras peças de defesa, os advogados foram econômicos, se limitando a rebater as teses frágeis da acusação, ausentes de provas; nos recursos, mesmo com o prazo de cinco dias, virão repletos de provas de que muito o que foi dito no julgamento, simplesmente não corresponde à verdade. Os recursos têm grande chance de confirmar, primeiro perante a comunidade jurídica, depois perante a nação, que ministros de STF não agiram com o notório saber jurídico esperado de guardiões das leis, dos direitos e deveres constitucionais, com consequências nada boas para imagem da instituição. Além disso, o mal de julgamentos em que juízes julgam politicamente é que as políticas de bastidores, mais cedo ou mais tarde, acabam vindo à tona. No caso do ministro Luiz Fux, está vindo mais cedo do que se esperava. José Dirceu, em entrevista, disse que o ministro Luiz Fux o procurou durante meses em busca de apoio político para que petistas ligados a ele apoiassem sua nomeação e, segundo Dirceu, Fux ofereceu-se para absolvê-lo. Poderia ser a palavra de um contra o outro. O problema é que Fux não desmentiu o encontro e desconversou sobre o teor da conversa. Mais grave, Fux confirmou o encontro em outra entrevista, e disse uma coisa que soa impossível: que não se lembrava, no encontro, que Dirceu era réu no “mensalão”. E a sensação popular é de que o caso de Fux não é isolado. Basta imaginar como teriam sido as articulações para marcar o julgamento e conduzi-lo para coincidir com campanha eleitoral. E Gurgel… 
O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, saiu em defesa de Fux, sobre a revelação de José Dirceu de sofrer assédio moral em busca da nomeação para o ministro do STF. “A história do ministro Fux é uma história de honradez. E o mesmo não se pode dizer de quem o acusa.”, disse Gurgel. Seria melhor ter ficado calado, pois a tese não fecha. Se for para desqualificar Dirceu, Fux cai junto, pois confirmou que foi procurá-lo.http://www.redebrasilatual.com.br/blog/helena/mensalao-novas-provas-aparecem-mas-nao-contra-os-reus/view http://xeque-mate-noticias.blogspot.com.br/2013/04/negacao-do-principio-da-razoabilidade.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+Xeque_mateArtigosinformativosECia+(XEQUE_MATE+Artigos,Informativos+e+Cia)
4 horas atrás

A prepotência de Joaquim Barbosa por Jânio de Freitas

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 

 

O risco do avanço

Por Jânio de Freitas, jornalista, na Folha de S. Paulo de 11/04/2013 O risco é grande e, pior ainda, crescente. O que pode suceder quando um alvejado por agressões orais do presidente do Supremo Tribunal Federal usar o direito de reagir à altura, como é provável que acabe acontecendo? Em qualquer caso, estará criado um embaraço extremo. Não se está distante nem da possibilidade de uma crise com ingredientes institucionais, caso o ministro Joaquim Barbosa progrida nas investidas desmoralizantes que atingem o Congresso e os magistrados. O fundo de moralismo ao gosto da classe média assegura às exorbitâncias conceituais e verbais do ministro a tolerância, nos meios de comunicação, do tipo “ele diz a coisa certa do modo errado” –o que é um modo moralmente errado de tratar a coisa errada. Não é novidade como método, nem como lugar onde é aplicado. Nem por isso o sentido dos atos é mudado. “Só se dirija a mim se eu pedir!” é uma frase possível nas delegacias de polícia. Dita a um representante eleito da magistratura, no Supremo Tribunal Federal, por seu presidente, é, no mínimo, uma manifestação despótica, sugestiva de sentimento ou pretensão idem. Se, tal como suas similares anteriores, levou apenas a mais uma nota insossa dos alvejados, não faz esperar que seja assim em reedições futuras desses incidentes. Afinal, quem quer viver em democracia tem o dever de repelir toda manifestação de autoritarismo, arbitrariedade e prepotência. É o único dever que o Estado de Direito cobra e dele não abre mão. 
Do Blog Quem tem medo da democracia? BLOG DO SARAIVA: A prepotência de Joaquim Barbosa por Jânio de Freitas:

4 horas atrás

PODER FERIDO E ORGULHO MELINDRADO – Convocação de claque oficial e processos criminais em perseguição ao advogado Cassius Haddad são outras cenas teatrais protagonizadas pelo Ministério Público para manter seu “seletivo” poder de investigação e autoarquivamento ( engavetamento )… Ridículo corporativismo!

FLIT PARALISANTE por Flit Paralisante
 
19/03/13 01:35 – Política

MP faz desagravo em apoio a promotor

Bauruense Luiz Bevilacqua sofre acusações após atuar em caso que culminou na prisão do ex-prefeito de Limeira

Gabriela Garcia/Especial para o JC
 
 
 
 

Em uma sessão de desagravo realizada na manhã de ontem, o Fórum de Limeira reuniu promotores de todo o Estado, membros do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), juízes, o procurador-geral de Justiça do Estado de São Paulo Márcio Fernandes Elias Rosa, políticos, empresários, representantes de entidades,  dois delegados de polícia de Araras e advogados.

A solenidade representou um ato de apoio ao promotor do Patrimônio Público de Limeira, o bauruense Luiz Alberto Segalla Bevilacqua, em decorrência de acusações que ele sofreu por meio de redes sociais. As acusações foram feitas pelo advogado Cassius Haddad, que também esteve no salão do Tribunal do Júri para assistir à cerimônia e permaneceu em silêncio.

O desagravo

O desagravo – como é chamado o ato previsto em lei – foi idealizado em conjunto pela Procuradoria Geral de Justiça e a APMP (Associação Paulista do Ministério Público). “A associação não admite ofensas, mentiras e situações inaceitáveis como essa que aconteceu em Limeira. Quando um promotor é atacado no dever de sua função, a sociedade de bem também está sendo atacada”, afirmou o presidente da APMP, Felipe Locke Cavalcanti.

“O Luiz Alberto (Bevilacqua) simboliza muitos promotores por sua atuação firme, merecedora de elogios. Não aceitamos esses ataques que só visam assegurar a impunidade. Isso mostra que a atuação do MP está incomodando aquelas pessoas que antes eram intocáveis, detentoras do poder».

Segundo o procurador-geral de Justiça, Márcio Fernandes Elias Rosa, a manifestação não foi apenas em defesa do MP de Limeira, mas também do Poder Judiciário. «Os ataques às vezes têm o objetivo de intimidar e Limeira teve problemas recentes na seara política, que ainda merecem julgamentos que devem ocorrer de maneira tranquila. Esse tipo de situação não faz honras à própria comunidade de Limeira», disse Elias Rosa. «O MP segue convicto de seus reais deveres, do seu papel e nunca se tornará ausente na defesa da cidadania.»

Em um salão lotado, o procurador-geral substituto, Walter Paulo Sabella, também falou ao público presente. «Vim prestar minha solidariedade, apoio e companheirismo ao Bevilacqua. O promotor é um guardião da cidadania», afirmou.

Para o presidente da Apamagis (Associação Paulista de Magistrados), Roque de Mesquita, este tipo de ofensa precisa ser punido. «A liberdade de expressão é um direito, mas o cidadão não deve esquecer que seu limite termina onde começa o do outro», opinou.

O promotor

Após a cerimônia, Bevilacqua afirmou que as acusações serão objeto de representações civis e criminais. “Tudo o que aconteceu está sendo apurado na Justiça. Vou continuar trabalhando pela sociedade limeirense. Essa solenidade me nutre de forças para continuar trabalhando pelo que é justo”, disse o promotor.

Bevilacqua foi um dos promotores membros do Gaeco responsáveis pela prisão da família Félix em novembro de 2011 e que resultaram na cassação do ex-prefeito da cidade, Silvio Felix (PDT) em 2012. As investigações estão em andamento e são conduzidas pelo promotor – o MP ainda aguarda documentações bancárias que devem ser utilizadas para a elaboração do relatório final sobre o caso.

Entenda o caso

A Moção de Desagravo ao promotor de Justiça Luiz Alberto Segalla Bevilacqua foi aprovada pelo Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça por unanimidade, em sessão realizada dia 6 de fevereiro, “em razão de seguidos ataques pessoais à sua honra e dignidade, em decorrência do exercício de suas atividades funcionais, feitos pelo advogado Cassius Abrahan Mendes Haddad”.

A moção foi proposta pelo procurador de Justiça Walter Paulo Sabella com base em uma série de mensagens postadas nas redes sociais pelo advogado, que se apresenta também como consultor empresarial, palestrante e ativista social. As mensagens, segundo o MP, trazem conteúdo ofensivo ao promotor.

“Anota-se que a moção de desagravo presta-se a reparar ofensa sofrida pelo integrante da carreira no exercício das suas funções e em razão dela. Constitui-se em instrumento de defesa não só da dignidade profissional como também de defesa da reputação do próprio Ministério Público, na medida em que empenha publicamente a solidariedade desta instituição contra as ofensas e ataques lançados em face de um dos seus membros”, diz o documento.

Ao analisar o caso, a relatora da Comissão de Defesa de Prerrogativas

Institucionais do Órgão Especial, a procuradora de Justiça Jaqueline Mara Lorenzetti Martinelli, observa que a utilização, pelo advogado, de expressões de conteúdo nitidamente ofensivo à honra do promotor para se referir às funções institucionais por ele desenvolvidas, divulgando-as, de forma sistemática e reiterada, nas redes sociais, por meio de suas contas no Twitter e no Facebook, configura “verdadeira campanha para macular e desprestigiar a honra e a imagem pessoal e profissional desse promotor”.

A moção diz, ainda, que “esta conduta, por qualquer ângulo que se analise, desborda em muito os limites da crítica razoável e, de modo algum, está acobertada pela imunidade judiciária, posto que as ofensas verificadas foram proferidas fora do juízo e da discussão da causa”.

 

 

4 horas atrás

TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONFIRMA INVESTIGAÇÃO CONTRA AÉCIO NEVES E ISSO NÃO É NOTÍCIA NA GRANDE MÍDIA BRASILEIRA

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 

 Por três votos a zero, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu, na semana passada, que o tucano Aécio Neves continua como réu na ação civil por improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Estadual. O ex-governador é investigado pelo desvio de R$ 4,3 bilhões da área da saúde e pelo não cumprimento do piso constitucional de financiamento do sistema público de saúde entre 2003 e 2008. A mídia comercial, que adora um escândalo político, é tão seletiva que não deu qualquer destaque à decisão do TJMG. 
Segundo o sítio do deputado Rogério Correia, “desde 2003, a bancada estadual do PT denuncia essa fraude e a falta de compromisso do governo de Minas com a saúde. Consequência disso é o caos instaurado no sistema público de saúde, situação que tem se agravado com a atual e grave epidemia de dengue no estado”. O ex-governador mineiro, que vive se jactando do tal “gestão de gestão”, poderá sofrer uma baita indigestão. O julgamento da ação está previsto para ocorrer ainda neste ano. Se for considerado culpado pelo desvio dos recursos públicos, o senador ficará inelegível. Sua cambaleante candidatura presidencial entraria em coma – que não é alcoólica. É lógico que o grão-tucano tem muitos defensores. A mídia não deu manchete para a decisão da justiça e evitará tratar do tema. Ela só gosta de levantar suspeitas de corrupção contra os tais “lulopetistas”. Já a Justiça é cega! Até hoje não julgou o chamado mensalão tucano – que a mídia trata como mensalão mineiro. A conferir!  
 

Veja mais: http://glaucocortez.com/2013/04/11/tribunal-de-justica-confirma-investigacao-contra-aecio-neves-e-isso-nao-e-noticia-na-grande-midia-brasileira/

5 horas atrás

u$4,3 BILHÕES

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 
 

 
 THIETRE MIGUEL – RIO DE JANEIRO-RJ

5 horas atrás

Vaticano baixa filmes pornográficos

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 
Maior parte dos filmes baixados no Vaticano é pornografia 
 
Em fevereiro, o site TorrentFreak divulgou que agentes no prédio do FBI estariam baixando filmes e séries piratas. Talvez fosse uma investigação em andamento, talvez não. Em um comunicado, o FBI disse que pirataria é crime e encerrou o assunto. Dessa vez, o TorrentFreak rastreou outros pontos de acesso e encontrou um local improvável como foco de downloads: o Vaticano. 
Mas não eram seriados: a maioria dos arquivos baixados era de filmes pornográficos. Filmes como “Os Vizinhos”, “Toque” e “Lea Lexis and Krissy Lynn” aparecem tendo sido baixados pela “Holy See – Vatican City State” (Santa Sé – Vaticano). A maioria desses filmes tem como tema os fetiches sexuais de submissão, dominação, sadismo e masoquismo. 
O rastreamento foi feito pelo serviço ScanEye, a pedido do TorrentFreak. No entanto, pode ser que os autores dos downloads não sejam bispos e cardeais. Há muita gente ligada à Igreja, como guarda-costas dos eclesiásticos, que têm acesso à cidade. Ainda assim, é curioso pensar que tantos filmes “profanos” sejam assistidos no coração da Igreja Católica. BLOG DO SARAIVA: Vaticano baixa filmes pornográficos
5 horas atrás

Todos penduram o tomate no pescoço. Não tem preço.

JUSTICEIRA por Blog Justiceira de Esquerda
 

Tomate trai, baixa o preço e oposição vai pro vinagre

 
A GLOBO E SEU MODO “SUTIL” DE PEDIR A ALTA DOS JUROS Em vez de pendurar uma melancia no pescoço, a apresentadora Ana Maria Braga colocou um colar de tomates e disse estar usando uma “joia”; capa desta quinta-feira do jornal O Globo reforça o pedido por juros maiores; no entanto, sinais da economia são contraditórios, o que dificulta a ação do Banco Central e de seu presidente, Alexandre Tombini; vendas no varejo caíram 0,4%

Do Viomundo  
de Gerson Carneiro
Por e-mail, ele nos “alerta”: “Alegria de oposicionista dura pouco”. 

 
Aí, dá a notícia. “@emirsader: Tomate trai, baixa o preço e oposição vai pro vinagre”. 
  

A Globo e seu modo “sutil” de pedir a alta dos juros

:     Rep/web
Em vez de pendurar uma melancia no pescoço, a apresentadora Ana Maria Braga colocou um colar de tomates e disse estar usando uma “joia”; capa desta quinta-feira do jornal O Globo reforça o pedido por juros maiores; no entanto, sinais da economia são contraditórios, o que dificulta a ação do Banco Central e de seu presidente, Alexandre Tombini; vendas no varejo caíram 0,4%

A próxima reunião do Comitê de Política Monetária será decisiva. Nos dias 16 e 17 de abril, os diretores do Banco Central avaliam se a taxa básica de juros, a Selic, deve subir para frear a economia e conter a inflação, que ultrapassou momentaneamente o teto da meta, fixado em 6,5%. 
A pressão para que os juros subam, como se sabe, é intensa e tem motivações não apenas econômicas, mas também políticas. Uma economia em ritmo ainda mais lento poderia retirar da presidente Dilma Rousseff seu maior trunfo eleitoral, que é o desemprego ainda muito baixo e nos menores níveis da história recente. 
Do time que trabalha pela alta dos juros, há banqueiros, economistas, colunistas de jornais e, agora, uma apresentadora de televisão. É Ana Maria Braga, que, na Globo, apresenta o programa de variedades “Mais você”. Ontem, ao vivo, ela decidir aparecer não com uma melancia no pescoço, mas com um colar de tomates. Disse estar usando “uma joia”. 
Foi assim, com a sutileza de um elefante, que a Globo decidiu reforçar a campanha pela alta dos juros num programa voltado a donas de casa.  
No entanto, a decisão de abril do Copom será das mais difíceis. Embora a inflação tenha superado o teto da meta, a própria colunista Miriam Leitão, também do Globo, reconhece que é um fenômeno apenas momentâneo. Os preços de alimentos começam a cair e as vendas no varejo, um bom termômetro da atividade econômica, recuaram em fevereiro.   Leia, abaixo, notícia da Reuters sobre a retração do varejo, que acaba de ser divulgada: 
Vendas no varejo brasileiro caem 0,4% em fevereiro–IBGE 
RIO DE JANEIRO, 11 Abr (Reuters) – As vendas no varejo brasileiro tiveram queda de 0,4 por cento em fevereiro ante janeiro e, sobre um ano antes, caíram 0,2 por cento, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira. 
Analistas ouvidos pela Reuters previam que as vendas subiriam 1,2 por cento em fevereiro ante janeiro, segundo a mediana das projeções de 21 economias. As contas variaram de zero a 2,80 por cento de alta. 
Em relação ao mesmo mês do ano anterior, a expectativa era de alta de 3,65 por cento de acordo pela mediana de 20 projeções, com as projeções ficando entre 1,30 e 6,50 por cento.   PITACO 
É o fim da picada. Ana Maria Braga está seguindo ordens e garantindo o emprego. Só pode! 

Globo sentiu a pancada: deu só 16 segundos de notícia sobre smartphones mais baratos

 


O Jornal Nacional da TV Globo (dia 9) deu a notícia da desoneração dos smartphones nacionais (que ficarão mais baratos), com má vontade. A notícia foi só lida rapidamente, em 16 segundos, sem nenhuma reportagem a respeito, apesar do grande interesse popular pelo assunto. A medida é mais um ponto para a popularidade do governo Dilma, por fazer a coisa certa. O smartphone, por vir com acesso à internet, é um dos sonhos de consumo de muita gente que ainda não tem. E, com isso, os aparelhos ficam mais acessíveis à todos, inclusive à população de baixa renda, sendo mais uma ferramenta para levar a todos os brasileiros o direito de ir e vir à informação e à sociedade do conhecimento. 
Além disso a medida incentiva a fabricação dos aparelhos no Brasil.

POLÍTICA DE XEPEIROS – O DEM VAI À FEIRA

COM O CARRINHO CHEIO DE TOMATES, OS DEPUTADOS DO DEM LEVAM MESMO SÃO PEPINOS. O PEPINO DE UM PARTIDO QUE DEFINHA, NÃO TEM DISCURSO NEM PROPOSTAS.     Não sabem fazer política, tentam fazer humor. Nem para PALHAÇOS servem, pois, para isso é preciso ter competência, e isso é produto que o DEM não encontra na FEIRA.      O maior jornal do país deu ampla cobertura ao triste espetáculo da oposição, classificado até como TOMATAÇO. Sobre a entrevista de José Dirceu para O Jornal Folha de São Paulo denunciando um possível “assédio moral” do Ministro Luiz Fux, nenhuma palavra na edição de hoje. 
 
 

O MAIS POPULAR!!!

A ECONOMISTA FULANA DE TAL, MAIS CONHECIDA COMO FULANA DAS COUVES, AFIRMA QUE ESCORREGAR NO TOMATE É UM RISCO QUE SE CORRE A TODA HORA EM SUA PROFISSÃO!

(OPS … LÁ VAI ELA CAINDO DE NOVO!!! FORAM TRÊS TOMBOS SEGUIDOS, MINHA GENTE!!!)

Os bons e velhos especuladores

 

 

THIETRE MIGUEL – RIO DE JANEIRO-RJ

GLOBO É CONTRA: DILMA QUER DOBRAR A RENDA PER CAPITA

SINTONIA FINA por Rilton Nunes
 
 
*** 
“Daqui a alguns anos nós comemoraremos os 200 anos da nossa independência. E nesse dia nós vamos ter que olhar para trás e ver o que fizemos para construir a nossa soberania, o nosso desenvolvimento e o bem-estar do nosso povo.” 
*** 
Saiu no blog do Planalto:

 

DILMA: “O NOSSO OBJETIVO É DOBRAR A RENDA PER CAPITA DA POPULAÇÃO”


A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (12), em Porto Alegre, durante cerimônia de entrega de retroescavadeiras, motoniveladoras e ônibus escolares a prefeitos do Rio Grande do Sul que o governo tem como objetivo dobrar a renda per capita da população. A presidenta disse ainda que o caminho para o Brasil se tornar um país de classe média é investir em educação.

“Daqui a alguns anos nós comemoraremos os 200 anos da nossa independência. E nesse dia nós vamos ter que olhar para trás e ver o que fizemos para construir a nossa soberania, o nosso desenvolvimento e o bem-estar do nosso povo. E aí, se vocês perguntarem para mim: qual é o nosso objetivo? O nosso objetivo é dobrar a nossa renda per capita. É esse o objetivo desse país. Ele se mede, fundamentalmente, pela renda per capita da nossa população. É essa a medida e o metro que nós devemos usar”, disse. 
Leia também:

 

EM PORTO ALEGRE, DILMA ANUNCIA O INVESTIMENTO DE R$ 2,46 BILHÕES EM OBRAS VIÁRIAS



Durante entrega, nesta sexta-feira (12), em Porto Alegre, de máquinas retroescavadeiras e motoniveladoras a municípios gaúchos, a presidenta Dilma Rousseff anunciou R$ 2,46 bilhões em investimentos para melhorar o tráfego e o escoamento da produção na região metropolitana da capital gaúcha.

“Eu sou presidenta de todos os brasileiros. Em todos os lugares que eu vou tenho o cuidado de ver as obras necessárias em curto, médio e longo prazo. Precisamos de muitos empreendimentos na área de infraestrutura. O Brasil hoje tem capacidade de pensar o que quer ser daqui a 10 anos”, afirmou Dilma.

A primeira das três obras anunciadas é o trecho de 32 quilômetros da BR-448, entre Estância Velha e Sapucaia do Sul, com um custo estimado de R$ 530 milhões, e que vai ampliar o acesso à região metropolitana de Porto Alegre e à região de Caxias. Outro trecho é o que liga a capital a Novo Hamburgo pela BR-116.

Com um custo estimado de R$ 330 milhões, a obra terá medidas complementares para desafogar o trânsito na região metropolitana, que incluem passagens de nível, alargamento de viadutos, entre outras. A terceira obra anunciada é a ligação entre Santa Maria e Santo Ângelo pela BR-392, com uma extensão de 235 quilômetros, a um custo de R$ 1,6 bilhão.

Equipamentos
A entrega de 120 máquinas nesta sexta-feira – 80 retroescavadeiras e 40 motoniveladoras – totalizou um investimento de R$ 28 milhões e deve beneficiar cerca de 600 mil pessoas. Já os 25 ônibus disponibilizados pelo Ministério da Educação para 15 municípios terão custo de cerca de R$ 3,5 milhões cada.

“É a capacitação dos municípios para tomar providências. É uma iniciativa do governo de melhorar as condições de transporte das nossas safras. Ele se conjuga com um grande esforço que o governo federal vem fazendo. O Brasil teve um período que parou de investir na escala necessária”, defendeu.

SINTONIA FINA – @riltonsp – com Conversa Afiada 

12 minutos atrás

Reflexivo e com pegada, ‘Condição humana’ revigora obra pop de Arantes

NOTAS MUSICAIS por Mauro Ferreira
 
 Resenha de CD
Título: Condição humana
Artista: Guilherme Arantes
Gravadora: Coaxo do Sapo / Tratore
Cotação: * * * * 1/2

Há sete anos sem lançar álbum de inéditas, Guilherme Arantes revigora sua obra fonográfica com Condição Humana (Sobre o tempo), 26º título de discografia solo subestimada na cena pop brasileira. Lançado neste mês de abril de 2013, o CD é produto do investimento do cantor e compositor paulista em seu estúdio Coaxo do Sapo, situado em Barra do Jacuípe, em Camaçari, no litoral da Bahia. Lá Arantes gravou, em janeiro e fevereiro de 2013, este disco que alterna romantismo pop e reflexão por vezes indignada ao longo das dez boas inéditas da lavra solitária do artista. Álbum que apaga a má impressão do anterior Lótus (2007), CD que nem chegou a desabrochar diante da anemia do mercado. O fato de uma certa nostalgia da modernidade pontuar a gravação deste 26º disco – e o texto escrito por Arantes para apresentar Condição Humana (Sobre o tempo) deixa claro que o artista foi em busca da pegada que seu som tinha na virada dos anos 70 para os 80 – em nadA atenua o efeito da injeção de ânimo que a obra de Arantes recebe com este álbum produzido pelo próprio artista com Gabriel Martini e Pedro Arantes. A celebrada participação do coro de vozes da atual cena indiepaulista – Adriano Cintra, Bruna Caram, Curumim,  Laura Lavieri, Mariana Aydar, Thiago Pethit, Tiê e Tulipa Ruiz, entre outros – na faixa mais deliciosamente pop do álbum, Onde estava você, é apenas a cereja do bolo pop que Arante sabe bater como poucos. Estivesse sendo lançado em tempos idos, Condição Humana (Sobre o tempo) ofereceria munição certeira para as paradas. Onde estava você é o hit nato do CD, de refrão pegajoso, pronto para tocar nas rádios. Contudo, há outras joias no repertório inspirado. Trunfos da parcela romântica do repertório, Tudo que só fiz por você, a bela Oceano de amor e – em menor grau – Você em mim são canções de amor explícito que reanimam o espírito apaixonado deste compositor hábil na criação de baladas, um dos preferidos das FMs nos anos 80, década em que a obra de Arantes foi imersa no tecnopop tão ao gosto daqueles anos movidos a sintetizadores, ganhando sonoridade atualmente questionada pelo artista por ter roçado a pasteurização. Nesse sentido, Condição Humana (Sobre o tempo) reabilita o (bom) uso dos teclados na formatação do cancioneiro de Arantes. O disco, aliás, é conduzido pelo piano e pelos teclados do músico revelado no grupo Moto Contínuo em remotas eras progressivas. Época que a faixa-título Condição humana evoca ao expor, já na abertura do disco, a assinatura melódica e instrumental recorrente no cancioneiro de Arantes. Mas a guitarra de Luiz Sergio Carlini – integrante da afiada banda arregimentada por Arantes  para a gravação do CD – injeta volta e meia o vigor do rock neste disco em que Arantes versa sobre as dissonâncias do mundo e do Homem diante da passagem inexorável do tempo. “Um mundo tão bonito e tão frágil… / Nosso tempo é ilusão”, conclui filosoficamente em verso da música-título Condição humana. Tais reflexões pro vezes estão acompanhadas de certo estranhamento, detectável sobretudo em Olhar estrangeiro, faixa de elétrico tom folk-country. No todo, o disco reitera em temas como Cruzeiro do Sul – canção que ilumina o brilho pop do cancioneiro do artista – a fé de Arantes na vida e no amor como o antídoto para curar os males da humanidade ao longo dos tempos. “O que se leva é amor”, sentencia, sucinto, na música que encerra o disco, O que se leva (Temor do tempo), gravada com a voz e o acordeom de Marcelo Jeneci. Por mais que Condição Humana (Sobre o tempo) destile inconformismo com o estado geral das coisas, e Arantes enquadra toda sua indignação na Moldura do quadro roubado, faixa de afiado tom político, o compositor fez um disco movido a amor, mote da onírica balada Castelo do reino. À beira dos 60 anos, a serem completados em 28 de julho deste ano de 2013, Guilherme Arantes ganha jovialidade na bem-sucedida busca da pegada dos tempos modernos.

13 minutos atrás

15 Top anti-gay leaders caught / 15 destacados líderes anti-gay flagrados

FORA DO ARMARIO por Sergio Viula
 

Suspect everyone who fiercely opposes other people’s rights, especially LGBT rights. There must be some crap under the carpet, and I’m not referring to the fact of them being gay, but to the hypocrisy of hindering the advancement of LGBT people’s legitimate citizenship, while they themselves pratise all kinds of misdeeds and crime. 
VÍDEO IN ENGLISH

Suspeite de qualquer um que ferozmente se oponha aos direitos de outras pessoas, especialmente os direitos LGBT. Só pode haver merda embaixo do tapete, e não me refiro ao fato de serem gays, mas à hipocrisia de prejudicar a legítima cidadania das pessoas LGBT, enquanto eles mesmos praticam toda sorte de delitos.

VÍDEO NARRADO EM PORTUGUÊS

Defenders of family values? Whose family? 
Defensores dos valores da família? Família de quem? 
 

16 minutos atrás

Bolsonaro vai apresentar projeto de lei para separar sangue gay do hétero nos hospitais

MUNDO ALTERNATIVO por mark vynny
 

jair Bolsonaro 02O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) afirmou nesta quinta-feira que vai propor um projeto de lei que garanta que a pessoa que necessitar de transfusão de sangue possa optar por receber apenas sangue doado por um heterossexual. Segundo o deputado, homossexuais correm risco de ter o vírus HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis 17 vezes a mais que heterossexuais, e isso justificaria sua proposta. Ainda segundo Bolsonaro, esse é um dado do próprio Ministério da Saúde, que recentemente flexibilizou oa doação de sangue para homossexuais. Até então, homossexuais eram proibidos de doar sangue. A partir do mês de junho último, o Ministério da Saúde lançou novas regras para a doação de sangue e garantiu que o homem homossexual possa doar sangue desde que tenha parcerio fixo ou que não tenha feito sexo nos últimos doze meses.

O deputado Bolsonaro afirma que o sangue doado é “todo misturado” e que, portanto, o receptor deve saber se está recebendo sangue gay ou heterossexual.
A proposta ainda não foi apresentada na Câmara.

fonte: MixBrasil

21 minutos atrás

Charge do Bessinha

BRASIL , BRASIL por Nogueira Junior
 
 

Dilma tenta emplacar Leonardo no lugar de Marin

por noreply@blogger.com (SARAIVA13)
 

 

Do Brasil 247 – 12 de Abril de 2013 às 05:52 :  Presidente quer José Maria Marín, acusado de colaborar com a linha dura do regime militar, fora da CBF o mais cedo possível; seu candidato é o ex-jogador Leonardo, que se tornou cartola de sucesso na Europa 
247 – Embora a CBF seja uma entidade privada, a presidente Dilma deseja estimular uma intervenção, para afastar o atual presidente, José Maria Marín, acusado de colaborar com o regime militar, e colocar em seu lugar o ex-jogador Leonardo. A aposta é do colunista Claudio Humberto. Leia abaixo: Dilma quer Leonardo, do PSG, presidindo a CBF
A presidenta Dilma sabe que não pode meter o bedelho nesse assunto, por se tratar de entidade privada, mas tem um candidato preferido para assumir a presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF): Leonardo, craque aposentado da seleção brasileira e atual dirigente de uma das maiores forças do futebol francês, Paris Saint Germain (PSG). Ela quer ver José Maria Marin fora da CBF o mais rápido possível.

Planos secretos
Lembrada de que as federações estaduais é que definem o presidente da CBF, Dilma dá de ombros. Parece ter planos intervencionistas.

Consultas
“O que acha de Leonardo da CBF?”, tem perguntado Dilma a amigos e políticos que recebe em seu gabinete. Está empolgada com a idéia.

Urticária
Dilma sente urticária quando lembra que terá de conviver com o atual chefe da CBF em eventos das copas das Confederações e do Mundo.

Fim do mundo
O desprezo por Marin é compartilhado por Dilma e Joseph Blatter, da Fifa: acham o fim do mundo a CBF nas mãos de alguém sob suspeita.

Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut Postado por celvioàs 08:500 comentários Links para esta postagem   Do Blog ContrapontoPIG

4 horas atrás

Bermudes ao 247: “Pago do meu bolso a festa do Fux”

por noreply@blogger.com (SARAIVA13)
 
 
Advogado carioca Sergio Bermudes, que oferecerá festa para centenas de convidados no aniversário de 60 anos de Luiz Fux, e também emprega em seu escritório sua filha Mariana, rechaça a insinuação de que tenha alguma relação privilegiada com o ministro do Supremo Tribunal Federal; sobre a afirmação de Joaquim Barbosa sobre “conluio” entre advogados e juízes, ele foi enfático: “é mais uma das leviandades do ministro Barbosa”; ele afirma que, apesar da festa, Fux terá “total isenção” para votar em causas do seu escritório no STF Brasil 247 Recentemente, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, afirmou, numa reunião do Conselho Nacional de Justiça, que um dos grandes problemas do Judiciário é o “conluio” entre advogados e juízes. Segundo Barbosa, haveria relações promíscuas entre membros da comunidade forense, contaminando a lisura de decisões judiciais. Hoje, em sua coluna na Folha de S. Paulo, a jornalista Mônica Bergamo, dá uma nota sobre algo que Barbosa chamaria de “conluio” se o personagem envolvido não fosse o ministro Luiz Fux, um dos seus principais aliados no julgamento da Ação Penal 470, do chamado mensalão. Segundo Mônica Bergamo, o advogado Sergio Bermudes, que emprega em seu escritório Mariana Fux, filha de Luiz Fux e candidata a uma vaga de desembargadora, oferecerá uma festa para mais de 200 convidados em sua residência no próximo dia 26, data do aniversário de 60 anos do ministro. Entre os convidados, estão o governador Sergio Cabral e o prefeito Eduardo Paes.” Matéria Completa, ::AQUI:: 
Enviada por: Nogueira Junior 22:080 Comentários * JudiciárioSTF   Também do Blog BRASIL! BRASIL! 
4 horas atrás

O colar de tomates de Ana Maria Braga

por noreply@blogger.com (SARAIVA13)
 
 
Altamiro Borges, Blog do Miro “A desavergonhada campanha da TV Globo pelo aumento da taxa de juros ganhou ontem uma nova adesão. A apresentadora Ana Maria Braga, a mesma que protagonizou em 2007 o movimento direitista “Cansei” pelo impeachment de Lula, apareceu no seu programa matinal “Mais você” vestindo um colar de tomates. Patética, ela ironizou que o produto é “uma joia”, seguindo a linha de ataque da poderosa emissora ao novo perigo vermelho que ameaça descontrolar a inflação e jogar o país no caos completo. A pressão da mídia rentista pela alta dos juros é implacável. Ela tem como alvo imediato a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, marcada para 16 e 17 de abril. Os bancos privados, com seus bilionários anúncios publicitários nos jornais, revistas, rádios e tevês, devem estar gratos pelo empenho. Neste bombardeio são acionados alguns jornalistas e “analistas de mercado” – nome fictício dos porta-vozes dos agiotas do capital financeiro. E agora também entrou em campo a eterna “cansada”. O irônico é que no mesmo dia em que Ana Maria Braga usou o seu ridículo colar de tomates, a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) informou que o preço do produto sofreu uma queda no preço de 43%. Segundo Mauro Zafalon, do UOL, “pisoteado nas últimas semanas, o tomate deverá ser esquecido a partir de agora. A oferta melhora, e os preços começam a voltar ao normal… O tomate viveu nos últimos meses um período de incertezas agrícolas, muito comum a vários produtos do setor”. A notícia confirma o que muitos já desconfiavam. A mídia rentista aproveitou a alta sazonal do preço do tomate para fazer terrorismo pelo aumento dos juros. Até a colunista Miriam Leitão, uma arqui-inimiga do governo Dilma, reconheceu ontem no próprio O Globo que o recente aumento da inflação é um fenômeno momentâneo. Da próxima vez que for usar o seu programa numa concessão pública de radiodifusão para fazer política, ao invés do colar de tomates Ana Maria Braga poderia pendurar umas melancias no pescoço!” Enviada por: Nogueira Junior21:331 Comentários * Artigo / CrônicaDecadência da Velha MídiaVelha Mídia   Do Blog BRASIL! BRASIL!  
4 horas atrás

“Cansei”: tomate abandona a oposição

por noreply@blogger.com (SARAIVA13)
 

Do Escrivinhador – publicada quinta-feira, 11/04/2013 às 20:06 e atualizada quinta-feira, 11/04/2013 às 20:51  
“Cansei”: até o tomate abandonou a oposição 
por Rodrigo Vianna
A oposição brasileira já teve aliados e projetos mais consistentes. Agarra-se agora à inflação e ao tomate. De forma patética.

O tomate, ao que parece, deixará a oposição falando sozinha. É o que leio no Blog do 

Nassif: preço do tomate cai 43% no CEAGESP.
 
Não se pode mais contar com o tomate…

Em 2005, a oposição contava com Bob Jefferson.

Em 2006, apostava no delegado Bruno – aquele que, para levar a eleição pro segundo turno, armou a foto com um monte de dinheiro e avisou: “eu quero ver isso no Jornal Nacional”. A Globo deixou de noticiar o acidente da Gol naquela noite, para estampar as fotos do dinheiro no JN. E a eleição foi pro segundo turno,mas aí a oposição morreu abraçada com a Globo e o Alckmin.

Em 2007, veio o “caosaéreo”, e logo a tragédia em Congonhas. Um articulista da “Folha” chamou Lula de “assassino”. Um repórter da Globo foi pra pista do aeroporto e colocou uma moedinha no chão: o objetivo era provar que o governo Lula era o responsável pelo acidente – que matou  200 pessoas. A Globo fracassou, mas o repórter foi recompensado com seguidas promoções.

 
A popularidade de Lula não parou de crescer, e uma parte do Brasil – inconformada – resolveu sair em passeata por aí, para avisar: “Cansei”.

A turma dos cansados seguiu em campanha:

– ameaça de Apagão;

– Erenice;

– logo veio a ficha falsa de Dilma na primeira página;

– em 2010, a internet foi tomada por boatos sobre “Dilma abortista”;

– e, finalmente, a bolinha de papel – com o perito Molina no JN, para provar o “atentado”contra Serra.

Bolinha de papel e tomate: a oposição já teve dias melhores…
. O eleitor é que parece dizer à oposição: cansei.
. Leia outros textos de Plenos Poderes

Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut Postado por celvioàs 00:250 comentários Links para esta postagem   Do Blog ContrapontoPIG

Dilma enfrenta exército pró-juros organizado

por Nogueira Junior
 
 
Pode ser pura coincidência, mas, ontem, os três principais jornais do País deram manchetes idênticas sobre inflação; nesta sexta, dos três jornalões, dois voltaram a se repetir, batendo na tecla dos preços às vésperas da reunião do Comitê de Política Monetária; a dúvida é: Dilma irá se curvar à pressão organizada dos meios de comunicação, que parece ter um comando central, ou recomendará cautela ao Banco Central, diante dos sinais contraditórios da economia?; em editorial, Folha e Estado pedem juro maior 
Brasil 247 
Será que existe um comando central, alinhado e coeso, definindo as manchetes dos principais jornais do País, às vésperas da reunião do Comitê de Política Monetária? Pode ser que sim, pode ser que não, mas o fato é que nunca houve tanta coincidência e tanta convergência entre os jornalões. Ontem, quinta-feira, os três principais jornais do Brasil, deram destaques idênticos ao mesmo tema, conforme abaixo: 
Inflação passa teto da meta e juro pode subir – O Globo 
Inflação passa teto e cresce pressão por alta de juros – Estado de S. Paulo 
Inflação estoura meta, e governo prevê juro maior – Folha de S. Paulo 
Nesta sexta, de novo, novas repetições: 
Alta dos preços já derruba vendas em supermercados – O Globo 
Alta de alimentos derruba vendas de supermercados – Folha de S. Paulo 
É por essas e outras e outras que os jornais tradicionais muitas vezes são rotulados como um integrantes de um suposto PIG, Partido da Imprensa Golpista, como se fizessem parte de um partido único. E é também por isso que tantas vozes gritam por um processo de democratização dos meios de comunicação.” Matéria Completa, ::AQUI:: 
37 minutos atrás

O fado fúnebre que ensurdece o Brasil

por Nogueira Junior
 
Carta Maior 
“A ortodoxia está matando nações na Europa. O desemprego passa de  17 milhões de pessoas. Na Espanha, 26% da infância encontra-se  enredada na teia da pobreza, que recobre a 4ª maior economia do euro. A cada 15 minutos uma família é despejada em Madrid, Barcelona ou em algum outro ponto do país. Dizer Estado mínimo é eufemismo. O que restará depois dos sucessivos e inalcançáveis ajustes serão talvez  protetorados, enclaves, colônias. Resíduos de nações expropriadas pelos mercados.  O patrimônio comum esfarela.  O uso de viaturas em muitas repartições portuguesas passou a depender da vaquinha dos funcionários para a gasolina. Papel higiênico deve ser trazido de casa (leia a coluna de Flávio Aguiar; nesta pág).  
Tatcher, o símbolo disso tudo,será enterrada dia 17 próximo. A lógica que encarnou enfrenta  o seu crepúsculo, mas usa as próprias cinzas para tornar irrespirável a vida em sociedade. No Brasil, lamenta-se que Dilma não seja uma ‘ladra do copo de leite’, a exemplo da ‘Dama de Ferro’, que ajustou a merenda da escola pública inglesa. 
O governo resiste em trazer a crise para dentro do país. O  rentismo inconsolável exige o ‘laissez-passer’ para legitimar a ‘purga’  que se inveja na Europa. Desdenha-se do ‘efeito provisório’ das linhas de passagem erguidas para atravessar o cerco que se aperta. Como se o  estado de exceção criado pela desordem neoliberal pudesse ser enfrentado com as ferramentas da rotina. De cada três palavras difundidas pelo noticiário uma é juro ( leia mais aqui) . Colunistas  se ressentem de demissões frescas. Implora-se por números azedos para servir no café  da manhã. 
É preciso abrir espaços à incerteza no jantar. Professores-banqueiros e candidatos à Presidência tem um prazo de validade contratado. A crise deve aportar  antes que o PAC, a reindustrialização do pré-sal e  a indução do investimento surtam efeito. Um centímetro de chão sólido atrapalha tudo.  Abengalados ora no quilo do tomate, ora na novena pervertida em prol da seca, seu futuro pressupõe que o emprego, a casa, a comida, o salário e a autoestima sejam tragados em uma gigantesca restauração rentista, que  solde a economia ao comboio do abismo. Do governo o que se espera é que engrosse o fado fúnebre, a adestrar o país para ser um imenso Portugal.

Entenda a ditadura da Globo

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Entenda a ditadura da Globo

por Rilton Nunes Por Eduardo Guimarães 
 

Ouso dizer que se de repente a Globo simplesmente evaporasse da face da Terra, nem os outros braços do aparato político-ideológico-midiático que a organização multimídia da família Marinho lidera iriam chorar por seu sumiço; comemorariam com fogos de artifício 

A parcela da sociedade política e ideologicamente alinhada aos governos progressistas que há uma década vêm conseguindo manter o poder contra essa máquina midiática, vem cometendo um erro de avaliação sobre o que convencionou chamar de “grande mídia”. Hoje, no Brasil, há um só grupo de mídia que, nadando contra a corrente que arrasta outros grandes grupos, vem obtendo lucros estratosféricos, crescendo e se solidificando a cada ano: as Organizações Globo. É um fenômeno impressionante. De 2002 a 2012, a Globo perdeu 22% de sua audiência em rede nacional. Em 2002, no Painel Nacional de Televisão (PNT), a média diária da emissora, entre 7h à 0h, era de 22,2 pontos. De janeiro a agosto de 2012, a média diária foi de 17,4 pontos. Cada ponto equivale a 191 mil domicílios no país. Em uma década, porém, a participação da Globo nos investimentos publicitários em TV aberta se manteve em 70%. O faturamento bruto da TV aberta da Globo com anúncios passou de R$ 5,65 bilhões em 2002 para R$ 18 bilhões em 2011. Mais impressionante ainda: o lucro da Globo, ano passado, subiu 36% e chegou a R$ 2,9 bilhões – um aumento de 35,9% ante o resultado do ano anterior –, apesar da queda de audiência. O paradoxo entre queda de audiência e aumento do faturamento se deve à estratégia multimídia das Organizações Globo. Além da principal emissora de TV do país, o grupo também detém jornais e revistas, além de participação em empresas como a Net e Sky e nos canais pagos da Globosat, como SporTV, Multishow e Telecine. Não existe país nenhum no mundo com um império de comunicação como esse. Isso ocorre enquanto outros grandes grupos de mídia como a Rede Record, o Grupo Folha, o Grupo Estado e a Editora Abril vêm amargando seguidos prejuízos. O mais impressionante é o resultado publicitário da Globo no que tange a verbas oficiais. Apesar da queda de audiência, as plataformas de mídia globais açambarcam 64% das verbas de publicidade do governo federal. Como resultado dessa ditadura midiática e política, os irmãos João Roberto, Roberto Irineu e José Roberto Marinho ocupam, respectivamente, o 7º, o 8º e o 9º lugares na lista que a revista Forbes publica dos homens mais ricos do Brasil. João Roberto e Roberto Irineu acumulam hoje uma fortuna de 8,7 bilhões de dólares cada um. Já José Roberto tem uma fortuna estimada em 8,6 bilhões de dólares. Como não existe um marco regulatório que vete a monopolização de tantas plataformas de mídia – que, em enorme parte, são concessões públicas entregues aos Marinho pelo governo federal –, enquanto a Globo lucra como nunca os grupos de mídia que atuam politicamente em consonância com a ditadura global vão ficando com as gordas migalhas que caem da mesa, mas que não bastam para impedir-lhes os problemas financeiros. Mas por que, então, vemos impérios de comunicação como o Grupo Folha, o Grupo Estado, a Editora Abril e outros aliarem-se à guerra aberta que a Globo, de forma aparentemente inexplicável, trava com um governo federal que se entrega à sua voracidade por dinheiro e concessões públicas? A questão parece ser muito mais ideológica do que prática. Apesar de forrar as Globos com a parte do leão das verbas e das concessões públicas, os governos do PT são vistos pelo resto da grande mídia como inimigos do capitalismo. As famílias Frias, Mesquita, Civita e congêneres acham que um governo tucano, por exemplo, distribuiria mais benesses ainda e as salvaria de uma situação que, em verdade, deve-se à voracidade Global. Assim, os governos do PT tornaram-se o inimigo comum de grupos de mídia que, por trás da aparente cordialidade, são adversários ferozes na disputa pelas benesses do Estado. Mas a Globo não prejudica o resto da comunicação no Brasil apenas ficando com quase tudo em termos de publicidade oficial e privada. A hegemonia da organização da família Marinho prejudica o país ao impor costumes, vetar projetos governamentais, leis, ao difundir ignorância, preconceito e muito mais. O padrão “racial” da publicidade e da televisão brasileiras, por exemplo, que exclui a verdadeira etnia de nosso povo, é oriundo de uma visão da Globo sobre o país. Novelas, publicidade, tudo o que se vê retrata um país de aparência europeia porque a Globo criou e mantém esse padrão. A ausência de programas que discutam o país, que se aprofundem em debates importantes, inclusive políticos, é oriunda de uma programação da Globo feita para emburrecer e alienar o espectador. Como a Globo é uma receita de sucesso, seu padrão é seguido pela concorrência na mídia eletrônica, sobretudo na televisão. Haja vista as cópias de excrescências como o Big Brother em outras emissoras, das novelas bobinhas com elenco ariano etc. A teledramaturgia global, em particular, é dramática – para fazer um trocadilho. Novela após novela é encenada no eixo Rio-São Paulo, com enredos que se repetem sem parar, com vilões e mocinhos – e mocinhas – idênticos, sempre exaltando as classes sociais abastadas a que a cúpula da Globo pertence. Todo esse poder da Globo se deve à sua capacidade de chantagear a classe política. Executivo, Legislativo e Judiciário ajoelham-se no altar Global de Norte a Sul do país. Nem a Presidência da República escapa. Apesar de não vir conseguindo eleger o presidente da República desde 2002, a Globo, ao levar escândalos reais e inventados ao Jornal Nacional, novelas, programas humorísticos etc., selecionando os que quer expor e os que quer esconder, consegue a subserviência da República aos seus ditames. Se até os grandes grupos de mídia além da Globo estão sendo sufocados por ela, imaginemos o que acontece com a mídia dita “alternativa”, que deve desaparecer em poucos anos se nada mudar. Todavia, a própria grande mídia – Globo excluída – não deve resistir tanto assim. Com o passar do tempo, os Marinho irão adquirindo participações de tudo até que estabeleçam um imenso monopólio da comunicação nacional. Não existe um só país da importância do Brasil e no qual vigore regime verdadeiramente democrático que tenha praticamente toda a comunicação nacional sob o tacão de uma única família, de um único império empresarial de comunicação.Após uma década de governos progressistas que conseguiram distribuir renda, diminuir a pobreza e avançar em termos de solidificação da economia, com aumento exponencial de infraestrutura etc., o Brasil caminha para a Idade Média nas comunicações. Como livrar o pais da ditadura da Globo? Boa pergunta. Se nem após dez anos de governos do PT conseguimos dar um mísero passo para desconcentrar o poder que a família Marinho começou a acumular graças à ditadura, parece quase impossível mudar isso agora. A Globo não tem hoje menos poder, tem mais, muito mais. E esse poder está crescendo a cada ano. E se em 2013 conseguir colocar um despachante no lugar de Dilma no Palácio do Planalto, melhor será mudar o nome do país para República Global do Brasil. SINTONIA FINA – @riltonsp   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  8 horas atrás

IG e sua fabrica de escândalos “O que a imprensa publicou sobre investigação de Lula, o fez por sua conta e risco – afirma MPF”

por Rilton Nunes 
Marcelo Bancalero

Essa imprensa  não se cansa de produzir factoides!

Como a farsa do MENTIRÃO ,está com os dias contados, resolvem atacar Lula diretamente. E para isso, utilizam-se de  sua liberdade abusiva para plantar escândalos. 

Mancharão a reputação de muitas pessoas ligas ao PT, com intenções escusas.


Erenice Guerra, Palocci, Orlando Silva, Zé Dirceu, Genoino, João Paulo Cunha, Pizzolato…

Bastou ser petista, pra correr o risco de ter sua reputação colocada em risco por essa corja de golpistas!
Todos os  que sofreram  ataques desta imprensa bandida provaram sua inocência.

O Alvo sempre foi o PT, foi Lula!
E agora isso está mais que provado!

Querem tirar a credibilidade de quem está acabando com as chances eleitorais desse partido de bandidos, o PSDB. E não se deixem enganar, eles tem mais  escândalos  pré-fabricados prontos para serem lançados nas casas dos brasileiros pela mídia bandida até 2014.
Mas eles podem até insistir na condenação dos petistas na AP 470. Porém, o povo já tem acesso à documentação que mostra o jogo de interesses por  trás da farsa montada.

Agora a população, o próprio Lula deveriam cobrar pelo direito de resposta na telinha do Plim Plim que deu a notícia falsa, como se fosse fato.

******

Lula não é citado em investigação do Ministério Público


O Ministério Público Federal no DF (MPF/DF) confirmou, na tarde desta quarta-feira, que requereu à Polícia Federal a instauração de inquérito para “apurar um dos fatos descritos pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza em depoimento prestado à Procuradoria Geral da República (PGR) em setembro de 2012″, conforme nota publicada no último dia 5. Mas, em nenhum momento, afirma que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estaria envolvido nesta ação, como esclareceu a instância judicial, por meio de sua porta-voz, Carla Zanetti, em entrevista ao Correio do Brasil. – O que a imprensa publicou (acerca das ilações quanto ao ex-presidente Lula estar envolvido no processo), o fez por sua conta e risco – afirmou Zanetti. O que a nota expedida pela instituição pontuou, acrescenta, é que “o teor específico desta ação corre sob sigilo de Justiça” e o relato “divulgado na imprensa” não seria confirmado ou negado pela promotoria exatamente porque está protegido do conhecimento público. O pedido de investigação à Polícia Federal, segundo confirma o MPF, restringe-se à informação de Valério sobre o citado “repasse de US$ 7 milhões por parte de fornecedora da Portugal Telecom em Macau (China), ao Partido dos Trabalhadores (PT), por meio de contas bancárias no exterior”. Se houve realmente o fato e quem estaria nessa operação; além de todas as demais questões relativas ao processo, segundo Zanetti, “serão apuradas ao longo da investigação”. Em nenhum momento, porém, o Ministério Público teria citado o ex-presidente Lula. Quando foram publicadas as primeiras notícias sobre o um provável depoimento de Marcos Valério sobre o possível repasse de recursos à Portugal Telecom, o ex-presidente Lula teria dito a repórteres que o publicitário era um “mentiroso” e, depoi,s não tocou mais no assunto. Novamente questionado sobre o tema, o ex-presidente afirmou, por meio de nota assinada pelo presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, que “não há nova informação em relação às que foram publicadas há cinco meses” SINTONIA FINA – @riltonsp   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

A GLOBO E SEU MODO “SUTIL” E “CANALHA” DE PEDIR A ALTA DOS JUROS

por Rilton Nunes  
Em vez de pendurar uma melancia no pescoço, a apresentadora Ana Maria Braga colocou um colar de tomates e disse estar usando uma “joia”; capa desta quinta-feira do jornal O Globo reforça o pedido por juros maiores; no entanto, sinais da economia são contraditórios, o que dificulta a ação do Banco Central e de seu presidente, Alexandre Tombini; vendas no varejo caíram 0,4%… 

A próxima reunião do Comitê de Política Monetária será decisiva. Nos dias 16 e 17 de abril, os diretores do Banco Central avaliam se a taxa básica de juros, a Selic, deve subir para frear a economia e conter a inflação, que ultrapassou momentaneamente o teto da meta, fixado em 6,5%. A pressão para que os juros subam, como se sabe, é intensa e tem motivações não apenas econômicas, mas também políticas. Uma economia em ritmo ainda mais lento poderia retirar da presidente Dilma Rousseff seu maior trunfo eleitoral, que é o desemprego ainda muito baixo e nos menores níveis da história recente. Do time que trabalha pela alta dos juros, há banqueiros, economistas, colunistas de jornais e, agora, uma apresentadora de televisão. É Ana Maria Braga, que, na Globo, apresenta o programa de variedades “Mais você”. Ontem, ao vivo, ela decidir aparecer não com uma melancia no pescoço, mas com um colar de tomates. Disse estar usando “uma joia”. Foi assim, com a sutileza de um elefante, que a Globo decidiu reforçar a campanha pela alta dos juros num programa voltado a donas de casa.  No entanto, a decisão de abril do Copom será das mais difíceis. Embora a inflação tenha superado o teto da meta, a própria colunista Miriam Leitão, também do Globo, reconhece que é um fenômeno apenas momentâneo. Os preços de alimentos começam a cair e as vendas no varejo, um bom termômetro da atividade econômica, recuaram em fevereiro. Leia, abaixo, notícia da Reuters sobre a retração do varejo, que acaba de ser divulgada: Vendas no varejo brasileiro caem 0,4% em fevereiro–IBGE quinta-feira, 11 de abril de 2013 09:04 BRT RIO DE JANEIRO, 11 Abr (Reuters) – As vendas no varejo brasileiro tiveram queda de 0,4 por cento em fevereiro ante janeiro e, sobre um ano antes, caíram 0,2 por cento, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira. Analistas ouvidos pela Reuters previam que as vendas subiriam 1,2 por cento em fevereiro ante janeiro, segundo a mediana das projeções de 21 economias. As contas variaram de zero a 2,80 por cento de alta. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, a expectativa era de alta de 3,65 por cento de acordo pela mediana de 20 projeções, com as projeções ficando entre 1,30 e 6,50 por cento. SINTONIA FINA – @riltonsp – com 247

10 horas atrás

“Hatari!”, de Howard Hawks (trailer)

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

“Hatari!”, de Howard Hawks (trailer)

por noreply@blogger.com (André Setaro)   Compartilhar  Marcar como lido  Curtir  

10 horas atrás

Dirceu prepara nova cartada contra o Mentirão

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Dirceu prepara nova cartada contra o Mentirão

por noreply@blogger.com (SARAIVA13) Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa dormindo Dirceu prepara nova cartada contra a AP 470  Brasil 247 – Uma nova estratégia deve ser adotada pelos réus condenados na Ação Penal 470, além dos recursos que serão apresentados no Supremo Tribunal Federal (STF): a revisão criminal. O ex-ministro José Dirceu, por exemplo, condenado a dez anos e dez meses de prisão no julgamento do ‘mensalão’, afirmou que sua defesa entrará com o pedido assim que o processo estiver concluído. “A revisão criminal pode anular o processo”, disse ele, ao jornal Valor Econômico. A estratégia está prevista no artigo 621 do Código de Processo Penal e pode ser utilizada depois do trânsito em julgado de uma condenação criminal, ou seja, depois que for publicado o acórdão do julgamento – o que, no caso da AP 470, deve acontecer nos próximos dias, uma vez que todos os ministros do Supremo já entregaram a revisão de seus votos. A revisão criminal é um processo autônomo, diferente dos dois tipos de embargos a que a corte pode receber: embargos de declaração ou embargos infringentes. No caso da revisão criminal, ela é permitida quando “a sentença condenatória for contrária ao texto expresso da lei penal ou à evidência dos autos”, quando “se fundar em depoimentos, exames ou documentos comprovadamente falsos” e quando, após a sentença, “se descobrirem novas provas de inocência do condenado ou de circunstância que determine ou autorize diminuição especial da pena”, explica a reportagem. Um dos argumentos de Dirceu para entrar com o recurso é o de que não houve dinheiro público envolvido no caso do ‘mensalão’. Ele explica: os recursos tiveram origem em empréstimos feitos pelas empresas do publicitário Marcos Valério no Banco Rural que foram repassados ao PT – e não em desvios de dinheiro da Câmara dos Deputados e do Banco do Brasil. O petista alega ainda que o Supremo cometeu um erro gravíssimo ao considerar que os recursos da Visanet eram públicos, quando, na verdade, eram privados. A entrevista concedida à Folha de S.Paulo nesta quarta-feira, pela qual Dirceu faz acusações contra o ministro Luiz Fux, que teria prometido sua absolvição no julgamento em troca de uma vaga na corte, é apenas uma parte do que sabe o ex-ministro do governo Lula. Até um livro sobre o ‘mensalão’ poderá sair em meio a sua batalha contra a condenação. “Se a indesejada [a morte] não vier me visitar, como diz o Paulo Coelho, eu vou lutar até o meu último suspiro”, disse ele.
Share/Bookmark às 13:000 comentários Links para esta postagem Marcadores: Ação Penal 470MentirãoZé Dirceu   Do Blog O Esquerdopata.   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  2 horas atrás

Como evitar novos ‘Fux’: a aposta argentina

por noreply@blogger.com (SARAIVA13) 

https://i0.wp.com/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2011/03/23/fux-nelson-jr-300.jpg 
As revelações de ex-ministro José Dirceu sobre os bastidores da campanha de José Fux à Suprema Corte não são novas. Tampouco singulares do percurso trilhado pela maioria dos integrantes daquela instituição. Joaquim Barbosa, por exemplo. Valeu-se de um encontro fortuito com Frei Betto para fazer chegar sua aspiração e seu currículo à Presidência da República, exercida por Lula. Assim por diante. Embora conhecido, o percurso de Fux nem por isso deixa de inspirar um misto de constrangimento e perplexidade pelo avançado despudor que revela no acesso a um posto, teoricamente, reservado à sobriedade e à isenção. Relata Dirceu ter sido procurado em 2010 pelo então ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em garimpagem de apoios à indicação para o STF. Seis meses após intenso assédio, o ex-chefe da Casa Civil aquiesceu em receber Fux no escritório de advocacia de um amigo, cujo titular, por certo, pode atestar a veracidade do encontro. Pregoeiro de um leilão em que era a própria mercadoria, Fux teria ofertado a Dirceu o seu voto de absolvição no julgamento da AP 470. Dirceu, por certo, tem testemunhos que podem reiterar seu relato. O silêncio de Fux é eloquente. O que ele fez de sua promessa é igualmente sabido e revelador. Não cabe discutir o caráter dos escolhidos para o STF. Mas o saldo do método não é dos melhores. E isso diz respeito à democracia. Desvios de comportamento, que vão da vaidade efervescente, ao desequilíbrio ostensivo no exercício de um missão, em si, credora de predicados opostos, foram – tem sido – cumulativamente testemunhados pela sociedade. Poucos, se é que cabe ombrear alguém à dignidade solitária do ministro Ricardo Lewandowski, declinaram da genuflexão desfrutável pelo enredo conservador montado em torno do julgamento da AP 470. Fux, por certo, não foi um deles. E a tal ponto, que empresta pertinência à dúvida. O que mais teria prometido Fux, e a quem, ao longo de um julgamento que se tornou explicitamente político, com juízes banhando-se nus nas águas de uma sintonia eleitoral escrachada, sem pejo, nem apego decência? O tempo não regenera os pilares trincados daquele espetáculo midiático, em que provas inexistentes foram supostas, e dúvidas incontornáveis foram torneadas em formato de condenação. (Leia aqui a edição especial da revista Retrato do Brasil, do jornalista Raimundo Pereira, sobre as falhas gritantes no julgamento). A resistência do ministro Joaquim Barbosa ao legítimo direito de acesso aos votos e aos prazos de recursos pleiteados pela defesa do acusados, ademais de arbitrária, transpira suspeitas. O conjunto empresta contundente atualidade ao debate ora em curso na Argentina. A Presidenta Cristina Kirchner acaba de enviar ao Congresso seis projetos destinados a democratizar as instâncias do judiciário no país. Um deles preconiza a eleição direta, pela população, de membros do Conselho da Magistratura. O Conselho argentino julga desvios e desmandos de juízes e advogados. Integrado por personalidades eleitas pelo voto direto, como preconiza a reforma, seu poder de quebrar o corporativismo e desguarnecer a impunidade no judiciário cresce significativamente. Não por acaso, a oposição, que se valeu do Judiciário para barrar a Ley de Meios, já se manifesta contrária à mudança. No Brasil, o Conselho Nacional de Justiça é recente, tendo sido criado apenas em 2004. É formado por 15 membros:

  • nove integrantes dos Tribunais Superiores e das Justiças Federal, Estadual e do Trabalho;
  • dois integrantes do Ministério Público;
  • dois advogados;
  • dois cidadãos ‘com notável saber jurídico e reputação ilibada’.

O mandato é de dois anos. E as indicações são autorreferentes. Como acontece no caso das agencias reguladoras, capturadas pelos regulados, os fiscalizados aqui tem influencia determinante na nomeação dos fiscais. Uma das funções do CNJ, porém, é assegurar que os magistrados ‘julguem com imparcialidade’. Fosse composto de personalidades eleitas pelo voto da sociedade, o que diria o CNJ do comportamento esvoaçante, digamos assim, de magistrados como o senhor Fux? O desassombro do governo argentino sugere mais que isso. A composição da Suprema Corte brasileira obedece a uma mecânica de indicação mais antidemocrática que a do Vaticano na escolha do Papa. O caso do ministro Fux é ilustrativo de um vício de origem que acolhe as naturezas mais voluntariosas e melífluas. Nem por isso as mais condizentes com as expectativas e compromissos intrínsecos às obrigações daquela corte. Por que não democratizar esse processo, se não pelo voto direto, imediato, ao menos para livra-lo das sombras de onde emergem os ‘Fux’ e assemelhados? A ver. Saul Leblon
No CartaMaior
Postado por zcarlos ferreiraàs 17:00Nenhum comentário:  Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut Marcadores: JudiciárioLuiz FuxSTF   Ainda do Blog COM TEXTO LIVRE Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  3 horas atrás

O risco do avanço

por noreply@blogger.com (SARAIVA13) 
O que pode suceder quando um alvejado por agressões orais do presidente do Supremo reagir à altura? https://i0.wp.com/www.cartacapital.com.br/wp-content/uploads/2012/10/Barbosa.jpgO risco é grande e, pior ainda, crescente. O que pode suceder quando um alvejado por agressões orais do presidente do Supremo Tribunal Federal usar o direito de reagir à altura, como é provável que acabe acontecendo? Em qualquer caso, estará criado um embaraço extremo. Não se está distante nem da possibilidade de uma crise com ingredientes institucionais, caso o ministro Joaquim Barbosa progrida nas investidas desmoralizantes que atingem o Congresso e os magistrados. O fundo de moralismo ao gosto da classe média assegura às exorbitâncias conceituais e verbais do ministro a tolerância, nos meios de comunicação, do tipo “ele diz a coisa certa do modo errado” – o que é um modo moralmente errado de tratar a coisa errada. Não é novidade como método, nem como lugar onde é aplicado. Nem por isso o sentido dos atos é mudado. “Só se dirija a mim se eu pedir!” é uma frase possível nas delegacias de polícia. Dita a um representante eleito da magistratura, no Supremo Tribunal Federal, por seu presidente, é, no mínimo, uma manifestação despótica, sugestiva de sentimento ou pretensão idem. Se, tal como suas similares anteriores, levou apenas a mais uma nota insossa dos alvejados, não faz esperar que seja assim em reedições futuras desses incidentes. Afinal, quem quer viver em democracia tem o dever de repelir toda manifestação de autoritarismo, arbitrariedade e prepotência. É o único dever que o Estado de Direito cobra e dele não abre mão.Facilitário A Câmara avança no projeto de tornar obrigatória a liberação, pelo governo federal, das verbas correspondentes às chamadas “emendas parlamentares”. São as verbas destinadas, no Orçamento da União, às finalidades desejadas por cada deputado e cada senador. Na sua origem, as emendas eram um dispositivo de atendimento a necessidades e reivindicações mais conhecidas pelo parlamentar da região do que pelo governo federal. Eis no que deram: na megaoperação feita anteontem em 12 Estados, pelo Ministério Público, contra a corrupção, em 79 cidades foram reprimidas fraudes e desvios de verbas provenientes, todas, de emendas parlamentares. Se a investigação continuar, chegará a parentes, sócios e laranjas dos parlamentares. Não é por outro motivo que desejam a obrigatoriedade da liberação de suas emendas pelo Tesouro Nacional. Por uma vez Parte das tevês e dos jornalistas esportivos valem-se de uma CBF chegada ao “é dando que se recebe”, como atestam as longevidades de João Havelange e Ricardo Teixeira, incólumes, na presidência da entidade. Mas, se é para substituir o não menos deplorável José Maria Marin, talvez pudessem concordar, desta vez, com alguma dose de decência no comando do decomposto futebol brasileiro. Janio de Freitas
No fAlha
Postado por zcarlos ferreiraàs 11:00Nenhum comentário:  Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut Marcadores: Janio de FreitasJoaquim BarbosaSTF   Também do Blog COM TEXTO LIVRE.   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  3 horas atrás

Feliciano está doente da cabeça e da alma

por noreply@blogger.com (SARAIVA13) 
    Postado por zcarlos ferreiraàs 14:00Nenhum comentário:  Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut Marcadores: Bob FernandesEvangélicosMarco FelicianoReligião   Do Blog COM TEXTO LIVRE.   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Bono Vox: Lula é um “tesouro global que nos inspira”

por noreply@blogger.com (SARAIVA13) O vocalista do U2, Bono Vox, gravou na terça-feira 9 uma mensagem em vídeo para os brasileiros após o encontro que teve com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Londres. Bono disse que o ex-presidente brasileiro é um tesouro global que “nos inspira”.
Bono é um ativista político e um dos criadores da Fundação One, que atua no combate à extrema pobreza e a favor de melhores políticas de desenvolvimento.
Veja o vídeo com a mensagem de Bono aqui:

CartaCapital De Recife – PE. Diógenes Afonsoàs 05:320 comentários 

Também do Blog TERRA BRASILIS Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Vaticano baixa filmes pornográficos

por noreply@blogger.com (SARAIVA13) Maior parte dos filmes baixados no Vaticano é pornografia

Em fevereiro, o site TorrentFreak divulgou que agentes no prédio do FBI estariam baixando filmes e séries piratas. Talvez fosse uma investigação em andamento, talvez não. Em um comunicado, o FBI disse que pirataria é crime e encerrou o assunto. Dessa vez, o TorrentFreak rastreou outros pontos de acesso e encontrou um local improvável como foco de downloads: o Vaticano.
Mas não eram seriados: a maioria dos arquivos baixados era de filmes pornográficos. Filmes como “Os Vizinhos”, “Toque” e “Lea Lexis and Krissy Lynn” aparecem tendo sido baixados pela “Holy See – Vatican City State” (Santa Sé – Vaticano). A maioria desses filmes tem como tema os fetiches sexuais de submissão, dominação, sadismo e masoquismo.
O rastreamento foi feito pelo serviço ScanEye, a pedido do TorrentFreak. No entanto, pode ser que os autores dos downloads não sejam bispos e cardeais. Há muita gente ligada à Igreja, como guarda-costas dos eclesiásticos, que têm acesso à cidade. Ainda assim, é curioso pensar que tantos filmes “profanos” sejam assistidos no coração da Igreja Católica.
Portal Yahoo De Recife – PE. Diógenes Afonsoàs 15:370 comentários

Do Blog TERRA BRASILIS Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Os piadistas do STF

por noreply@blogger.com (SARAIVA13) 
 Um Supremo bipolar
Por Cristiana Castro, no Luis Nassif Online
Comentário ao post “Juízes do STF evitam falar sobre declarações de Dirceu

Agora ninguém quer falar mais nada. Depois de arrebatar os prêmios e cargos distribuídos pelas empresas de comunicação, escrever prefácios, carregar repórteres para reunião com associações de classe, pautar um julgamento em pitacos de colunistas, prestigiar lançamento de livros de jornalistas “da casa” esculachando o governo dos réus, seguir cronograma de rede de TV, alimentar agressões a réus e magistrados nas ruas etc… Ninguém mais lê nada, assiste nada, ouve nada e fala nada. Afinal somos membros do STF e não podemos estar por aí dando declarações fora dos autos. Agora, além de tudo são piadistas. Dirceu mandou muito bem na entrevista e, lembrou detalhes que já havíamos esquecido, tipo as alterações ainda antes do julgamento para forçar sua cassação.  Com relação a Fux, eu nem vou comentar mais nada, em respeito a mãe dele, que todo mundo aqui é testemunha que tentou até o último minuto e deve estar tentando, até hoje transformar  Johnny Bravo em Ministro do STF. O máximo que rolou foi a conversão do magistrado faixa-preta em ministro tarja-preta.  Cara, eu não sei mais nem o que pensar. Nem Chapolim Colorado pode nos salvar desse STF.
Share/Bookmark às 10:300 comentários Links para esta postagem Marcadores: Falta de vergonhaGolpeLuis NassifPalhaçosSTF   Também do Blog O Esquerdopata.   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Como surge um Fux?

por noreply@blogger.com (SARAIVA13)  Democracia x Judiciário: Como surge um ‘Fux’?

As revelações de ex-ministro José Dirceu sobre os bastidores da campanha de Luiz Fux à Suprema Corte não são novas. Nem por isso deixam de inspirar  um misto de constrangimento e perplexidade pelo avançado despudor que revelam no acesso a um posto, teoricamente reservado à sobriedade e a isenção. Pregoeiro de um leilão em que era a própria mercadoria, Fux teria ofertado a Dirceu o seu voto de absolvição no julgamento da AP 470. O que ele fez dessa promessa é sabido e revelador. Não cabe discutir  o caráter dos escolhidos para o STF. O fato é que o saldo do método não é dos melhores. Exposta aos holofotes e às tenazes do cerco midiático, durante quatro meses e meio, aquela corte soçobrou à genuflexão desfrutável pelo enredo conservador montado em torno do julgamento da AP 470.  O conjunto empresta contundente atualidade ao debate ora em curso na Argentina, onde a Presidente Cristina Kirchner acaba de enviar ao Congresso seis projetos destinados a democratizar as instâncias do judiciário. A composição da Suprema Corte brasileira obedece a uma mecânica de indicação mais antidemocrática e viciada que a do Vaticano na escolha do Papa. O caso do ministro Fux  é ilustrativo de um vício de origem que acolhe as naturezas mais voluntariosas e melífluas.
LEIA MAIS AQUI

Share/Bookmark às 00:040 comentários Links para esta postagem Marcadores: Carta MaiorLuiz FuxSaul LeblonSTF   Do Blog O Esquerdopata.   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

Por que o Mensalão tem que ser revisto

por noreply@blogger.com (SARAIVA13) 
Do Diário do Centro do Mundo – 11 de abril de 2013

O caso Fux é uma evidência poderosa disso.

Um julgamento em circunstâncias longe das ideais  Um julgamento em circunstâncias longe das ideais 

Paulo Nogueira

O caso Fux – seu encontro admitido com Dirceu quando buscava uma vaga no Supremo que o faria julgar o homem cujo favor queria – reforça um fato: o julgamento do Mensalão tem que ser urgentemente revisitado pelos brasileiros.

Nem que seja para, serenamente, e dadas à defesa todas as condições de trabalho, confirmar as sentenças.

Se não, há um grande risco de, mais para a frente, a sociedade lamentar não ter feito nada não, repito, para mudar o veredito – mas para submetê-lo a uma checagem humanitária, dadas as penas tão severas e lavradas em circunstâncias tão especiais: durante eleições.

Foi tudo muito rápido para um julgamento tão vital.

Vistas as coisas poucos meses depois, reforça-se a impressão de que foi decisiva a influência da mídia na condução das coisas.

A mídia influencia cada vez menos a chamada voz rouca das ruas, como se tem observado nas urnas.

Mas seu poder de intimidação diante de pessoas públicas é talvez maior que nunca, depois que foi subtraído à sociedade, e por um ministro do STF, o sagrado direito de resposta em situações de claro linchamento de reputação.

Temos uma noção da importância desse direito – eliminado numa desastrada ação de Ayres Britto – quando vemos uma clássica amostra dele. Brizola era tripudiado abjetamente pelas Organizações Globo,  e um dia enfim conseguiu a chance de responder. É provável que nunca o JN tenha sido tão verdadeiro quanto neste momento em que foi editado por Brizola.

Veja:

São tantas as questões não respondidas adequadamente sobre o Mensalão – foi mesmo desvio de dinheiro público, para começo de conversa – que é uma violência tomar como definitiva a palavra de juízes submetidos a uma pressão fortíssima da mídia num espaço de tempo tão breve.

Que o interesse da mídia foi plenamente atendido com o veredito ficou claro. Mas não ficou tão claro assim que o interesse público tenha sido atendido.

Pense em Fux e seu comportamento instável e ciclotímico: se ele e apenas ele  tivesse votado de outra forma o veredito teria sido outro.

Não se trata de gostar ou não de Dirceu, ou de Genoíno, ou do PT. Trata-se, isto sim, de ter mais clareza sobre o que é justiça neste caso.

Atirar pessoas por longos períodos às celas, em circunstâncias tão controversas e sob tamanhas dúvidas, é um erro espetacular.

Ainda é tempo de corrigi-lo.

O passo essencial é, agora, dar tempo aos recursos da defesa.

 

Paulo Nogueira. Jornalista baseado em Londres, é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo. . Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no OrkutPostado por celvioàs 06:360 comentários Links para esta postagem Também do Blog ContrapontoPIG.   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

Mídia esconde processo contra Aécio

por noreply@blogger.com (SARAIVA13)

 

 

Do Blog do Miro – quarta-feira, 10 de abril de 2013

 

http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/

 Por Altamiro Borges

   Por três votos a zero, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu, na semana passada, que o tucano Aécio Neves continua como réu na ação civil por improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Estadual. O ex-governador é investigado pelo desvio de R$ 4,3 bilhões da área da saúde e pelo não cumprimento do piso constitucional de financiamento do sistema público de saúde entre 2003 e 2008. A mídia comercial, que adora um escândalo político, é tão seletiva que não deu qualquer destaque à decisão do TJMG.
Segundo o sítio do deputado Rogério Correia, “desde 2003, a bancada estadual do PT denuncia essa fraude e a falta de compromisso do governo de Minas com a saúde. Consequência disso é o caos instaurado no sistema público de saúde, situação que tem se agravado com a atual e grave epidemia de dengue no estado”. O ex-governador mineiro, que vive se jactando do tal “gestão de gestão”, poderá sofrer uma baita indigestão. O julgamento da ação está previsto para ocorrer ainda neste ano.

Se for considerado culpado pelo desvio dos recursos públicos, o senador ficará inelegível. Sua cambaleante candidatura presidencial entraria em coma – que não é alcoólica. É lógico que o grão-tucano tem muitos defensores. A mídia não deu manchete para a decisão da justiça e evitará tratar do tema. Ela só gosta de levantar suspeitas de corrupção contra os tais “lulopetistas”. Já a Justiça é cega! Até hoje não julgou o chamado mensalão tucano – que a mídia trata como mensalão mineiro.    A conferir!   . Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut Postado por celvioàs 00:150 comentários Links para esta postagem   Do Blog ContrapontoPIG Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir 

10 horas atrás

Juros vão subir; só resta saber quando e quanto

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Juros vão subir; só resta saber quando e quanto

por rkotscho tombini ae hg Juros vão subir; só resta saber quando e quanto O tomate, que chegou a custar R$ 15,00 o quilo, derrotou o controle da inflação, que já ultrapassou o topo da meta do governo, chegando a 6,59% ao ano, algo que não acontecia desde 2011. Os preços dos alimentos que jogaram a inflação para cima já começaram a cair, mas não o suficiente para evitar a provável alta dos juros na reunião do Copom marcada para a próxima semana. O IPCA caiu de 0,60% em fevereiro para 0, 47% em março, m,uito pouco para evitar que o Banco Central, disposto a afirmar a sua autoridade, aumente os juros que estão em 7,25% ao ano. Bem que o governo gostaria de esperar até maio para ver como se comporta a inflação, mas todos os indicadores do mercado estão apontando para uma alta de 0,25% já na reunião de abril. A perspectiva é que a taxa Selic tenha quatro aumentos de 0,25% até o final do ano como forma de recuperar a credibilidade do BC, após as declarações da presidente Dilma Rousseff feitas na África do Sul, ao dizer que medidas de combate à inflação não podem prejudicar o crescimento da economia. Fazer a economia crescer sem deixar a inflação subir é o grande desafio da presidente Dilma neste ano pré-eleitoral e, por isso, a política de juros volta ao centro da discussão sobre os rumos economicos do país. “A bola agora está com o Banco Central”, é o que se ouve no Ministério da Fazenda, depois que a presidente Dilma deu ordens para que só o BC fale sobre juros. E o que mais o governo poderia fazer para enfrentar a resistência da inflação além das medidas já tomadas e de programar uma alta escalonada dos juros? Duas áreas que estão em estudos são as de transportes e planos de saúde, que deverão ser desoneradas e ficar mais baratas para ajudar no combate à inflação. Que os juros vão subir proximamente já ninguém tem dúvidas no mercado. Resta saber quando e quanto. Façam as suas apostas. 

10 horas atrás

Deus nos livre de um Brasil evangélico

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Deus nos livre de um Brasil evangélico

por carol Deus nos livre de um Brasil evangélico
Ricardo Gondim Começo este texto com uns 15 anos de atraso. Eu explico. Nos tempos em que outdoors eram permitidos em São Paulo, alguém pagou uma fortuna para espalhar vários deles em avenidas da cidade com a mensagem: “São Paulo é do Senhor Jesus. Povo de Deus, declare isso”. Rumino o recado desde então. Represei qualquer reação à bobagem estampada publicamente; hoje, por algum motivo, abriu-se uma fresta em uma comporta de minha alma. Preciso escrever sobre o meu pavor de ver o Brasil tornar-se evangélico. Antes explico: eu gostaria de ver o Brasil permeado com a elegância, solidariedade, inclusão e compaixão do Evangelho. Mas a mensagem subliminar dos outdoors, para quem conhece a cultura do movimento evangélico, é outra. Os evangélicos sonham com o dia em que cidade, estado e país se convertam em massa, e a terra dos tupiniquins tenha a cara de suas denominações. Afirmo que o sonho é que haja um “avivamento” religioso que leve uma enxurrada de gente para os templos evangélicos. Não reside entre os teólogos do movimento qualquer  desejo de que valores cristãos influenciem a cultura brasileira. Eles anelam tão somente que o subgrupo, descendente distante dos protestantes, prevaleça. Ao eles não interessa que haja um veloz crescimento numérico entre católicos romanos; que ortodoxos sírios, russos, armênios ou gregos se alastrem. Para “ser do Senhor Jesus”, o Brasil tem que virar “crente”, com a cara dos evangélicos. (acabo de bater três vezes na madeira). Avanços numéricos de evangélicos em algumas áreas já dão uma boa ideia de como seria desastroso se acontecesse a tal levedação radical do Brasil. Imagino uma Genebra calvinista brasileira e tremo. Sei de grupos que anseiam por um puritanismo não inglês, mas moreno. Caso acontecesse, como os novos puritanos tratariam Ney Matogrosso, Caetano Veloso, Maria Gadu? Respondo: seriam execrados como diabólicos, devassos e pervertedores dos bons costumes. Não gosto nem de pensar no destino de poesias sensuais como “Carinhoso” do Pixinguinha ou “Tatuagem” do Chico. Um Brasil evangélico empobreceria, já que sobrariam as péssimas poesias do cancioneiro gospel. As rádios tocariam sem parar músicas horrorosas como  “Vou buscar o que é meu”, “Rompendo em Fé”. Uma história minimamente parecida com a dos puritanos calvinistas provocaria, estou certo, um cerco aos boêmios. Novos Torquemadas seriam implacáveis e perderíamos todo o acervo do Vinicius de Moraes. Quem, entre puritanos, carimbaria a poesia de um ateu como Carlos Drummond de Andrade? Como ficaria a Universidade em um Brasil dominado por evangélicos? Os chanceleres denominacionais cresceriam, como verdadeiros fiscais, para que se desqualificasse Charles Darwin como “alucinado inimigo da fé”. Facilmente se restabeleceria o criacionismo como disciplina obrigatória em faculdades de medicina, biologia, veterinária. Nietzsche jazeria na categoria dos hereges loucos. Derridá nunca teria uma tradução para o português. O que dizer de rebeldes como Mozart, Gauguin, Michelangelo, Picasso? No máximo, seriam pesquisados como desajustados. Ganhariam rótulos para serem desmerecidos a priori como loucos, pederastas, hereges. Um Brasil evangélico não teria folclore. Acabaria o Bumba-meu-boi, o Frevo, o Vatapá. As churrascarias não seriam barulhentas. A alegria do futebol morreria; alguma lei proibiria ir ao estádio ou ligar televisão no domingo. E o racha, a famosa pelada de várzea, aconteceria quando? Haveria multa ou surra para palavrão? Um Brasil evangélico significaria que o fisiologismo político prevaleceu. Basta uma espiada no histórico de Suas Excelências da bancada evangélica nas Câmaras, Assembleias e Gabinetes para se apavorar. Se, ainda minoria, a bancada evangélica na Câmara Federal é campeã em faltas e em processos no STF, imagina dominando o parlamento. Um Brasil evangélico significaria o triunfo do “american way of life”, já que muito do que se entende por espiritualidade e moralidade não passa de cópia malfeita da cultura estadunidense. Obcecados em implementar os “valores da família”, tão caros ao partido republicano dos Estados Unidos, recrudesceria a teologia de causa-e-efeito, cármica, do “quem planta, colhe”. Vingaria o sucesso como aferidor da bênção de Deus. Um Brasil evangélico acirraria o preconceito contra a Igreja Católica. Uma nova elite religiosa (os ungidos) destilaria maldição contra os “inimigos da fé”, os “idólatras”, os “hereges”, com mais perversidade do que aiatolás iranianos. Ficaria mais fácil falar de inferno e mandar para lá todo mundo que rejeitasse algumas lógicas ortodoxas. Cada vez que um evangélico critica a Rede Globo eu me flagro perguntando: Como seria uma emissora liderada por evangélicos? Adianto: insípida, brega, chata, horrorosa, irritante. Prefiro, sem pestanejar, os textos do Gabriel Garcia Márquez, do Mia Couto, do Victor Hugo, do Fernando Moraes, do João Ubaldo Ribeiro, do Jorge Amado, a qualquer livro da série “Deixados para Trás” do fundamentalista de direita, Tim LaHaye. O demagogo Max Lucado (que abençoou a decisão de Bush bombardear o Iraque) não calça o chinelo de Mário Benedetti. Toda a teocracia um dia se tornará totalitária. Toda a tentativa de homogeneizar a cultura precisa se valer de obscurantismo. Todo o esforço de higienizar os costumes é moralista e hipócrita. O projeto cristão visa preparar para a vida. Jesus jamais pretendeu anular os costumes de povos não-judeus. Daí ele celebrar a fé de um centurião, adorador no paganismo romano, como especial e digna de elogio. Cristo afirmou que, entre criteriosos fariseus, ninguém tinha uma espiritualidade tão única e bela como daquele soldado que se preocupou com o escravo. Levar a Boa Notícia – Evangelho – não significa exportar cultura, criar dialeto ou forçar critérios morais. Na evangelização, fica implícito que todos podem continuar a costurar, compor, escrever, brincar, encenar, como sempre fizeram. O evangelho convoca à pratica da justiça; cria meios de solidariedade; procura gestar homens e mulheres distintos; imprime em pessoas o mesmo espírito que moveu Jesus a praticar o bem. Há estudos sociológicos que apontam estagnação quando o movimento evangélico chegar a 35% da população brasileira. Esperemos que sim. Caso alcançasse a maioria, com os anseios totalitários e teocráticos que já demonstra, o movimento desenvolveria mecanismos para coibir a liberdade. Acontece que Deus não rivaliza a liberdade humana, mas é seu maior incentivador. Portanto, Deus nos livre de um Brasil evangélico.
Soli Deo Gloria

10 horas atrás

http://racismoambiental.net.br/

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

RJ – Ato-Encontro de Resistência de Comunidades Impactadas na Aldeia-Quilombo ManguiN’Ação: sábado, 13, às 13 horas

comentários Comentários (0) Por racismoambiental, 11/04/2013 18:00 Share on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services4 O filme abaixo é um exemplo do que vem acontecendo em Manguinhos e em outras comunidades e que justifica Atos-Encontros como o do próximo sábado. Produzido por A Nova Democracia, seu título é “Manguinhos: Jovem é eletrocutado por PMs e população se levanta contra as UPPs”. Mas é muito mais do que isso que ele mostra. TP.  Este Ato-Encontro visa denunciar a violação sistêmica de direitos humanos e a situação de grave risco à saúde e à vida de centenas de famílias das favelas de Manguinhos e do Jacaré-Jacarézinho devido à precariedade dos sistemas de saneamento, poluição dos rios e do ar, às remoções arbitrárias e ao cerceamento da cidadania de seus moradores pelo controle social e militarizado do Governo Federal, do Estado e da Prefeitura, em suas políticas de urbanização (PAC-Grandes Favelas), pacificação e de privatização dos serviços públicos direta ou através de parcerias público-privadas. Este Encontro também visa ampliar a área de contato e interação com as redes de solidariedade de resistências e de lutas e fortalecer estas resistências através da ação em rede, coordenada, sistêmica e anti-sistêmica. Vejam, a seguir, algumas reflexões a respeito dos motivos que nos levam a esta atividade e, em seguida, dados objetivos sobre a Programação, incluindo como chegar ao local. Continue lendo… ‘RJ – Ato-Encontro de Resistência de Comunidades Impactadas na Aldeia-Quilombo ManguiN’Ação: sábado, 13, às 13 horas’» categorias Racismo Ambiental | tags assassinatoscomunidades urbanasdireito à cidadedireito à vida dignapreconceitoterritórioviolência

África se une en contra de una nueva forma de colonialismo

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services3Cansados de los despojos de tierras y el nuevo colonialismo de REDD (Reducción de emisiones por deforestación y degradación de bosques). Africanos, en el Foro Social Mundial en Túnez tomaron la decisión histórica de lanzar la red NO REDD en África y unirse al movimiento mundial en contra de REDD. REDD + es un mecanismo de compensación de carbono por el cual los países industrializados del norte utilizan los bosques, agricultura, suelos e incluso agua como esponjas para su contaminación en lugar de reducir sus emisiones de gases de efecto invernadero en la fuente. “REDD ya no es una falsa solución, si no una nueva forma de colonialismo” denunció Nnimmo Bassey, ganador de un premio Nobel alternativo y ex director ejecutivo de Environmental Rights Action/ Amigos de la Tierra Nigeria. “En África, REDD+ está emergiendo como una nueva forma de colonialismo, subyugación económica y un motor para el despojo de tierras tan grande que podría constituir un despojo de tierras continental. Lanzamos la red No REDD en África para defender el continente del colonialismo del carbono”. En el marco del documento de las Naciones Unidas sobre REDD, la propia ONU reconoce que REDD podría resultar en un “encerramiento de los bosques” “perdida de tierra” y “nuevos riegos para la población pobre”. REDD originariamente solo incluía bosques pero su alcance se ha ido extendiendo hasta incluir suelos y agricultura. En una de las conferencias del Foro Mundial de Túnez, miembros de la Vía Campesina, el mayor movimiento campesino mundial, expresaban sus preocupaciones en cuanto a que los proyectos REDD en África amenazaran la seguridad alimentaria y eventualmente agravar el problema del hambre. Continue lendo… ‘África se une en contra de una nueva forma de colonialismo’» categorias Racismo Ambiental | tags ÁfricacolonialismodesmatamentoneocolonizaçãoREDDsaúde e meio ambienteterritório

Aldeia Maracanã ou com quantos extermínios se (des)faz um país

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services5 Urutau Guajajara e Anagé Aruak (chorando) durante a desocupação da Aldeia Maracanã. Foto: Orlando Callheiros/ Coletivo CAUIM VIOMUNDO – Com efeito, além dos massacres e das epidemias, além dessa singular selvageria que o Ocidente traz consigo, há, ao que parece, imanente à nossa civilização, e constituindo a “escura metade das sombras” onde se alimenta sua luz, a muito notável intolerância da civilização ocidental diante de civilizações diferentes, sua incapacidade de reconhecer e aceitar o Outro como tal, sua recusa em deixar subsistir aquilo que não lhe é idêntico (Pierre Clastres, “Entre silêncio e diálogo”) Continue lendo… ‘Aldeia Maracanã ou com quantos extermínios se (des)faz um país’» categorias Racismo Ambiental | tags Convenção 169direito à cidadeíndios urbanosmonoculturaspovos indígenasterritórioviolência

Abril Indígena em Rondônia e Mato Grosso foca nos direitos constitucionais indígenas

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services3CIMI – Entre os dias 09 e 11 de abril, com o tema “O grito dos povos indígenas pela garantia dos direitos constitucionais”, foi realizado o Abril Indígena Regional, em Porto Velho (RO). Sessenta participantes representaram os povos Aikanã, Arara, Gavião, Karitiana, Kanoé, Latundê, Mamaindê, Kwaza, Wayoro, Puruborá, Sakyrabiar, Guarassugwe, Sabanê, Oro Waram, Oro Mon e Zoró, que vivem em Rondônia e no noroeste do Mato Grosso. Representantes do CIMI, da Pastoral Indigenista de Ji-Paraná, do Conselho de Missão entre os Índios (Comin), do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e do Instituto Madeira Vivo (IMV) também participaram do evento, que aconteceu no Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia (Sintero). Os principais temas discutidos foram os impactos diretos do atual modelo de desenvolvimento nos povos e territórios indígenas, materializados, principalmente, nos mega projetos de infraestrutura, e as proposições legislativas que, atualmente, tramitam no Congresso Nacional, e propõem a retirada de uma série de direitos indígenas historicamente conquistados. Continue lendo… ‘Abril Indígena em Rondônia e Mato Grosso foca nos direitos constitucionais indígenas’» categorias Racismo Ambiental | tags agronegóciobarragens e hidrelétricasdemarcaçõespovos indígenas,territórioviolência

Acusados de irregularidades em licença ambiental da hidrelétrica de Santo Antônio do Jari (PA) são notificados

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services4 Mapa no blogue Jari News Justiça encaminhou ofício pedindo respostas sobre as acusações feitas pelo Ministério Público Federal em ação civil pública Informe do Ministério Público Federal no Pará, publicado pelo  EcoDebate A Justiça Federal já notificou o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e a Ece Participações para que se manifestem sobre irregularidades no licenciamento do projeto da usina hidrelétrica Santo Antônio do Jari, na divisa do Pará com o Amapá. As irregularidades foram apontadas em ação judicial do Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA), que pediu a anulação da licença ambiental. Continue lendo… ‘Acusados de irregularidades em licença ambiental da hidrelétrica de Santo Antônio do Jari (PA) são notificados’» categorias Racismo Ambiental | tags barragens e hidrelétricassaúde e meio ambienteterritório

Joguemos a Constituição no lixo! Kátia Abreu quer posse para latifúndio improdutivo

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services5 Pedro Rafael, do Brasil de Fato A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal analisa projeto de lei (PLS 251/2010) que obriga governadores a executar reintegração de posse, em imóveis urbanos e rurais, no prazo máximo de 15 dias. A proposta classifica como crime de responsabilidade o descumprimento da medida. De autoria da senadora Kátia Abreu (PSD-TO), presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o PLS 251/2010 tramita em regime terminativo na CCJ e, se aprovado, seguirá direto para a Câmara dos Deputados sem necessidade de passar no plenário. Na semana passada, ao ser examinada por quase uma hora na comissão, a proposta foi rechaçada por parlamentares de diversos partidos, inclusive representantes do DEM, PSDB e PMDB. O texto continua nas mãos do relator, senador Sérgio Petecão (PSDAC), aliado de Kátia Abreu, e não tem data para entrar novamente em pauta na comissão. Além de considerarem o prazo “extremamente” apertado, o projeto, na ótica de senadores, especialistas e movimentos sociais ouvidos pelo Brasil de Fato, ignora por completo a determinação constitucional sobre a função social da propriedade. “A senadora Kátia Abreu está se aproveitando do seu cargo para proteger suas próprias fazendas de uma ocupação, onde já foram identificadas situações de trabalho escravo e grilagem de terras”, aponta Alexandre Conceição, da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Continue lendo… ‘Joguemos a Constituição no lixo! Kátia Abreu quer posse para latifúndio improdutivo’» categorias Reforma Agrária | tags agronegóciocrítica ao capitalismofunção social da propriedade,latifúndioruralistasterritório

Ato no Rio relembra o Massacre de Carajás na próxima segunda

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services3 Da Página do MST Na próxima segunda-feira (15), o MST fará um ato no Rio de Janeiro para relembrar os 17 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, com o lema Ato Nacional por Reforma Agrária e Justiça no Campo.  A atividade acontece no auditório da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro da cidade, e contará com a presença de João Pedro Stedile, da coordenação nacional do MST, do senador Lindberg Farias (PT), do deputado estadual Marcelo Freixo (Psol), do jornalista Mario Jakobskind, do jurista e professor da Faculdade de Direito Ibmec/RJ Rubens Casara e da historiadora Virgínia Fontes. Continue lendo… ‘Ato no Rio relembra o Massacre de Carajás na próxima segunda’» categorias Reforma Agrária | tags assassinatosdesapropriaçãoDireitos humanosEldorado dos Carajás,massacreterritórioviolência

Donos de Cori, Emme e Luigi Bertolli terão que explicar escravidão na Assembléia Legislativa de SP

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services3 Interior da oficina onde foram encontrados os trabalhadores escravizados (Foto: Anali Dupré) Diretores do grupo GEP, que também representa a marca GAP no Brasil, terão que prestar esclarecimentos à Comissão de Direitos Humanos por flagrante de escravidão Por Guilherme Zocchio – Repórter Brasil Os diretores da empresa GEP, que detém as marcas Cori, Emme, Luigi Bertolli e que representa a grife internacional GAP no Brasil, terão que prestar esclarecimentos, na próxima quarta-feira (17), à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), devido ao flagrante de trabalho escravo na confecção de roupas que comercializam. A audiência, prevista para as 14h30 no Plenário José Bonifácio, foi convocada pelo deputado estadual Carlos Bezerra Jr. (PSDB), vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e propositor da lei paulista contra a escravidão. Continue lendo… ‘Donos de Cori, Emme e Luigi Bertolli terão que explicar escravidão na Assembléia Legislativa de SP’» categorias Trabalho escravo | tags direito ao trabalho dignoDireitos humanos

Por uma Política Cidadã sobre Drogas

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services4Gilvander Luís Moreira*, para Combate ao Racismo Ambiental A Frente Mineira sobre Drogas e Direitos Humanos (FMDDH) e a Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial (RENILA) divulgam a Carta produzida durante o seminário “Drogas e cidades: pensamentos para uma prática cidadã”, que aconteceu entre os dias 14 a 16 de março, no Centro Universitário Newton Paiva, em Belo Horizonte. CARTA DE BELO HORIZONTE POR UMA POLÍTICA CIDADÃ SOBRE DROGAS 
Os participantes do SEMINÁRIO DROGAS E CIDADES: PENSAMENTOS PARA UMA PRÁTICA CIDADÔ, realizado em Belo Horizonte, nos dias 14 a 16 de março de 2013 declaram:
 1 – como cidadãos, responsáveis e atuantes nas políticas públicas sobre drogas, repudiamos as ações higienistas, violentas e repressivas de tratamento aos usuários de drogas, em especial de crack, levadas a cabo e divulgadas como solução do problema nas grandes cidades, destacadamente no Rio de Janeiro e São Paulo; Continue lendo… ‘Por uma Política Cidadã sobre Drogas’» categorias Direitos humanos | tags drogasPolíticas Públicasprivatização da saúdeviolência

A ditadura não é coisa do passado, aponta Comitê da Verdade do Amazonas

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services2 Por J.Rosha, de Manaus (AM) CIMI – Costumamos ouvir que o povo brasileiro não tem memória. Pode até ser que algumas situações requeiram esforço considerável para recordar determinados eventos. Outros, porém, pelas profundas marcas que deixam, não são facilmente esquecidos. Há quem tenha tentado fazer esquecer a ditadura militar de 50 anos atrás, mas por causa das muitas sequelas que ela deixou está longe de ser “coisa do passado”. Ela ainda é muito presente por, pelo menos, duas situações: pelo grande número de mortos e desaparecidos, e pela inspiração do modelo desenvolvimentista que faz o governo atual repetir fórmulas autoritárias para tratar como certos segmentos da sociedade, sobretudo com os povos indígenas. A ação do Governo Federal contra o povo indígena Munduruku, da região do Tapajós, no Estado do Pará, é um dos casos mais eloquentes da presença desse ‘espírito’ da ditadura no modus operandi dos atuais gestores do estado brasileiro. Hoje, 10/04, pela manhã, no auditório Rio Solimões, do Instituto de Ciências Humanas e Letras – ICHL, da Universidade Federal do Amazonas – Ufam, o Comitê da Verdade do Amazonas promoveu uma mesa redonda da qual participaram jornalistas, indigenistas, acadêmicos e professores para discutir “O Golpe Militar e as ações dos militares no Amazonas”. A mesa era composta por Egon Heck, assessor da Comissão Nacional da Verdade, Elaíze Farias, jornalista; Aloysio Nogueira, professor aposentado da Ufam; Egydio Schwade, indigenista e por Nelson Noronha, representando a Ufam. Continue lendo… ‘A ditadura não é coisa do passado, aponta Comitê da Verdade do Amazonas’» categorias Direito ao Conhecimento | tags assassinatosComissão da VerdadeDireitos humanosditadura,Históriamemóriapovos indígenastorturaviolência

I DialogiCidades: um diálogo entre estudantes, juristas e comunidades acerca dos rumos da cidade de Fortaleza na preparação da Copa de 2014, em 22 de abril

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services3 O Serviço de Assessoria Jurídica Universitária Popular (SAJU) convida para o “I DIALOGICIDADES: um diálogo entre estudantes, juristas e comunidades acerca dos rumos da cidade de Fortaleza na preparação da COPA de 2014″. Vamos levantar nossos cartões vermelhos para todas as violações de Direitos Humanos que nossa cidade vem passando! DATA: 22/04/2013
LOCAL: UNIVERSIDADE DE FORTALEZA, AUDITÓRIO A3 Enviada por Marina Araújo Braz para Combate Racismo Ambiental. categorias Direitos humanos | tags Copa 2014

Uruguai se torna 2º a aprovar casamento gay na América do Sul

comentários Comentários (0) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services3 IHU On-Line – Por 71 votos a favor e 21 contra, a Câmara dos Deputados do Uruguai aprovou nesta quarta-feira o matrimônio igualitário no país, equiparando o casamento entre homossexuais e heterossexuais. O texto ainda precisa ser sancionado pelo presidente José Mujica, que já se pronunciou a favor da medida. A nova lei determina que “o matrimônio civil é a união permanente de duas pessoas de sexos diferentes ou iguais”. O Uruguai é o segundo país na América do Sul a permitir legalmente o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A Argentina foi a primeira da região a aprovar uma lei semelhante, em 2010. Na América Latina, a Cidade do México autorizou casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2009 BBC Brasil No Brasil, o Supremo Tribunal Federal reconheceu em 2011 a união estável entre casais homossexuais. No Estado de São Paulo, desde março cartórios deixaram de exigir autorização judicial para oficializar uniões civis homossexuais. Estados como Bahia, Alagoas, Paraná, Mato Grosso do Sul, Piauí, Sergipe e Ceará têm normativas similares. A lei uruguaia aprovada nesta quarta também estabelece outras mudanças no código civil, como o fim da obrigatoriedade de que o sobrenome paterno anteceda o materno no registro dos nomes dos filhos de um casal. Continue lendo… ‘Uruguai se torna 2º a aprovar casamento gay na América do Sul’» categorias Direitos humanos | tags América Latinacombate à homofobiadireito à felicidade

Ruralistas convocam Gleisi a explicar demarcação indígena

comentários Comentários (1) Por racismoambientalShare on facebookShare on twitterShare on orkutShare on gmailShare on yahoomailShare on hotmailShare on liveShare on googletranslateShare on favoritesShare on print More Sharing Services5 IHU On-Line – A ministra de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti, entrou ontem em campo para tentar contornar a convocação da chefe da Casa Civil, ministra Gleisi Hoffmann, pela Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados Fernando Exman e Daniela Martins – Valor Em um sinal da insatisfação de partidos base aliada, o colegiado convocou Gleisi a dar explicações sobre a identificação e delimitação de terras indígenas no país. O requerimento, de autoria da bancada ruralista, foi aprovado por 25 a 14. Por coincidência, parlamentares da bancada do agronegócio tinham uma reunião ontem à tarde com Ideli para tratar de uma proposta que regulamenta o trabalho dos caminhoneiros. Mas a convocação de Gleisi também foi colocada em pauta. Continue lendo… ‘Ruralistas convocam Gleisi a explicar demarcação indígena’» categorias Racismo Ambiental | tags agronegócioConvenção 169demarcaçõespovos indígenasruralistas,territórioviolência

10 horas atrás

BERMUDES AO 247: “PAGO DO MEU BOLSO A FESTA DO FUX”

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

As reações à denúncia de José Dirceu

por Blog Justiceira de Esquerda 
                                                                                     No Altamiro Borges  Por Ricardo Kotscho, no blog Balaio do Kotscho:

http://pigimprensagolpista.blogspot.com.br/

Depois de acusar de “assédio moral” o ministro Luiz Fux por ter pedido a sua ajuda na nomeação para o Supremo Tribunal Federal, em troca da promessa de absolvição no julgamento do mensalão, o ex-ministro José Dirceu resolveu esperar as reações às suas declarações antes de se manifestar novamente sobre o julgamento, que entra esta semana em sua fase final.
A decisão foi tomada após avaliação da entrevista feita com seus advogados. Na próxima semana, José Dirceu retomará pelo Norte e Nordeste suas viagens pelo país para apresentar os argumentos dos recursos que deverão ser apresentados ao STF nos próximos dias.
“Eu acho que ele já deveria ter se declarado impedido de participar deste julgamento”, disse Dirceu na entrevista aos repórteres Fernando Rodrigues e Monica Bergamo, na “Folha” desta quarta-feira.
Em entrevista que concedeu ao mesmo jornal em dezembro do ano passado, Fux reconheceu que se encontrou com José Dirceu quando estava em campanha por uma vaga no STF, mas negou que tenha prometido absolvê-lo. O ministro havia dito também que não se lembrava de José Dirceu ser um dos réus do mensalão, argumento que o ex-ministro chamou de “tragicômico”.
“Confesso que naquele momento não me lembrei que José Dirceu era réu”, disse Fux na época. Mais tarde, segundo ele, ao ler o processo, Fux teria ficado “estarrecido”.
Na conversa entre os dois, Dirceu conta que afirmou ao ministro: “Eu não quero que o sr. me absolva. Eu quero que o ser vote nos autos. Não é porque não tem prova, não. Eu fiz contraprova porque sou inocente”.
Embora diga que está preparado para ser preso, o ex-ministro garantiu que vai continuar se defendendo na Justiça e promete recorrer até à Comissão Internacional de Direitos Humanos. “Não é que fui condenado sem provas. Não houve crime, sou inocente, me considero um condenado político. Foi um julgamento de exceção, político”.
Luiz Fux mandou um assessor dar o seguinte recado sobre a entrevista de José Dirceu: “Um ministro do Supremo não polemiza com réu”. O ministro Marco Aurélio Mello afirmou que “estas declarações desgastam o Supremo. É tudo muito lamentável”. E o deputado Nazareno Fonteles (PT-PI) já anunciou que vai pedir o impeachment do ministro Luiz Fux. O caso do mensalão ainda parece longe de acabar. Altamiro Borges: As reações à denúncia de José Dirceu Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  29 minutos atrás

BERMUDES AO 247: “PAGO DO MEU BOLSO A FESTA DO FUX”

por Blog Justiceira de Esquerda 

Advogado carioca Sergio Bermudes, que oferecerá festa para centenas de convidados no aniversário de 60 anos de Luiz Fux, e também emprega em seu escritório sua filha Mariana, rechaça a insinuação de que tenha alguma relação privilegiada com o ministro do Supremo Tribunal Federal; sobre a afirmação de Joaquim Barbosa sobre “conluio” entre advogados e juízes, ele foi enfático: “é mais uma das leviandades do ministro Barbosa”; ele afirma que, apesar da festa, Fux terá “total isenção” para votar em causas do seu escritório no STF
11 DE ABRIL DE 2013 
247 – Recentemente, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, afirmou, numa reunião do Conselho Nacional de Justiça, que um dos grandes problemas do Judiciário é o “conluio” entre advogados e juízes. Segundo Barbosa, haveria relações promíscuas entre membros da comunidade forense, contaminando a lisura de decisões judiciais.
Hoje, em sua coluna na Folha de S. Paulo, a jornalista Mônica Bergamo, dá uma nota sobre algo que Barbosa chamaria de “conluio” se o personagem envolvido não fosse o ministro Luiz Fux, um dos seus principais aliados no julgamento da Ação Penal 470, do chamado mensalão. Segundo Mônica Bergamo, o advogado Sergio Bermudes, que emprega em seu escritório Mariana Fux, filha de Luiz Fux e candidata a uma vaga de desembargadora, oferecerá uma festa para mais de 200 convidados em sua residência no próximo dia 26, data do aniversário de 60 anos do ministro. Entre os convidados, estão o governador Sergio Cabral e o prefeito Eduardo Paes.
Procurado pelo 247, Bermudes falou sobre a festa e suas relações com Fux. “Eu vou pagar a festa do meu bolso e a Receita Federal sabe que, depois de 42 anos de trabalho, tenho condições para isso”, disse ele. Bermudes diz ainda que não tem qualquer influência sobre decisões do ministro. “Ele é meu amigo há 40 anos, já foi meu aluno e tem total isenção para votar em qualquer causa do escritório que chegue ao STF”. Bermudes diz ainda que se algum cliente procurá-lo buscando influência será expulso da sala. “Eu considero isso um insulto”.
Bermudes diz ainda que a filha de Fux, Mariana, tem totais condições de se tornar desembargadora. “Parto do pressuposto de que todos os advogados do escritório têm cabedal jurídico para assumir posições importantes no Judiciário”. 
Em seu escritório, Bermudes emprega também Guiomar Mendes, que é esposa do ministro Gilmar Mendes. Por isso mesmo, ele faz questão de rechaçar as insinuações de que mantenha “conluio” com integrantes do Poder Judiciário. “Essa é mais uma das leviandades do ministro Joaquim Barbosa”, diz ele. “Membros da comunidade forense se relacionam entre si. Juízes se relacionam com advogados e não com veterinários”.
O advogado afirma ainda que Fux só deverá se declarar impedido em causas de seu escritório, caso sua filha assine a petição ou se ele, Bermudes, for parte numa eventual ação. “Como somos amigos, ele ficaria impedido; mas isso não o impede de decidir em ações de clientes, seja contra, seja a favor”.
Tanto Fux como Barbosa foram procurados pela reportagem do 247 para que se expressassem sobre a relação com o escritório de Bermudes. Nenhum dos dois quis se pronunciar. http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/98670/Bermudes-ao-247-Pago-do-meu-bolso-a-festa-do-Fux.htm

10 horas atrás

OAB divulga nota contra Joaquim Barbosa em tom inédito

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Uruguai legaliza casamento gay em clima de comoção

por Luis Soares

Em meio a comoção, Uruguai é o 12° país do mundo a aprovar o casamento homossexual. A lei foi oficializada nesta quinta-feira pelo Congresso uruguaio com votação expressiva – 71 dos 92 congressistas

O Uruguai é agora o 12° segundo país do mundo – segundo da América Latina depois da Argentina – a aprovar união civil entre pessoas do mesmo sexo. A lei oficializada nesta quinta-feira (11/04) pelo Congresso foi recebida com entusiasmo e comoção, principalmente por casais homossexuais uruguaios que desejam oficializar a relação. Imagens e reportagens da imprensa uruguaia mostram diversas pessoas aos prantos, comemorando a decisão do governo. “Um dia de festa, promessas, gargalhadas e comoção”, definiu o jornalista uruguaio Leonardo Pereyra, presente no local na hora da votação. casamento gay uruguai Manifestantes celebram a aprovação do casamento gay no parlamento uruguaio (Foto: AFP) Com placas, fantasias e protestos bem-humorados, centenas de pessoas favoráveis à lei se compareceram no Congresso para acompanhar a decisão do governo. A partir de agora, o Estado não vai se referir aos casais com a expressão “marido e mulher” e, sim, cônjuges. A Lei de Casamento Igualitário foi aprovada com o voto a favor de 71 dos 92 parlamentares presentes. A aprovação aconteceu graças à parceria entre o bloco governista de esquerda, o Frente Ampla, e a oposição, que contribuiu com significativo número de votos a favor da lei. “Tenho recebido muitas chamadas de pessoas comovidas. E não consigo imaginar quantas outras não estão também”, afirmou o senador Federico Graña, membro do movimento “Ovelhas Negras”, principal incentivador da lei. Além de autorizar qualquer matrimônio, sem distinção de sexo, a medida também permite a adoção de filhos por casais homossexuais. Outro ponto da lei diz que os casais agora terão autonomia para definir qual será o sobrenome da criança. Entre os casais heterossexuais, existia um acordo para utilizar o nome do pai, a menos que a mãe reclamasse o direito. Leia também

“Além da questão homossexuaL, essa medida muda o papel e a importância da mulher dentro da família e traz uma discussão sobre as tradições patriarcais”, afirma Graña em entrevista ao portal El Observador. Um ponto controverso da lei é em respeito ao direito dos filhos adotados reconhecerem paternidade. Por exemplo, um filho DE duas mulheres terá o direito de procurar seu pai biológico caso haja esse desejo. A exceção à regra é quando for utilizado o método de fertilização “in vitro”, em função do sigilo da identidade dos doadores de esperma. A Igreja Católica se manifestou contrária à decisão. A Conferência Episcopal Uruguaia pediu aos legisladores que se declaram cristãos a não votarem em uma iniciativa que, segundo sua opinião, vai “contra o projeto de Deus”. A Holanda (2003) foi o primeiro país a aprovar o casamento de pessoas do mesmo sexo. Na sequência, vieram Bélgica (2003), Espanha e Canadá (2005), África do Sul (2006), Noruega (2009), Portugal, Islândia e Argentina (2010) e Dinamarca (2012). Também é reconhecido legislativamente esse direito na Cidade do México e seis Estados dos EUA. Opera Mundi O post Uruguai legaliza casamento gay em clima de comoção apareceu primeiro em Pragmatismo Político  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  5 horas atrás

Downloads favoritos do Vaticano incluem pornografia

por Luis Soares

Lista de filmes pornô baixados no Vaticano é divulgada e conta com títulos de temática sadomasoquista, além de filmes com travestis. 90% das pessoas que residem no Vaticano estão conectadas à Igreja Católica

downloads vaticano O Vaticano também faz download pirata, incluindo bastante pornografia. O site Torrent Freak resolveu analisar os downloads do Vaticano. O resultado mostra quais são os filmes e programas de TV favoritos das cerca de 800 pessoas que vivem no menor país do mundo. Dessas 800, mais de 700 são conectados à Igreja Católica: são cardeais, diplomatas da Santa Sé e membros da Guarda Suíça, de acordo com o site oficial do Vaticano. Além de filmes comuns e seriados de TV, a lista conta com alguns títulos pornô de temática sadomasoquista. No arquivo “WA-27788 Lea Lexis and Krissy Lynn”, por exemplo, WA seriam as iniciais de “whipped ass” (bunda chicoteada) em inglês. A história do longa de sadomasoquismo, de acordo com o site Fleshbot, mostra Lea, uma artista desprezada que busca se vingar de ricos esnobes do mundo da arte ao fazer da crítica Krissy “um exemplo”. Leia também

Outro arquivo da lista aparece catalogado como “TPH-26967 Tiffany Starr and Sheena Shaw”, um filme com travestis onde, novamente segundo o Fleshbot, Sheena acorda sem se lembrar como Tiffany foi parar na sua cama, até que “uma batida firme do órgão sexual de Tiffany ajuda a estimular sua memória”. As iniciais TPH seriam uma sigla para “TS Pussy Hunters” (“Caçadores de Vagina Travestis“). Os outros títulos identificados como pornográficos que aparecem na lista são “RS77_Episode01″, que seria o nome do arquivo do longa “Russian Slaves 77″ (“Escravas Russas 77″). Outro arquivo listado tem o nome “BDSM Sklavin Züchtigung im dunklen Hobbykeller teen fesselspiele”, que traduzido do alemão quer dizer aproximadamente algo como “adolescente brinca com braceletes em punição de escravas na oficina do porão escuro”. downloads vaticano pornô Cena do arquivo arquivo “WA-27788 Lea Lexis and Krissy Lynn”, baixado em IP do Vaticano (Foto: Reprodução) O resto da lista é composto por filmes “normais” como “Simplesmente Amor” e os recentes “O Último Desafio” e “O Acordo”, além de seriados de TV norte-americanos como “Chicago Fire”, “Lightfilelds”, “Touch” e “The Americans”. Entre outras curiosidades da lista está o fato de que poucas músicas são baixadas, sendo uma das poucas exceções o disco “Lego House” de Ed Sheeran. No mesmo endereço de IP está o único jogo baixado da lista, “Mega Airport Madrid X”, da Aerosoft. Revista Galileu e Portal UOL O post Downloads favoritos do Vaticano incluem pornografia apareceu primeiro em Pragmatismo Político  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  8 horas atrás

Por que a mídia brasileira omitiu o Offshore Leaks?

por Luis Soares

As caixas pretas do poder global. É sintomático que nenhum jornal, TV, rádio ou portal de internet brasileiro tenha dado destaque ao Offshore Leaks, considerando-se a participação dos bancos e das transnacionais em sua carteira de anunciantes

Por Antonio Martins, em OutrasPalavras. Imagem: Connor Maguire, The honnest banker-gangster Um facho de luz está iluminando o lado obscuro do poder global desde o início do mês, sem que os jornais brasileiros pareçam interessados em segui-lo. Após 15 meses de trabalho, uma equipe do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, em inglês) começou a publicar reportagens muito constrangedoras sobre os centros financeiros offshore, também conhecidos pelo termo eufemístico de “paraísos fiscais”. Por envolverem políticos e magnatas conhecidos do público, as revelações já estão provocando sobressaltos políticos em países tão diferentes como França (onde caiu o ministro das Finanças), Canadá, Indonésia, Filipinas,VenezuelaRússia e Azerbaijão. O trabalho do ICIJ tem como fonte um vazamento de informações extraordinário. Um operador anônimo, de uma instituição financeira que opera nas Ilhas Virgens britânicas, enviou a Gerard Ryle, diretor do Consórcio, um disco rígido de computador contendo 260 gigabytes de dados – 2,5 milhões de documentos, acumulados ao longo de trinta anos. Em volume, são 160 vezes mais dados que o material vazado, pelo Wikileaks, a partir do Departamento de Estado dos EUA. Por isso, o caso tornou-se internacionalmente conhecido como o “offshore leaks”. Uma equipe de 86 jornalistas, de 37 publicações (nenhuma brasileira…) analisou as informações e está produzindo as reportagens. É possível acompanhá-las, por exemplo, em seções especiais criadas no próprio site do ICIJ, mas também no Guardiande Londres, e no Le Mondede Paris. A importância política dos documentos é proporcional a seu tamanho. Até o momento, estes jornais preferem destacar o lado mais vistoso das revelações: governantes, super-ricos e celebridades que escondem dinheiro em pontos longínquos do planeta, para sonegar impostos. Mas o que já foi publicado permite outra leitura, menos superficial. As praçasoffshore não podem mais ser vistas como ilhas tropicais paradisíacas, para onde flui a riqueza resultante de alguns negócios marginais. Elas são uma engrenagem fundamental no centro do capitalismo contemporâneo. Primeiro, por seu próprio tamanho. Conforme estudos citados pelo ICIJ, os centros offshore acumulam depósitos estimados entre 21 e 31 trilhões de dólares – entre um terço e metade do PIB anual do planeta. Segundo, por sua própria constituição. As ilhotas pitorescas que compõem a galáxia do offshore são apenas a franja (e, num certo sentido, a fachada), numa vasta rede oculta em cujo centro está Londres – a principal praça financeira do mundo. offshore leaks mídia brasileira Offshore Leaks: as caixas pretas do poder global A geografia política de tal rede é descrita — numa entrevista que Outras Palavras publica também hoje — por Nicholas Shaxon, autor de obra recente e fundamental sobre o offshore: Treasure Islands: Uncovering the Damage of Offshore Banking and Tax Havens1. Ele explica: a grande teia do sistema financeiro nas sombras parte da capital britânica e articula-se por meio de dois núcleos intermediários, de onde se estende por todo o planeta. Um dos núcleos tem base em três ilhas do litoral inglês – Jersey, Guernsey e Man – e abre-se para Ásia e África. Outro, baseia-se nas Ilhas Cayman e Bermundas, voltando-se para as Américas. A Grã-Bretanha articula a enorme estrutura de captação de recursos. Mas os Estados Unidos são o principal destino do dinheiro, prossegue Shaxon. Maiores devedores do planeta há décadas, os EUA abriram-se, a partir dos anos 1970, ao mundo offshore. Acostumaram-se a fechar suas contas externas, cronicamente deficitárias, atraindo também dinheiro de origem duvidosa – ao qual oferecem isenções fiscais e proteção legal. Leia também

É neste mundo de finanças ocultas e anonimatos, relata o ICIJ, que escondem e “lavam” (legalizam) seu dinheiro as grandes redes do crime organizado: máfias de distintas nacionalidades, políticos corruptos que se apropriam de recursos públicos, traficantes de seres humanos, beneficiários de caça proibida, escroques de todos os tipos. O esquema é conhecido. Quem precisa dar aparência de legalidade a uma soma obtida por meios ilícitos transfere-a para uma conta bancária offshore. Aproveita-se dos impostos muito baixos cobrados pelos “paraísos fiscais”. Mais tarde, reintroduz o dinheiro no país, na forma de crédito proveniente de uma instituição respeitável, com sede na Suíça, em Luxemburgo ou nas Ilhas Virgens. Quem irá investigar a origem primeira do dinheiro? Mas o circuito que abastece o crime seria insustentável, continua Nicholas Shaxon, sem uma presença luxuosa: a das grandes corporações transnacionais. Praticamente todas as empresas com atuação internacional, relata ele, atuam offshore. Fazê-lo tornou-se quase obrigatório, na dinâmica que a globalização assumiu. Permite evasão sistemática de impostos, explicada na entrevista. A tal ponto que não operar offshore penalizaria as corporações eventualmente dispostas a respeitar seus sistemas tributários nacionais, obrigando-as a cobrar preços superiores aos das concorrentes. Surge, aqui, um primeiro círculo de conveniências e cumplicidades. Se as transnacionais deixassem o circuito offshore, raciocina Shaxon, ele ira tornar-se rapidamente insustentável. Seria uma confraria frágil de milionários fora-da-lei, facilmente denunciável e desmontável. Sua força, e sua suposta honorabilidade, é transferida pelas grandes corporações. Por elas e, é claro, pelos bancos. Quase todas as instituições bancárias importantes, conta a reportagem do ICIJ, têm relações com a rede financeira das sombras. Por meio delas, tornam-se capazes de oferecer aos clientes premium a faculdade de ocultar dinheiro obtido legal ou ilegalmente – e de reintroduzi-lo no país, sempre que necessário. Os bancos chegam a competir entre si, na oferta de serviços eficazes de ocultamento de recursos. Num documento vazado, o Crédit Suisse, com sede em Zurique e representações em todo o mundo (inclusive no Brasil, onde “patrocina” a Orquestra Sinfônica de São Paulo), é descrito como “o Santo Graal” da rede. Os procedimentos que adota nas transferências de recursos são tão “eficientes” – admira-se um operador offshore – que autoridades policiais ou bancárias eventualmente interessadas em descobrir a identidade de um depositante irão “deparar-se com uma muralha blindada”… Mas não se trata de um exemplo isolado. Reportagens do Der Spiegel e do Le Monde estão revelando como instituições “respeitáveis” como o Deutsche Bank (alemão), Banque National de Paris e Paribas (franceses), ING e Amro (holandeses) envolveram-se no esquema. Nem mesmo a crise iniciada em 2008 parece abalar o mundo financeiro clandestino. Segundo o ICIF, entre 2005 e 2010, os depósitos dos 50 maiores bancos do mundo mais que duplicaram, avançando de 5,4 para 12 trilhões de dólares. Este salto ajuda, aliás, a compreender o cenário global em que se alastra o universo offshore; e também o ambiente ideológico que o alimenta. Na última década, a desigualdade espalhou-se pelo mundo (com a exceção notável da América do Sul). Mesmo num país como os Estados Unidos, 400 pessoas detêm tanta riqueza quanto metade da população. O grupo restrito dos ultra-ricos formou o que o filósofo francês Patrick Viveret chamou de uma oligarquia financeira. Esta possível “nova classe” tem enorme poder econômico e político. Deseja ter mãos livres tanto para intervir nas decisões dos Estados nacionais quanto para driblá-las, quando contrariam seus interesses. Vê, numa galáxia financeira opaca, um instrumento extremamente funcional para preservar seus privilégios e ampliar seu poder. É possível enfrentar o universo offshore? Do ponto de vista técnico, não faltam alternativas, explica Nicholas Shaxon. Os fluxos de recursos para os “paraísos fiscais” podem ser limitados tanto por tributação mais elevada – que inibe as transferências – quanto por restrições diretas dos Estados. O difícil, ressalta o autor de Threasury Islands, é enfrentar a força política da oligarquia financeira. Entre os grupos diretamente interessados em manter a situação atual estão banqueiros, grandes empresas, bancadas políticas corruptas e crime organizado. A mídia exerce um papel central na resistência às mudanças. Os jornalistas dos meios tradicionais normalmente sabem muito pouco sobre finanças internacionais, observa Shaxon. Nas raras vezes em que escrevem sobre o tema, recorrem aos “especialistas do mercado financeiro” – precisamente os que mais têm interesse em que nada mude. É sintomático que nenhum jornal, TV, rádio ou portal de internet brasileiro tenha dado destaque ao Offshore Leaks. Considere a participação dos bancos e das transnacionais em sua carteira de anunciantes… Mas é animador que, em todo o mundo, o episódio tenha alcançado tanta repercussão. A crise financeira tornou as sociedades mais críticas. A vida de luxo e ostentação dos altos executivos é vista com desconfiança e desconforto crescentes. Muitos julgam-na uma afronta, diante do empobrecimento de vastos setores sociais. Nunca houve condições tão favoráveis para abrir um debate sobre o assunto. Um sintoma é o fato de você estar lendo este texto, apesar do boicote da mídia brasileira sobre o tema… 1 [Ilhas do Tesouro: revelando os danos dos paraísos fiscais e das finanças “offshore”, infelizmente ainda sem tradução em português – ler verbete na Wikipedia, ou comprar] O post Por que a mídia brasileira omitiu o Offshore Leaks? apareceu primeiro em Pragmatismo Político  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

OAB divulga nota contra Joaquim Barbosa em tom inédito

por Luis Soares

OAB divulga uma dura nota, inédita na história da instituição, dirigida em forma de reprimenda a um integrante da Suprema Corte do Brasil

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil aprovou uma nota pública “refutando e repudiando” as declarações feitas pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, durante encontro com representantes de três associações de magistrados (Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho, Associação dos Magistrados Brasileiros e Associação dos Juízes Federais do Brasil). No início da semana, o presidente do STF criticou a criação de novos tribunais regionais federais, aprovada na semana anterior pelo Congresso Federal. “Pelo que eu vejo, vocês participaram de forma sorrateira na aprovação”, disse o presidente do STF, quando, então, acabou discutindo com o vice-presidente da Ajufe, Ivanir Ireno. nota oab joaquim barbosa OAB divulga nota contra agressão do ministro Joaquim Barbosa (Foto: aBr) Barbosa criticou abertamente o que classificou como intromissão de entidades de classe de juízes na aprovação do texto da Proposta de Emenda Constitucional 544, que criou quatro novos Tribunais Regionais Federais. O presidente do STF chegou a dizer que os TRFs “vão servir para dar emprego para advogados (…) e vão ser criados em resorts, em alguma praia”. “Não faz sentido nem corresponde à relevância do tema supor que a criação de novos Tribunais Regionais Federais objetive de criar empregos, muito menos para os advogados. Em momento algum cuidou-se de favorecimento à classe dos advogados ou de interesses que não fossem os do aprimoramento da Justiça Federal no Brasil”, diz a nota pública divulgada pela OAB.

Leia a nota do Conselho Federal da OAB:

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, durante sessão ordinária realizada nesta data (8/4), tomou conhecimento de declarações do Sr. ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, acerca da Proposta de Emenda Constitucional 544, do ano de 2002, recentemente aprovada pelo Congresso Nacional, que institui quatro novos Tribunais Regionais Federais. Leia também

Tais declarações proferidas em reunião com os presidentes de três associações de magistrados (AMB, Ajufe e Anamatra) reiteram críticas exacerbadas do senhor ministro à criação dos referidos Tribunais. Causam espécie, notadamente, os seguintes trechos de tal pronunciamento: “Os Tribunais vão servir para dar emprego para advogados …”; “e vão ser criados em resorts, em alguma grande praia…”; “foi uma negociação na surdina, sorrateira”. O Conselho Federal da OAB entende do seu dever refutar e repudiar tais declarações, por inexatas, impertinentes e ofensivas à valorosa classe dos advogados. A bem da verdade, a Emenda Constitucional em questão tramita no Congresso Nacional desde o ano de 2002, tendo observado o processo legislativo próprio, revestido da mais ampla publicidade. Além disso, resultou de antiga e legítima aspiração dos jurisdicionados em nosso país e contou com o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil. Ao aprovar a PEC 544/2002, após a realização de audiências públicas e intenso debate parlamentar, o Congresso Nacional exerceu, com ponderáveis e justas razões, o poder constituinte derivado, que lhe é exclusivo e indelegável. Não faz sentido nem corresponde à relevância do tema supor que a criação de novos Tribunais Regionais Federais objetive de criar empregos, muito menos para os advogados. Em momento algum cuidou-se de favorecimento à classe dos advogados ou de interesses que não fossem os do aprimoramento da Justiça Federal no Brasil. O assunto merece ser tratado em outros termos, respeitando-se a independência dos poderes e a dignidade dos órgãos e associações que pugnam pela melhor realização da Justiça no país. Consultor Jurídico O post OAB divulga nota contra Joaquim Barbosa em tom inédito apareceu primeiro em Pragmatismo Político  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

Reforma Política fracassa mais uma vez na Câmara

por Luis Soares

Projeto de reforma política naufraga mais uma vez na Câmara. Proposta não obtém consenso mínimo entre lideranças partidárias; PT vai agora tentar projeto de iniciativa popular para garantir financiamento público e voto em lista

Sem acordo mínimo entre as lideranças partidárias da Câmara dos Deputados, o projeto que trata da reforma política foi mais uma vez engavetado. Em gestação há dois anos, o projeto previa, entre outros pontos, o financiamento público exclusivo de campanha eleitorais, o voto em lista para deputados e vereadores e o fim das coligações nas eleições proporcionais. reforma política câmara Projeto de Reforma Política fracassa mais uma vez no Congresso Nacional. Líderes não chegaram a consenso. PT pretende alavancar projeto de iniciativa popular para garantir financiamento público e voto em lista. A objetivo de tais propostas, segundo o deputado Henrique Fontana (PT-RS), era reduzir o poder de grandes grupos econômicos sobre as eelições, o parlamento e os governos, bem como fortalecer os partidos e seus programas. Mas em reunião realizada ontem a maioria dos líderes concordou com apenas um ponto menor, que trata da coincidência de datas nas eleições. Esse ponto consta da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 3, de 1999, que seria levada à votação. A bancada do PT, porém, decidiu por unanimidade obstruir a votação. “O PT quer votar a reforma e não fazer um arremedo de reforma. Para nós, o financiamento público, o voto em lista, e o aumento da participação popular com fortalecimento do referendo são elementos centrais se quisermos de fato fazer uma reforma profunda”, defendeu o líder do PT, deputado José Guimarães (CE). Ele disse ainda que, além da obstrução, a bancada do PT vai defender a posição do partido porque entende que é o melhor caminho para o país. “Mas não iremos votar a coincidência de mandatos”, declarou. O relator Henrique Fontana lamentou o posicionamento da maioria dos líderes contra o financiamento público. Segundo ele, a distorção que o financiamento privado causa à igualdade na disputa eleitoral pode ser exemplificada com a constatação de que apenas 200 grandes financiadores bancam a maior parte dos recursos gastos durante as eleições no País. “Esses grandes financiadores não fazem isso para fortalecer a democracia. O montante gasto por eles é embutido no custo dos serviços ou produtos e, no final, a população paga a conta”, disse. Ele disse, por outro lado, que a mobilização popular pode reverter a situação em favor da reforma política. “O caminho é mobilizar a sociedade para vencer o conservadorismo do parlamento”, sugeriu. As lideranças favoráveis à votação apenas da PEC sobre a coincidência de datas eleitorais t3entarão colocá-la em votação novamente hoje (10).

Iniciativa popular

Com o naufrágio do reforma relatada por Fontana, o PT anunciou que irá às ruas colher assinaturas que ela seja reapresentada em forma de projeto de iniciativa popular. A ideia é coletar mais de 1 milhão de assinaturas. O líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), concorda com a análise de uma proposta de iniciativa popular, desde que trate de alguns pontos específicos. “Seria o caso de ter uma iniciativa popular, mas desde que a prioridade fosse a lista preordenada junto com o financiamento. Mas não inverter essa prioridade, porque não podemos contaminar dinheiro público com caixa 2.” Apesar da redução no conteúdo da reforma política, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, avaliou que a votação da coincidência de eleições seria “o primeiro passo” para mudanças mais amplas do sistema político eleitoral. Alves, porém, se disse frustrado com a não votação. “Já estou cansado de esperar consenso sobre a reforma política. É hora de começar a votar. A Casa não pode ficar a vida inteira empurrando com a barriga esse assunto.” Rede Brasil Atual, com Agência Câmara O post Reforma Política fracassa mais uma vez na Câmara apareceu primeiro em Pragmatismo Político  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

Pregação de Feliciano sobre John Lennon vira notícia internacional

por Luis Soares

Pregação do deputado Marco Feliciano sobre morte de John Lennon vira notícia internacional

Um vídeo que mostra o pastor e deputado federal Marco Feliciano explicando que a morte de John Lennon teria sido provocada por castigo divino anda provocando polêmica não apenas no Brasil. Jornais australianos como o The Herald, o tabloide de maior circulação diária no país, e o The Australian publicaram a notícia, divulgada internacionalmente pela agência AFP. “Ira de Deus matou John Lennon, diz pastor brasileiro evangélico Marco Feliciano”, publicou o The Herald. “John Lennon morreu por ira divina, diz pastor brasileiro”, noticiou o The Australian. Outros sites reproduziram a nota – uma pesquisa no Google pelo tema mostra que mais de 30 publicações internacionais repercutiram a pregação de Feliciano, que preside a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Assista ao vídeo, que já foi clicado quase 600 mil vezes no YouTube: Na gravação de um programa de TV, o político afirma que o assassinato do ex-beatle, em 1980, teria ocorrido porque o compositor havia afirmado que sua banda era mais famosa que Jesus Cristo. “John Lennon chegou uma dia diante das câmeras, bateu no peito e disse: ‘os Beatles são mais populares do que Jesus Cristo’. Jesus não era popstar como ele, mas sim o mestre de uma grande religião. John Lennon estava olhando pras câmeras, dizendo ‘Nós Beatles somos uma nova religião’. A minha Bíblia diz que Deus não recebe esse tipo de afronta e fica impune.”, ele disse. feliciano john lennon Em novo vídeo, Marco Feliciano atribui sucesso de Caetano Veloso a pacto com o Diabo. Assista abaixo. (Foto: Divulgação) No início da semana, um vídeo em que Feliciano aparece explicando a morte dos integrantes do grupo Mamonas Assassinas também provocou polêmica (o motivo, no caso, também teria sido “ira divina”). Leia também

Em novo vídeo que circula na web, Feliciano insinua que Caetano Veloso e Lady Gaga fizeram pacto com o demônio. Veja:  O deputado provoca polêmica com declarações que são consideradas homofóbicas e racistas. É alvo de protestos de artistas e celebridades (como Daniela Mercury e Bruno Gagliasso), que se manifestam contra a permanência de Feliciano no cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos. A campanha Marco Feliciano não me Representa ganha força na web. Tiago Faria, BlogsPop O post Pregação de Feliciano sobre John Lennon vira notícia internacional apareceu primeiro em Pragmatismo Político

10 horas atrás

MP-SC vai apurar se monumento à Bíblia é inconstitucional

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

MP-SC vai apurar se monumento à Bíblia é inconstitucional

por Paulo Lopes Deschamps sancionou projeto quealoca funcionários da prefeitura O Ministério Público de Santa Catarina instaurou inquérito público para apurar a possível inconstitucionalidade de uma lei de 2011 de…

[[ This is a content summary only. Visit my website for full links, other content, and more! ]]  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  5 horas atrás

Igrejas do RS obtêm isenção de ICMS em contas de luz e telefone

por Paulo Lopes Tarso não informou quanto o Estado deixaráde arrecadar com a concessão do privilégio O governador petista Tarso Genro (foto), do Rio Grande do Sul, sancionou lei que concede isenção de ICMS (Imposto…

[[ This is a content summary only. Visit my website for full links, other content, and more! ]]  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  7 horas atrás

Caetano Veloso tem pacto com diabo, diz Feliciano em culto

por Paulo Lopes Pastor disse que desvendou o’segredo’ do sucesso do cantor Caetano Veloso (foto) faz sucesso porque tem um pacto com o diabo, e um exemplo disso é a gravação da música “Sozinho”, que em pouco tempo…

[[ This is a content summary only. Visit my website for full links, other content, and more! ]]  Compartilhar  Marcar como lido  Curtir  8 horas atrás

Papa vai tentar conter avanço dos evangélicos no Brasil

por Paulo Lopes por Eva Saiz do jornal El Pais Papa argentino terá forteatuação na América Latina A eleição há quase um mês do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio como novo papa da Igreja Católica chamou…

[[ This is a content summary only. Visit my website for full links, other content, and more! ]]  Compartilhar  Marcar como lido  Curtir

O dono da Louis Vuitton decidiu continuar a ser francês

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

O dono da Louis Vuitton decidiu continuar a ser francês

PAULO NOGUEIRA 11 DE ABRIL DE 2013 12 Bernard Arnault anuncia que desistiu de virar belga para fugir dos impostos na França.  Arnault 
Some, rico imbecil! A manchete de hoje do jornal francês Libération reverberou por toda a Europa, em setembro passado. O alvo foi o homem mais rico do país, Bernard Arnault, dono de um império que inclui marcas como a Louis Vuitton. A raiva do Libération, e de milhões de franceses que o chamaram de parasita e outras coisas do gênero, derivou da informação de que Arnault estava pedindo cidadania belga no exato instante em que o presidente François Hollande fez o que tinha prometido fazer para reduzir a iniquidade social no país e melhorar as contas públicas: aumentar temporariamente os impostos de quem ganha acima de 1 milhāo de euros por ano. Pois Arnault decidiu não sumir. Ele anunciou esta semana que desistiu do refúgio belga. A repercussão negativa o fez suspeitar que a imagem de suas marcas pudesse ser prejudicada com seu gesto nada patriótico. Entendo o Libération. Você não constrói, ou reconstrói, um país com pessoas que colocam seus interesses pessoais acima de tudo. Ao contrário. Você descontrói. Os Estados Unidos são uma demonstração pungente disso. A florescente Escandinávia, onde o interesse público vem na frente do interesse privado, estaria em pedaços se seus empresários e milionários tivessem a têmpera de Bernard Arnault. Não. Lá se criou um consenso segundo o qual impostos elevados são a contribuição indispensável de corporações e ricos para a manutenção de uma sociedade avançadíssima. Há, nos países economicamente mais encrencados do ocidente, uma enorme confusão no quesito taxação. Pouco antes das eleições francesas, o premiê britânico David Cameron disse, sorrindo, que estenderia um tapete vermelho aos empreendedores locais que desejassem escapar de Hollande. Cameron mal pusera ponto final em sua frase quando seu governo anunciou a intenção de combater severamente a chamada evasão legalizada – e amoral – de impostos. Um comediante célebre foi exposto ao desprezo e escárnio da opinião pública quando se soube que ele usara um truque para pagar um imposto irrisório. O próprio Cameron o repreendeu. É hora de trazer transparência à discussão de impostos também no Brasil. Não há nada mais importante, neste campo, do que construir um consenso como fez a Escandinávia. Durante muitos anos, o assim chamado Custo Brasil – tão propagado pela mídia – não serviu senão para encobrir a inépcia administrativa de empresas protegidas durante décadas por reserva de mercado e depois expostas à competição. Quanto grandes empresas nacionais se adestraram na arte do planejamento fiscal  pode ser avaliado pa informação recentemente veiculada pela seção Radar da Veja segundo a qual a Receita está cobrando na Justiça as Organizações Globo por uma dívida multibilionária. Dilma não tem o direito de ser ingênua aí. Que ela se inspire nos escandinavos. A complacência fiscal — da qual se beneficiam os poderosos, porque os assalariados não têm o que fazer — é a receita da iniquidade social e da ruína econômica de um país. ^Topo TAGS » Bernard ArnaultdcmFrançois HollandeImpostos devidos pela GloboLouis Vuitton Postado em » Economia 

Sobre o autor: Paulo NogueiraVeja todos os posts do autor Paulo Nogueira

O jornalista Paulo Nogueira, baseado em Londres, é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

Related »

O novo vídeo da coleção de outono Louis Vuitton é acusado de promover a prostituição

O novo vídeo da coleção de outono Louis Vuitton é acusado de promover a prostituição

Depardieu traiu Danton e a França

Depardieu traiu Danton e a França

O significado da vitória de François Hollande

O significado da vitória de François Hollande

“Vive la gauche!”

“Vive la gauche!”

21 minutos atrás

A verdadeira história da arca de Noé

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

A verdadeira história da arca de Noé

KIKO NOGUEIRA 11 DE ABRIL DE 2013 0  ^Topo TAGS » arca de noéhumorPorta dos Fundos Postado em » Video do dia 

Sobre o autor: Kiko NogueiraVeja todos os posts do autor Kiko Nogueira

Diretor-adjunto do Diário do Centro do Mundo. Jornalista e músico. Foi fundador e diretor de redação da Revista Alfa; editor da Veja São Paulo; diretor de redação da Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas. 
Twitter –

Related »

Sai daí, Adnet, antes que o Zorra Total te pegue

Sai daí, Adnet, antes que o Zorra Total te pegue

Como lidar com o namorado da sua filha adolescente

Como lidar com o namorado da sua filha adolescente

Por que Louis CK é tido como o melhor comediante do mundo hoje

Por que Louis CK é tido como o melhor comediante do mundo hoje

Como ganhar US$ 33 milhões por ano fazendo piadas

Como ganhar US$ 33 milhões por ano fazendo piadas

24 minutos atrás

Ministra Helena Chagas é chamada a explicar apoio maciço à mídia conservadora

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Charge do Bessinha

por Nogueira Junior 
  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  8 horas atrás

Ministra Helena Chagas é chamada a explicar apoio maciço à mídia conservadora

por Nogueira Junior

Helena Chagas é a secretária de Comunicação Social da Presidência da República

Correio do Brasil   “A ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas, recebeu na manhã desta quinta-feira o requerimento do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), protocolado na véspera, junto ao Gabinete da Liderança do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, para que ela explique aos parlamentares petistas os critérios utilizados para o direcionamento da mídia publicitária do Governo Federal. No documento, Pimenta solicita a realização de um seminário, em data a ser definida, sobre a Democratização dos Meios de Comunicação no Brasil e que, além da ministra Helena Chagas, também sejam convidados representantes de blogueiros, das rádios comunitárias, além de representante das mídias regionais do Brasil.

– Quero levar para dentro da bancada do PT este debate. Já estamos há mais de 10 anos com Governos populares neste país, com o presidente (Luiz Inácio) Lula (da Silva) e agora com a presidenta Dilma (Rousseff), mas em praticamente nada se alterou a concentração das verbas publicitárias do Governo Federal para os grandes meios de comunicação, em detrimento de uma política de afirmação de uma mídia regional e de formas alternativas de informação – criticou Pimenta.” Matéria Completa, ::AQUI::   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  8 horas atrás

Bermudes ao 247: “Pago do meu bolso a festa do Fux”

por Nogueira Junior 
Advogado carioca Sergio Bermudes, que oferecerá festa para centenas de convidados no aniversário de 60 anos de Luiz Fux, e também emprega em seu escritório sua filha Mariana, rechaça a insinuação de que tenha alguma relação privilegiada com o ministro do Supremo Tribunal Federal; sobre a afirmação de Joaquim Barbosa sobre “conluio” entre advogados e juízes, ele foi enfático: “é mais uma das leviandades do ministro Barbosa”; ele afirma que, apesar da festa, Fux terá “total isenção” para votar em causas do seu escritório no STF
Brasil 247
Recentemente, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, afirmou, numa reunião do Conselho Nacional de Justiça, que um dos grandes problemas do Judiciário é o “conluio” entre advogados e juízes. Segundo Barbosa, haveria relações promíscuas entre membros da comunidade forense, contaminando a lisura de decisões judiciais.
Hoje, em sua coluna na Folha de S. Paulo, a jornalista Mônica Bergamo, dá uma nota sobre algo que Barbosa chamaria de “conluio” se o personagem envolvido não fosse o ministro Luiz Fux, um dos seus principais aliados no julgamento da Ação Penal 470, do chamado mensalão. Segundo Mônica Bergamo, o advogado Sergio Bermudes, que emprega em seu escritório Mariana Fux, filha de Luiz Fux e candidata a uma vaga de desembargadora, oferecerá uma festa para mais de 200 convidados em sua residência no próximo dia 26, data do aniversário de 60 anos do ministro. Entre os convidados, estão o governador Sergio Cabral e o prefeito Eduardo Paes.” Matéria Completa, ::AQUI::   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

O colar de tomates de Ana Maria Braga

por Nogueira Junior 
Altamiro Borges, Blog do Miro
“A desavergonhada campanha da TV Globo pelo aumento da taxa de juros ganhou ontem uma nova adesão. A apresentadora Ana Maria Braga, a mesma que protagonizou em 2007 o movimento direitista “Cansei” pelo impeachment de Lula, apareceu no seu programa matinal “Mais você” vestindo um colar de tomates. Patética, ela ironizou que o produto é “uma joia”, seguindo a linha de ataque da poderosa emissora ao novo perigo vermelho que ameaça descontrolar a inflação e jogar o país no caos completo.
A pressão da mídia rentista pela alta dos juros é implacável. Ela tem como alvo imediato a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, marcada para 16 e 17 de abril. Os bancos privados, com seus bilionários anúncios publicitários nos jornais, revistas, rádios e tevês, devem estar gratos pelo empenho. Neste bombardeio são acionados alguns jornalistas e “analistas de mercado” – nome fictício dos porta-vozes dos agiotas do capital financeiro. E agora também entrou em campo a eterna “cansada”.
O irônico é que no mesmo dia em que Ana Maria Braga usou o seu ridículo colar de tomates, a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) informou que o preço do produto sofreu uma queda no preço de 43%. Segundo Mauro Zafalon, do UOL, “pisoteado nas últimas semanas, o tomate deverá ser esquecido a partir de agora. A oferta melhora, e os preços começam a voltar ao normal… O tomate viveu nos últimos meses um período de incertezas agrícolas, muito comum a vários produtos do setor”.
A notícia confirma o que muitos já desconfiavam. A mídia rentista aproveitou a alta sazonal do preço do tomate para fazer terrorismo pelo aumento dos juros. Até a colunista Miriam Leitão, uma arqui-inimiga do governo Dilma, reconheceu ontem no próprio O Globo que o recente aumento da inflação é um fenômeno momentâneo. Da próxima vez que for usar o seu programa numa concessão pública de radiodifusão para fazer política, ao invés do colar de tomates Ana Maria Braga poderia pendurar umas melancias no pescoço!”   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

PV e PPS acabam com o bloco partidário na Câmara dos Deputados

por Nogueira Junior 
Iolando Lourenço, Agência Brasil
“O bloco partidário formado pelo PV e pelo PPS na Câmara, em 31 de janeiro de 2011, foi desfeito hoje (11), de comum acordo entre os líderes dos dois partidos, deputados Rubens Bueno (PPS-PR) e Sarney Filho (PV-MA). A decisão dos dois líderes já foi comunicada à Mesa Diretora da Casa. Com o bloco parlamentar, os partidos conseguiam maior espaço na formação das comissões técnicas da Câmara.
O PPS tem 11 deputados federais e o PV, 10. Os dois juntos tinham uma bancada de 21 deputados e, com isso, tiveram direito a escolher a presidência de uma comissão técnica, a do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, que é presidida pelo deputado Penna (PV-SP). O primeiro vice-presidente é o deputado Sarney Filho e o segundo é o deputado do PPS Arnaldo Jordy (PA). 
Ao desfazer o bloco, o deputado Rubens Bueno disse que tanto o PPS como o PV têm  projetos próprios para as eleições do ano que vem e que não haviam justificativa de continuarem juntos em bloco partidário.  “O PV está em busca de candidatura própria a presidente e o PPS também trabalha com seu projeto oposicionista para disputar o Planalto. Achamos melhor cada partido tocar o seu projeto de forma independente, buscando maior visibilidade e construindo projetos para 2014”,  disse o deputado Rubens Bueno.” 

26 minutos atrás

Brasil tem nova chance de relação especial com EUA

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Brasil tem nova chance de relação especial com EUA

: Encontro costurado entre os presidentes Barack Obama e Dilma Rousseff, nos Estados Unidos, ganha status especial, com direito a tapete vermelho, jantar formal na Casa Branca e cerimônia militar; é a primeira vez que isso acontece em quase duas décadas e pode sinalizar um recomeço nas relações Brasil-EUA, que estiveram congeladas nos últimos anos; na prática, é um reconhecimento do novo peso regional do Brasil e um espaço para reivindicações como a vaga no Conselho de Segurança   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Maluf terá que devolver US$ 28,3 milhões a SP

: Justiça de Jersey nega recursos apresentados pelo ex-prefeito e os valores serão restituídos à prefeitura comandada por Fernando Haddad; na ação, a cidade argumentou que o dinheiro, que está em contas no exterior de empresas da família Maluf, veio de propinas pagas em um esquema de fraudes para desvio de recursos durante a construção da Avenida Roberto Marinho   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  11 horas atrás

Garotinho promete reestatizar o Maracanã

: “Quando eu ganhar a eleição podem ter certeza que o Maracanã voltará a ser público”, publicou o deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) em seu blog; ele comentava nota do colunista da Veja Lauro Jardim, que disse ser improvável que Garotinho consiga se eleger governador do Rio em 2014   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  11 horas atrás

Noblat: Fux reforça suspeita de que Dirceu diz verdade

: “Ao preferir o silêncio em tais circunstâncias, Fux só reforça a suspeita de que Dirceu disse a verdade”, diz o blogueiro Ricardo Noblat ao comentar a entrevista que o ex-ministro José Dirceu deu à Folha de S.Paulo; depois de Dirceu dizer que Fux o procurou durante campanha para ser indicado ao STF, o ministro mandou dizer que “não polemiza com réu”   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  12 horas atrás

“PPS não tem perspectiva de candidatura de Serra”

: Segundo o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, a ideia do PPS ao convidar o ex-governador de São Paulo para seu projeto “é de que Serra possa vir a ser uma grande liderança no Sul e no Sudeste para ajudar a consolidação de Eduardo Campos”; deputado federal deixou claro sua preferência para 2014   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  12 horas atrás

Megaoperação contra corrupção foi política?

: É o que dizem advogados criminalistas sobre a operação integrada do Ministério Público Federal que prendeu 93 pessoas em 12 estados por diversos crimes nesta semana; “Essa megaoperação foi feita por conta e ordem da discussão da PEC 37 [que propõe reservar à polícia o poder de investigação]. Utilizaram o poder repressivo para satisfação de seus interesses corporativos”; critica Alberto Toron; procurador-geral da República, Roberto Gurgel disse que a ação mostrou à sociedade como a aprovação da PEC 37 pode prejudicar o País; delegados da PF lamentaram “utilização demagógica e política do Ministério Público”   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

“Temos falhas também”, afirma Goretti Reis, sobre Saúde de Aracaju

: Em apresentação na Câmara de Vereadores, secretária da Saúde da capital reafirmou existência de mais de R$ 60 milhões em dívidas,  falou da falta de medicamentos, do não cumprimento de cirurgias e da possibilidade de perda de recursos federais para construção de novos postos de saúde por falta de terrenos; Goretti disse que é preciso deixar os problemas da gestão anterior no passado e começar a enfrentar as demandas do presente; “temos que otimizar custos e buscar novas alternativas de financiamento”, frisou 

26 minutos atrás

Marin e a ala radical da ditadura

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Marin e a ala radical da ditadura

por noreply@blogger.com (Miro) Da revista CartaCapital:

Abertos para a consulta pública desde 1º de abril, os arquivos do Dops (Departamento de Ordem Política e Social) começam a trazer à tona as primeiras revelações inconvenientes que relacionam personalidades públicas e políticas à ditadura. A primeira vítima dos documentos militares é o atual presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e do COL (Comitê Organizador Local), José Maria Marin, conforme levantamento dos repórteres Aiuri Rebello e Rodrigo Mattos, do portal UOL.

Segundo a reportagem, os documentos analisados comprovam que Marin teve ligação com a ala mais radical do governo militar, além de possuir conexões com órgãos de vigilância e de repressão e de ter feito elogios ao regime. A fonte das informações são os arquivos do Dops, do SNI (Sistema Nacional de Informação) – ambos órgãos que reuniam as investigações do regime – e da Assembleia Legislativa.

Carreira política

A reportagem lembra que Marin estreou no mundo político com 31 anos, sob o cargo de vereador da cidade de São Paulo, em 1964, pouco antes do golpe militar. Meses depois, o cartola abandonou o partido ao qual era filiado, o PRP (Partido de Representação Popular), para unir-se em 1966 à Arena (Aliança Renovadora Nacional), partido da ditadura.

Este foi o início de sua ascensão sob a tutela e apoio da ala radical da ditadura. Do lado do regime, Marin foi alçado à presidência da Câmara de Vereadores graças a manobras nos bastidores do Ministério da Justiça, cujo titular era Gama e Silva, e de militares, segundo os documentos do SNI. Gama e Silva foi o jurista responsável por redigir o AI-5 (Ato Institucional-nº 5), medida que cassou direitos políticos e instituiu o período mais negro da ditadura no fim de 1968.

Sempre segundo o UOL, a análise dos documentos do SNI descreve os caminhos de Marin na Câmara e o que seus companheiros parlamentares pensavam da atuação do atual dirigente esportivo: “[Marin] É considerado fraco por seus pares. Consta que sua candidatura tem apoio de círculos militares e de elementos ligados ao ministro da Justiça.” E, depois, o organismo analisou seu trabalho à frente da Câmara: “todos os atos de Marin (…) são “sugeridos” pelo esquema que o elegeu presidente da Casa”.

Aliado fiel

Os documentos, tanto no SNI quando no Dops, também mostram que não houve registro de atitude “subversiva” da parte de Marin. O comportamento regrado do político era visto como fidelidade ao regime e, com isso, não demorou para Marin ascender na política durante a ditadura.

Outro movimento político chave para Marin, segundo apurou o UOL, foi a troca de correntes entre os governistas. De acordo com os registros, o presidente da CBF traiu Luis Roberto Alves da Costa, que o levara à presidência da Câmara dos Vereadores, para se aliar ao prefeito biônico Paulo Maluf. Irritado com a traição, Alves da Costa tentou trabalhar contra Marin, sugerindo até a cassação de seu mandato, o que nunca ocorreu.

Os arquivos também mostram que Marin seguiu próximo ao regime nos anos seguintes, tendo participado da posse do general Emilio Garrastazu Médici, que depois virou presidente, no comando do III Exército.

Morte de Herzog

Já em 1975, o político fez dois discursos pedindo providências sobre a TV Cultura. Ele dizia que algumas reportagens não retratavam corretamente o governo e causavam “intranquilidade” nos lares paulistas. Pouco depois, o jornalista da emissora Vladimir Herzog foi preso e assassinado pelo DOI-Codi, organismo de repressão.

Um ano depois, na Assembleia, Marin elogiou o delegado Sergio Paranhos Fleury, um dos líderes do instrumento de repressão do Dops, onde Herzog morreu. “Não só honra à polícia de São Paulo, como também há muito é motivo de orgulho inclusive à população de São Paulo”, discursou.

Para Marin, os benefícios do golpe eram “indiscutíveis”, não podendo restar dúvida sobre isso.

Com esse discurso, ele se tornou vice-governador pela Arena, em 1978, na chapa encabeçada por seu antigo aliado Paulo Maluf.

Os indícios de sua ligação com aspectos mais truculentos do regime não cessaram como mostra um relatório do CISA (Inteligência da Aeronáutica), de 1980, sobre assalto ao jurista Dalmo Dallari Gama.

Reconhecido defensor da democracia, Dallari foi espancado e acusou um grupo paramilitar de direita como responsável pela ação. Segundo ele, o então vice-governado tinha ligações com a agressão. O político negou e prometeu que o Dops, o órgão acusado de repressão na década de 1970, iria apurar o caso.

Já como governador, após a renúncia de Maluf, Marin passou a ser protegidos por policiais do Dops. O departamento de polícia registrou cada viagem ou participação do político em eventos públicos, como revelam os boletins do órgão. O objetivo era identificar se havia protestos contra o governador e contra o regime.

Questionado pelo UOL Esporte sobre os fatos relatados nos arquivos da ditadura, Marin se negou a falar sobre o assunto. Em texto à Folha de S. Paulo, publicado na quarta-feira 10, afirmou que era do partido do governo, mas que era “sabido por todos (…) que os deputados não tinham o menor poder sobre os órgãos do Estado”. E completou: ”Ninguém deve negar a própria biografia. E a minha vida pública sempre foi (…) pautada pelos princípios republicanos que até hoje me guiam”, disse, afirmando ter aprendido que “liberdade e justiça” devem andar juntas.

O atual presidente da CBF ainda ressaltou que, como governador, extinguiu o Dops de São Paulo.  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  7 horas atrás

A festa da democracia em Caracas

por noreply@blogger.com (Miro) Por Renata Mielli, de Caracas, no blog ComunicaSul:
Nesta quinta-feira, o povo venezuelano mostrou ao mundo que as lideranças políticas são fundamentais, mas que a consciência forjada em 14 anos de revolução bolivariana é a base da formação do principal protagonista do processo político em curso na Venezuela: o povo.

E foi este povo que ocupou dezenas de quilômetros de ruas e avenidas de Caracas para demonstrar seu apoio irrestrito à revolução, sua lealdade ao Comandante Hugo Chávez e gritar bem alto que “Chávez, te lo juro, mi voto és pá Maduro”.

Desde muito cedo, por volta das 5 horas da manhã, carros percorriam as ruas da cidade tocando músicas tanto da campanha de Chávez como da de Maduro. Sete das principais avenidas da capital foram tomadas por uma avalanche de pessoas vestindo vermelho, festejando com alegria as conquistas que foram alcançadas pela revolução. No metrô, repleto de chavistas, gritavam: viva, viva, viva a Pátria Socialista! Entre os vários adereços da campanha, um sobressaía: o bigode de Maduro. Em pinturas nos muros, nos rostos de homens e mulheres.

O mesmo carinho que o povo dedicava à Hugo Chávez, estava visível nos rostos das pessoas neste dia. Maduro, percorreu as avenidas num carro aberto, cumprimentando a população, até chegar ao palco principal do Ato de Encerramento da campanha, na Avenida Bolívar. Antes do discurso de Maduro, vários artistas se apresentaram. Diego Maradona estava presente e deixou sua saudação, levantando a multidão.

Entre os oradores, o governador do Estado de Barinas, Adan Chávez, irmão de Hugo Chávez, reiterou o seu apoio à Maduro. No palco, ao lado de Nicolás Maduro, as filhas e o neto de Chávez, que têm acompanhado o presidente por toda a Venezuela.

As lágrimas e o sorriso se misturaram nos rostos de todos, quando um vídeo do último comício de campanha de Chávez – a última aparição pública do ex-presidente – foi mostrado no telão do palco principal. O Comandante cantava o hino nacional, sob a chuva que banhou a cidade naquele dia. Neste momento, um coro de centenas de milhares de pessoas acompanhou o ex-presidente.

O ato de encerramento de campanha terminou depois das 20 horas. O povo continuou nas ruas, cantando e dançando noite a dentro.  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  7 horas atrás

Entenda a ditadura da Globo

por noreply@blogger.com (Miro) Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania:

Ouso dizer que se de repente a Globo simplesmente evaporasse da face da Terra, nem os outros braços do aparato político-ideológico-midiático que a organização multimídia da família Marinho lidera iriam chorar por seu sumiço; comemorariam com fogos de artifício.

A parcela da sociedade política e ideologicamente alinhada aos governos progressistas que há uma década vêm conseguindo manter o poder contra essa máquina midiática, vem cometendo um erro de avaliação sobre o que convencionou chamar de “grande mídia”.

Hoje, no Brasil, há um só grupo de mídia que, nadando contra a corrente que arrasta outros grandes grupos, vem obtendo lucros estratosféricos, crescendo e se solidificando a cada ano: as Organizações Globo.

É um fenômeno impressionante. De 2002 a 2012, a Globo perdeu 22% de sua audiência em rede nacional. Em 2002, no Painel Nacional de Televisão (PNT), a média diária da emissora, entre 7h à 0h, era de 22,2 pontos. De janeiro a agosto de 2012, a média diária foi de 17,4 pontos. Cada ponto equivale a 191 mil domicílios no país.

Em uma década, porém, a participação da Globo nos investimentos publicitários em TV aberta se manteve em 70%. O faturamento bruto da TV aberta da Globo com anúncios passou de R$ 5,65 bilhões em 2002 para R$ 18 bilhões em 2011.

Mais impressionante ainda: o lucro da Globo, ano passado, subiu 36% e chegou a R$ 2,9 bilhões – um aumento de 35,9% ante o resultado do ano anterior –, apesar da queda de audiência.

O paradoxo entre queda de audiência e aumento do faturamento se deve à estratégia multimídia das Organizações Globo. Além da principal emissora de TV do país, o grupo também detém jornais e revistas, além de participação em empresas como a Net e Sky e nos canais pagos da Globosat, como SporTV, Multishow e Telecine.

Não existe país nenhum no mundo com um império de comunicação como esse.

Isso ocorre enquanto outros grandes grupos de mídia como a Rede Record, o Grupo Folha, o Grupo Estado e a Editora Abril vêm amargando seguidos prejuízos.

O mais impressionante é o resultado publicitário da Globo no que tange a verbas oficiais. Apesar da queda de audiência, as plataformas de mídia globais açambarcam 64% das verbas de publicidade do governo federal.

Como resultado dessa ditadura midiática e política, os irmãos João Roberto, Roberto Irineu e José Roberto Marinho ocupam, respectivamente, o 7º, o 8º e o 9º lugares na lista que a revista Forbes publica dos homens mais ricos do Brasil.

João Roberto e Roberto Irineu acumulam hoje uma fortuna de 8,7 bilhões de dólares cada um. Já José Roberto tem uma fortuna estimada em 8,6 bilhões de dólares.

Como não existe um marco regulatório que vete a monopolização de tantas plataformas de mídia – que, em enorme parte, são concessões públicas entregues aos Marinho pelo governo federal –, enquanto a Globo lucra como nunca os grupos de mídia que atuam politicamente em consonância com a ditadura global vão ficando com as gordas migalhas que caem da mesa, mas que não bastam para impedir-lhes os problemas financeiros.

Mas por que, então, vemos impérios de comunicação como o Grupo Folha, o Grupo Estado, a Editora Abril e outros aliarem-se à guerra aberta que a Globo, de forma aparentemente inexplicável, trava com um governo federal que se entrega à sua voracidade por dinheiro e concessões públicas?

A questão parece ser muito mais ideológica do que prática. Apesar de forrar as Globos com a parte do leão das verbas e das concessões públicas, os governos do PT são vistos pelo resto da grande mídia como inimigos do capitalismo.

As famílias Frias, Mesquita, Civita e congêneres acham que um governo tucano, por exemplo, distribuiria mais benesses ainda e as salvaria de uma situação que, em verdade, deve-se à voracidade Global.

Assim, os governos do PT tornaram-se o inimigo comum de grupos de mídia que, por trás da aparente cordialidade, são adversários ferozes na disputa pelas benesses do Estado.

Mas a Globo não prejudica o resto da comunicação no Brasil apenas ficando com quase tudo em termos de publicidade oficial e privada. A hegemonia da organização da família Marinho prejudica o país ao impor costumes, vetar projetos governamentais, leis, ao difundir ignorância, preconceito e muito mais.

O padrão “racial” da publicidade e da televisão brasileiras, por exemplo, que exclui a verdadeira etnia de nosso povo, é oriundo de uma visão da Globo sobre o país. Novelas, publicidade, tudo o que se vê retrata um país de aparência europeia porque a Globo criou e mantém esse padrão.

A ausência de programas que discutam o país, que se aprofundem em debates importantes, inclusive políticos, é oriunda de uma programação da Globo feita para emburrecer e alienar o espectador.

Como a Globo é uma receita de sucesso, seu padrão é seguido pela concorrência na mídia eletrônica, sobretudo na televisão. Haja vista as cópias de excrescências como o Big Brother em outras emissoras, das novelas bobinhas com elenco ariano etc.

A teledramaturgia global, em particular, é dramática – para fazer um trocadilho. Novela após novela é encenada no eixo Rio-São Paulo, com enredos que se repetem sem parar, com vilões e mocinhos – e mocinhas – idênticos, sempre exaltando as classes sociais abastadas a que a cúpula da Globo pertence.

Todo esse poder da Globo se deve à sua capacidade de chantagear a classe política. Executivo, Legislativo e Judiciário ajoelham-se no altar Global de Norte a Sul do país. Nem a Presidência da República escapa.

Apesar de não vir conseguindo eleger o presidente da República desde 2002, a Globo, ao levar escândalos reais e inventados ao Jornal Nacional, novelas, programas humorísticos etc., selecionando os que quer expor e os que quer esconder, consegue a subserviência da República aos seus ditames.

Se até os grandes grupos de mídia além da Globo estão sendo sufocados por ela, imaginemos o que acontece com a mídia dita “alternativa”, que deve desaparecer em poucos anos se nada mudar.

Todavia, a própria grande mídia – Globo excluída – não deve resistir tanto assim. Com o passar do tempo, os Marinho irão adquirindo participações de tudo até que estabeleçam um imenso monopólio da comunicação nacional.

Não existe um só país da importância do Brasil e no qual vigore regime verdadeiramente democrático que tenha praticamente toda a comunicação nacional sob o tacão de uma única família, de um único império empresarial de comunicação.

Após uma década de governos progressistas que conseguiram distribuir renda, diminuir a pobreza e avançar em termos de solidificação da economia, com aumento exponencial de infraestrutura etc., o Brasil caminha para a Idade Média nas comunicações.

Como livrar o pais da ditadura da Globo? Boa pergunta. Se nem após dez anos de governos do PT conseguimos dar um mísero passo para desconcentrar o poder que a família Marinho começou a acumular graças à ditadura, parece quase impossível mudar isso agora.

A Globo não tem hoje menos poder, tem mais, muito mais. E esse poder está crescendo a cada ano. E se em 2013 conseguir colocar um despachante no lugar de Dilma no Palácio do Planalto, melhor será mudar o nome do país para República Global do Brasil.  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  7 horas atrás

“Cansei”: tomate abandona a oposição

por noreply@blogger.com (Miro)  Por Rodrigo Vianna, no blog Escrevinhador:

A oposição brasileira já teve aliados e projetos mais consistentes. Agarra-se agora à inflação e ao tomate. De forma patética.

O tomate, ao que parece, deixará a oposição falando sozinha. É o que leio no Blog do Nassif: preço do tomate cai 43% no Ceagesp.

Não se pode mais contar com o tomate…

Em 2005, a oposição contava com Bob Jefferson.

Em 2006, apostava no delegado Bruno – aquele que, para levar a eleição pro segundo turno, armou a foto com um monte de dinheiro e avisou: “eu quero ver isso no Jornal Nacional”. A Globo deixou de noticiar o acidente da Gol naquela noite, para estampar as fotos do dinheiro no JN. E a eleição foi pro segundo turno,mas aí a oposição morreu abraçada com a Globo e o Alckmin.

Em 2007, veio o “caosaéreo”, e logo a tragédia em Congonhas. Um articulista da “Folha” chamou Lula de “assassino”. Um repórter da Globo foi pra pista do aeroporto e colocou uma moedinha no chão: o objetivo era provar que o governo Lula era o responsável pelo acidente – que matou 200 pessoas. A Globo fracassou, mas o repórter foi recompensado com seguidas promoções.

A popularidade de Lula não parou de crescer, e uma parte do Brasil – inconformada – resolveu sair em passeata por aí, para avisar: “Cansei”.

A turma dos cansados seguiu em campanha:

– ameaça de Apagão;

– Erenice;

– logo veio a ficha falsa de Dilma na primeira página;

– em 2010, a internet foi tomada por boatos sobre “Dilma abortista”;

– e, finalmente, a bolinha de papel – com o perito Molina no JN, para provar o “atentado”contra Serra.

Bolinha de papel e tomate: a oposição já teve dias melhores…

O eleitor é que parece dizer à oposição: cansei.

10 horas atrás

AVACALHAÇÃO: Em 2008 o Diretor Antonio Mestre Júnior “enfiou” um aposentado com investigador-chefe do Deinter-5 no lugar do chefe Gregório…Procedimento irregular grave que NÃO DEU EM NADA…Se aposentado ( ex- policial ) pode, 3a. classe , agente, carcereiro , papi , também podem; até o ganso da prefeitura ( desde que dê lucro )

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Valor: Procuradoria muda visão sobre embargos infringentes

por Blog Justiceira de Esquerda 

Reportagem de hoje do jornal Valor Econômico mostra que a Procuradoria Geral da República mudou, em menos de um ano, sua posição sobre os embargos infringentes. Esse instrumento é um recurso a que os réus têm direito após a publicação do chamado acórdão. Ele será utilizado, por exemplo, na AP 470, chamada pela imprensa de julgamento do mensalão.
O jornal conta que, em 12 de abril de 2012, o Ministério Público Federal deu parecer em uma ação penal aberta contra um ex-prefeito dizendo que eram incabíveis embargos infringentes em ações penais julgadas procedentes quando não há quatro votos divergentes pela absolvição do acusado, conforme prevê o regimento interno da Suprema Corte.
O parecer foi dado pela subprocuradora-geral da República Cláudia Sampaio Marques e aprovado pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel.
Mas agora, nesta semana, Gurgel disse que “os infringentes são manifestadamente inadmissíveis, não cabem de modo algum” no caso da AP 470. Mas 14 dos 25 condenados tiveram pelo menos quatro votos pela absolvição.
Acontece que o recurso está previsto no regimento interno do Supremo. E o parecer da própria Procuradoria no caso do ex-prefeito deixou claro que o embargo infringente só não cabia porque não havia quatro votos pela absolvição. O parecer ainda afirma que é essa a regra do regimento interno do Supremo.
Questionada pelo jornal, a Procuradoria não se pronunciou. O Valor ouviu o professor da USP Renato de Mello Jorge Silveira, para quem o caso do ex-prefeito guarda semelhanças com a Ação Penal nº 470, por serem ambas ações penais originárias e por serem julgadas praticamente na mesma época.
“Me parece estranho que numa decisão tomada às vésperas do julgamento do mensalão tenha havido uma outra leitura do procurador-geral da República sobre o tema”, diz Silveira.
Clique aqui para ler a reportagem na íntegra (para assinantes) http://www.zedirceu.com.br/index.php?option=com_content&task=view&&id=17893&Itemid=2

Aplicativo da Apple censura HQ que traz imagem de “sexo gay”

por mark vynny HQ SagaO escritor Brian K. Vaughan, autor do HQ “Saga”, criticou o fato de a Apple ter censurado a venda de sua última edição por conter uma imagem de sexo gay “do tamanho de um selo”. Em resposta, o CEO do aplicativo ComiXology, que funciona como um leitor de livros, afirmou que a culpa não foi da Apple e assumiu a responsabilidade pela censura, o que considerou uma “decisão errada”. “Como parceiros da Apple, temos uma obrigação em respeitar suas políticas para aplicativos e livros oferecidos nos aplicativos. Baseados no nosso entendimento dessas políticas, acreditamos que a 12ª edição da ‘Saga’ não poderia ficar disponível no nosso aplicativo. Portanto, não o lançamos”, afirmou David Steinberger. Segundo Steinberger, a decisão não foi tomada por preconceito e será corrigida. A HQ estará disponível na loja virtual da Apple “em breve”. fonte: A Capa   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  41 minutos atrás

Estudo afirma que tamanho de pênis pode tornar homem mais atraente

por mark vynny tamanho pintoUm estudo australiano concluiu que o tamanho do pênis pode tornar o homem mais atraente para as mulheres. Os pesquisadores indicaram ainda que quanto mais alto for o homem, mais influente é o tamanho do pênis. A equipe da Universidade Nacional da Austrália, recrutou 105 mulheres para o teste. Elas avaliaram diversas figuras masculinas de corpo inteiro, geradas por computador. As participantes deveriam avaliar a atração que sentia por cada homem, mas não foram avisadas sobre os objetivos do estudo. O primeiro ponto observado é que os homens mais altos e com ombros mais largos fazem mais sucesso. Também ficou claro para os pesquisadores que o pênis grande também foi um fator importante para determinar a preferência feminina. fonte: Cena G 

AVACALHAÇÃO: Em 2008 o Diretor Antonio Mestre Júnior “enfiou” um aposentado com investigador-chefe do Deinter-5 no lugar do chefe Gregório…Procedimento irregular grave que NÃO DEU EM NADA…Se aposentado ( ex- policial ) pode, 3a. classe , agente, carcereiro , papi , também podem; até o ganso da prefeitura ( desde que dê lucro )

por Flit Paralisante São José do Rio Preto, 18 de Maio, 2010 – 1:47 Corregedoria confirma ação ilegal de assessor no Deinter Allan de Abreu Thomaz Vita Neto A Corregedoria da Polícia Civil concluiu que o assessor da Secretaria de Trânsito de Rio Preto Paulo Donizete Zanelli atuou ilegalmente como investigador no Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-5). zanelliO inquérito, relatado e encaminhado ao Ministério Público, aponta que Zanelli cometeu o crime de usurpação de função pública, cuja pena vai de três meses a dois anos de prisão. Investigador aposentado, ele não poderia exercer função policial, apenas atividades administrativas. Como se trata de um crime de menor potencial ofensivo, não houve indiciamento. Caberá ao Ministério Público decidir se propõe uma transação penal, com prestação de serviços comunitários, pagamento de cestas básicas ou multa, ou se instaurar uma ação penal.  Em foto Zanelli
(último à dir.) aparece ao lado de Mestrinho, do Deinter-5 
 O caso foi revelado pelo Diário em outubro de 2009. Zanelli assumiu o posto de investigador-chefe em dezembro de 2008, no lugar de Antonio José Gregório da Silva. Os delegados corregedores concluíram que Zanelli atuou ilegalmente como investigador de polícia em dois casos. O primeiro foi a prisão, em junho, do desempregado Ivan Moreira da Silva. Conhecido como o maníaco do Maria Lúcia, é apontado pela polícia como o autor de oito estupros no bairro da zona norte de Rio Preto. O assessor da Prefeitura, de acordo com a Corregedoria, também participou das investigações do assassinato da apresentadora Eliane Cristina Chaves, morta em 1997. Segundo a irmã dela, Débora Chaves, Zanelli vinha cuidando do caso havia vários meses, e participou ativamente das investigações que culminaram na prisão do autor do crime no Tocantins, em outubro. Na época, Zanelli confirmou o trabalho à reportagem. “A gente fica feliz por ter contribuído para colocar um marginal desses atrás das grades”, disse. Uma semana após a reportagem, o policial aposentado retornou à Secretaria de Trânsito. Procurado ontem, Zanelli não quis se pronunciar sobre a conclusão do inquérito. “Não vou comentar nada.”

 Braço direito Zanelli é homem de confiança de Mestrinho, conforme 
admite o próprio diretor. Eles se conhecem desde a década de 80, quando 
Mestrinho chefiou as investigações do assassinato do empresário rio-pretense 
Adirso Ferreira. Zanelli se aposentou como investigador da Delegacia de 
Investigações Gerais (DIG) de Rio Preto no início da década. Em 2007, o diretor 
pediu ao então prefeito Edinho Araújo que cedesse Zanelli, funcionário 
comissionado da Secretaria de Trânsito na categoria C-4, com salário-base de R$ 
1.406,92. De acordo com a Corregedoria da Polícia Civil, Zanelli não 
poderia exercer atividade de policial, apenas tarefas administrativas. Mestrinho 
nega irregularidade no caso. “O trabalho dele não é prender ninguém. É fazer a 
análise criminal e manter contato com o delegado da área. É trabalho de 
inteligência, de coordenação de informações”, disse o diretor

De acordo com a Corregedoria, caso o Ministério Público proponha uma ação penal, o órgão deverá solicitar à Corregedoria Geral em São Paulo a abertura de um processo administrativo para investigar a conduta do diretor do Deinter-5, Antonio Mestre Júnior, o Mestrinho, no caso. Sem a ação, avaliam os corregedores, não haveria embasamento para solicitar uma sindicância contra Mestrinho. Zanelli era considerado homem de confiança do diretor dentro do departamento policial. http://www.diariodaregiao.com.br/novoportal/Noticias/Cidades/9293,, Corregedoria+confirma+acao+ilegal+de+assessor+no+Deinter.aspx ————— Dr. Mestrinho,  se o ganso não era o chefe por que  motivo  não disse o nome e número da portaria  – publicada no DO – do chefe que substituiu o Gregório  ? Quase um ano vago ?

Pronto Socorro de Blogueiros ! Contribua !

por redacao

Acessem: www.baraodeitarare.org.br

Aberta a conta do fundo dos blogueiros

Banco do Brasil, agência 4300-1, conta corrente número 50.530-7.

Esta é a conta especial para arrecadar recursos para o fundo de apoio aos blogueiros vítimas de processos judiciais e perseguições políticas. Conforme o aprovado na reunião de terça-feira passada (2), na sede do Centro de Estudos Barão de Itararé, este fundo será o pronto-socorro da blogosfera não corporativa. O dinheiro arrecadado será utilizado para cobrir custas de processos e advogados – e não para saldar multas e indenizações anteriores. A definição do apoio caberá à Comissão Nacional dos Blogueiros, eleita em junho passado, no III Blogprog em Salvador, e composta por representantes de 15 estados e mais nove integrantes nacionais. Blogueiros com mais estrutura, que já contam com assistência jurídica, abriram mão do uso do fundo para favorecer os ativistas digitais com maiores dificuldades financeiras.

Para ajudar nas futuras batalhas judiciais, nos últimos dias o Barão de Itararé também promoveu várias reuniões com advogados de renome e entidades de direitos humanos. Todos se comprometeram a ajudar na defesa do blogosfera e da liberdade de expressão, inclusive dando assistência nos processos locais e acompanhando os processos quando eles cheguem às instâncias nacionais. O Barão de Itararé ainda firmou uma parceria com a ONG Artigo 19, especializada na luta pela liberdade expressão, para elaborar o “Mapa da violência contra os blogueiros e ativistas digitais”. O questionário será postado em vários sítios e blogs na próxima semana. Durante um mês, as vítimas de ameaças, violências e processos judiciais deverão preencher o questionário. Na sequência, para garantir maior segurança nas informações, os dados serão checados. A pesquisa resultará num relatório que será encaminhado a ONU e outros organismos internacionais e nacionais.

10 horas atrás

Operação nacional contra corrupção atinge 12 estados

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

 

Operação nacional contra corrupção atinge 12 estados

: Ação coordenada entre PF, MPF e MP/SP combate desvio de recursos públicos e, em Rondônia, resultou na prisão do ex-prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho (PT), do candidato a prefeito derrotado nas últimas eleições, Mário Sérgio e de mais três pessoas, entre elas um empresário   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  3 horas atrás

“Temos falhas também”, afirma Goretti Reis, sobre Saúde do município

: Em apresentação na Câmara de Vereadores, secretária da Saúde de Aracaju reafirmou existência de mais de R$ 60 milhões em dívidas,  falou da falta de medicamentos, do não cumprimento de cirurgias e da possibilidade de perda de recursos federais para construção de novos postos de saúde por falta de terrenos; Goretti disse que é preciso deixar os problemas da gestão anterior no passado e começar a enfrentar as demandas do presente; “temos que otimizar custos e buscar novas alternativas de financiamento”, frisou   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Cardozo: PF tem autonomia para investigar Lula

: “A PF está apta a investigar quaisquer dos crimes que estão na sua competência”, disse o ministro da Justiça, que participou de um debate sobre Segurança Pública na Assembleia Legislativa de São Paulo nesta quinta-feira; segundo José Eduardo Cardozo, a PF é “republicana” e não está submetida a “nenhum tipo de interferência”; Procuradoria da República no DF pediu abertura de inquérito com base em depoimento de Marcos Valério   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Obama pede fim de “atitude beligerante” a Coreia do Norte

: Ao lado do secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, o presidente dos Estados Unidos disse que “ninguém quer assistir a um conflito” com a Coreia do Norte, mas sublinhou que os EUA estão prontos para tomar as medidas necessárias para se defenderem   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Meninos e meninas como gandulas da Copa

Mary Leal: Alguns jovens estão bem ansiosos para o início da Copa das Confederações, marcada para o dia 15 de junho; eles foram escolhidos como gandulas, aquelas pessoas que correm atrás das bolas para que os jogos sejam retomados de forma rápida, sem prejuízo para os times; alguns desses meninas e meninos jogam bola em escolinhas de esportes nas cidades da capital do país e vão trabalhar de forma voluntária para ter a chance de ver os grandes atletas   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Depois de ação do MP, GDF convoca mais para saúde

: Ministério Público do DF ainda está insatisfeito com as convocações feitas pela Secretaria de Saúde, que anunciou a nomeação de 652 novos servidores; para promotores, “ainda não se sabe se o número é suficiente para atender a real demanda”; com a convocação, GDF destaca que o déficit de fisioterapeutas foi “zerado”; MP defende que existe previsão no orçamento e dinheiro em caixa para contratar novos profissionais, e assim, reduzir as “carências” enfrentadas hoje pela população   Compartilhar  Marcar como lido  Curtir  6 horas atrás

Aécio: “Vamos disputar e vencer em 2014”

Andre Marques/FOLHAPRESS/16209: BRASÍLIA, DF, 11.04.2013: CONFERÊNCIA PPS/DF - O senador Aécio Neves (PSDB) participa da Conferência Política Nacional do PPS, no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados. (Foto: André Borges/Folhapress)“Meu nome será colocado no próximo dia 19 de maio como candidato a presidente nacional do PSDB. Não para ocupar o cargo de presidente do partido, o que talvez não seja necessário, mas para fortalecer o nosso diálogo com as forças oposicionistas do Brasil”, discursou o senador Aécio Neves, em tom de candidato à Presidência da República, em evento organizado pelo PPS em Brasília; ele reforçou as críticas que vem fazendo ao governo por causa da inflação e pediu o apoio do PPS  : Ação coordenada entre PF, MPF e MP/SP combate desvio de recursos públicos e, em Rondônia, resultou na prisão do ex-prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho (PT), do candidato a prefeito derrotado nas últimas eleições, Mário Sérgio e de mais três pessoas, entre elas um empresário   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  3 horas atrás

“Temos falhas também”, afirma Goretti Reis, sobre Saúde do município

: Em apresentação na Câmara de Vereadores, secretária da Saúde de Aracaju reafirmou existência de mais de R$ 60 milhões em dívidas,  falou da falta de medicamentos, do não cumprimento de cirurgias e da possibilidade de perda de recursos federais para construção de novos postos de saúde por falta de terrenos; Goretti disse que é preciso deixar os problemas da gestão anterior no passado e começar a enfrentar as demandas do presente; “temos que otimizar custos e buscar novas alternativas de financiamento”, frisou   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Cardozo: PF tem autonomia para investigar Lula

: “A PF está apta a investigar quaisquer dos crimes que estão na sua competência”, disse o ministro da Justiça, que participou de um debate sobre Segurança Pública na Assembleia Legislativa de São Paulo nesta quinta-feira; segundo José Eduardo Cardozo, a PF é “republicana” e não está submetida a “nenhum tipo de interferência”; Procuradoria da República no DF pediu abertura de inquérito com base em depoimento de Marcos Valério   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Obama pede fim de “atitude beligerante” a Coreia do Norte

: Ao lado do secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, o presidente dos Estados Unidos disse que “ninguém quer assistir a um conflito” com a Coreia do Norte, mas sublinhou que os EUA estão prontos para tomar as medidas necessárias para se defenderem   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Meninos e meninas como gandulas da Copa

Mary Leal: Alguns jovens estão bem ansiosos para o início da Copa das Confederações, marcada para o dia 15 de junho; eles foram escolhidos como gandulas, aquelas pessoas que correm atrás das bolas para que os jogos sejam retomados de forma rápida, sem prejuízo para os times; alguns desses meninas e meninos jogam bola em escolinhas de esportes nas cidades da capital do país e vão trabalhar de forma voluntária para ter a chance de ver os grandes atletas   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Depois de ação do MP, GDF convoca mais para saúde

: Ministério Público do DF ainda está insatisfeito com as convocações feitas pela Secretaria de Saúde, que anunciou a nomeação de 652 novos servidores; para promotores, “ainda não se sabe se o número é suficiente para atender a real demanda”; com a convocação, GDF destaca que o déficit de fisioterapeutas foi “zerado”; MP defende que existe previsão no orçamento e dinheiro em caixa para contratar novos profissionais, e assim, reduzir as “carências” enfrentadas hoje pela população   Compartilhar  Marcar como lido  Curtir  6 horas atrás

Aécio: “Vamos disputar e vencer em 2014”

Andre Marques/FOLHAPRESS/16209: BRASÍLIA, DF, 11.04.2013: CONFERÊNCIA PPS/DF - O senador Aécio Neves (PSDB) participa da Conferência Política Nacional do PPS, no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados. (Foto: André Borges/Folhapress)“Meu nome será colocado no próximo dia 19 de maio como candidato a presidente nacional do PSDB. Não para ocupar o cargo de presidente do partido, o que talvez não seja necessário, mas para fortalecer o nosso diálogo com as forças oposicionistas do Brasil”, discursou o senador Aécio Neves, em tom de candidato à Presidência da República, em evento organizado pelo PPS em Brasília; ele reforçou as críticas que vem fazendo ao governo por causa da inflação e pediu o apoio do PPS 

10 horas atrás

http://500px.com/photos

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Desert Rose by Mostafa Ammar

Desert Rose by Mostafa Ammar

SIWA , EG .I’m planing to go this amazing place agian the next week. for a three photographing days . ©2013 Mostafa Ammar , All Rights Reserved. This image is not available for use on websites, blogs or other media without the explicit written permission of the photographer. Please take a look on my facebook page for more photos :Facebook

Mostafa Ammar: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  18 horas atrás

playing ballOoOOoOooon by bug eye 🙂

playing ballOoOOoOooon by bug eye 🙂

Fly / แมลงวัน

bug eye :): Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  18 horas atrás

Gleeful by Nat Natthamon

Gleeful by Nat Natthamon

 

Nat Natthamon: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  19 horas atrás

Waiting at the Top by Kent Atwell

Waiting at the Top by Kent Atwell

 

Kent Atwell: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  19 horas atrás

For … Eternity by Patrizia Paradiso

For … Eternity by Patrizia Paradiso

I hope you find your freedom for eternity, for eternity …

Patrizia Paradiso: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  19 horas atrás

Urban Flicker by H. Becker

Urban Flicker by H. Becker

 

H. Becker: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  20 horas atrás

Coming In by John More

Coming In by John More

 

John More: Photos · Blog

     

10 horas atrás

http://500px.com/photos

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

OUT AFRICA BY YARA GB

Out Africa by yara GB

 

yara GB: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

CUMBRES DE GREDOS BY JOSE IGNACIO GIL BLANCO

Cumbres de Gredos by Jose Ignacio Gil Blanco

 

Jose Ignacio Gil Blanco: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

NOCHE DE LOBOS I BY JORGE CACHARRÓN

Noche de lobos I by Jorge Cacharrón

 

Jorge Cacharrón: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

ME AND DOWNTOWN LOS ANGELES AT NIGHT! BY NHUT PHAM

Me and Downtown Los Angeles at Night! by Nhut Pham

BUSY DOWNTOWN LA AT NIGHT! I’M ALONE WITH MY CAMERA TO CAPTURE THE THE LIGHT! HAVE A GREAT THURSDAY EVERYONE. HOPE YOU ENJOY IT! THANKS FOR VISITING AND SUPPORT AS ALWAYS! 🙂

Nhut Pham: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  12 horas atrás

 

by Peyman Az

PORTRAIT BIRD

Peyman Az: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

SMALL IN NATURE BY ELEONORA DI PRIMO

Small in Nature by Eleonora Di Primo

JUST WATCHING NATURE AND ITS PERFECTION…

Eleonora Di Primo: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

EMPTY SKY.. BY AMY SMITH

Empty sky.. by Amy Smith

 

Amy Smith: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

SEASIDE AMUSEMENT PARK BY RYU K

Seaside amusement park by Ryu K

KAIYUKAN

Ryu K: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

BORN OF LIGHT BY JOSEP SUMALLA I JORDANA

Born of Light by Josep Sumalla i Jordana

VAMOS A REIRNOS UN POCO… DEDICADO A…MR. DISLIKE!

Josep Sumalla i Jordana: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

UNDER THE RAIN BY MAX RINALDI

Under the Rain by Max Rinaldi

 

Max Rinaldi: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

MOUNTAIN ROAD BY ALMALKI ABDULLRAHMAN

Mountain road by almalki abdullrahman

 

almalki abdullrahman: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

*** BY DMITRY TRISHIN

*** by Dmitry Trishin

VER.2 – EDITED

Dmitry Trishin: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

THE STRANGERS IN ME BY JOSÉ RAMOS

The Strangers in Me by José Ramos

“THE STRANGERS IN ME” JOSÉ RAMOS © HTTP://WWW.JOSERAMOS.COM – FOLLOW ME ON FACEBOOK “DIVING INTO THE ALIEN LANDSCAPES, UNKNOWN PARTS OF THE SELF, READY TO EMERGE AND SURPRISE, BECOME ALIVE. LYING QUIETLY UNDER THE SURFACE, WAITING FOR THE RIGHT MOMENT TO SNEAK IN, THEY FEED ON TURNING LIFE UPSIDE DOWN, AND MAKE IT MOVE FORWARD. WE ARE MADE OF SO MANY LAYERS, PARALLEL DIMENSIONS OF EXISTENCE, ECHOING THE UNIVERSE WE LIVE IN. AND YET… WE CAN ONLY GRASP SO MUCH….” LOCATION: VILA NOVA DE MILFONTES – PORTUGAL TECHNICAL DATA: EXPOSURE: 30 SECONDS APERTURE: F/9.5 ISO: 100 10 STOP ND + 3 STOP ND GRAD FILTER

José Ramos: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

REFLECTING ON LONDON BY GEORGIA MIZULEVA

Reflecting on London by Georgia Mizuleva

 

Georgia Mizuleva: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

VESENNYAYA LEAPFROG! BY GALINA JACYNA

Vesennyaya leapfrog! by Galina Jacyna

 

Galina Jacyna: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

DISEMBARKING FOR SWIM BY DAMIANOS KOUNENIS

Disembarking for swim by Damianos Kounenis

DEDIGATED TO MY DISLIKERS

Damianos Kounenis: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

CONFINED UNIVERSE BY YUME .

Confined Universe by yume .

 

yume .: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  15 horas atrás

>>I

>>I by 3 Joko

 

3 Joko: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  15 horas atrás

ONE DAY IN BAGAN BY PUCHONG PANNOI

One day in Bagan by Puchong Pannoi

BAGAN IS AN ANCIENT CITY LOCATED IN THE MANDALAY REGION OF BURMA (MYANMAR). FROM THE 9TH TO 13TH CENTURIES, THE CITY WAS THE CAPITAL OF THE KINGDOM OF PAGAN, THE FIRST KINGDOM TO UNIFY THE REGIONS THAT WOULD LATER CONSTITUTE MODERN MYANMAR.

Puchong Pannoi: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  15 horas atrás

NIGHT IN SEOUL BY JAEWOON U

Night in seoul by Jaewoon u

 

Jaewoon u: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  16 horas atrás

PASTEL BY ALIDA JORISSEN

Pastel by Alida Jorissen

 

Alida Jorissen: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  16 horas atrás

UNFORGETTABLE BY JORGE MAIA

Unforgettable by Jorge Maia

SANTA CRUZ,PORTUGAL FACEBOOK: JORGEMAIA.PHOTOGRAPHER

Jorge Maia: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  17 horas atrás

. BY SILENA LAMBERTINI

. by Silena Lambertini

FAMMI ENTRARE NELLA TUA VITA, NON DESIDERALO MAI.

Silena Lambertini: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  17 horas atrás

PORANEK W ORŁOWIE… BY GRZEGORZ LEWANDOWSKI

Poranek w Orłowie… by Grzegorz Lewandowski

Z CYKLU BAŁTYK.

Grzegorz Lewandowski: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  17 horas atrás

PLAY IT AGAIN… BY EMILIO CABIDA

Play it again… by Emilio Cabida

PLAZA MAYOR, MADRID

Emilio Cabida: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  17 horas atrás

WHEN TIME RAN OUT … BY AHMED M. ABDULAZIM

When time ran out … by Ahmed M. Abdulazim

 

Ahmed M. Abdulazim: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  18 horas atrás

SCREAMING EAGLE BY GREIG HUGGINS

Screaming Eagle by Greig Huggins

WILD BALD EAGLES TAKEN THIS WINTER AT FARMINGTON BAY, UTAH.MANY MORE ON MY WEBSITES:WWW.IGHPHOTO.COMWWW.ONLYWILDEAGLES.COM

Greig Huggins: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  18 horas atrás

DESERT ROSE BY MOSTAFA AMMAR

Desert Rose by Mostafa Ammar

SIWA , EG .I’M PLANING TO GO THIS AMAZING PLACE AGIAN THE NEXT WEEK. FOR A THREE PHOTOGRAPHING DAYS . ©2013 MOSTAFA AMMAR , ALL RIGHTS RESERVED. THIS IMAGE IS NOT AVAILABLE FOR USE ON WEBSITES, BLOGS OR OTHER MEDIA WITHOUT THE EXPLICIT WRITTEN PERMISSION OF THE PHOTOGRAPHER. PLEASE TAKE A LOOK ON MY FACEBOOK PAGE FOR MORE PHOTOS :FACEBOOK

Mostafa Ammar: Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  18 horas atrás

PLAYING BALLOOOOOOOOON BY BUG EYE 🙂

playing ballOoOOoOooon by bug eye 🙂

FLY / แมลงวัน

bug eye :): Photos · Blog

       Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  18 horas atrás

UNDER THE HANALEI PIER BY RAYMOND JABOLA

Under the Hanalei Pier by Raymond Jabola

 

Raymond Jabola: Photos · Blog

   

10 horas atrás

A bronca do porteiro em Brad Pitt

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

A bronca do porteiro em Brad Pitt

por xicosa Um dia até bonito para ser São Paulo e o porteiro do predinho antigo blasfema, afinal de contas a vida não é apenas um boletim meteorológico. O porteiro xinga o galã na capa da revista. “O cara com um mulherão daquele, cheio da grana, pode pegar quem quiser, não sabe o que é vida ruim e fica choramingando”, descasca. “Mal-agradecido!” O mulherão daquele é ela: Angelina Jolie. O cara é o cara: Brad Pitt. Seu Marcos reclama do mimimi do galã, que reflete, em entrevista na “Alfa”, sobre os 50 anos de vida. O galã pensa e repensa a vida. Também na casa do meio século, o bravo corintiano do predinho antigo sapeca: “Nem porteiro o cara é e fica se queixando de besteira”. Para um macho-jurubeba, o drama existencial de Brad Pitt realmente não merece crédito. Sob a fumaça do cachimbo de Freud, no entanto, a reflexão do galã é mais do que válida, afinal de contas ser rico, poderoso, bonito e ter uma fêmea daquela sob o mesmo edredon não tá com nada. Que triste deve ser acordar com aquele bocão de bom dia e dormir com aquele bocão de boa noite. Que tédio! Até o seu próprio vinho o casal-bouquet fabrica. Um rosé de intenso aroma floral e notas de morangos e framboesa, seja lá o que diabo isso signifique. Ô dó, ô vida! É, seu Marcos, prefiro ser John Malkovich a ser este reflexivo Brad Pitt. É muita falta de Deus no coração, né não, seu Marcos! Prefiro a minha carranca agradecida, seu Marcos, afinal de contas a beleza é passageira e a feiura é para sempre, como me sopra aqui o Serge Gainsbourg.  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  10 de Abril de 2013 05:38

Amar é filme que melhora só muito depois de visto

por xicosa Viver é eclipse, vixe, meu caro Antonioni.  Com toda licença desse mundo, hoje quero escrever sobre uma coisa muito estranha. Como se fosse aquele filme que a gente vê e gosta mas não dá tanta bola e eis que aquele filme vai crescendo na nossa mente. Assim como aquele encontro, aquele beijo, aquele sexo que não foi monumental naquela hora… Passado algum tempo, como a hora do almoço, a fome de viver, essas coisas, aquele encontro, aquele beijo, aquele sexo aparentemente mais ou menos vai crescendo na nossa vagarosa mente… Assim são alguns filmes, assim são os encontros, os sons arrodeados, as nouvelles vagues, Irma Brown dançando um jazz no Iraque, Hellcife, o mundo ao rés do chão dos pobres cronistas carapuceiros. Marcha à ré ao tema da crônica: assim como existem filmes, peças, obras de arte que vão crescendo no juízo depois de vistos, assim é o encontro de um homem e uma mulher, por supuesto. Sabe aquele John Cassavetes que você nem entendeu direito, uma mulher sob influência? Assim às vezes é o amor rápido, o sexo por acaso, a vida ordinária, a pegação com quem você nem imaginava… Aquele filme que vai crescendo na mente e vira um grande amor de verdade. Viver é ver um filme que surpreende. Um filme que vai tomando juízo e entranhas. Aquele filme que vai crescendo na cabeça a cada minuto. Depois daquele beijo, o blow-up que vira blow-job, o filme-cabeça que descamba e derrete o queijo do homem da meia noite, o cidadão comum qualhado de amor por dentro. Coisa marlinda quando uma simples fodinha cresce na nossa cabeça no dia seguinte como um viva imaginação num queijudo muro de Paris meia oito. O grande sexo é aquele que a gente não dá muito por ele no momento e ele vai crescendo de narrativa, na cabeça, qual um Hitchcock no “Terceiro Tiro” –o melhor filme do mundo todo. O grande amor também assim se parece. Viver é o enevoado das acontecências, ver uma coisa e atirar noutra e vice-versa. Amar é um filme que vai melhorando a cada minuto depois que a gente sai da sala escura. Como se fosse um filme de Godard ou de Antonioni. Será que foi bom mesmo?, eis a senha sensorial de responsa judiando o juízo da manhã tapiocosa. Alguns encontros de nada viram grandes cinemascopes no cocuruto. Vem, gostosa!

10 horas atrás

Valmir Assunção: Adoção de cotas não provocou apocalipse

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Valmir Assunção: Adoção de cotas não provocou apocalipse

por Luiz Carlos Azenha  da assessoria do deputado Valmir Assunção (PT-BA) Para os que desmerecem a importante política afirmativa de cotas nas universidades, a revista Isto é Independente desta semana vem coma reportagem que é um verdadeiro tapa no preconceito. A matéria Por que as cotas raciais deram certo no Brasil traz o sucesso da política em vários casos concretos de estudantes negros que adentraram à universidade e hoje estão no mercado de trabalho, exercendo profissões e cargos antes restritos a uma elite branca. A mesma revista, em 2008, publicou uma entrevista da procuradora e ex-assessora do ministro Marco Aurélio Mello, Roberta Fragoso Kaufmann, em que defendia o abandono do sistema de cotas no Brasil, por que, segundo ela, o governo queria desunir o que está unido e importar um problema que não é nosso, que é o problema da segregação racial. Cinco anos depois, a revista mostra o contraditório. Para os apocalípticos, o sistema de cotas culminaria numa decrepitude completa: o ódio racial seria instalado nas salas de aula universitárias, enquanto negros e brancos construiriam muros imaginários entre si. A segregação venceria e a mediocridade dos cotistas acabaria de vez com o mundo acadêmico brasileiro, diz a revista. Nada disso aconteceu, como bem disse a reportagem. E os críticos e defensores do fim da política de cotas estavam errados. Os resultados de todas essas políticas também podem ser constatados na pesquisa recente feita pela Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, que com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostragem Domiciliar do IBGE, constatou que dos 36 milhões de brasileiros que ingressaram na classe média durante os últimos dez anos, 75% eram negros. Com isso, a participação dos negros na classe média subiu de 38% em 2002 para 51% em 2012. A revista traz uma importante afirmativa: As cotas raciais deram certo porque seus beneficiados são, sim, competentes. Merecem, sim, frequentar uma universidade pública e de qualidade. Os dados de corte no vestibular dos cotistas são equiparados aos níveis normais, o desempenho dentro da universidade é satisfatório, quando não se saem melhor que os não beneficiários. A Isto é Independente traz a pesquisa da Uerj, pioneira na adoção do sistema de cotas. A Universidade carioca analisou as notas de seus alunos durante 5 anos. Os negros tiraram, em média, 6,41. Já os não cotistas marcaram 6,37 pontos. Caso isolado? De jeito nenhum. Na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que também é referência no País, uma pesquisa demonstrou que, em 33 dos 64 cursos analisados, os alunos que ingressaram na universidade por meio de um sistema parecido com as cotas tiveram performance melhor do que os não beneficiados. E ninguém está falando aqui de disciplinas sem prestígio. Em engenharia de computação, uma das novas fronteiras do mercado de trabalho, os estudantes negros, pobres e que frequentaram escolas públicas tiraram, no terceiro semestre, média de 6,8, contra 6,1 dos demais. Em física, um bicho de sete cabeças para a maioria das pessoas, o primeiro grupo cravou 5,4 pontos, mais dos que os 4,1 dos outros (o que dá uma diferença espantosa de 32%.. Senhoras e senhores, o que faltava era oportunidade e isso a política de cotas garante. São estudantes que estão nas universidades que buscam a educação superior para melhorar a qualidade de vida de toda a família. Muitos deles são – ou serão – os primeiros na família a ter ensino universitário completo. Deixo a matéria anexada e parabenizo a reportagem. As transformações são profundas e visíveis. Há 15 anos, segundo a revista, apenas 2% deles tinham ensino superior concluído. Hoje, o índice triplicou para 6%. Notem que a evolução ainda é irrisória, o que nos faz concluir que a política afirmativa precisa ser intensificada. Sim, senhoras e senhores, o racismo no Brasil ainda é um problema sério. Basta olhar ao nosso redor: apesar de sermos maioria na população brasileira, são poucos os políticos negros nesta Casa e no Senado Federal. Na TV, a população negra, na grande maioria das vezes, não é representada. Os números mostram que a juventude negra está sendo exterminada: a cada três assassinatos, dois são de pessoas negras, o que mostra que a nossa segurança pública ainda é voltada para a proteção de uma elite branca; na Paraíba são mortos 1.083% mais negros do que brancos. Na Bahia, meu estado, os assassinatos de negros superam em 439,8% os de brancos. Temos ainda muito que realizar. Mas no sentido da educação, da oportunidade, da reparação, estamos no caminho certo. PS do Viomundo: Consultem o Rodrigo Vianna, do Escrevinhador, sobre importante jornalista brasileiro que previa guerra civil como resultado da adoção das cotas… Leia também: Tomate agora leva oposição para o vinagre O post Valmir Assunção: Adoção de cotas não provocou apocalipse apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  5 horas atrás

Vereadores do PT assinaram projeto de Telhada de homenagem à Rota: A troco do quê?

por Conceição Lemes  Alfredinho, líder da bancada: “Ah, mas poderia ser uma homenagem por um gesto de bravura…” por Conceição Lemes Pelas normas da Câmara Municipal de São Paulo, todo vereador  tem direito de propor oito honrarias durante a legislatura. O coronel Telhada (PSDB) quer homenagear a Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) com uma salva de prata. Criada em 1970, a Rota tem até hoje uma história marcada pela violação dos direitos humanos e de violenta repressão, da qual se orgulha. Mesmo assim, Telhada conseguiu o número necessário de assinaturas para apresentar o seu projeto. Dos 55 vereadores da Casa, 34 assinaram, a começar por outros dois integrantes da chamada bancada da bala: Conte Lopes  (PTB) e o coronel Camilo (PSD) (veja lista completa abaixo). Na lista, também figuram vereadores do PSDB (Andrea Matarazzo e Mário Covas, por exemplo), PV (Gilberto Natalini),  PPS (Ricardo Young), PMDB (Rubens Calvo), PSB (Noemi Nonato e Ota) e PRB (Jean Madeira). Nenhuma surpresa. O espantoso é que sete dos 11 vereadores do PT são signatários: Alessandro Guedes, Alfredinho, Arselino Tatto, Jair Tatto, Reis, Senival Moura e Vavá, todos na contramão da história do partido em defesa dos direitos humanos e da luta contra a ditadura. Não assinaram: Juliana Cardoso, Nabil Bonduki, Paulo Fiorillo e José Américo. Orlando Silva (PCdoB) e Toninho Vespoli (Psol) também não. 
  
No dia 6 de março, a justificativa da homenagem à Rota foi publicada na página 86 do Diário Oficial da Cidade de São Paulo Três parágrafos chamam a atenção. Fazem apologia a ações da Rota contra os que lutaram contra a ditadura civil-militar, mencionando Carlos Lamarca e Marighela.  Mesmo assim, o projeto andou na Câmara Municipal. Passou por unanimidade pela Comissão de  Constituição e Justiça com os votos de Goulart (PSD), Alessandro Guedes (PT), George Hato (PMDB), Conte Lopes (PTB), Sandra Tadeu (DEM), Eduardo Tuma (PSDB) e Arselino Tatto (PT).  A Comissão de Constituição e Justiça avalia a  legalidade da propositura, portanto analisa a formalidade. Há duas semanas, no dia 26 de março, a homenagem foi questionada pela vereadora Juliana Cardoso (PT) na reinstalação da Comissão da Verdade  da Câmara Municipal, que leva o nome de Vladimir Herzog, jornalista assassinado em 1975 nas dependências do DOI-Codi. A Comissão da Verdade da Câmara Municipal é composta por oito membros: Natalini (presidente), Juliana Cardoso (vice), Covas Neto (relator), Rubens Calvo, Laércio Benko (PHS), Police Neto (PSD) e Ricardo Young. Apenas Juliana posicionou-se contra a homenagem. “As ações da Rota ocorridas durante a ditadura ferem os direitos humanos e não queremos esse tipo de postura na sociedade”, justifica a vereadora petista. “Além disso, seria um desrespeito completo com as famílias das vítimas.” “Fiquei espantada quando soube do projeto de homenagear a Rota. Trata-se de um projeto fora de propósito”, continua Juliana. “No momento em que pelo Brasil afora as Comissões da Verdade buscam elucidar acontecimentos nebulosos da época da ditadura e o Estado brasileiro se desculpa pelas atrocidades cometidas naquele período da nossa história, essa homenagem vai na contramão.” Os colegas tentaram convencer Telhada a retirar a homenagem. O coronel só admitiu mudar trechos da justificativa, o que aconteceu na semana passada. Apenas dois dos três parágrafos referentes a Lamarca e Marighela foram retirados. Diante da tamanha repercussão negativa que a homenagem à Rota teve, vereadores do PT tentam correr atrás do prejuízo. A bancada já divulgou nota, dizendo que vai votar contra. “Nós obrigamos ele a tirar a parte da ditadura”, diz Arselino Tatto, que na Comissão de Constituição e Justiça ajudou a aprovar o projeto. “Agora, vou votar contra.” O líder Alfredinho tenta se explicar. – Houve o pedido protocolar de assinaturas, geralmente a gente assina, depois se posiciona se vota a favor ou contra. – Sete dos 11 vereadores do PT assinaram a proposta do Telhada. O senhor não acha um absurdo o PT assinar um projeto de homenagem à Rota? Não é incoerente com a história do partido? – Quando a gente assina, não sabe ainda do que trata… – Mas todos sabiam que era a favor da Rota! – Ah, mas poderia ser uma homenagem por um gesto de bravura… – Soube que o senhor orientou os vereadores a votarem a favor na Comissão de Constituição e Justiça. – Em algumas votações isso acontece, mas nessa cada um votou como quis, eu não dei orientação. – Mas o senhor não orientou mesmo a favor do projeto do Telhada? – Não interferiiiiii… Alessandro Gudes, vereador de primeira viagem, seguiu a orientação do líder Alfredinho e reconhece que também votou favoravelmente na Comissão de Constituição e Justiça sem uma melhor avaliação do projeto. Em português:  não leu a justificativa de Telhada. “O mérito da proposta será avaliado pelo Plenário da Casa. Na oportunidade, votarei contra a homenagem, por entender que a atuação da Rota integrou o aparato repressivo montado pela durante a ditadura militar e violou normas de direitos humanos”, diz Alessandro. “Militantes foram perseguidos, presos, torturados, covardemente assassinados. E a Rota fez parte deste processo.” A proposta de Telhada está agora na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, que vai julgar o mérito nos próximos dias. A vereadora Juliana Cardoso reforça: “Vou continuar combatendo o absurdo dessa propositura. É um desrespeito aos familiares das pessoas desaparecidas durante a ditadura militar”. Uma pergunta óbvia fica no ar: sete dos 11 vereadores assinaram projeto de homenagem à Rota a troco do quê? Pragmatismo exacerbado? Oportunismo? Esqueceram-se que hoje só são vereadores por que muitos lá atrás lutaram contra a ditadura e foram vítimas da Rota? O post Vereadores do PT assinaram projeto de Telhada de homenagem à Rota: A troco do quê? apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  8 horas atrás

@emirsader: Tomate trai, baixa o preço e oposição vai pro vinagre

por Conceição Lemes de Gerson Carneiro Por e-mail, ele nos “alerta”: “Alegria de oposicionista dura pouco”.  Aí, dá a notícia. “@emirsader: Tomate trai, baixa o preço e oposição vai pro vinagre”.  O post @emirsader: Tomate trai, baixa o preço e oposição vai pro vinagre apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia. Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

Stédile: Venenos do agronegócio vão matar o agronegócio

por Luiz Carlos Azenha  por Luiz Carlos Azenha publicado originalmente em 11.12.2011 Ao fazer um balanço de 2011, ontem, na Escola Nacional Florestan Fernandes, em Guararema, interior de São Paulo, o coordenador nacional do Movimento dos Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, disse que o modelo do agronegócio está fadado a desaparecer por conta de suas contradições internas (não sem antes, diríamos nós, causar impactos ambientais profundos que vão exigir que o Brasil importe da Alemanha bilhões de marcos — o euro terá sucumbido — em equipamentos para lidar com os danos). Stédile disse que a própria sociedade, em breve, começará a questionar o modelo, por conta do uso intensivo de venenos, um dos pilares da monocultura extensiva. Lembrou a previsão do Instituto Nacional do Câncer de que o Brasil terá um milhão de casos da doença em 2012, para os quais, segundo Stédile, os agrotóxicos contribuem de forma importante. Mais que isso: ele narrou uma visita que fez ao estado de Goiás, onde empresas estrangeiras controlam grandes extensões de terra para o cultivo de cana-de-açúcar. Os pequenos agricultores praticamente sumiram. Os empregos que surgiram na fase de construção das usinas sumiram. O dinheiro é ‘exportado’ para os Estados Unidos. E a população local fica com o vinhoto, que resulta da produção do etanol. Stédile acredita que o próprio impacto econômico do monocultivo levará as populações locais a questionarem o modelo do agronegócio exportador. Ele disse que o MST já tem uma resposta a esse modelo, o da agroecologia, e exibiu os produtos orgânicos dos assentamentos. Lembrou, no entanto, que nem toda a produção de agricultores ligados ao MST é livre dos venenos. Depois do evento, Stédile aceitou o convite de um grupo de blogueiros para participar de uma twicam para tratar deste e de outros temas polêmicos relativos à reforma agrária. Vai acontecer no dia 19 de dezembro, segunda-feira, a partir das 20 horas, na sede da Rede Brasil Atual, no centro de São Paulo. Ouça a breve entrevista que ele concedeu ao Viomundo sobre o tema: stedile.wma Leia também: “Cidade dos agrotóxicos” tem o dobro da taxa mundial de câncer Kaline Fávero: As doenças respiratórias e o uso de agrotóxicos Comida S/A A água que você bebe Danielly Palma: A contaminação em Lucas do Rio Verde Exclusivo: A pesquisadora que descobriu veneno no leite materno Wanderlei Pignati: Até 13 metais pesados, 13 solventes, 22 agrotóxicos e 6 desinfetantes na água que você bebe Raquel Rigotto: A herança maldita do agronegócio Pignati: Os agrotóxicos viajam pelos riosFoto Conceição Oliveira O post Stédile: Venenos do agronegócio vão matar o agronegócio apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia Ver arquivo anexo (2 MB, audio/mpeg)  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

Saul Leblon: Eleição direta para evitar novos “Fux”

por Conceição Lemes  Como evitar novos ‘Fux’: a aposta argentina por Saul Leblon, em Carta Maior As revelações de ex-ministro Luiz Dirceu sobre os bastidores da campanha de Luiz Fux à Suprema Corte não são novas. Tampouco singulares do percurso trilhado pela maioria dos integrantes daquela instituição. Joaquim Barbosa, por exemplo. Valeu-se de um encontro fortuito com Frei Betto para fazer chegar sua aspiração e seu currículo à Presidência da República, exercida por Lula. Assim por diante. Embora conhecido, o percurso de Fux nem por isso deixa de inspirar um misto de constrangimento e perplexidade pelo avançado despudor que revela no acesso a um posto, teoricamente, reservado à sobriedade e à isenção. Relata Dirceu ter sido procurado em 2010 pelo então ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em garimpagem de apoios à indicação para o STF. Seis meses após intenso assédio, o ex-chefe da Casa Civil aquiesceu em receber Fux no escritório de advocacia de um amigo, cujo titular, por certo, pode atestar a veracidade do encontro. Pregoeiro de um leilão em que era a própria mercadoria, Fux teria ofertado a Dirceu o seu voto de absolvição no julgamento da AP 470. Dirceu, por certo, tem testemunhos que podem reiterar seu relato. O silêncio de Fux é eloquente. O que ele fez de sua promessa é igualmente sabido e revelador. Não cabe discutir o caráter dos escolhidos para o STF. Mas o saldo do método não é dos melhores. E isso diz respeito à democracia. Desvios de comportamento, que vão da vaidade efervescente, ao desequilíbrio ostensivo no exercício de um missão, em si, credora de predicados opostos, foram – tem sido – cumulativamente testemunhados pela sociedade. Poucos, se é que cabe ombrear alguém à dignidade solitária do ministro Ricardo Lewandowski, declinaram da genuflexão desfrutável pelo enredo conservador montado em torno do julgamento da AP 470. Fux, por certo, não foi um deles. E a tal ponto, que empresta pertinência à dúvida. O que mais teria prometido Fux, e a quem, ao longo de um julgamento que se tornou explicitamente político, com juízes banhando-se nus nas águas de uma sintonia eleitoral escrachada, sem pejo, nem apego decência? O tempo não regenera os pilares trincados daquele espetáculo midiático, em que provas inexistentes foram supostas, e dúvidas incontornáveis foram torneadas em formato de condenação. (Leia aqui a edição especial da revista Retrato do Brasil, do jornalista Raimundo Pereira, sobre as falhas gritantes no julgamento). A resistência do ministro Joaquim Barbosa ao legítimo direito de acesso aos votos e aos prazos de recursos pleiteados pela defesa do acusados, ademais de arbitrária, transpira suspeitas. O conjunto empresta contundente atualidade ao debate ora em curso na Argentina. A Presidenta Cristina Kirchner acaba de enviar ao Congresso seis projetos destinados a democratizar as instâncias do judiciário no país. Um deles preconiza a eleição direta, pela população, de membros do Conselho da Magistratura. O Conselho argentino julga desvios e desmandos de juízes e advogados. Integrado por personalidades eleitas pelo voto direto, como preconiza a reforma, seu poder de quebrar o corporativismo e desguarnecer a impunidade no judiciário cresce significativamente. Não por acaso, a oposição, que se valeu do Judiciário para barrar a Ley de Meios, já se manifesta contrária à mudança. No Brasil, o Conselho Nacional de Justiça é recente, tendo sido criado apenas em 2004. É formado por 15 membros: nove integrantes dos Tribunais Superiores e das Justiças Federal, Estadual e do Trabalho; dois integrantes do Ministério Público; dois advogados; dois cidadãos ‘com notável saber jurídico e reputação ilibada’. O mandato é de dois anos. E as indicações são autorreferentes. Como acontece no caso das agências reguladoras, capturadas pelos regulados, os fiscalizados aqui têm influência determinante na nomeação dos fiscais. Uma das funções do CNJ, porém, é assegurar que os magistrados ‘julguem com imparcialidade’. Fosse composto de personalidades eleitas pelo voto da sociedade, o que diria o CNJ do comportamento esvoaçante, digamos assim, de magistrados como o senhor Fux? O desassombro do governo argentino sugere mais que isso. A composição da Suprema Corte brasileira obedece a uma mecânica de indicação mais antidemocrática que a do Vaticano na escolha do Papa. O caso do ministro Fux é ilustrativo de um vício de origem que acolhe as naturezas mais voluntariosas e melífluas. Nem por isso as mais condizentes com as expectativas e compromissos intrínsecos às obrigações daquela corte. Por que não democratizar esse processo, se não pelo voto direto, imediato, ao menos para livrá-lo das sombras de onde emergem os ‘Fux’ e assemelhados? A ver. O post Saul Leblon: Eleição direta para evitar novos “Fux” apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  10 horas atrás

Pimenta quer que Helena Chagas explique critérios de verbas para a mídia

por Conceição Lemes  Pedido à ministra Helena Chagas, da Secom/PR, foi formalizado pelo deputado Paulo Pimenta nessa quarta-feira da Assessoria de Imprensa do deputado Paulo Pimenta (PT-RS), via e-mail Na tarde desta quarta-feira (10), o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) protocolou junto ao Gabinete da Liderança do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados requerimento para que a ministra Helena Chagas, da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, explique aos parlamentares petistas os critérios utilizados para o direcionamento da mídia publicitária do Governo Federal. No documento, Pimenta solicita a realização de um seminário, em data a ser definida, a democratização dos meio de comunicação no Brasil e que, além da ministra Helena Chagas, também sejam convidados representantes de blogueiros; das rádios comunitárias; e representante das mídias regionais do Brasil. “Quero levar para dentro da bancada do PT este debate. Já estamos há mais de 10 anos com Governos populares neste País, com o Presidente Lula e agora com a Presidenta Dilma, mas em praticamente nada se alterou a concentração das verbas publicitárias do Governo Federal para os grandes meios de comunicação, em detrimento de uma política de afirmação de uma mídia regional e de formas alternativas de informação” criticou Pimenta. Outra discussão que o deputado tem levantado é o processo de judicialização, orquestrado pelos grandes grupos de comunicação com apoio de um “judiciário conservador” para asfixiar e calar pelo bolso – mesmo método utilizado na época da ditadura – jornalistas independentes e profissionais com atuação em mídias alternativas, como sites e blogs. O episódio mais recente desse processo de judicialização foi contra o site viomundo.com.br, do jornalista Luiz Carlos Azenha, condenado a pagar R$ 30 mil ao diretor de Central Globo de Jornalismo, Ali Kamel. Abaixo o documento enviado à liderança do PT: Leia também Juventude do MST denuncia criminalização de blogueiros; Dilma cala-se Democratização da mídia, na pauta de sindicalistas da AL Pimenta quer que Secom explique destino das verbas publicitárias “Deputados e empresas estão bloqueando votação do Marco Civil da Internet” Blogueiros criam fundo e sugerem Lúcio Flávio como beneficiário Jornalistas experientes aderem ao crowdfunding do Viomundo Paulo Pimenta denuncia judicialização e asfixia econômica dos blogs O post Pimenta quer que Helena Chagas explique critérios de verbas para a mídia apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia.

Lulilma precisa construir uma hegemonia

por redacao
 

Conversa Afiada reproduz artigo de Saul Leblon na Carta Maior:

Não há desenvolvimento sem hegemonia


A inflação oficial de março, divulgada nesta 4ª feira, pode sinalizar a tão ansiada alta dos juros, reclamada há meses pelo rentismo, como se fora um ‘regulador Xavier’ dos males do país.

Não é.

A eventual oscilação da Selic, na reunião do Copom, na próxima semana, em mais 0,25% (a taxa básica de juro é de 7,25%) está longe de ser a panaceia cantada pela ortodoxia. Nem é a catástrofe, nem vai salvar a lavoura.

Na verdade, ela não altera as grandes determinações do quadro econômico e político atual.

O aumento do juro, num cenário em que a inflação incomoda, apenas confirma o quanto ainda se ressente o país de uma carpintaria de forças e planejamento democrático que imprimam, de fato, maior coerência ao processo de desenvolvimento.

A alta dos juros, por um lado, ‘reafirma ao mercado’ a disposição do governo de coibir a espiral dos preços. Ao mesmo tempo, calcifica desafios com os quais o país se debate para destravar o investimento nacional ( hoje abaixo de 20% do PIB).

O caso da indústria é ilustrativo.

O uso da capacidade instalada no setor recuou para 82,6% em fevereiro.Estava em 84,5%, em janeiro.

Portanto, sobra fôlego produtivo, mesmo com o juro em baixa.

Como, então, a reversão dessa tendência ajudaria na desejável retomada do investimento fabril?

Como impedir que ela reacenda a revoada de capitais especulativos que valorizam o câmbio, aceleram importações e definham a competitividade da manufatura brasileira no comércio mundial?

Falta um amálgama nessa equação.

As transformações requeridas no processo de desenvolvimento de qualquer sociedade ensejam conflitos e fricções que a mediação exclusiva do mercado só faz exacerbar.

Nenhuma nação conseguiu estabelecer um ciclo longo de crescimento sem a contrapartida de uma hegemonia política que o sustente.

Um passo importante é ter um sistema de comunicação pluralista, que eleve o discernimento da sociedade sobre os seus desafios e as suas escolhas.

3 horas atrás

Dirceu: Fux prometeu me absolver !

por redacao
 

 

Saiu na Folha (*):

‘Fux disse que ia me absolver’, diz Dirceu sobre julgamento do mensalão


O ex-deputado federal e ex-ministro José Dirceu de Oliveira e Silva, 67 anos, contou ontem sua versão a respeito de uma promessa que teria recebido de absolvição no processo do mensalão. 

Em entrevista ao Poder e Política, programa da Folha e do UOL, Dirceu disse ter sido “assediado moralmente” durante seis meses por Luiz Fux, que era ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) e desejava ir para o STF (Supremo Tribunal Federal). 

A reunião entre ambos ocorreu num escritório de advocacia de conhecidos comuns. Ao relatar esse encontro, Dirceu faz uma acusação grave. O ex-ministro afirma não ter perguntado “nada” [mas Fux] “tomou a iniciativa de dizer que ia me absolver”.

Num outro trecho da entrevista, segundo Dirceu, “ele [Fux], de livre e espontânea vontade, se comprometeu com terceiros, por ter conhecimento do processo, por ter convicção”.

O ex-ministro afirma ainda que Fux “já deveria ter se declarado impedido de participar desse julgamento [do mensalão]“. 

(…)

Clique aqui para ler a entrevista na íntegra.

(*) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que matou o Tuma e depois o ressuscitou; e que é o que é,  porque o dono é o que é; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

4 horas atrás

Fux a Vaccarezza: “mato no peito”

por redacao
 

O deputado Candido Vacarezza revelou, nesta quarta-feira, a este ansioso blogueiro que, numa reunião numa casa em Brasília, com dois empresários e o deputado João Paulo Cunha, o ministro Luiz Fux, do STJ, lhe disse:

“Eu mato no peito”.

Fux quis dizer que, se Vaccarezza e João Paulo apoiassem sua candidatura ao Supremo, ele absolveria os réus do mensalão (o do PT), por falta de provas.

Vaccarezza prefere não identificar os empresários.

Mas, no caso de um processo de impeachment de Fux no Senado, eles seriam, inevitavelmente, identificados.

Como também se saberia quem é o proprietário da casa em que Fux recebeu os convidados para o que José Dirceu chama de “assédio moral”.

Clique aqui para ler “Dirceu: Fux disse que me absolveria”.

Observe, amigo navegante, que, nesta entrevista acima referida, os entrevistadores estão mais aflitos e mais implacáveis que o juiz relator.

Como diz o Mino, no Brasil, os jornalistas são piores que os patrões.

Paulo Henrique Amorim

5 horas atrás

Dirceu lança Cerra em 2014. E compromete Eduardo

por redacao
 

 

Na entrevista em que conta como Fux o assediou moralmente e prometeu que o absolveria (clique aqui para ver que Fux prometeu o mesmo a Vacarezza, João Paulo e a dois empresários), Dirceu fez agudas incursões políticas.

Primeiro, deixou claro que o Padim Pade Cerra será candidato a Presidente, já que ninguém no Brasil lutou tanto por isso.

Dirceu ainda não sabe – mas, breve saberá – se Padim será o candidato do PSDB, depois de passar com o trator por cima do Aécio, já que o Padim tem mais grana e PiG que o Aecio;

Se o Padim será candidato pelo PPS e o PMN;

Ou se vai se compor com o Eduardo.

Clique aqui para ler “Malafaia lança Eduardo e Eduardo rompe com Dilma”.

Dirceu também cria um engenhoso problema para Eduardo.

Não vai deixar o Eduardo falar mal dele, Dirceu, na campanha.

Primeiro, porque Dirceu defende Eduardo na questão dos precatórios.

Depois, diz que Eduardo o defendeu no julgamento do mensalão.

E que Eduardo, gentilmente, sempre o recebe quando vai a Recife.

Portanto, Eduardo vai poder falar mal da Dilma, do Lula e defender o Malafaia, ou seja, o Padim, e até o regime de concessão do pré-sal – o que precisará fazer, breve.

Mas, não vai poder falar mal do Dirceu.

Esse Dirceu …

Paulo Henrique Amorim

6 horas atrás

Malafaia lança Eduardo. Eduardo rompe com Dilma

por redacao
 

 

Saiu no Valor, o PiG (*) cheiroso: 

Campos corteja Malafaia para palanque ‘irreversível’ em 2014


Cotado para disputar a Presidência em 2014, o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, reuniu-se no sábado com o pastor Silas Malafaia, um dos principais líderes evangélicos do país, em busca de apoio. Segundo Malafaia, Campos teria dito que sua candidatura é “irreversível” e que o PSB não é “voto de cabresto” nem “legenda de aluguel” do PT da presidente Dilma Rousseff.

Líder da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Malafaia relatou que na conversa de três horas, no Rio de Janeiro, Campos afirmou estar decidido a lançar-se em 2014. “Ele disse que sua candidatura é irreversível. Afirmou que acredita que vai chegar lá [à Presidência] e que vai fazer melhor. Disse que nenhum partido vai determinar as decisões do PSB e que, apesar de pertencer à base do governo, seu partido é independente. Afirmou que não será voto de cabresto nem legenda de aluguel”, declarou Malafaia ao Valor PRO, serviço em tempo real do Valor.

Malafaia comentou ter gostado de Campos. “Estou doido para que ele seja candidato”.

A assessoria do governador de Pernambuco confirmou o encontro, mas negou o conteúdo da conversa e afirmou que “Campos nunca disse que será candidato”.

Clique aqui e leia mais. 

 

(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

tem a ver comigo

por Betina Siegmann

Edney Souza

Professor, Palestrante, Empreendedor

Luíz Müller Blog

Espaço de divulgação de textos e ações que defendem trabalho decente no Rio Grande e no Brasil

silvio.evanni's Blog

"O HOMEM DEPENDE DO SEU PENSAMENTO" - Informação; Política; Saúde; Cultura; Esporte; Turismo...

Alexandre Melo Franco de M. Bahia

Constituição, Direitos Fundamentais, Diversidade, Teoria do Processo...

ALÔ BRASIL

O caminho para sua salvação é saber a verdade..

Joelson Miranda

ITAQUAQUECETUBA/SP

Para além da aula: blog do Professor Celso

Orientações e dicas para os estudantes do Ensino Médio

Blog do murilopohl

A serviço do PT, Democrático, Socialista e Revolucionário

Enseada Turismo

Sua agência virtual

Blog do EASON

Política, Música & Outros Papos

Poemas e contos da anja e para anja

poemas e contos sensuais e eróticos

following the open way

commenting the content of "The open way"

Mamillus de Venus

TOQUE PERTUBADO NA MENTE SUTIL

nadandonapororoca

Just another WordPress.com site

lolilolapt

Just another WordPress.com site

brazilnotes

Just another WordPress.com site

%d blogueiros gostam disto: