Tag Archive: mundo gay


Saiba como foi o show de estreia da nova turnê da Beyoncé

por noreply@blogger.com (Valmique)
 
 
Hoje começamos o dia falando dela e vamos terminar falando sobre ela também: Beyoncé. Já podemos decretar feriado especial? 😉 
Como sabemos, hoje Beyoncé deu início a sua nova turnê mundial, a “The Mrs Carter Show”, na cidade de Belgrado, Sérvia. A mesma turnê que virá ao Brasil em setembro. Lembrado, que, confrirmado até o momento está o show no Rock In Rio no dia 13 de setembro. Já o show em BH, está em fase final de negociação, como informamos hoje cedo.  
Pelos poucos vídeos e imagens que foram divulgadas até o momento, não é possível falar do show como um todo, mas algumas informações já podemos afirmar: 
– O show tem foco no último disco lançado por Queen B: “4”, de 2011, além de, obviamente,  grandes sucessos.  
– Infelizmente, nada de música “carro chefe” do aguardado novo disco. O que nós do Muza já imaginávamos.  
– As músicas “Bown Down” e “Grown Woman”, aquela do comercial da Pepsi, não estão no set list.  
– A música “I Been On”, a única inédita no set-list, aparece apenas como introdução no início do show. 
– Das Destiny´s Child consta apenas “Survivor”. 
–  Apesar das imagens e vídeos oficiais fazerem referência à realeza e a era francesa e/ou vitoriana, não é essa a linha visual e mesmo do figurino do show. 
– A turnê, pelo que percebemos até agora, parece com a séria de shows que ela fez em maio de 2012 em Las Vegas.  
– Beyoncé homenageia Whitney Houston cantando a clássica “I Will Always Love You” no final do show. 
 Abaixo, o set-list completo
Run the World (Girls) End Of Time Flaws and All Get Me Bodied Baby Boy Diva Party Dance for You Freakum Dress I Care I Miss You schoolin’ Life Why Don’t You Love Me 1+1 Upgrade U Irreplaceable Resentment Love On Top SurvivorCountdown Crazy In Love Single Ladies I Was Here I Will Always Love You/Halo



 

Pai de Dinho, do Mamonas Assassinas, vai processar Marco Feliciano

por mark vynny
 

Mamonas AssassinasHildebrando Alves, pai de Dinho, vocalista do Mamonas Assassinas morto em um acidente de avião em março de 1996, juntamente com os outros integrantes do grupo, entrará com um processo por danos morais, em Brasília, contra o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias na Câmara Federal, o pastor e deputado federalMarco Feliciano (PSC-SP).

Hildebrando afirmou que a ação se deve às declarações de Feliciano durante um culto, em que ele afirmou que Deus teria matado os cantores depois de declarações de afronta a Deus.

Em vídeo, gravado em 1996 e divulgado recentemente na internet, o deputado afirmou que a morte de Dinho e dos outros integrantes do grupo Mamonas Assassinas foi causada por “ira divina”:

“Como deputado tem foro privilegiado, entrarei ainda esta semana com uma ação em Brasília, junto ao advogado da nossa família. Não adianta eu tentar processá-lo aqui por São Paulo”, contou Hildebrando, acrescentando que vai defender o filho. “Quando o Dinho estava vivo e uma revista falou dele, ele foi lá e rebateu. Agora ele não está mais aqui, mas estou e vou representá-lo”.

fonte: UOL

7 horas atrás

Ator Andrew Garfield apoia o casamento gay

por mark vynny
 

“Não há nenhum argumento para ser contra”, diz o bonitão

Andrew Garfield“É claro que sou a favor do casamento homossexual. Casais do mesmo sexo deveriam ter o mesmo direito que todo mundo”. Foi assim que o ator Andrew Garfield respondeu ao jornal “The Times” sobre o que pensa da união civil homo.

O novo Homem-Aranha não vê motivos para alguém ser contra o tema. “Não há nenhum argumento contra a igualdade. Como alguém pode argumentar contra a compaixão e a compreensão?”. Simples assim.

fonte: ParouTudo

8 horas atrás

Ex-BBB Fani diz que foi assediada por atrizes quando revelou ser bissexual

por mark vynny
 

Fani 02A ex-BBB Fani Pacheco, que assumiu que é bissexual, contou em entrevista ao site Ego que sua vida se tornou um “inferno” após esta revelação. Segundo ela, atrizes e ex-colegas de reality ficavam atrás dela para “experimentar” uma relação homoafetiva.

“Me tornei alvo das bissexuais. Eram atrizes, ex-BBBs… Todas queriam transar comigo”, disse ela, afirmando que muitas meninas não famosas também queriam levá-la para a cama.

“E muitas haviam acabado de posar comigo para fotos ao lado do namorado. [Depois] os largavam na pista e no banheiro chegavam e diziam que queriam que a primeira vez delas com mulher fosse comigo”, revelou.

fonte: Cena G

8 horas atrás

Jonathan Knight do New Kids on the Block fala sobre sua saída forçada do armário

por mark vynny
 

Cantor foi obrigado a falar em público sobre homossexualidade após outing forçado há dois anos

Jonathan KnightJonathan Knight, da famosa boy band New Kids on the Block, falou sobre sua saída forçada do armário, em edição recente da revista “Gay Times”.

Quem fez seu outing foi a ex-namorada, a cantora Tiffany, em 2011, ao dizer que ficou várias vezes com ele antes do cantor se tornar gay. Mas segundo Jonathan, o blogueiro Perez Hilton passou anos perseguindo-o querendo que ele assumisse.

“Perez tentou que eu assumisse muitas vezes e eu odeio esse cara por fazer isso. Eu já era gay e tinha estilo de vida gay, mas ele queria que eu falasse sobre isso. Por quê? Meu irmão e o resto dos caras não vão em entrevistas dizendo ‘eu sou hétero”, disse o cantor, em declaração equivocada.

“Então por que eu preciso só porque eu sou gay? Pessoas como ele querem que eu fale sobre isso para se sentirem melhor. Elas pensam ‘eu sou gay, então eu quero ter certeza que todo mundo sabe que eu não sou o único lá fora.’ Eu odeio isso.”

É, acho que Jonathan deveria conversar com Daniela Mercury ou Ricky Martin para ter uma noção da importância que uma declaração como essa tem na vida de milhares de homossexuais oprimidos.

fonte: ParouTudo

8 horas atrás

França: Oposição ao casamento gay eleva tom em fase de votação

por mark vynny
 

Projeto de lei vai ser votado na Assembleia nacional no dia 23 de abril. Grupo contra o casamento gay ‘Hommen’ bloqueou rua de Paris.

França grupo anti-casamento gay 01O projeto de lei que autoriza o casamento homossexual entra na fase final no Parlamento francês, ao mesmo tempo em que se intensificam as ações daqueles que se opõem à reforma social que é considerada a mais importante do governo socialista de François Hollande.

Agressões contra casais homossexuais, ministros vaiados, um trem bloqueado são alguns dos atos dos opositores a esta lei – adotada pelo Senado, após uma semana de acalorados debates -, que manifestam sua raiva após a decisão do governo de modificar o calendário parlamentar para acelerar sua adoção.

O projeto de lei – que desde que foi anunciado fez os setores mais conservadores do país saírem às ruas – começará a ser discutido na quarta-feira (17) na Assembleia Nacional, que deverá votá-lo no dia 23 de abril.

Após a aprovação da Assembleia, onde o partido socialista tem maioria, a lei para legalizar ‘o casamento para todos’, que foi uma das principais promessas eleitorais de Hollande, entrará por fim em vigor.

O voto da Assembleia irá ocorrer após quase um ano de mobilizações a favor e contra esta lei, que deixou tenso o clima social em uma França atingida pela crise econômica e onde a taxa de popularidade de Hollande é baixa.

O ministro das Relações com o Parlamento, Alain Vidalies, declarou nesta segunda-feira que, após 160 horas de debates nesta câmara e a multiplicação de incidentes e manifestações nas ruas, já era hora de virar a página.

‘Em uma democracia, o confronto, inclusive o mais severo, deve ser desenvolvido no Parlamento, e não nas ruas’, afirmou o ministro, advertindo que o movimento opositor está cada vez mais prisioneiro de elementos radicais da extrema direita.

O grupo ‘Manifestação para todos’, onde o peso do integralismo católico e da extrema direita são inegáveis, convocou manifestações em Paris no dias 21 de abril e prevê que as manifestações diretas vão se multiplicar nas próximas semanas.

Nesta segunda-feira, 70 pessoas permaneciam detidas depois de terem sido presas na noite de domingo em frente à Assembleia Nacional, onde se preparavam para montar cerca de dez de barracas.

Na véspera, em Nantes, a polícia não conseguiu impedir o bloqueio de um trem onde viajava Caroline Fourest, uma escritora defensora do casamento homossexual.

França grupo anti-casamento gay 02‘Hollande quer sangue e o terá’, declarou na sexta-feira a comediante Frigide Barjot, uma das principais figuras desse grupo, que acusou o presidente de querer instaurar uma ditadura.

Christine Boutin, ex-ministra do ex-presidente Nicolas Sarkozy, que baseia sua oposição à lei do casamento gay em seus valores cristãos, mencionou o fantasma da guerra civil.

Esta linguagem, e as convocações para novas ações, não contribuíram para diminuir a tensão, que parece que persistirá mesmo depois que a lei for aprovada. ‘Seguiremos protestando inclusive após a promulgação da lei’, advertiu Barjot.

Além do protesto de domingo, os opositores esperam outras manifestações nas próximas semanas para seguir pressionando o governo para que ele abandone o projeto de lei ou o suspenda.

A próxima grande manifestação opositora será realizada no próximo domingo, dois dias antes da votação do texto na Assembleia Nacional. E em 25 de abril, dois dias após a aprovação da Assembleia, será realizada outra mobilização, indicam fontes opositoras, que pretendiam realizar uma passeata também no dia 5 de maio, em ocasião do primeiro aniversário de Hollande como presidente da França.

fonte: G1

8 horas atrás

Bahia: ‘Ex-gay’, pastor e deputado diz que não pode ficar perto de homem

por mark vynny
 

Parlamentar acha que foi curado da AIDS “pela fé” e defende declaração racista de Marco Feliciano

deputado estadual Pastor Sargento Isidório (PSB-BA)O voto é uma coisa que os brasileiros realmente desperdiçam. Vejam só. O deputado estadual Pastor Sargento Isidório (PSB-BA), que deve acreditar, como boa parte dos evangélicos, que homossexuais podem ser curados, não foi tão bem-sucedido assim nesse sentido.

“O pastor é humano. Claro que eu tenho medo de recaída. Eu não posso ficar junto de um homem muito tempo porque a carne é fraca”, declarou o político ao site “Bahia Notícias”.

E ele vai mais longe em suas besteiras ao ratificar a declaração racista que Marco Feliciano (PSC-SP) deu no Twitter. “A viadagem da África, quando viu dois cabras bons, bonitos, musculosos, saiu atrás. (…) O pastor Marco Feliciano falava que por causa do pecado lá naquela região onde a pele é mais negra aconteceu a maldição”.

Ainda não satisfeito, o homem que se declara “ex-homossexual, ex-drogado e ex-bandido” conta ter “quase certeza” de ter sido infectado pelo vírus HIV, mesmo não tendo diagnóstico e que se curou “pela fé”.

Duas coisas ficam claras: o tipo de pessoa que apoia Feliciano e o quão estúpido é o povo ao jogar fora a única coisa que realmente tem valor para mudar o país: o voto.

fonte: ParouTudo

8 horas atrás

Dilma manda equipe não se envolver com polêmica de Marco Felciano e do casamento gay

por mark vynny
 

Coletiva de imprensa com o primeiro ministro Francês François Fillon e a presidente Dilma- 15-12-11Segundo matéria publicada no jornal “Folha de S.Paulo” dessa segunda (15), a presidente Dilma Rousseff não pretende botar a mão nas legislações sobre o aborto e o casamento gay, assim como a própria prometeu em 2010.

“Eu não enviarei ao Congresso Nacional nenhuma medida para alterar legislação nenhuma”, disse Dilma na época.

Para manter a estabilidade com sua base aliada e a população, a presidente mandou sua equipe ficar longe da polêmica em torno da permanência do pastor Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos  e Minorias da Câmara.

Segundo o jornal, a ordem no Palácio do Planalto é manter uma relação de “união estável’ com as denominações evangélicas.

Essa relação de proximidade, fez com que a Igreja Universal ficasse com o Ministério da Pesca em 2012, que foi parar nas mãos de Marcelo Crivella, por conta do apoio dado ao governo na eleições municipais.

O Palácio do Planalto espera, inclusive, que o aborto e o casamento gay não sejam os temas centrais da campanha pela presidência em 2014, para não se comprometerem com os seus aliados.

fonte: A Capa

8 horas atrás

Thammy Miranda dispara no ‘Faustão’: “Ser homossexual não muda o caráter de ninguém”

por mark vynny
 

Thammy Miranda no faustãoThammy Miranda foi uma das convidadas desse último domingo (14) do “Domingão do Faustão”. A atriz falou sobre a mudança que sua personagem Jô passou em “Salve Jorge”.

Thammy disse que quebrou uma barreira pessoal ao dançar “Conga, Conga, Conga”, hit de sua mãe Gretchen.

“Era uma imagem que eu tinha renegado. Parei de usar cabelo comprido não por achar feio, mas por me sentir bem do jeito que sou agora”, disse ela.

A nova atriz também fez um discurso em defesa dos homossexuais. “Estou aqui representando pessoas que gostariam de falar no meu lugar e não podem. Muitas vezes não é escolha, não é culpa nossa. E isso [ser homossexual] não muda o caráter de ninguém”, disse Thammy.

Ao final, Thammy recebeu uma homenagem de Gretchen, que mandou uma mensagem direto de Paris.

“Ninguém sabe metade do que você passou. Conto agora para o Brasil inteiro, tenho muito orgulho de ver o Brasil se curvando para você”, disse, emocionada, a cantora.

“Você é vitoriosa, não nega o nosso sangue de batalhar e vencer os desafios. Muitas pessoas, até próximas de nós, que te deram as costas, têm agora que se curvar ao seu sucesso”, continuou Gretchen.

Thammy, em meio a muitas lágrimas, agradeceu a mãe. “Estou aqui representando também a mulher que você é. Agradeço a você, meu pai, minha família por estarem do meu lado e estou muito feliz de dar orgulho para vocês”.

O programa, que vinha perdendo da Record nas últimas edições, teve pico de 21 pontos no Ibope com a participação da nova atriz global.

fonte: A Capa

Artigo: Você viu um homossexual por aí?

por Homorrealidade
 
   Publicado pela Folha Artigo de Alexandre Vidal Porto*   Ao longo dos últimos 40 anos, no mundo ocidental, a luta pela igualdade jurídica dos homossexuais obteve conquistas notáveis. De tema proscrito, passou à vanguarda do debate sobre direitos humanos. Cuba, que nos anos 60 mantinha campos de “reeducação” para gays, promove agora políticas de inclusão.   Nesta última semana, foi a vez do Uruguai, que aprovou o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Sexta(12), a França também deu um passo importante nessa direção com a aprovação pelo Senado de um projeto que deve entrar em vigor até o meio do ano.   No caso do Brasil houve avanços, mas o que se oferece aos gays em termos de proteção e respeito social é pouco em comparação ao que fazem países culturalmente próximos, como Argentina ou Portugal.   Parte do Congresso brasileiro busca minar a consolidação de direitos das minorias sexuais com argumentos condenatórios, toscos e obscurantistas, de cunho radical religioso.   Ajuda a compor o retrato do homossexual no imaginário popular a repetição incansável de personagens gays estereotipados em programas de televisão. No final, a imagem que fica é que os gays ou são patéticos, ou amaldiçoados.   O fato de que um discurso desqualificador da homossexualidade possa ser explorado politicamente ou como fonte de humor é lamentável. Mas faz parte de nossas mazelas. Não é por acidente que o Brasil ocupa o 84º lugar no ranking de desenvolvimento humano da ONU, com índice inferior à média da América Latina e do Caribe.   Toda superação de preconceitos exige ampliação de conhecimentos. No caso específico, os homossexuais brasileiros devem assumir a liderança desse processo educativo. A exemplo do que ocorreu em outros países, cabe a eles mostrar à sociedade quem realmente são.   O ato mais político que um homossexual pode realizar é assumir-se como tal. Engajar-se pessoalmente na luta pela mudança de percepção. Dar cara, nome e profissão à homossexualidade.   Chamar a atenção para o fato de que o gay ridicularizado pelo apresentador de televisão ou atacado na rua pode ser o filho que você ama, o irmão que você admira, o seu melhor amigo de infância ou o médico que salvou a sua vida.   Cada gay que sai do armário traz amigos e parentes para a sua luta. O apoio público de pessoas influentes e admiradas, seja um empresário de peso, um político respeitado ou um artista de renome, dá segurança e respaldo a um ato radical, mas necessário, de afirmação pessoal, que contribui para uma sociedade mais democrática e inclusiva.   Foi essa a lição que Daniela Mercury deu ao Brasil na semana passada. Que não é preciso ser triste, irresponsável e fracassado para ser gay, que não há nada de feio ou indigno na expressão de seu amor.   E que a despeito do que diga o pastor ou o programa humorístico, a homossexualidade não é ridícula e nada tem a ver com maldição.   Daniela fez a sua parte. Deixou claro que o Brasil já gosta de homossexuais. Só precisa saber quem eles são. Cabe a nós apresentá-los.     * Alexandre Vidal Porto é escritor e diplomata. Mestre em direito pela Universidade Harvard, trabalhou nas embaixadas em Santiago, Cidade do México e Washington e na missão do país junto à ONU, em Nova York. Escreve aos sábados, a cada duas semanas, no caderno “Mundo” da Folha.    
10 horas atrás

Secretário Nacional do PSC (partido de Feliciano) se diz a favor do casamento gay e revela que partido tem gays

por Homorrealidade
 
   Publicado pelo Diário de Pernambuco   Não bastassem as polêmicas geradas pelo pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP) frente à opinião pública, deputados e ministros, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal começa a encontrar posições e opiniões contrárias às suas dentro do próprio Partido Social Cristão (PSC)   O secretário nacional do partido, membro da executiva e presidente do diretório em Minas, onde foi fundada a legenda cristã, Antonio Oliboni revelou que é a favor do casamento gay e que o PSC tem homossexuais assumidos em seus quadros no Rio, Bahia e Paraná. Diz ter “muitos amigos gays”, mas frisou que pessoalmente é contra a adoção de crianças por casais gays. “A criança tem que ter a presença das figuras paterna e materna”. O secretário afirmou ainda que se fosse deputado, votaria a favor da união homoafetiva.   As declarações, no entanto, não indicam que o PSC vai pressionar Feliciano, em respeito à ideologia pessoal do deputado. “Marco Feliciano é um bom rapaz e sua atuação como pastor tem sido confundida com sua atuação como político”, comentou.   Perguntado sobre o fato de Feliciano ter dito em pregações ser o negro “amaldiçoado”, Oliboni o defendeu com o argumento de que isto poderia ter sido “uma afirmação que ele fez num culto, talvez para explicar alguma mensagem específica a alguns de seus fiéis naquele momento”.   Disse que, a exemplo de outros partidos, o PSC grava filmes para inserções permitidas por lei na televisão em rede nacional e que partido não vai fugir à polêmica da presença do deputado Feliciano na Comissão de Direitos Humanos.    

Campanha contra homofobia iniciada por torcidas em BH ganha novas adesões pelo país

por Homorrealidade
 
   Publicado pelo UOL Esportes Por Bernardo Lacerda   O movimento das torcidas de futebol do Brasil, via redes sociais, contra a homofobia, que teve o Atlético-MG como pioneiro, continua ganhando adesões de torcedores de outros clubes e segue unindo rivais históricos. Depois de adeptos do Cruzeiro, Palmeiras e Corinthians também criarem páginas no facebook, foi a vez da dupla Grêmio e Internacional e do Bahia se juntarem à campanha, que começa a se tornar nacional.   Assim como os outros times do futebol brasileiro, a dupla GreNal entrou na luta contra a homofobia. Torcedores dos dois times criaram páginas chamadas “Queerlorado” e “Grêmio Queer no Facebook”. Parte da torcida do Bahia, por sua vez, adotou a medida e também divulgou a página.   “Gremistas também estão pelo respeito à diversidade no futebol! Vamos usar este espaço para debater o respeito às diferenças por um futebol sem homofobia, machismo, racismo e sexismo”, escreveu o administrador da página “Grêmio Queer”.   “Essa página foi idealizada por torcedores/as do EC BAHIA no intuito de dizer BASTA ao machismo, homofobia sexismo e racismo no futebol brasileiro. Nosso amor pelo EC BAHIA e por futebol não combina com nenhuma forma de preconceito e violência”, disse o dono da página do Bahia, que não se identificou.       A página da dupla de times do Sul do Brasil tem recebido apoio. Ao todo, são mais de 700 curtidas de torcedores do Internacional e também do Grêmio. Porém, como aconteceu com os outros movimentos, as críticas também foram grandes por meio do Facebook.   “Neste exato momento estou inclinado a deixar todas estas postagens absurdas que temos recebido, de torcedores do NOSSO TIME”, escreveu o idealizador da página “Queerlorado”, referindo-se aos xingamentos à iniciativa.   A primeira página no facebook a criar o movimento de luta contra a homofobia e que foi seguida por torcidas de Palmeiras, Corinthians, Internacional, Grêmio, Bahia e Cruzeiro, foi a “Galoqueer” feita pela torcida do Atlético. Idealizadora e dona da página, que prefere não se identificar, pretende levar o movimento para dentro dos estádios, durante os jogos.       O nome escolhido, “Galo Queer”, página criada na terça-feira da semana passada, faz referência ao termo inglês que significa algo estranho, fora do comum ou padrões. Mas é utilizado erroneamente no Brasil para se referir a homossexuais. Na última quinta-feira, inspirados na ideia atleticana, cruzeirenses também criaram uma página semelhante, chamada “Cruzeiro/Anti-homofobia”.  

Conheça 4 mitos sobre filhos de pais gays

por Luis Soares
 

A união estável entre casais homossexuais é uma conquista aprovada pelo STF. Entre outras batalhas que ainda perduram, um próximo passo pode ser pensar em família e filhos. Mas o que acontece com crianças que são criadas por gays? A resposta: algumas coisas – mas nenhuma daquelas que você imaginava

Começo de ano é sempre igual na escola de Theodora: cada aluno se apresenta e mostra as fotos da família. Pode ser que a menina da primeira carteira seja filha de um engenheiro e uma arquiteta e o pai do menino de cabelos vermelhos chefie a cozinha de um restaurante. Theodora, naturalmente, vai contar sobre a escola de cabeleireiros dos pais. Dos dois pais – Vasco Pedro da Gama e Júnior de Carvalho, juntos há quase 20 anos.

casal gay filhos

(Foto: Getty Images)

Theodora não hesita em explicar para os colegas: não mora com a mãe e tem dois pais gays. Ela passou 4 anos num orfanato, até 2006, quando uma juíza de Catanduva, interior de São Paulo, autorizou a adoção. Nos próximos meses, a família vai crescer: o casal espera a guarda de uma nova menina, de apenas alguns meses de idade.

Na outra metade do mundo, a história com pais gays da americana Dawn Stefanowicz foi diferente. Por toda a vida, Dawn conviveu com a visita dos vários namorados do pai. Ele recebia homens em casa, embora ainda morasse com a mãe de Dawn- o casal já não se relacionava. Ela segurou as pontas em silêncio durante a infância, adolescência e início da fase adulta. Mas depois dos 30 se rebelou contra a situação. “A decisão do meu pai de não gostar mais de mulheres mudou minha vida. Os namorados dele sempre o afastaram, e ele colocava o trabalho e os namorados acima de mim”, diz.

Dawn e Theodora fazem parte de um novo tipo de família. Somente nos EUA, segundo estimativa da Escola de Direito da Universidade da Califórnia, 1 milhão de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais criam atualmente cerca de 2 milhões de crianças. E cada vez mais casais gays optam por criar seus próprios filhos. Segundo o mesmo instituto, em 2009, 21.740 casais homossexuais adotaram crianças – quase o triplo do número de 2000. A estimativa é que cerca de 14 milhões de crianças, em todo o mundo, convivam com um dos pais gays. Por aqui, onde mais de 60 mil casais gays vivem numa união estável (reconhecida perante a lei apenas no ano passado), a história é mais recente. O caso de Theodora foi a primeira adoção por um casal gay. E isso não faz tanto tempo assim – só 6 anos.

É justamente por ser tão recente que o assunto gera dúvidas, preconceitos e medos. Quais as consequências na personalidade de uma criança se ela for criada por gays? A resposta dos estudos é bem clara: perto de zero. “As pesquisas mostram que a orientação sexual dos pais parece ter muito pouco a ver com com o desenvolvimento da criança ou com as habilidades de ser pai. Filhos de mães lésbicas ou pais gays se desenvolvem da mesma maneira que crianças de pais heterossexuais”, explica Charlotte Patterson, professora de psiquiatria da Universidade da Virginia e uma das principais pesquisadoras sobre o tema há mais de 20 anos.

Leia também

Como, então, explicar as queixas de Dawn e a vida tranquila de Theodora? “O desenvolvimento da criança não depende do tipo de família, mas do vínculo que esses pais e mães vão estabelecer entre eles e a criança. Afeto, carinho, regras: essas coisas são mais importantes para uma criança crescer saudável do que a orientação sexual dos pais”, diz Mariana Farias, psicóloga e autora do livro Adoção por Homossexuais – A Família Homoparental Sob o Olhar da Psicologia Jurídica. Enquanto Theodora mantém uma relação próxima dos pais, com conversas abertas sobre sexualidade, Dawn não teve a mesma sorte. Para piorar, ela cresceu em um ambiente ríspido e promíscuo (o pai levava diferentes homens para casa e não lhe deu atenção durante os anos mais importantes de sua formação). Mesmo assim, sobram mitos em torno da criação de filhos por pais e mães gays. Veja aqui o que a ciência tem a dizer sobre eles.

Mito 1. “Os filhos serão gays!”

A lógica parece simples. Pais e mães gays só poderão ter filhos gays, afinal, eles vão crescer em um ambiente em que o padrão é o relacionamento homossexual, certo? Não necessariamente. (Se fosse assim, seria difícil, por exemplo, explicar como filhos gays podem nascer de casais héteros.) Um estudo da Universidade Cambridge comparou filhos de mães lésbicas com filhos de mães héteros e não encontrou nenhuma diferença significativa entre os dois grupos quanto à identificação como gays. Mas isso não quer dizer que não existam algumas diferenças. As famílias homoparentais vivem num ambiente mais aberto à diversidade – e, por consequência, muito mais tolerante caso algum filho queira sair do armário ou ter experiências homossexuais. “Se você cresce com dois pais do mesmo sexo e vê amor e carinho entre eles, você não vê nada de estranho nisso”, conta Arlene Lev, professora da Universidade de Albany. Mas a influência para por aí. O National Longitudinal Lesbian Family Study é uma pesquisa que analisou 84 famílias com duas mães e as comparou a um grupo semelhante de héteros. Ainda entre as meninas de famílias gays, 15,4% já experimentaram sexo com outras garotas, contra 5% das outras. Já entre meninos, houve uma tendência contrária: 5,6% nos adolescentes criados por mães lésbicas tiveram experiências sexuais com parceiros do mesmo sexo – mas menos do que os que cresceram em famílias de héteros, que chegaram a 6,6%. Ou seja, não dá para afirmar que a orientação sexual dos pais tenha o poder de definir a dos filhos.

Mito 2. “Eles precisam da figura de um pai e de uma mãe”

Filhos de gays não são os únicos que crescem sem um dos pais. Durante a 2ª Guerra Mundial, estima-se que 183 mil crianças americanas perderam os pais. No Brasil, 17,4% das famílias são formadas por mulheres solteiras com filhos. Na verdade, os papéis masculino e feminino continuam presentes como referência mesmo que não seja nos pais. “É importante que a criança tenha contato com os dois sexos. Mas pode ser alguém significativo à criança, como uma avó. Ela vai escolher essa referência, mesmo que inconsciente-mente”, explica Mariana Farias. Se há uma diferença, ela é positiva. “Crianças criadas por gays são menos influenciadas por brincadeiras estereotipadas como masculinas ou femininas”, diz Arlene Lev. Uma pesquisa feita com 56 crianças de gays e 48 filhos de héteros apontou a maior probabilidade de meninas brincarem com armas ou caminhões. Brincam sem as amarras dos estereótipos e dos preconceitos.

Mito 3. “As crianças terão problemas psicológicos por causa do preconceito!”

Elas sofrerão preconceito. Mas não serão as únicas. No ambiente infantil, qualquer diferença – peso, altura, cor da pele – pode virar alvo de piadas. Não é certo, mas é comum. Uma pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas com quase 19 mil pessoas mostrou que 99,3% dos estudantes brasileiros têm algum tipo de preconceito. Entre as ações de bullying, a maioria atinge alunos negros e pobres. Em seguida vêm os preconceitos contra homossexuais.

casal gay filhos

Pais homossexuais e filhos adotados. (Foto: Getty Images)

No caso dos filhos de casais gays analisados pelo National Longitudinal Lesbian Family Study, quase metade relatou discriminação por causa da sexualidade das mães. Por vezes, foram excluídos de atividades ou ridicularizados. Vinte e oito por cento dos relatos envolviam colegas de classe, 22% incluíam professores e outros 21% vinham dos próprios familiares. Felizmente, isso não é sentença para uma vida infeliz. Pesquisas que comparam filhos de gays com filhos de héteros mostram que os dois grupos registram níveis semelhantes de autoestima, de relações com a vida e com as perspectivas para o futuro. Da mesma forma, os índices de depressão entre pessoas criadas por gays e por héteros não é diferente.

Mito 4. “Essas crianças correm risco de sofrer abusos sexuais!”

Esse mito é resquício da época em que a homossexualidade era considerada um distúrbio. Desde o século 19 até o início da década de 1970, os gays eram vistos como pervertidos, portadores de uma anomalia mental transmitida geneticamente. Foi só em 1973 que a Associação de Psiquiatria Americana retirou a homossexualidade da lista de doenças mentais. É pouquíssimo tempo para a história. O estigma de perversão, sustentado também por líderes religiosos, mantém a crença sobre o “perigo” que as crianças correm quando criadas por gays. Até hoje, as pesquisas ainda não encontraram nenhuma relação entre homossexualidade e abusos sexuais. Nenhum dos adolescentes do National Longitudinal Lesbian Family Study reportou abuso sexual ou físico. Outra pesquisa, realizada por três pediatras americanas, avaliou o caso de 269 crianças abusadas sexualmente. Apenas dois agressores eram homossexuais. A Associação de Psiquiatria Americana ainda esclarece: “Homens homossexuais não tendem a abusar mais sexualmente de crianças do que homens heterossexuais”.

Dá para adotar no Brasil?

A lei de adoção brasileira deixa brechas para a adoção por gays sem fazer referência direta a esse tipo de família. Em 2009, quando houve mudanças na legislação, casais com união estável comprovada puderam entrar com pedido de adoção conjunta, sem o casamento civil. Em maio de 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) garantiu o reconhecimento de união estável entre pessoas do mesmo sexo, fazendo valer também a eles os direitos previstos para casais héteros. Apesar das conquistas, uma pesquisa do Ibope revelou que 55% dos brasileiros são contra a união estável e a adoção de crianças por casais homossexuais.

Para saber mais

Adoção por Homossexuais – A Família Homoparental sob o Olhar da Psicologia Jurídica
Mariana de Oliveira Farias e Ana Cláudia Bortolozzi, Juruá, 2009.

Carol Castro, em Super Interessante

O post Conheça 4 mitos sobre filhos de pais gays apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

2 horas atrás

A cidade com hortas que oferecem alimentos gratuitos a seus moradores

por Luis Soares
 

Cidade inglesa é tomada por hortas que oferecem alimentos gratuitos a seus moradores

horta todmorden

Todmorden, a cidade que virou uma imensa horta coletiva (Divulgação)

Todmorden é uma pequena cidade da Inglaterra, na qual seus 17 mil habitantes podem se alimentar de graça. Como? Há cinco anos nasceu o projeto The Incredible Edible Todmorden (A incrivelmente comestível Todmorden), que consiste no cultivo de hortas coletivas em espaços públicos da cidade. Todo alimento cultivado nestes locais está disponível para qualquer morador consumir. E de graça.

São mais de 40 cantos comestíveis espalhados por Todmorden: desde banheiras nas ruas até o quintal da delegacia da cidade, passando por jardins de centros de saúde e do cemitério local. A ideia é incentivar que toda comunidade cultive seus próprios alimentos e pense melhor sobre os recursos que consome.

Demorou dois anos para que a ideia de colher uma fruta, verdura ou hortaliça plantada por outra pessoa fosse aceita pela população. Na primeira reunião eram apenas seis pessoas. Hoje, o conceito já é aceito por grande parte dos moradores de Todmorden e inclusive é trabalhado na escola local. Tal prática ainda trouxe o benefício de estreitar a relação entre vizinhos. Bacana, não é?

“Não fazemos isso porque estamos entediados, mas porque queremos dar início a uma revolução”, diz Pam Warhurst, cofundadora do projeto, durante sua palestra no TEDSalon, em Londres. “As pessoas querem ações positivas nas quais possam se engajar e, bem no fundo, sabem que chegou a hora de assumir responsabilidades e investir em mais gentileza com o outro e com o meio ambiente”.

Claro que transformar todo espaço público de uma cidade em hortas comunitárias não é tarefa fácil. Mas com empenho e mobilização de vizinhos é perfeitamente possível começar a cultivar em seu bairro!

Planeta Sustentável

O post A cidade com hortas que oferecem alimentos gratuitos a seus moradores apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

2 horas atrás

Maior Concurso Público do Brasil em 2013 já conta com 800 mil inscritos

por Luis Soares
 

Dados preliminares apontam seleção para o Ministério Público da União como a mais cobiçada no país em 2013, até agora. Concorrência geral passa dos 5 mil candidatos por vaga. Número final de inscrições, porém, só será conhecido depois do dia 19

Os dados ainda são preliminares, mas suficientes para apontar o concurso do Ministério Público da União (veja o edital) como o mais cobiçado do país em 2013. Pelo menos até agora. Balanço parcial divulgado pelo MPU mostra que, até o momento, foram registradas 349 mil inscrições para cargos de nível médio e 449 mil para analista. Ou seja, 798 mil inscrições – maior número registrado no país este ano. O total de postulantes, porém, só será conhecido após o dia 19 de abril, quando termina o prazo de pagamento da taxa de inscrição. Há expectativa de que o número de candidatos inscritos ultrapasse a marca de 1 milhão. Ao todo, são oferecidas 147 vagas imediatas, além de cadastro de reserva. A concorrência geral será acirrada: 5.428 por vaga. A demanda por cargo ainda não foi informada e será conhecida junto com o resultado final do processo de inscrição.

mpu concurso

Imagem da Procuradoria-Geral da República, sede administrativa do Ministério Público da União (Divulgação)

As adesões contabilizadas até agora já superaram os 754.791 candidatos que concorreram às vagas do último concurso, ocorrido em 2010, quando foram oferecidas 594 oportunidades. Conforme o edital elaborado pelo Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), que também foi responsável por organizar o processo seletivo há três anos, só depois de processadas todas as inscrições será informado o total de inscritos que farão as provas marcadas para 19 de maio.

As 147 vagas imediatas estão distribuídas por todo o país. São 38 cargos para analistas do MPU com formação em Direito e 109 para técnico administrativo, função que exige nível médio completo. Os aprovados receberão remuneração inicial de R$ 4.575 e R$ 7.506, conforme a escolaridade. As provas estão previstas para o dia 19 de maio.

Na expectativa

O elevado número de interessados pelo MPU tem uma explicação. Na última seleção, o edital previa a convocação de menos de 600 pessoas. Mas foram aproveitados mais de 5 mil aprovados. Com a mudança no prazo de validade do concurso, de um para dois anos, prorrogável por igual período, espera-se que a quantidade de novos servidores nomeados seja ainda maior.

Leia também

A ampliação da força de trabalho na Procuradoria-Geral da República ocorreu, principalmente, depois da entrada em vigor, em 2010, da lei que criou 10.479 novos cargos, ação consequente da ampliação da estrutura do MPU.

Diferentemente do que ocorre no Executivo, o Ministério Público da União não tem limitação legal para convocar aprovados nem para aproveitar os servidores administrativos nos diversos ramos que compõe o MPU: Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho, Ministério Público Militar, Ministério Público do Distrito Federal e Territórios.

De acordo com o presidente da comissão interna responsável pelo concurso, procurador da República Bruno Freire de Carvalho Calabrich, a intenção do MPU é começar a chamar os aprovados imediatamente após o fim da seleção, o que deve ocorrer no início do próximo semestre. A escolha pelos cargos de analista na área de Direito e de técnico administrativo é uma demonstração das necessidades mais imediatas, porém, não é descartada a realização de mais um concurso público para os cargos ainda não contemplados.

Congresso em Foco

O post Maior Concurso Público do Brasil em 2013 já conta com 800 mil inscritos apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

2 horas atrás

Maioria petista aprova projeto tucano de homenagem à ROTA

por Luis Soares
 

Vereadores do PT assinam projeto que homenageia a Rota por atuação na ditadura militar. A troco de quê?

rota-telhada-ditadura

Maioria dos vereadores do PT votou a favor do projeto que homenageia a ROTA, de autoria do Coronel Paulo Telhada (PSDB)

A maioria dos vereadores petistas da Câmara Municipal de São Paulo votou a favor do projeto de lei que irá homenagear a Rota (Ronda Ostensiva Tobias de Aguiar) com uma salva de prata. De autoria do ex-coronel do batalhão e vereador pelo PSDB Paulo Telhada, o objetivo é, segundo o tucano, “homenagear o Batalhão pelos relevantes serviços prestados a sociedade brasileira e, em especial, ao povo do Estado de São Paulo”.

No texto do projeto, Telhada destaca a atuação da Rota durante a ditadura civil-militar, que perseguiu guerrilheiros como Carlos Lamarca e Carlos Marighella. “Mais uma vez dentro da história, o Primeiro Batalhão Policial Militar ‘TOBIAS DE AGUIAR’, sob o comando do Ten Cel SALVADOR D’AQUINO [fundador da Rota], é chamado a dar sequência no seu passado heróico, desta vez no combate à Guerrilha Urbana que atormentava o povo paulista (sic)”, diz trecho do texto.

Dos 55 vereadores da casa, 34 deram o aval ao projeto. Como era de se esperar, dois integrantes da chamada “bancada da bala”: Conte Lopes (PTB) e o coronel Camilo (PSD).

Na lista, também figuram vereadores do PSDB (Andrea Matarazzo e Mário Covas Neto, por exemplo), PV (Gilberto Natalini), PPS (Ricardo Young), PMDB (Rubens Calvo), PSB (Noemi Nonato e Ota) e PRB (Jean Madeira).

Nenhuma surpresa.

O espantoso é que sete dos 11 vereadores do PT são signatários (veja lista abaixo).

A proposta de Telhada tramita na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, que vai julgar o mérito nos próximos dias.

Os vereadores do PT que assinaram:

Alessandro Guedes
Alfredo Alves Cavalcante (Alfredinho)
Arselino Tatto
Jair Tatto,
Paulo Batista dos Reis (Reis)
Senival Moura
Valdemar da Silva (Vavá)

Os vereadores do PT que NÃO assinaram:

Juliana Cardoso
Nabil Bonduki
Paulo Fiorillo
José Américo

Brasil de Fato

O post Maioria petista aprova projeto tucano de homenagem à ROTA apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

3 horas atrás

Branquear a pele para limpar o espírito? Seita é investigada por racismo

por Luis Soares
 

Clareamento do espírito, a partir do branqueamento da pele – Seita é investigada por racismo e eugenia

O historiador Marcelo Ribeiro Borges acusa a seita União do Vegetal (UDV) de disseminar uma doutrina que promove o racismo e a eugenia, relacionando a depuração da pele como purificação da alma. A denúncia foi feita ao Ministério Público Federal e encaminhada a Polícia Federal, que investiga o caso. “O que está sendo denunciado é a existência de uma doutrina que apregoou o racismo no Brasil, que apregoou a superioridade da raça branca e a inferioridade dos povos e culturas de origem indígena e africana. Então, o que nos solicitamos ao Ministério Público Federal é a investigação sobre a existência dessa doutrina e a reflexão se é legítimo ou não existir esse tipo de organização”, argumenta o pesquisador.

Marcelo Borges, que é adepto ao chá do Santo Daime, diz ter tido acesso a União do Vegetal (UDV) durante a pesquisa para escrever um livro sobre a Ayahuasca – erva usada para fazer o chá do Santo Daime -, no norte do Brasil. O historiador relata que tomou conhecimento dos ensinamentos racistas em 2003, quando foi convidado a participar de uma sessão com mestres e conselheiros da seita. “Em 2003 e 2004 pude conhecer a UDV, na sua fonte, no estado de Rondônia, Porto Velho e no Acre. A partir do momento que eu fiz parte de uma instância mais fechada dentro UDV, conhecido como corpo instrutivo, ou sessão instrutiva, eu recebi diretamente a orientação por parte de mestres e conselheiros sobre o princípio de clareamento do espírito a partir do branqueamento da pele” explica Marcelo.

união do vegetal seita

Flávio Mesquita da Silva, presidente da União do Vegetal. (Foto: Divulgação)

O pesquisador afirma ter ouvido e presenciado uma série de depoimentos que confirmariam o racismo, inclusive, uma gravação em áudio dos pioneiros da UDV, conhecido como conselho da recordação, que também afirmariam a história.

Marcelo foi um dos associados ao núcleo Rei Inca, que funciona em uma Chácara, em Aparecida de Goiânia. De acordo com ele, aqui no Estado também existem possíveis vítimas da seita. “A partir da minha própria experiência, pessoas que foram vítimas daqueles que promovem o aliciamento e a disseminação da doutrina racista. O ponto central que fique claro é que os representantes da UDV sejam ouvidos pela Polícia Federal”, conclui.

A denúncia chegou até o núcleo de investigação da Rádio 730 por meio de um vídeo, no qual o membro da Pastoral Afro-Achiropita, o teólogo Guilherme Botelho Júnior, usa a tribuna da Assembleia Legislativa de São Paulo para alertar sobre o possível crime.

Leia também

Ele citou trechos do livro a “História da Criação” que fazem menção a um possível crime de racismo e eugenia. O livro foi escrito pelo fundador da seita União do Vegetal conhecido por mestre Gabriel.

Defesa UDV

Representantes da União do Vegetal foram procurados em Aparecida, mas apenas o zelador estava na Chácara. Por telefone, o mestre Iran Medeiros Moreira, como é chamado dentro do núcleo Rei Inca, diz que todos estão perplexos com as acusações. Explicou que a União do Vegetal prega a raça única, sem distinção de cor, crédulo ou nacionalidade, o que poderia derrubar o embasamento da denuncia. “Eu nunca ouvi isso. Agora, em junho, completam 20 anos que eu participo da União do Vegetal. Eu nunca ouvi isso, em nenhum momento dentro da nossa doutrina. É um absurdo dizer que a União do Vegetal ensina isso, quem está dizendo não sabe do que está falando, não conhece a nossa doutrina, não conhece os nossos valores”, disse o representante da seita.

Ainda em defesa da União do Vegetal, Iran argumentou que o fundador da seita era mestiço de negro, branco e índio e que os primeiros dirigentes também eram negros. Ainda de acordo com ele uma pessoa racista é considerada de pouca evolução espiritual. “Essa denúncia é absolutamente infundada. Eu mesmo jamais ficaria em um lugar que adota pratica de racismo ou discriminação, e muitas das pessoas da nossa irmandade são negras”. Iran Medeiros diz que dirigentes da União do Vegetal em Brasília, onde fica sede da UDV, já prestaram depoimento na Polícia Federal. Ele acrescenta que Marcelo Borges está sendo processado pela seita por calúnia, injúria e difamação, por ter um livro com acusações caluniosas contra a UDV.

A discriminação racista é considerada crime pela Constituição Federal que apresenta diversas formas de punição para estes casos. O crime é investigado pela Polícia Federal porque representa o ódio ou aversão a todo um grupo. O racismo é um delito de ordem coletiva, que ataca não somente a vítima, mas todo o ideal de dignidade humana. É um crime considerado hediondo pela Carta Magna da República Federativa do Brasil.

Por e-mail, a Polícia Federal esclareceu que o pedido de instauração de inquérito foi feito pela procuradora Eliana Pires. O argumento central da representação baseia-se em um dos fundamentos da doutrina de que “A luz branca representa a bondade e a divindade, enquanto a preta, a malignidade”. A Polícia Federal já começou a ouvir os envolvidos, mas pode sugerir o arquivamento do inquérito, caso o historiador não apresente testemunhas que confirmem o crime. A PF acrescenta, que, se Marcelo Borges não comprovar a acusação, ele pode ser denunciado por possível prática de crime de denunciação caluniosa. A Polícia Federal tem o prazo de 90 dias para concluir o inquérito, prorrogáveis por mais 30.

Geledés

O post Branquear a pele para limpar o espírito? Seita é investigada por racismo apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

4 horas atrás

Marco Feliciano ataca católicos: ‘religião morta e fajuta’

por Luis Soares
 

Pastor Marco Feliciano, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, diz que católicos adoram Satanás e têm corpo ‘entregue à prostituição’

Em um vídeo que circula na internet, repleto de críticas à Igreja Católica, o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) afirma que os católicos adoram Satanás e que têm o corpo “entregue à prostituição” e “a todas as misérias dessa vida”. Na pregação, cuja data não é informada, Feliciano chama a religião católica de “morta e fajuta” e critica o hábito de usar crucifixos de Jesus no pescoço, comum entre os católicos.

feliciano católicos satanás

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Marco Feliciano afirma em vídeo que adoração de católicos é ‘avivamento de Satanás’ (Foto: Agência Câmara)

“Eu conheço o Deus de Paulo (São Paulo). Não é o Deus dessa religião morta e fajuta em que você está. Se há algum católico entre nós aqui, o que eu duvido muito, mas, se tiver, deixa eu explicar uma coisa. Primeiro: você não pode sentir aquilo que nós sentimos sem experimentar o Deus que nós sentimos. ‘Não, pastor, não, pastor, mas eu sou carismático. Eu até aprendi a falar em línguas, colocaram uma fita no rádio e eu decorei.’ Esse avivamento é o avivamento de Satanás”, grita, com raiva, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.

Leia também

“Porque o avivamento que provém de Deus, você não precisa ouvir fita para aprender. Você não pode experimentar o mesmo avivamento que eu porque o seu Deus não é o mesmo Deus que o meu Deus”, prega Feliciano, aos berros, incensando os fiéis.

As imagens originais haviam sido encontradas pelo jornal Extra há uma semana, em um canal da Assembleia de Deus no YouTube. No entanto, o vídeo foi removido pelo usuário no fim de semana. Outros internautas, porém, já haviam feito uma cópia e voltaram a postá-la.

“O meu Deus exige santidade. Santidade física e santidade de alma. Não adianta dizer que seu coração é de Deus, mas o seu corpo está entregue à prostituição, à idolatria e a todas as misérias dessa vida. Quem é de Deus louva a Deus até no seu corpo”, grita o pastor ao microfone, enquanto dá um tapa no púlpito e um pulinho.

Embora afirme não ser homofóbico, Feliciano inclui os homossexuais na mesma pregação.

“O meu Jesus não foi feito para ser enfeite de pescoço de homossexual nem de pederasta nem de lésbica”, conclui.

Jornal Extra

O post Marco Feliciano ataca católicos: ‘religião morta e fajuta’ apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

5 horas atrás

Eleições na Venezuela: vitória de Maduro representa novos desafios

por Luis Soares
 

Vitória de Maduro é incontestável, mas representa novos desafios. Próxima etapa da revolução bolivariana deverá combinar participação estatal com capital privado, nacional ou estrangeiro

O resultado eleitoral venezuelano, com o triunfo do candidato chavista, é fato político amparado pela Constituição local. A reduzida vantagem de Nicolás Maduro sobre o direitista Henrique Capriles, inferior a trezentos mil votos (menos de 2% dos apurados), não anula a legitimidade do processo ou do mandato conquistado nas urnas. Com mais de 50% dos eleitores sufragando o sucessor de Hugo Chávez, a regra democrática está sendo seguida à risca. A maioria, mesmo por escassa margem, tem o direito de decidir o destino nacional.

A oposição conservadora pode estrilar e urrar, o que também está dentro do jogo, desde que não volte a recorrer ao golpismo e à violência. Mas não há qualquer elemento concreto e provado que coloque sob suspeita a peleja institucional deste domingo (14/04). A história, diga-se, está cheia de situações semelhantes. Na mais célebre entre essas, nos Estados Unidos, John Kennedy (assassinado em 1963) venceu Richard Nixon, em 1960, por apenas 0,1% dos votos. Quem venceu, levou. Quem foi derrotado, voltou para a fila. Ou para o submundo do magnicídio.

Hugo Chávez atravessou cenário parecido quando perdeu, por menos de vinte mil sufrágios, referendo sobre emenda constitucional, em 2007. Apesar de vários assessores tentarem convencê-lo a pedir recontagem, preferiu reconhecer, de pronto, a vitória de seus adversários. A propósito, sua única derrota em dezessete disputas pelo voto popular no período de catorze anos no qual governou.

vitória maduro

Mesmo vitorioso, Maduro deverá liderar uma reflexão sobre os motivos de o chavismo perder terreno para a oposição (Foto: AFP)

O respeito à soberania das urnas e sua defesa perante possíveis ataques, porém, não podem eximir os dirigentes bolivarianos de uma análise acurada sobre os motivos que levaram, em apenas seis meses, à redução importante de sua base eleitoral. A revolução amealhou 700 mil votos menos do que em outubro de 2012, enquanto Capriles arrebanhou 570 mil a mais. Parte dos eleitores chavistas não foi votar. Outra fatia, no entanto, trocou de lado. Sobram razões, como se vê, para que a pulga esteja atrás da orelha.

Claro que, sem o carisma do ex-presidente, a esquerda ficou mais vulnerável à mídia e, sem sua voz, é capaz do discurso de enfrentamento ter soado excessivamente duro para alguns segmentos mais volúveis. Eventuais ações de sabotagem contra o setor elétrico e outras áreas do cotidiano, denunciadas pelos governistas desde o início da campanha, também podem ter auxiliado nesta sangria, ao lado de casos crônicos de maus serviços e corrupção. Talvez seja o caso, contudo, de buscar resposta mais estrutural, como assinalou o próprio presidente eleito logo depois da apuração, ao conclamar o país à “renovação da revolução bolivariana”.

Nova etapa da revolução

Há muitos indícios de que o primeiro ciclo deste processo tenha se esgotado. Desde que assumiu a liderança venezuelana, em fevereiro de 1999, Chávez concentrou seus esforços administrativos em transferir a parte mais expressiva dos excedentes petroleiros para programas sociais, universalização de direitos e outras iniciativas de distribuição da renda.

Leia também

Os resultados foram eloquentes. Andando na contramão do receituário neoliberal, a Venezuela passou a ser a nação menos desigual da América do Sul, o analfabetismo foi liquidado e a pobreza drasticamente reduzida.

Uma das consequências deste caminho foi a vasta ampliação do mercado interno, como força propulsora da economia, mas aprofundando o desequilíbrio histórico entre o ritmo de expansão do consumo popular e a velocidade do crescimento da produção agrícola e industrial. O modelo da dependência petroleira, que sempre inibiu o desenvolvimento interno venezuelano, não era o alvo principal nos primeiros dez anos de chavismo, apesar de várias iniciativas importantes terem sido tomadas. A questão estratégica era repartir os frutos da exploração do ouro negro a favor dos mais pobres.

Neste quadro, a aceleração da demanda provocou fortes pressões inflacionárias e sobre a balança comercial, com as importações minguando as reservas cambiais. A esse desarranjo se soma o espetacular subsídio para a compra de gasolina no mercado interno, que alguns cálculos apontam como equivalente a 10% do faturamento da PDVSA, a gigante estatal do petróleo.

No programa eleitoral de 2012, Chávez já tinha deixado claras estas dificuldades e anunciou um ambicioso programa de desenvolvimento produtivo. Não viveu o suficiente para dar cabo desse objetivo, que caberá a Maduro enfrentar. Concluído o ciclo inicial de resgate da dívida social, os capítulos seguintes dependerão fundamentalmente dos músculos da economia não-petroleira, de sua capacidade para gerar oportunidades, empregos e renda. Sem essa plataforma, as reformas distributivistas possivelmente ficariam, doravante, mais expostas a problemas de financiamento.

O novo presidente terá que enfrentar inúmeros e urgentes desafios neste terreno. Com as camadas populares ampliando rapidamente seu poder aquisitivo, passaram a ser usuais crises de escassez, tanto de mercadorias e serviços quanto de energia elétrica e água, amplificadas pela fuga de capitais como mecanismo de chantagem das oligarquias. A conta política pode ter sido apresentada nessas últimas eleições.

Para desatar esses nós, Maduro precisará estabelecer estratégia que combine participação estatal com capital privado, nacional ou estrangeiro, estabelecendo marco regulatório que enfrente os dilemas de infraestrutura e produção. A receita com o petróleo, na ponta do lápis, não permite ao Estado fazer todos os investimentos necessários, no prazo que ruge. Essas preocupações, aliás, foram lançadas pelo ex-sindicalista na noite de sua vitória, em que também destacou a necessidade de uma nova cultura de gestão, contraposta à ineficiência, ao burocratismo e ao desperdício do dinheiro público.

Ampliação do voto chavista

A implementação de programa desta envergadura, por fim, poderia ajudar a formar uma nova maioria, que fosse além dos limites atuais do voto chavista, atraindo inclusive pequenos e médios empresários que se sentiram desatendidos ou até ameaçados pela primeira etapa do processo bolivariano, quando todas as energias se voltaram para transferir renda do petróleo aos setores mais despossuídos. E essa maioria ampliada também seria fundamental para apoiar medidas amargas que venham a ser tomadas na reorganização da economia.

A legítima vitória de Nicolás Maduro, nessas circunstâncias, eventualmente serviu de alerta para os problemas que rondam a revolução que passou a chefiar, a maior parte deles provocada pelo sucesso inequívoco das políticas de Chávez em construir um sistema de mais justiça social.

Breno Altman, Opera Mundi

O post Eleições na Venezuela: vitória de Maduro representa novos desafios apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

TV Globo de cara nova!

ALTAMIRO BORGES por noreply@blogger.com (Miro)
 
http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/

Por Altamiro Borges

Segundo a jornalista Mônica Bergamo, da Folha, a TV Globo ganhará nova identidade visual a partir do dia 26 de abril, quando completará 48 anos de existência. “Hans Donner, que criou o logotipo da emissora há 39 anos e estava afastado da missão, retomou o projeto. E há um mês desenvolveu o novo símbolo, que, segundo ele, ‘será mais clean [limpo], ganhará vida e movimento’”. O próprio designer reconheceu que a marca ficou envelhecida, “castigada”, e que “está na hora de cuidar de meu filhote e adicionar vida”.

A nova cara da emissora, porém, não garante a retomada dos seus índices de audiência, que tem caído vertiginosamente nos últimos anos. Preocupada com sua contínua decadência, a TV Globo também tem promovido mudanças em várias áreas. Na semana passada, ela retirou da bancada do telejornal “Bom Dia SP” a apresentadora Carla Vilhena, o que causou constrangimento pela forma abrupta como a troca foi efetuada – segundo revelou o jornalista Marco Aurélio Mello, ex-editor da TV Globo, no blog DoLaDoDeLá.

A colunista Keila Jimenez, também da Folha, informa ainda que outras alterações estão em curso. Ela revela que “uma das novidades da programação da TV Globo em 2013, a contratação do ex-jogador Ronaldo como comentarista, fez a rede abrir concessões em suas normas internas. Se fosse um comentarista como outros do jornalismo esportivo do canal, Ronaldo não poderia protagonizar comerciais, pois a Globo não permite. O craque está atualmente no ar em seis campanhas publicitárias diferentes”.

Estas e outras mudanças visam aumentar as fortunas da famiglia Marinho. Os três herdeiros do império midiático passaram a figurar na última lista de bilionários do planeta da revista Forbes. Apesar da queda de audiência, a Rede Globo aumentou em 38% o seu lucro liquido no ano passado. Ele atingiu R$ 2,9 bilhões. Já o faturamento do grupo chegou a R$ 12,7 bilhões, um crescimento de 16% em relação ao ano anterior. A “nova cara” da emissora não visa melhorar a qualidade da programação, mas sim elevar seus altos lucros!

14 horas atrás

O rebelde desbocado

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://www.estadao.com.br Durante parte do século 20 o Uruguai desfrutou de uma imagem positiva que somente foi manchada nos tempos da ditadura e ressurgiu, um tanto desgastada, com o retorno da democracia depois de uma transição levada a cabo com perseverança e sem alarde. Foi a fase da reconquista e da volta paciente à normalidade; um […]
14 horas atrás

Lygia Fagundes Telles: “O século 22 será dos gays”

HOMORREALIDADE por Homorrealidade
 
   Publicado pelo ParouTudo   Prestes a completar 90 anos no próximo dia 19, Lygia Fagundes Telles, uma das maiores escritoras do Brasil, disse o que pensa sobre Daniela Mercury assumir sua homossexualidade.   “Sou super a favor de que o ser humano faça o que ele quiser, todo o mundo é livre, a vida é curta. E o século 22 vai ser o século dos gays, pode escrever isso aí”, afirmou Lygia ao jornal “O Globo”.   A autora do agraciado com o Prêmio Jabuti “As Meninas”, já tratou de lesbianidade em contos como “A Escolha” (1985) e no romance que virou duas vezes novela da Rede Globo, “Ciranda de Pedra” (1954).    
14 horas atrás

Três fins do mundo em apenas três meses

SINTONIA FINA por Rilton Nunes
 
 
No Balaio do kotscho 
De vez em quando, ultimamente, fico até com receio de perder meu tempo escrevendo. O mundo já poderá ter acabado quando este texto chegar aos caros leitores. Quem vai ler? Sem falar na sempre iminente guerra nuclear das Coreias, o fim do mundo está onipresente no noticiário nacional, como se houvessem estabelecido uma programação prévia para não deixar o brasileiro respirar sossegado dois dias seguidos. PDF


Mal se termina de falar de uma crise e já aparece outra nas manchetes, sem que tenha dado tempo da anterior terminar. O ano mal começou, e já tivemos de volta as notícias alarmistas sobre os iminentes riscos de apagão de energia em razão da falta de chuvas nos reservatórios, ao mesmo tempo em que as enchentes em outros pontos do país provocavam novas tragédias. Imagens de reservatórios com pouca água e morros despencando eram acompanhadas de análises dos “especialistas” de sempre para quem o país, com este governo, não tem nenhum futuro, seja por falta ou excesso de chuvas. Nós brasileiros nem tivemos tempo de comemorar o recorde da safra de grãos, e já começaram as séries de reportagens sobre o colapso na infraestrutura, com estradas intransitáveis e congestionamentos nos portos. E assim fomos seguindo o ano de 2013, de agonia em agonia, até que sobreveio a grande crise do preço do tomate, a maior de todas, porque esta pode explodir ao mesmo tempo a inflação e os juros, levando o País à ruína completa. Em apenas três meses, ficamos novamente à beira do abismo. Esses problemas todos existem, é claro, e alguns são bastante sérios, como já mostramos aqui no Balaio, tornando mais difícil a recuperação da economia. O clima de catastrofismo, porém, vai além da realidade dos fatos e tem como pano de fundo a sucessão presidencial de 2014, ativada pela antecipação da campanha e pela ausência de candidatos competitivos para enfrentar a candidata do governo. Inconformados com os altos índices de popularidade da presidente Dilma Rousseff, que nas atuais pesquisas lhe garantem a reeleição já no primeiro turno, setores da sociedade que se sentiram prejudicados com a queda de juros e tarifas, especuladores e rentistas, e todos os donos da grande mídia, aquela gente que não se conforma com medidas que visam a beneficiar a população de baixa renda, resolveram investir em outros campos, já que o cenário eleitoral não lhes dá muitas esperanças de voltarem ao poder tão cedo. Alguma coisa está fora de ordem e de lugar quando assistimos à ‘judicialização’ da política e à politização do judiciário, e os grandes protagonistas da cena brasileira se tornam o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, e o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que agora têm uma opinião formada sobre tudo e dão seus pitacos definitivos sobre qualquer assunto, mesmo quando não são chamados. Eles se consideram os últimos catões da República, os únicos e os últimos honestos num país em que ninguém mais presta, só eles. Estão sempre de cara amarrada, não se permitem um sorriso. São as próprias expressões do fim do mundo. Gurgel já decidiu que a nova distribuição dos royalties do petróleo só deverá valer a partir de 2016;  Barbosa comenta a indicação do polêmico deputado pastor Marco Feliciano para uma comissão da Câmara, como se tivesse alguma coisa a ver  com isso,  e ambos se dedicam com afinco para colocar logo na cadeia os condenados da Ação Penal 470, recusando sumariamente qualquer recurso dos advogados de defesa. Citado pelo ex-ministro José Dirceu numa história no mínimo muito malcontada, no episódio da sua indicação para o STF, o ministro Luiz Fux manda um assessor  responder que não vai polemizar com réus condenados. Na mesma semana, o procurador-geral Gurgel determina ao Ministério Público e à Polícia Federal investigações sobre o ex-presidente Lula, a partir de declarações feitas por Marcos Valério, após o réu ser condenado a mais de 40 anos de prisão. Princípios e valores variam conforme os interesses de ocasião. E tudo parece muito natural para a nossa imprensa. No mesmo momento em que Barbosa denuncia o “conluio” entre advogados e magistrados, o escritório de Sergio Bermudes, um dos mais caros do país, anuncia o patrocínio de uma festa de arromba para mais de 300 pessoas em seu apartamento de 800 metros quadrados, no Rio de Janeiro, para comemorar o aniversário de 60 anos do mesmo ministro Luiz Fux, cuja filha Marianna, candidata a uma vaga no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, trabalha com o anfitrião. A pedido da mãe do homenageado, diante da repercussão negativa do badalado regabofe, a festa foi cancelada, segundo os jornais deste sábado. Menos mal. Mas não faltarão, certamente, outras festas do gênero, por mais que isso irrite ou agrade Barbosa, recentemente homenageado no Copacabana Palace pelos mesmos donos da mídia que publicam artigos de Marianna Fux e louvam seu pai, para congregar os comensais dos dois lados do balcão da Casa Grande, que podem perder as eleições e a vergonha, mas nunca perdem a pose nem o poder. Manda quem pode, obedece quem tem juízo. Este é o mundo deles, com ou sem perucas, e o resto que se dane, como costumam dizer, desde os tempos dos bailes da Ilha Fiscal. 
SINTONIA FINA – @riltonsp 
14 horas atrás

Por que a “infância perdida” é menos importante que a vida de um jovem do Belém?

DE OLHO NO DISCURSO por Daniel Dantas Lemos
 
Por Gerson Carneiro
No Facebook

Há cerca de um mês o jornalista Luiz Carlos Azenha apresentou uma série de reportagens chamada “Infância Perdida”. Sobre pedofilia praticada por poderosos protegidos até pela Justiça. Dentre eles, membros do Poder Judiciário, e até do Conselho Tutelar, médicos e empresários. 

Não houve repercussão alguma na imprensa, nenhum autoridade, nenhum político, nenhuma igreja tomou conhecimento. Não houve apelo e nem mobilização no sentido de socorrer as crianças violentadas.

Mas um jovem de sobrenome Deppman, morador do bairro Belém, como tantos outros, foi assassinado na cidade de São Paulo, por um outro jovem de sobrenome que ignoro porque não encontrei divulgado, morador da favela Nelson Cruz. 

Daí pra frente é a repetição dos discursos radiciais que ecoam todas as vezes em que a vítima da criminalidade não é pobre e negra.

Tom Cavalcante pelo twitter pediu às autoridades do País que tomassem uma providência.

Geraldo Alckmin oportunamente saltou na tela propondo redução da maioridade penal. E rapidamente a imprensa encampou a proposta populista e irresponsável.

Minha indignação é contra o reducionismo e seletividade midiáticos sobre o tema. 

Quero lembrá-los que o Brasil não se resume ao bairro Belém em São Paulo. E a pedofilia denunciada na séria acima citada não é praticada por menores.
Há cerca de um mês o jornalista @[100002685859144:2048:Luiz Carlos Azenha] apresentou uma série de reportagens chamada "Infância Perdida". Sobre pedofilia praticada por poderosos protegidos até pela Justiça. Dentre eles, membros do Poder Judiciário, e até do Conselho Tutelar, médicos e empresários. 

Não houve repercussão alguma na imprensa, nenhum autoridade, nenhum político, nenhuma igreja tomou conhecimento. Não houve apelo e nem mobilização no sentido de socorrer as crianças violentadas.

Mas um jovem de sobrenome Deppman, morador do bairro Belém, como tantos outros, foi assassinado na cidade de São Paulo, por um outro jovem de sobrenome que ignoro porque não encontrei divulgado, morador da  favela Nelson Cruz. 

Daí pra frente é a repetição dos discursos radiciais que ecoam todas as vezes em que a vítima da criminalidade não é pobre e negra.

Tom Cavalcante pelo twitter pediu às autoridades do País que tomassem uma providência.

Geraldo Alckmin oportunamente saltou na tela propondo redução da maioridade penal. E rapidamente a imprensa encampou a proposta populista e irresponsável.

Minha indignação é contra o reducionismo e seletividade midiáticos sobre o tema. 

Quero lembrá-los que o Brasil não se resume ao bairro Belém em São Paulo. E a pedofilia denunciada na séria acima citada não é praticada por menores. 

14 horas atrás

Aposentadoria: você já começou a pensar nisso?

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://www.diariodepernambuco.com.br Você pensa na aposentadoria? Se planeja para ter renda suficiente quando deixar o batente? O estudo do banco HSBC – O futuro da aposentadoria – Uma nova realidade – feito em 15 países, revela que o brasileiro estima viver 23 anos após se aposentar, mas reconhece que só terá recursos para se sustentar por […]
14 horas atrás

Ivete: ‘Vivo em um ambiente que tem mais gente homossexual do que heterossexual’

HOMORREALIDADE por Homorrealidade
 
 
Publicado pela Quem 

Depois de soltar a voz no Axé Brasil, micareta em Belo Horizonte (MG), Ivete Sangalo conversou com fãs e imprensa em uma coletiva na noite de sábado (13), no estádio do Mineirão. 

“Este festival é em Minas e apóia o crescimento dos artistas da Bahia. Desde dos tempos de banda Eva, eu vim muito para cá. Me sinto madrinha do festival”, disse. 

Durante a coletiva de imprensa, Ivete foi questionada sobre as polêmicas declarações de Marco Feliciano sobre os gays e o fato da cantora Daniela Mercury ter assumido um relacionamento homossexual. “Avalio o momento como… um momento que a gente precisa ter. Pra mim, isso é tão orgânico. Vivo em um ambiente que tem mais gente homossexual do que pessoas heterosexuais.” 

“O jeito é ser feliz para ser feliz com os outros. Desde o início da minha carreira, quis ser eu mesma e não uma personagem. Se eu não fosse, estaria presa para manter isso. Então, seria uma condenação. Acho que é uma condenação as pessoas não poderem se assumir e fingirem ser héteros. Você tem que respeitar o próximo e as escolhas dele.” 

14 horas atrás

Fux precisa ter vergonha na cara

O TERROR DO NORDESTE por O TERROR DO NORDESTE
 

Fux cancela festa de arromba paga por advogado

:
  O povo brasileiro espera que esse engomadinho ao menos tome vergonha na cara e tenha por suspeito para julgar a ação sobre os royalties de petróleo. Aliás, não é só FUX que precisa de vergonha na cara, Joaquim, Marcos Aurélio, Gilmar Mendes e Celso de Melo precisam também ter.Dói saber  que esse tipo de gente condenou inocentes.

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, terá que comemorar seus 60 anos de forma mais comedida e discreta. O banquete para mais de 300 convidados, que seria pago pelo advogado Sergio Bermudes, que emprega sua filha Mariana, em seu escritório, foi cancelado diante da repercussão negativa. Ao 247, Bermudes afirmou que pagaria a festa do seu próprio bolso, mas disse que isso não afetaria também eventuais processos de seu interesse julgados por Fux. Bermudes condenou ainda as “leviandades” do ministro Joaquim Barbosa, que tem criticado o que chama de “conluio” entre advogados e juízes.
  Fux decidiu cancelar o evento depois que sua mãe, Lucy, teve uma crise de hipertensão ao ver seu filho e sua neta expostos no noticiário. Além disso, o jantar causou constrangimento no Supremo Tribunal Federal. Especialmente, porque seria também uma oportunidade para que Mariana, filha de Fux, fizesse campanha para se tornar desembargadora no Rio de Janeiro. Leia, abaixo, notícia anterior do 247 sobre o caso:

  Bermudes ao 247: “Pago do meu bolso festa de Fux”     Advogado carioca Sergio Bermudes, que oferecerá festa para centenas de convidados no aniversário de 60 anos de Luiz Fux, e também emprega em seu escritório sua filha Mariana, rechaça a insinuação de que tenha alguma relação privilegiada com o ministro do Supremo Tribunal Federal; sobre a afirmação de Joaquim Barbosa sobre “conluio” entre advogados e juízes, ele foi enfático: “é mais uma das leviandades do ministro Barbosa”; ele afirma que, apesar da festa, Fux terá “total isenção” para votar em causas do seu escritório no STF       247 – Recentemente, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, afirmou, numa reunião do Conselho Nacional de Justiça, que um dos grandes problemas do Judiciário é o “conluio” entre advogados e juízes. Segundo Barbosa, haveria relações promíscuas entre membros da comunidade forense, contaminando a lisura de decisões judiciais.     Hoje, em sua coluna na Folha de S. Paulo, a jornalista Mônica Bergamo, dá uma nota sobre algo que Barbosa chamaria de “conluio” se o personagem envolvido não fosse o ministro Luiz Fux, um dos seus principais aliados no julgamento da Ação Penal 470, do chamado mensalão. Segundo Mônica Bergamo, o advogado Sergio Bermudes, que emprega em seu escritório Mariana Fux, filha de Luiz Fux e candidata a uma vaga de desembargadora, oferecerá uma festa para mais de 200 convidados em sua residência no próximo dia 26, data do aniversário de 60 anos do ministro. Entre os convidados, estão o governador Sergio Cabral e o prefeito Eduardo Paes.     Procurado pelo 247, Bermudes falou sobre a festa e suas relações com Fux. “Eu vou pagar a festa do meu bolso e a Receita Federal sabe que, depois de 42 anos de trabalho, tenho condições para isso”, disse ele. Bermudes diz ainda que não tem qualquer influência sobre decisões do ministro. “Ele é meu amigo há 40 anos, já foi meu aluno e tem total isenção para votar em qualquer causa do escritório que chegue ao STF”. Bermudes diz ainda que se algum cliente procurá-lo buscando influência será expulso da sala. “Eu considero isso um insulto”.     Bermudes diz ainda que a filha de Fux, Mariana, tem totais condições de se tornar desembargadora. “Parto do pressuposto de que todos os advogados do escritório têm cabedal jurídico para assumir posições importantes no Judiciário”.        Em seu escritório, Bermudes emprega também Guiomar Mendes, que é esposa do ministro Gilmar Mendes. Por isso mesmo, ele faz questão de rechaçar as insinuações de que mantenha “conluio” com integrantes do Poder Judiciário. “Essa é mais uma das leviandades do ministro Joaquim Barbosa”, diz ele. “Membros da comunidade forense se relacionam entre si. Juízes se relacionam com advogados e não com veterinários”.   O advogado afirma ainda que Fux só deverá se declarar impedido em causas de seu escritório, caso sua filha assine a petição ou se ele, Bermudes, for parte numa eventual ação. “Como somos amigos, ele ficaria impedido; mas isso não o impede de decidir em ações de clientes, seja contra, seja a favor”.     Tanto Fux como Barbosa foram procurados pela reportagem do 247 para que se expressassem sobre a relação com o escritório de Bermudes. Nenhum dos dois quis se pronunciar. Brasil 247 

14 horas atrás

Maracutaia no ninho tucano

O TERROR DO NORDESTE por O TERROR DO NORDESTE
 
Operação revela elo entre chefe da Casa Civil de Geraldo Alckmin e suspeito de chefiar fraudes

  
 
  Deflagrada na semana passada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público para apurar fraudes em licitações em 78 prefeituras do interior paulista, a Operação Fratelli revelou uma estreita ligação entre Edson Aparecido (PSDB), hoje chefe da Casa Civil do governo Geraldo Alckmin (PSDB), e Olívio Scamatti, dono de empreiteira preso na terça-feira sob suspeita de chefiar o esquema.

Assessor que trabalhou durante oito anos com Aparecido, Osvaldo Ferreira Filho, conhecido como Osvaldinho, também está entre as 13 pessoas da região de São José do Rio Preto, no noroeste do Estado, presas pela operação. O ex-auxiliar do número dois de Alckmin é apontado como o elo entre a Demop, empreiteira de Scamatti que está no centro do escândalo, e as prefeituras.

Segundo consta dos autos da operação, Osvaldinho também “manteria estreito contato com alta autoridade do governo do Estado, o que facilitaria a atuação do grupo apontado como criminoso para a liberação de recursos”.

O próprio Aparecido foi flagrado em conversas telefônicas com o empreiteiro. Elas ocorreram em 2010, quando exercia o mandato de deputado federal pelo PSDB. Em uma dessas conversas, o parlamentar tucano faz um alerta para o dono da Demop.

Segundo relatório dos investigadores, Aparecido fala de problemas em um asfaltamento mal feito na cidade de Auriflama, administrada na ocasião por um aliado do parlamentar, o prefeito José Jacinto Alves Filho, o Zé Prego. Aparecido pede ao empreiteiro que mande máquinas ao local para que o prefeito as fotografe e envie ao Ministério Público, a fim de mostrar que providências já estariam sendo tomadas.

Ainda segundo os investigadores, Aparecido conclui na conversa gravada: “Se abrir processo, a região inteira contamina” (sic).

A Demop atua em quase todas as cidades do noroeste paulista. Boa parte das licitações que renderam contratos com prefeituras para a empreiteira está sob investigação da Polícia Federal e do Ministério Público.

Doadora e assessor. 
 Aparecido não é alvo direito da investigação em curso. Ele apareceu nos grampos da operação porque mantinha contato telefônico com o dono da empreiteira e com o seu ex-auxiliar.

A Demop foi doadora da campanha em 2006 do agora chefe da Casa Civil do Estado. A empreiteira fez dois repasses ao tucano, um de R$ 42,4 mil, outro de R$ 49,2 mil, totalizando R$ 91,6 mil.

Osvaldinho foi assessor de Aparecido na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados.

O assessor chegou a representar o tucano quando este era deputado estadual, na primeira metade da década de 2000, em uma reunião do Comitê da Bacia Hidrográfica do Tietê-Batalha e na assinatura de um convênio da secretaria estadual de Habitação com a cidade de Votuporanga para a realização do asfaltamento de uma avenida local.

Segundo Aparecido, o antigo aliado se desligou de seu gabinete em 2010, “talvez um pouquinho antes, para tocar a vida”.

O chefe da Casa Civil de Alckmin admite contatos com o empreiteiro apontado como chefe do esquema de fraudes em licitações, mas afirma que ele “nunca solicitou nada que indicasse qualquer irregularidade”. Aparecido ressalta que as doações de campanha foram registradas e diz confiar na inocência do ex-assessor. “Ele (Osvaldinho) vai responder à altura”, afirmou o tucano 
Os investigadores afirmam que Osvaldinho, que hoje é dono de uma pequena empresa de logística, mantinha “contatos em prefeituras para tratar da montagem de licitações”. Ele definia, dizem os autos, as empresas que seriam convidadas para concorrer a contratos. Também apontava “convênios cujas verbas seriam empregadas em licitações fraudadas”. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo      

14 horas atrás

Governo desconhece tamanho da frota ou gasto com veículos oficiais

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://www.correiobraziliense.com.br/ O silêncio condescendente do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) após o secretário executivo da pasta, Alessandro Teixeira, ter sido flagrado utilizando veículo oficial para ir malhar numa academia expõe a farra dos “carros pretos” na Esplanada. Levantamento realizado pelo Correio, excluindo três ministérios (Ciência e Tecnologia, Relações Exteriores e Trabalho e […]
15 horas atrás

Tucanos de SP esbanjam em publicidade

ALTAMIRO BORGES por noreply@blogger.com (Miro)
 
 Por Altamiro Borges

Sem maior estardalhaço, o jornal Estadão divulgou na semana passada os gastos em publicidade dos governadores tucanos José Serra e Geraldo Alckmin. Segundo reportagem de Fernando Gallo, feita com base na Lei de Acesso à Informação, de 2003 a 2012 o governo paulista gastou R$ 2,44 bilhões com propaganda. Enquanto a administração direta desembolsou R$ 1,2 bilhão, as cinco principais empresas estatais de São Paulo gastaram R$ 1,24 bilhão – em valores atualizados pela inflação.

“Somados, os gastos com publicidade do governo paulista nesses dez anos somaram, portanto, R$ 2,44 bilhões. No período, o Estado foi governado por Geraldo Alckmin e José Serra, ambos do PSDB. Com o valor gasto em propaganda, seria possível construir mais da metade da segunda fase da linha 5 do metrô, que vai ligar o Largo Treze à Chácara Klabin, ou custear o Instituto do Câncer por sete anos. O valor gasto com publicidade também equivale a 33 vezes o orçamento da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência”.

O Estadão ainda observa que o pico dos gastos ocorreu em 2009, quando Serra e Alckmin já se preparavam para enfrentar as eleições para a presidência e o governo estadual, respectivamente. Neste ano, estatais como Sabesp, Metrô, CPTM, CDHU e Dersa gastaram um total de R$ 340,6 milhões. “O valor é quase igual aos R$ 345,9 milhões que as cinco estatais gastaram em todos os seis anos anteriores, no período 2003-2008 – em 2008, por exemplo, elas despenderam R$ 110 milhões; em 2007, R$ 48 milhões”.

“Em 2009, quando o PSDB articulava a candidatura do então governador Serra a presidente, Metrô e CPTM fizeram fortes campanhas de marketing sobre a expansão de linhas e a compra de novos trens. A Dersa investiu na publicidade do Rodoanel e da Nova Marginal. A Sabesp criou campanhas sobre o projeto Tietê e o uso responsável da água”. O jornalão da famiglia Mesquita, que sempre dá apoio explícito aos tucanos, só não diz que parte desta propaganda foi falsa. Ele também não revela quem recebeu a grana de publicidade! Quanto será que o Estadão embolsou?

16 horas atrás

DE QUEM É A MÃO QUE COMANDA A MÍDIA?

BOILERDO por Betho Flávio
 

 

A MÃO ÚNICA QUE COMANDA A MÍDIA

mão

Nunca antes, na história deste País, houve uma coincidência tão grande entre capas de revistas e manchetes de jornais; essa sintonia ocorre às vésperas de uma reunião do Comitê de Política Monetária e tem dois objetivos paralelos: arrancar juros maiores do governo e desgastar a presidente Dilma; quem seriam os articuladores? FHC? Roberto Setubal?

 

247 – Há quem acredite em coincidências. E na hipótese de que, ao longo desta semana, os editores das revistas Época e Veja tenham tido a mesma inspiração. A capa seria dedicada ao tema inflação e não haveria nada melhor para sinalizar a escolha do que o tomate. Nos dois casos, a mesma piadinha: a de que a presidente Dilma Rousseff teria “pisado no tomate”.

Assim como nas revistas semanais, coincidências também ocorreriam nos principais jornais do País, que, num mesmo dia, seriam capazes de produzir manchetes idênticas, sobre o estouro da meta inflacionária e a necessidade de juros maiores. Aconteceu com Globo, Estado e Folha na semana passada.

No entanto, deve-se desconfiar de tâoamanha sintonia entre veículos de comunicação, que, não por acaso, ganharam o carimbo de PIG, Partido da Imprensa Golpista. Por que, afinal, escolhas tão idênticas e manchetes tão afins num mundo de múltiplos acontecimentos? Haveria alguma articulação? Um ponto de contato entre seus editores? Uma construção de consensos artificiais no processo de formação da opinião pública? Ou será que tudo acontece mesmo por acaso?

Seja como for, a sintonia entre os meios de comunicação acontece num momento emblemático. Dentro de 48 horas, técnicos do Banco Central começam a discutir a política monetária e qual será a próxima taxa Selic, hoje fixada em 7,25%. Seja em Época, Veja, nos jornais, como no editorial do Globo deste domingo, ou na voz de lobistas do sistema financeiro, como Maílson da Nóbrega, Alexandre Schwartsman e Ilan Goldfajn, o que se pede, com todas as letras, é uma dose forte de juros, cujos efeitos serviriam muito mais para realimentar a especulação financeira do que para baixar o preço do tomate, que subiu em razão de secas e já está em queda acentuada.

Diante de tudo isso, é de se perguntar: de quem é a mão que balança o berço da mídia? Será Roberto Setubal, presidente do Itaú Unibanco, que tem se mostrado como maior antagonista da política de juros baixos? Ou, quem sabe, Fernando Henrique Cardoso, que manteve sua interlocução privilegiada com os magnatas da mídia brasileira nos últimos anos?

Neste fim de semana, tanto Veja como Época também tiveram a ideia de comparar Dilma a Margaret Thacther. Sobre a presidente brasileira, diz Veja que ela “esnoba o capital externo, demoniza o lucro e muda as regras do jogo toda hora” (alguém pensou em Roberto Setubal, que disse o mesmo ao Financial Times?)

Há uma mão invisível no noticiário. Só falta descobrir a quem pertence.

16 horas atrás

FHC e o “jeitinho” do PSDB

ALTAMIRO BORGES por noreply@blogger.com (Miro)
 
 Por Altamiro Borges

Nas três últimas eleições presidenciais, o PSDB fez de tudo para esconder o rejeitado FHC. Ele sumiu dos palanques e quase foi rifado nos programas de rádio e tevê. O truque covarde não deu certo e, agora, o partido resolveu ressuscitar o ex-presidente. A nova propaganda estadual da legenda em São Paulo teve novamente como estrela o “guru” dos tucanos. Azar da sigla! Arrogante, FHC se jactou do seu triste reinado, disse que a marca do seu governo foi a honestidade e disparou: “[Com o PSDB] não tem jeitinho, tem trabalho”.

Já que ele voltou a tagarelar sobre honestidade, não custa lembrar as inúmeras maracutaias dos seus oitos anos de governo. Os casos citados ilustram bem qual é o “jeitinho” do PSDB, que a mídia demotucana insiste em blindar.

Denúncias abafadas: Já no início do seu primeiro mandato, em 19 de janeiro de 1995, FHC fincou o marco que mostraria a sua conivência com a corrupção. Ele extinguiu, por decreto, a Comissão Especial de Investigação, criada por Itamar Franco e formada por representantes da sociedade civil, que visava combater o desvio de recursos públicos. Em 2001, fustigado pela ameaça de uma CPI da Corrupção, ele criou a Controladoria-Geral da União, mas este órgão se notabilizou exatamente por abafar denúncias.

Caso Sivam. Também no início do seu primeiro mandato, surgiram denúncias de tráfico de influência e corrupção no contrato de execução do Sistema de Vigilância e Proteção da Amazônia (Sivam/Sipam). O escândalo derrubou o brigadeiro Mauro Gandra e serviu para FHC “punir” o embaixador Júlio César dos Santos com uma promoção. Ele foi nomeado embaixador junto à FAO, em Roma, “um exílio dourado”. A empresa ESCA, encarregada de incorporar a tecnologia da estadunidense Raytheon, foi extinta por fraude comprovada contra a Previdência. Não houve CPI sobre o assunto. FHC bloqueou.

Pasta Rosa. Em fevereiro de 1996, a Procuradoria-Geral da República resolveu arquivar definitivamente os processos da pasta rosa. Era uma alusão à pasta com documentos citando doações ilegais de banqueiros para campanhas eleitorais de políticos da base de sustentação do governo. Naquele tempo, o procurador-geral, Geraldo Brindeiro, ficou conhecido pela alcunha de “engavetador-geral da República”.

Compra de votos. A reeleição de FHC custou caro ao país. Para mudar a Constituição, houve um pesado esquema para a compra de voto, conforme inúmeras denúncias feitas à época. Gravações revelaram que os deputados Ronivon Santiago e João Maia, do PFL do Acre, ganharam R$ 200 mil para votar a favor do projeto. Eles foram expulsos do partido e renunciaram aos mandatos. Outros três deputados acusados de vender o voto, Chicão Brígido, Osmir Lima e Zila Bezerra, foram absolvidos pelo plenário da Câmara. Como sempre, FHC resolveu o problema abafando-o e impedido a constituição de uma CPI.

Vale do Rio Doce. Apesar da mobilização da sociedade em defesa da CVRD, a empresa foi vendida num leilão por apenas R$ 3,3 bilhões, enquanto especialistas estimavam seu preço em ao menos R$ 30 bilhões. Foi um crime de lesa-pátria, pois a empresa era lucrativa e estratégica para os interesses nacionais. Ela detinha, além de enormes jazidas, uma gigantesca infra-estrutura acumulada ao longo de mais de 50 anos, com navios, portos e ferrovias. Um ano depois da privatização, seus novos donos anunciaram um lucro de R$ 1 bilhão. O preço pago pela empresa equivale hoje ao lucro trimestral da CVRD.

Privatização da Telebras. O jogo de cartas marcadas da privatização do sistema de telecomunicações envolveu diretamente o nome de FHC, citado em inúmeras gravações divulgadas pela imprensa. Vários “grampos” comprovaram o envolvimento de lobistas com autoridades tucanas. As fitas mostraram que informações privilegiadas foram repassadas aos “queridinhos” de FHC. O mais grave foi o preço que as empresas privadas pagaram pelo sistema Telebrás, cerca de R$ 22 bilhões. O detalhe é que nos dois anos e meio anteriores à “venda”, o governo investiu na infra-estrutura do setor mais de R$ 21 bilhões. Pior ainda, o BNDES ainda financiou metade dos R$ 8 bilhões dados como entrada neste meganegócio. Uma verdadeira rapinagem contra o Brasil e que o governo FHC impediu que fosse investigada.

Ex-caixa de FHC. A privatização do sistema Telebrás foi marcada pela suspeição. Ricardo Sérgio de Oliveira, ex-caixa das campanhas de FHC e do senador José Serra e ex-diretor do Banco do Brasil, foi acusado de cobrar R$ 90 milhões para ajudar na montagem do consórcio Telemar. Grampos do BNDES também flagraram conversas de Luiz Carlos Mendonça de Barros, então ministro das Comunicações, e André Lara Resende, então presidente do banco, articulando o apoio da Previ para beneficiar o consórcio do Opportunity, que tinha como um dos donos o economista Pérsio Arida, amigo de Mendonça de Barros e de Lara Resende. Até FHC entrou na história, autorizando o uso de seu nome para pressionar o fundo de pensão. Além de “vender” o patrimônio público, o BNDES destinou cerca de 10 bilhões de reais para socorrer empresas que assumiram o controle das estatais privatizadas. Em uma das diversas operações, ele injetou 686,8 milhões de reais na Telemar, assumindo 25% do controle acionário da empresa.

Juiz Lalau. A escandalosa construção do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo levou para o ralo R$ 169 milhões. O caso surgiu em 1998, mas os nomes dos envolvidos só apareceram em 2000. A CPI do Judiciário contribuiu para levar à cadeia o juiz Nicolau dos Santos Neto, ex-presidente do TRT, e para cassar o mandato do senador Luiz Estevão, dois dos principais envolvidos no caso. Num dos maiores escândalos da era FHC, vários nomes ligados ao governo surgiram no emaranhado das denúncias. O pior é que FHC, ao ser questionado por que liberara as verbas para uma obra que o Tribunal de Contas já alertara que tinha irregularidades, respondeu de forma irresponsável: “assinei sem ver”.

Farra do Proer. O Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Sistema Financeiro Nacional (Proer) demonstrou, já em sua gênese, no final de 1995, como seriam as relações do governo FHC com o sistema financeiro. Para ele, o custo do programa ao Tesouro Nacional foi de 1% do PIB. Para os ex-presidentes do BC, Gustavo Loyola e Gustavo Franco, atingiu 3% do PIB. Mas para economistas da Cepal, os gastos chegaram a 12,3% do PIB, ou R$ 111,3 bilhões, incluindo a recapitalização do Banco do Brasil, da CEF e o socorro aos bancos estaduais. Vale lembrar que um dos socorridos foi o Banco Nacional, da família Magalhães Pinto, a qual tinha como agregado um dos filhos de FHC.

Desvalorização do real. De forma eleitoreira, FHC segurou a paridade entre o real e o dólar apenas para assegurar a sua reeleição em 1998, mesmo às custas da queima de bilhões de dólares das reservas do país. Comprovou-se o vazamento de informações do Banco Central. O PT divulgou uma lista com o nome de 24 bancos que lucraram com a mudança e de outros quatro que registraram movimentação especulativa suspeita às vésperas do anúncio das medidas. Há indícios da existência de um esquema dentro do BC para a venda de informações privilegiadas sobre câmbio e juros a determinados bancos ligados à turma de FHC. No bojo da desvalorização cambial, surgiu o escandaloso caso dos bancos Marka e FonteCindam, “graciosamente” socorridos pelo Banco Central com 1,6 bilhão de reais. Houve favorecimento descarado, com empréstimos em dólar a preços mais baixos do que os praticados pelo mercado.

Sudam e Sudene. De 1994 a 1999, houve uma orgia de fraudes na Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), ultrapassando R$ 2 bilhões. Ao invés de desbaratar a corrupção e pôr os culpados na cadeia, FHC extinguiu o órgão. Já na Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), a farra também foi grande, com a apuração de desvios de R$ 1,4 bilhão. A prática consistia na emissão de notas fiscais frias para a comprovação de que os recursos do Fundo de Investimentos do Nordeste foram aplicados. Como fez com a Sudam, FHC extinguiu a Sudene, em vez de colocar os culpados na cadeia.

16 horas atrás

Registro de ‘Carta de amor’ reitera vícios e virtudes de Bethânia em cena

NOTAS MUSICAIS por Mauro Ferreira
 
 Resenha de show – Gravação de DVD
Título: Carta de amor
Artista: Maria Bethânia (em foto de Mauro Ferreira)
Local:  Vivo Rio (Rio de Janeiro, RJ)
Data: 13 de abril de 2013
Cotação: * * * 1/2

Por ter tido sua temporada interrompida ainda no início por conta da morte da mãe de Maria Bethânia, Claudionor Vianna Telles Velloso (16 de setembro 1907 – 25 de dezembro de 2012), a popular Dona Canô, o show Carta de amor está sendo registrado ao vivo, para edição de CD e/ou DVD,  com pouco tempo de estrada. Por isso mesmo, o show está sendo captado – em apresentações agendadas para 13 e 14 de abril de 2013 na mesma casa carioca, Vivo Rio, em que o espetáculo estreou em 18 de novembro de 2012 – com poucas modificações no roteiro orquestrado pelo maestro mineiro Wagner Tiso com devoção à  personalidade e ao universo de Bethânia. As únicas mudanças foram no segundo bis. Saíram …E o mundo não se acabou (Assis Valente, 1938) e Ela desatinou (Chico Buarque, 1968) – músicas que até tinham certo frescor na voz da cantora, embora ambas já tivessem sido interpretadas pela artista em shows dos anos 70 – para dar lugar às batidas Explode coração (Gonzaguinha, 1978) e O que é o que é (Gonzaguinha, 1982). Cantada a capella, em número de 1990 já refeito no show Amor, festa, devoção (2009), Explode coração gerou momento de ovação, fazendo com que a intérprete fosse entusiasticamente aplaudidas por súditos abduzidos pela força magnética da artista. Entronizada instantaneamente no posto de  uma das maiores cantoras brasileiras de todos os tempos, tão logo deu seu grito de guerra (Pega, mata, come!) no palco do espetáculo Opinião em fevereiro de 1965, Maria Bethânia já está acima do bem e do mal para fãs passionais que se alimentam de seu mel. Contudo, no primeiro dos dois dias de sua gravação ao vivo, Carta de amor reiterou os vícios e as virtudes do show e da cantora. Desta vez, o conceito que amalgama as músicas do roteiro é mais fluido, sobretudo no primeiro ato. Em Carta de amor, Bethânia por vezes apenas reescreve canções e momentos de sua longa trajetória sem toda a carga dramática de tempos idos. Os (profícuos) tempos atuais são mais serenos, mais sertanejos, mais leves. A propósito, a canção ruralista Estado de poesia, do compositor paraibano Chico César, se confirmou linda, inebriante. Dora (Dorival Caymmi, 1945) também continua majestosa na pisada percussiva do maracatu, marcada com vigor pelos músicos Marcelo Costa (percussão) e Pantico Rocha (bateria). No fim do primeiro ato, Quem me leva os meus fantasmas (Pedro Abrunhosa, 2007) – música inédita na voz de Bethânia – ainda evoca o espírito sagrado da cantora mais enigmática, mais intensa e mais dramática de outrora. A cantora que às vezes sai do tom e do ritmo sem perder a pose e o rebolado, ao qual recorreu no esfuziante medley de sambas-de-roda que agita o segundo ato. A cantora que se atrapalhou com a letra de Fogueira (Ângela Ro Ro, 1983), mas que, em contrapartida, já pareceu mais à vontade com os versos e a métrica de Não enche (Caetano Veloso, 1997) – até então o número mais problemático do show – na apresentação de 13 de abril de 2013. A cantora-divindade que se sabe senhora da cena e, por isso, se deu ao luxo de soltar um sonoro Eparrei! para Iansã ao fim de Dona do raio e do vento (Paulo César Pinheiro, 2006). Prejudicado e ao mesmo tempo favorecido pelos vícios e virtudes da intérprete, que repete ênfases e gestos teatrais recorrentes em seu sempre coerente percurso cênico, Carta de amor é bom show movido pela energia (con)sagrada de Maria Bethânia. Não vai figurar, no decorrer do tempo-rei, entre os shows mais emblemáticos ou inesquecíveis da Abelha Rainha, mas nem por isso deixa de ser um espetáculo sedutor e envolvente em sua fluidez conceitual.

16 horas atrás

Mídia já lamenta derrota na Venezuela

ALTAMIRO BORGES por noreply@blogger.com (Miro)
 
 Por Altamiro Borges

O resultado oficial das eleições na Venezuela só deve ser anunciado amanhã, mas a mídia colonizada já dá como certa a vitória de Nicolás Maduro. Desgostosa, ela prevê que o chavismo se manterá no poder, mas não perde a oportunidade para lhe desejar dias difíceis e conturbados. A precipitação só evidencia a péssima cobertura que os jornalões realizam sobre o processo político no país vizinho. A mídia insiste em dizer que está tudo errado, mas o povo venezuelano insiste em manter no governo os chavistas.

Segundo o editorial da Folha de hoje, “a eleição presidencial deve manter o chavismo vivo, com Nicolás Maduro, sem afastar o risco de turbulências futuras”. Para o jornalão da famiglia Frias, “o processo eleitoral foi um dos mais bizarros da história latino-americana” e país ruma para o caos econômico. Isto apesar dos vários institutos internacionais independentes afirmarem que a eleição venezuelana é uma das mais democráticas do planeta e que a nação é um exemplo mundial no combate à desigualdade social.

Na mesma batida, o editorial de ontem (13) do jornal O Globo, que mais parece uma sucursal rastaquera do Departamento de Estado dos EUA, prevê que “o drama venezuelano” prosseguirá com a vitória de Nicolás Maduro. A culpa, afirma, é do falecido Hugo Chávez, que ainda goza de enorme popularidade. “Maduro é o continuador do chavismo e o líder morto é seu maior trunfo eleitoral”, lamenta a famiglia Marinho. Para o jornal, o novo presidente “herdará um fardo pesado” devido ao populismo estatizante do líder bolivariano.

Já o Estadão, também em editorial ontem, afirma que “se as urnas deste domingo confirmarem as mais recentes pesquisas eleitorais na Venezuela, o herdeiro político de Hugo Chávez e presidente interino desde a morte do caudilho, em 5 de março último, obterá uma vitória com sabor de fracasso. Pelas sondagens, a diferença entre ele e o opositor Henrique Capriles não será ‘abismal’, como gostaria – e necessita -, mas inferior a 10 pontos percentuais”. Em síntese, a mídia colonizada já chora mais uma derrota na Venezuela.

16 horas atrás

Rucapitulando: Aquele do dia de princesa (décimo episódio do RuPauls Drag Race)

MUZA por noreply@blogger.com (Valmique)
 
 
“where my girls at? make your heels clap!”

 

Atenção: Este texto contém spoilers do décimo episódio de RuPaul’s Drag Race, quinta temporada. A série é exibida no Brasil por alguns canais de TV a cabo, mas é possível encontrar links para ver por streaming internet afora. Há ótimas fan-pages no Facebook sobre o programa com dicas ótimas de onde ver!

 

Anteriormente, em RuPaul’s Drag Race: as drags tinham que atuar em uma novela estilo Televisa. Um show de lágrimas falsas, risos e interpretações lá em cima. Jinkx ganhou pela segunda vez e, no lipsync, o choque de monstro foi entre Coco e Alyssa, que finalmente foi embora para casa.

 

Reta final, cinco participantes e minha previsão de Rulaskatox no top 3 ainda pode se realizar. Claro que, depois de um tempo, eu passei a encarar a Jinkx como uma possível candidata (entrando no lugar da Detox, creio eu). Mesmo eu sempre tendo uma “quedinha” por ela, e ter declarado que ela era minha candidata guilty pleasure da temporada, não conseguia imaginá-la no top 3. O histórico das comediantes não era bom e, convenhamos, ela cresceu demais do começo até agora. Prova disso foi a passarela da semana passada, com ela vindo de esqueleto e chocando todo mundo. Isso mostra confiança no potencial e, sem dúvida, é uma característica que a RuPaul ama em suas pupilas.

 

O programa dessa semana foi ok. Tinha lido em algum lugar que ele era sobre transformações e, depois do Snatch Game, essa é a prova clássica de RuPaul’s Drag Race. Acontece desde a primeira temporada e, em cada uma, um grupo diferente foi convidado para ser transformado pelas drags. Na primeira foram as mulheres meio masculinas (e foi daí que surgiu a ideia para o spin-off Drag U); na segunda os gays mais velhos transformados em drag-mothers; na terceira os esportistas em irmãs das drags; e, na quarta, pais em mães atraentes. É sempre uma prova divertida e que revela como as drags se vêem, porque os jurados sempre buscam por características em comum entre os participantes e as drags. Então não adianta cobrir o convidado dos pés a cabeça se a drag adora mostrar o corpo, ou carregar numa maquiagem enquanto a drag vai sempre mais “limpa”.

 

Para o mini-desafio da semana, as bonitas precisavam encarar um booty-camp, que nada mais é que um programa de treinamento pesado em alguma atividade física. Pode ser dança, luta ou exercícios físicos, como foi o caso das bonitas. Polichinelos, barras, abdominais… para no fim Alaska ser a vencedora. Um desafio bem mais ou menos mas que, pelo menos dessa vez, tinha relação com a prova da semana.

 

Para o grande desafio, as drags tinham que transformar veteranos gays do exército americano em irmãs-drag. Bem a cara do que rolou na terceira temporada. Alaska ficou com o direito de combinar os convidados com as drags e, como está todo mundo morrendo de medo da Jinkx, ela deixou para a drag dorminhoca o veterano mais velho. Sabotagens e drag queens caminham juntas desde os tempos mais antigos. Para a Roxxxy ela mandou um com barba e os braços bem peludos; para Detox um até bonitinho; para Coco um veterano meio desengonçado e para a própria ela escolheu o alto, loiro e magro. Muito esperta!

 

 
O programa se desenrolou com as drags tentando conhecer melhor os convidados. E sempre tem uma história triste, um caso engraçado, inusitado. O veterano que fez dupla com a Jinkx contou ao RuPaul que ele acredita ter matado a Judy Garland. Claro que era uma loucura mas a Rupaul ficou perplexa. O que fez par com a Detox sabia usar salto alto como ninguém. E, claro, sempre tem alguém ensinando aos “novatos” como esconder, digamos, certos volumes do corpo. O que provoca imediatamente olhares em choque e risos pelo ateliê.

 

 
Depois de dar uma olhada em como as drags estavam indo, RuPaul faz a linha maldita e anuncia que tem uma pequena adição ao desafio: as bonitas tinham que fazer um número bem patriótico com os veteranos. Ela sempre traz essas reviravoltas em números de mudança, ou seja, para quem já acompanha esse programa há algum tempo, isso não era surpresa.

 

Claro que os números foram tenebrosos, as drags totalmente perdidas e os veteranos mais ainda. Porque mesmo sendo gays, faltava a eles aquela mágica de elegância que só as drags possuem. A passarela foi ok, mas nenhuma delas me deixou impressionado. Jinkx e sua parceira fizeram um número meio Judy Garland – Liza Minelli, bem divertido e que impressionou os jurados pelo trabalho que Jinkx fez com o veterano mais velho. Roxxxy criou uma drag-clone dela mesma, servindo todas as curvas possíveis e imagináveis. Já Alaska montou looks que flertavam com a mulher-gato, uma coisa meio assaltante de banco dos seriados vintage, com cabelos bem Farrah Fawcett. Detox estava aleatória combinando vestidos vermelhos de listras brancas. E o veterano de Coco estava estranho com aquele vestido cheio de pontas e aquela maquiagem pavorosa!

 

 
 
 
No fim das contas, Roxxxy ganhou o desafio, e foi bem justo. O trabalho dela foi o mais detalhado e bem executado, com Jinkx chegando bem próximo. Já as duas piores foram Detox e Coco. Achei que Alaska poderia ter ido por ter colocado uns enchimentos horríveis no parceiro, mas por fim foi salva por RuPaul. Para o lipsync, usaram uma música da Michelle Visage (sim, ela canta!). Coco fez o bom trabalho de sempre mas, depois de quatro vezes dublando, os jurados já se cansaram e mandaram a bonita para casa.

 

Para o último episódio antes da grande final, tradicionalmente, as drags são colocadas para criar três looks dentro de um conceito. Se RuPaul manter a regra, podemos supor alguns cenários de acordo com as habilidades já mostradas pelas drags. Se for um desafio de costura, como na terceira temporada, que elas tinham que criar looks baseados em notas de dinheiro, Roxxxy tem uma vantagem por costurar bem. Se for alguma coisa mais criativa, como na quarta temporada, dos looks dos cachorros, talvez Jinkx ganhe uma dianteira com seu lado comediante. Alaska pode se dar bem se colocar tudo que sabe no desafio, mas depois do deslize nesse episódio é uma incógnita. Entretanto, somente ela e Jinkx ainda não dublaram nessa temporada. Já vimos que Detox e Roxxxy dão conta do recado, por isso o campo está em aberto para as duas. Faltam dois episódios para sabermos quem fica com esse título, e a corrida das bonitas nunca esteve tão em aberto. 

 

 Texto de Flavimar Dïniz. Ele está na internet desde 1999, quando sofria com conexões discadas e downloads a 3.4 kbps. Começou no mundo dos blogs em 2002 e não entende como não ficou rico com internet igual a tantos outros de sua geração. Adora música, cinema, literatura e jornalismo, sua formação profissional. Escreve sobre o ele achar que dê um texto de mais de 140 caracteres. 

17 horas atrás

Governo Federal e Governo do Rio realizarão Audiência Pública sobre o Sistema Nacional LGBT.

FORA DO ARMARIO por Sergio Viula
 

Governo Federal e Governo do Rio realizarão Audiência Pública sobre o Sistema Nacional LGBT.

  Fonte: Site Oficial do Rio sem Homofobia 

CONVITE 
A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, através da Coordenação Geral de Promoção dos Direitos de LGBT, e a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, através da Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos e do Programa Rio Sem Homofobia, convidam para a Audiência Pública sobre o Sistema Nacional de Enfrentamento à Violência contra Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais e Promoção dos Direitos – Sistema Nacional LGBT, que será realizada no dia 25/04, às 14h30, no Auditório Adauto Belarmino, no Prédio da Central do Brasil. 
O objetivo dessa audiência é discutir e apresentar as propostas ao Governo Federal, para melhor auxiliar no processo de construção do sistema, tendo como pauta: 
1) Apresentação e discussão da proposta de criação do sistema; 
2) Recepção de sugestões do Estado do Rio para esse projeto nacional. 
A proposta do Sistema Nacional LGBT está em consulta pública até o dia 29 abril de 2013, em diversos estados. Entre os principais objetivos desse projeto estão: 
1) Integrar as ações dos governos federal, estadual e municipal de enfrentamento da homofobia no País, nos estados e municípios; 
2) Qualificar, ampliar e potencializar o atendimento da população LGBT, familiares e amigos, vítimas da discriminação e em busca de direitos; 
3) Identificar e potencializar as ações para LGBTs nas áreas de direitos humanos, assistência social, segurança pública e defesa de direitos; 
4) Apoiar ações que visem a construção do tripé da cidadania LGBT nos estados e munícipios, (Conselhos, Coordenadorias e Planos Estaduais e Municipais LGBT). 
Contamos com a participação de todas as pessoas, movimentos sociais, gestores e gestoras públicas, parlamentares e demais interessados na agenda em prol da construção de uma política de cidadania e garantia de direitos da população LGBT. 
Venha participar! Sua opinião é importante!

Serviço:

Dia 25 de abril de 2013 (quinta-feira), às 14h30min.
Local: Auditório Adauto Belarmino, Prédio da Central do Brasil, 7° andar – Centro.
Mais informações: 21-2334-9561 ou 2334-9562

Informações para imprensa

Márcia Vilella | Felipe Martins | Natália Vitória
ASCOM SuperDir | SEASDH
(21) 2284-2475 | 8158-9692 | 7965-4313

18 horas atrás

Enfim, Balaio agora entra na era da modernidade

RICARDO KOTSCHO por rkotscho
 

141219731 Enfim, Balaio agora entra na era da modernidade

O leitor pode até nem perceber, mas neste domingo, 14 de abril de 2013, o nosso Balaio está entrando, definitivamente,  na era da modernidade.

Depois de quase dez anos de bons serviços prestados por uma gambiarra eletrônica que montei junto com um técnico amigo, mais ou menos como fazem com os carros velhos em Cuba, juntando peças de diferentes veículos, tomei a importante decisão de comprar um computador novinho em folha de penúltima geração (nunca se pode dizer que é da última porque, enquanto a gente escreve, já apareceu uma nova…).

Trata-se de um computador Sony Vaio Tap 20 SVJ202, modelo 2012, com Windows 8, fabricado na China, é claro, adquirido com meus próprios recursos, em suaves três prestações sem juros. Não é chique? Funciona ao mesmo tempo como desktop, tablet ou laptop, pode ser comandado com o deslizar dos dedos, usando o mouse ou clicando no teclado. Claro que para a maioria de vocês nada disso é novidade, mas para mim tudo é uma descoberta fantástica que gostaria de partilhar com os amigos.

O bicho é tão moderno, e vem acompanhado de tantos manuais de instruções, que fui obrigado a contratar um instalador e orientador para poder fazer o bicho funcionar. Com toda certeza vou morrer antes de descobrir para que servem tantos ícones, aplicativos e programas, mas o fato é que nele posso redigir meus textos igualzinho fazia na minha primeira máquina de escrever na escola de datilografia do Largo de Pinheiros, no início dos anos 1960.

O campeão em rapidez de palavras escritas por minuto era meu velho e bom amigo Clóvis Rossi, com quem eu brincava dizendo que ele era o único jornalista capaz de escrever mais depressa do que pensava. Pois é o que sinto agora: as letras começam a correr na tela enquanto ainda penso no que quero dizer. É um tal de vai e volta até acertar o ritmo entre a velha forma de pensar e a nova maneira de escrever. Logo vai chegar o dia em que os computadores começarão a escrever sozinhos, bastando lhes dar o tema e algumas coordenadas de estilo.

Só espero que, quando isso acontecer, os redatores e mancheteiros do futuro tenham um pouco mais de bom humor e otimismo ao contar suas histórias, fazendo do ato de ler em qualquer plataforma algo mais prazeroso e menos medíocre do que é hoje, capaz de surpreender os leitores com algo realmente original, bem escrito e bem pensado, sem ter que recorrer a velhas bibliotecas digitalizadas.

Agora só falta trocar meu pré-histórico celular Nokia, o primeiro e único que comprei na vida, também já com alguns séculos de uso por variadas partes do mundo, até em Fernando de Noronha, sem nunca ter me deixado na mão. Já ganhei um novo de presente da minha mulher, mas custo a me desfazer do antigo, como aquele sujeito que se recusa a trocar o primeiro relógio que ganhou do pai que já morreu.

Do jeito em que as coisas vai indo, tudo cada vez mais rápido, não demora o dia em que o computador passará a escrever sozinho, bastando apenas dar o tema e algumas coordenadas do que você gostaria de dizer.

18 horas atrás

Se Maduro vencer, ou seu povo é louco ou a mídia mente

CIDADANIA por eduguim
 

 

Enquanto escrevo, algumas horas separam o mundo do resultado da campanha eleitoral-relâmpago a que a Venezuela foi empurrada pela morte de Hugo Chávez. Escrevo, pois, sobre o futuro, o que é uma temeridade.

Mas ouso arriscar.

Lendo o noticiário brasileiro sobre aquele país, tento esquecer de tudo o que sei sobre ele de forma a levar em conta tais notícias.

O fato é que, sem conhecer a realidade venezuelana, torna-se praticamente impossível acreditar que o candidato do chavismo, Nicolás Maduro, possa vencer.

A menos que os quase 29 milhões de venezuelanos sejam masoquistas ou completamente doidos, se me pautar pelo noticiário concluirei por uma vitória acachapante do principal entre os sete candidatos opositores: Henrique Capriles Radonski.

O noticiário sobre a Venezuela remete a um inferno. Inflação e violência estariam fora de controle, o povo estaria sendo castigado por desabastecimento de gêneros de primeira necessidade, imperaria censura à imprensa…

Ufa! Que país é esse do noticiário? Um país em ruínas, claro.

Ora, em tal situação seria impossível que ao menos metade mais um dessas quase três dezenas de milhões de venezuelanos mantenha um governo tão incompetente.

Convenhamos: isso que acabo de escrever não é uma opinião, é um fato inquestionável.

Com a morte de Chávez, torna-se temerário fazer previsões peremptórias sobre o resultado da eleição. Não se pode comparar Maduro a ele. E o noticiário diz que os venezuelanos estão sofrendo.

Entretanto, uma pista sobre o que deve acontecer neste domingo eleitoral na Venezuela pode ser encontrada no conjunto das pesquisas eleitorais sobre o país, que exponho ao escrutínio do leitor logo abaixo.

Vejamos:

Apesar de um instituto dar vantagem a Capriles (Datamática), todos os outros dão vitória a maduro. Contudo, não se pode levar em conta os números desse instituto argentino, pois fez a pesquisa por telefone.

Se pecarmos por apego à verdade factual, concluiremos que o noticiário da grande imprensa brasileira sobre maduro é tão confiável quanto a pesquisa do instituto argentino Datamática.

A grande imprensa brasileira, como se sabe, não disfarça uma troca escandalosa do jornalismo por torcida político-ideológica. Assim, o grande prejudicado é o público que tenta entender o que acontece naquele país.

Em absolutamente todas as eleições que vêm ocorrendo na Venezuela desde 1999, perto da eleição a mídia internacional alinhada ao noticiário made in USA sempre aponta uma reação da oposição de última hora, a qual nunca se confirma.

Desta vez não é diferente. Os Jornais Nacionais, nos últimos dias, pela enésima eleição venezuelana relatam que, “nos últimos dias, caiu a diferença” entre o candidato chavista e o da oposição.

O resultado da eleição venezuelana, que em algumas horas – a partir da publicação deste texto – se fará conhecer graças ao sistema de urnas eletrônicas que, a exemplo do Brasil, a Venezuela também usa, reforçará o descrédito do jornalismo made in USA.

Apesar de que esse tipo de jornalismo que impera na grande mídia brasileira previsivelmente tentará convencer as pessoas de que a maioria absoluta dos venezuelanos é composta por masoquistas alucinados, caso Maduro seja eleito ninguém que conheça a realidade latino-americana acreditará nisso.

Se existe hoje um povo que não brinca na hora de votar, esse povo é o latino-americano.

Esta parte do mundo já sofreu muito por escolhas eleitorais equivocadas e hoje vota com o bolso, com o estômago e com suas perspectivas de vida. Os venezuelanos, portanto, sabem muito bem por que votam.

Se Nicolás Maduro vencer a eleição hoje, você que acredita no que o noticiário made in USA diz sobre a Venezuela terá todas as razões lógicas para acreditar que tal noticiário é uma farsa, caso pense logicamente.

um dia atrás

Editorial: Decisão errática na Venezuela

HARIOVALDO por Professor Hariovaldo
 

Pedro Carmona, esse sim era um líder de verdade. Firme, corajoso e democrata

Hoje os apáticos eleitores venezuelanos irão às urnas indevidamente, por se tratar de uma ditadura comunista, escolher o futuro presidente do país destroçado pelos anos de bolchevismo evolulovariano, o que na prática não representa nada mais que um grosseiro erro para o cenário futuro do país, uma vez que infelizmente nem o candidato dos homens bons locais reúne qualidades suficientes para restaurar a democracia naquela nação sofrida. O ideal seria entregar novamente o poder para o representante da Obra, Pedro Carmona, tendo como vice o arcebispo de Caracas, Jorge Savino, para que juntos fechassem o congresso e destituíssem os juízes da suprema corte, e assim tivessem condições plenas de restaurarem o bom governo em Caracas.

Infelizmente isso não acontecerá, para desespero do povo venezuelano que seguirá sob o jugo marxista sofrendo as conseqüências do desemprego, da crise econômica e da desigualdade social. Capriles falhou ao querer se aproximar do modelo maldito de governo de Lula e por isso não ganhou o apoio total dos homens de bem de seu país e isso certamente depõe contra ele. Mas dos males o menor, ele ainda é a melhor opção venezuelana para o momento, embora não tenha chances pois todos sabemos que lá as eleições são fraudadas, conforme atesta um prestigioso instituto comandado por um ex-presidente americano. Isso posto, só no resta esperar que Maduro caía de podre e o poder volte para mãos dos bons, tanto lá como aqui.

14 de Abril de 2013 05:07

As opções do Rio para 2014

CAFEZINHO por Miguel do Rosário
 

O Rio vive uma situação inusitada para 2014. Todo mundo que lê sobre política sabe quem serão os candidatos para 2014. Mas ninguém REALMENTE sabe quem serão os candidatos.

Leia mais no blog Rio Política.

Leia também:

‘Minha vida virou um inferno quando contei que era bissexual’, diz Fani

por Homorrealidade
 
   Publicado pelo EGO   Em seu terceiro ensaio para o Paparazzo, que aconteceu em uma casa na paradisíaca praia de Itacoatiara, em Niterói, no Rio, Fani revelou detalhes íntimos de sua sexualidade, e relembrou a confusão que virou sua vida quando posou junto com Natalia Casassola para a “Playboy”.   “Depois da revista, quando falei que era bissexual, minha vida virou um inferno.Todas as meninas queriam experimentar fazer sexo comigo. Era agarrada em todos os lugares! Não podia entrar em um banheiro de boate que elas vinham atrás de mim. E muitas haviam acabado de posar comigo para fotos ao lado do namorado. Os largavam na pista e no banhaeiro chegavam e diziam que queriam que a primeira vez delas com mulher fosse comigo”, conta.      E o assédio não era apenas de mulheres desconhecidas. “Minha vida estava um inferno. Me tornei alvo das bissexuais. Eram atrizes, ex-BBBs… Todas queriam transar comigo. Para afastá-las, comecei a mentir e dizer que tinha inventado essa história de bissexualidade para me promover”, diz. Pela experiência que viveu, Fani descobriu que as mulheres são muito mais ousadas na abordagem do que os homens. “Elas são piores do que os homens. Não respeitam. Elas chegam te alisando, passando a mão, é uma abordagem muito agressiva”.   Hoje, Fani conta que não gosta mais de transar com mulheres. Esse era um desejo antigo que começou quando ela tinha 20 anos e surgiu “pelo simples prazer de transgredir as regras”, diz. Ela garante que apesar das várias transas que teve com pessoas do mesmo sexo, a experiência nunca a realizou plenamente. “Para mim, transar com mulher é uma preliminar eterna. Faltava sempre alguma coisa no final”. 
Uma experiência de ménage à trois a ajudou a tirar essa conclusão. No sexo com um homem e uma mulher, ela teve finalmente a certeza do que a satisfazia na cama. “Meus ex-namorados tinham ciúme e não queriam fazer ménage. Quando fiquei solteira e consegui transar com um homem e uma mulher descobri finalmente que gosto de homem, do macho alfa”.

Vídeo mostra skinheads em locais gay friendly em BH, em momento que suspeito é investigado

por noreply@blogger.com (Valmique)
 
 
Como hoje é sábado, dia de balada e Axé Brasil em BH, é importante ter conhecimento de um vídeo publicado no youtube por um grupo de neonazistas tem assustado muitas pessoas e servido de alerta para quem frequenta a Savassi (Veja no final da notíica). As imagens, feitas no ano passado, mostram jovens de roupa escura, cabeça raspada, coturnos e suspensórios percorrendo locais gay friendly da região. Com um aparelho de som na mão, eles dançam e fazem saudações nazistas. Em uma das cenas, o segurança de um dos locais, aparentemente, pede para que o grupo se retire. 
 Ao que tudo indica, os autores do vídeo podem estar envolvidos com a agressão de um morador de rua também na Savassi (imagem ao lado), na qual Antônio Donato Baudson Peret aparece em uma fotografia, divulgada nas redes sociais, enforcando um homem negro. O número 1488 que aparece no perfil do usuário que postou o vídeo, BRSP1488BH, é o mesmo pichado em um muro na Cidade Jardim. A imagem foi publicada por Antônio Donato. Inclusive, o suposto agressor já foi detido duas vezes e esteve envolvido em três agressões contra homossexuais. Nas ocasiões em que foi preso, ele foi acusado de participar de agressões contra um grupo de gays na Praça da Liberdade e a outra por agressão a skatistas em São Paulo. 
De acordo com Thiago Tavares, presidente da Safernet Brasil – organização não governamental de defesa e direito dos Direitos Humanos na internet -, e coordenador da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, a polícia será obrigada a instaurar inquérito para investigar o grupo autointitulado “White Skins”, como mostra no vídeo. 
Tavares explica que a partir da denúncia de qualquer pessoa que tiver o conhecimento, mesmo se for pela internet, a Polícia e o Ministério Público devem abrir uma investigação. “Isso independe da vontade do agredido. Acorrentar um morador de rua pelo pescoço é um crime de ação penal pública, que pode ser classificado como tortura, não apenas agressão”, explica. 
Ainda segundo o coordenador, os “White Skins” também cometeram crime de ação penal pública ao divulgarem fotos com imagens de suásticas e bandeiras nazistas. A lei 7.716 de 1989 prevê pena de 2 a 5 anos de prisão, além de multa, para quem comete esse crime. 
O Ministério Público está avaliando se acolhe ou não a denúncia. Mas as Polícias Civil e Militar ainda não abriram inquérito. 
 
Com informações do site Na Savassi

Empresa cria ação inovadora, usando o Futebol, para alertar sobre o Desmatamento!

por literatortura
 

 

 

Por Gustavo Magnani,

Cientes da situação da fauna e da flora no Brasil e de que o futebol é, de longe, o mais popular no país, a agência Grey141 resolveu usar o verde dos gramados para uma ação inovadora alertando os próprios brasileiros. O trabalho foi feito para a WWF, uma das maiores ong’s do mundo.

A ação parte do princípio de que a cada 4 minutos, uma área proporcional a um campo de futebol oficial, é desmatada. Infelizmente, a transformação de verde para marrom não foi ao vivo, mas sim na retransmissão da final do Torceio Internacional da Cidade de São Paulo, entre Brasil e Dinarmaca – onde a seleção brasileira sagrou-se campeã -. Números apontam que, depois do jogo, os acessos do site aumentaram em 73%. 

Quem sabe o bom resultado da iniciativa não faça com que ela seja, em breve, realizada em uma partida ao vivo. Imagina o possível efeito que isso teria em uma final de campeoanto estadual, ou, até, na Copa do Brasil? 

jogo-1

Fonte

*****

Gostou do post? O literatortura lançou uma revista com temática exclusivamente cultural, para que nossos leitores possam aproveitar de um conteúdo ainda mais aprofundado e qualificado! Não perca! Clique na imagem e assine!

_______________________________________________________________________________________________________

Gustavo Magnani, estudante de Letras da UFPR, proprietário do literatortura. Está revisando o primeiro livro, mas sente dificuldades hercúleas para escrever uma bio. [e, como pode-se notar, adora metalinguagem]

 

_______________________________________________________________________________________________________

 

6 horas atrás

Série de fotos mostra o que as pessoas leêm no metrô!

por literatortura
 

“ON THE ROAD,” BY JACK KEROUAC

 

Por Gustavo Magnani,

A coluna de fotografia desta semana se alinha com a maior paixão deste site que vos fala! O que as pessoas leêm no metrô de Nova York é o tema do ensaio da fotógrafa Ben-Haim. Ela disponibliza, inclusive periodicamente, seu trabalho num site próprio para o projeto:  Underground New York Public Library.

Ben sofre de um mal que muito litratorturado sofre por aí – e isso, de fato, é quase uma tortura – descobrir o título do livro que o fulano de tal está lendo: seja no metrô, no ônibus, na faculdade ou numa praça qualquer. A própria fotógrafa admite que quando não consegue descobrir qual o livro, ela simplesmente pergunta e mata a curiosidade.

Entrei em contato hoje mesmo com uma brasileira que descobri fazer a mesma coisa. Tentarei trazer o ensaio de uma maneira bacana para o site em algumas semanas e aí poderemos descobrir  o que as pessoas leêm no metrô BRASILEIRO!

Confira o ensaio:

View high resolution

“De gevangene van de hemel,” by Carlos Ruiz Zafón Dutch: Borrow I Read  English: “The Prisoner of Heaven”:  Borrow I Read

“DE GEVANGENE VAN DE HEMEL,” BY CARLOS RUIZ ZAFÓN

 

 

View high resolution

“Pale Fire,” by Vladimir NabokovBorrow I Read

“PALE FIRE,” BY VLADIMIR NABOKOV

View high resolution

“The Great Gatsby,” by F. Scott FitzgeraldBorrow I Read

“THE GREAT GATSBY,” BY F. SCOTT FITZGERALD

 

 

View high resolution

“Notes from the Underground,” by Fyodor DostoyevskyBorrow I Read

“NOTES FROM THE UNDERGROUND,” BY FYODOR DOSTOYEVSKY

*****

Gostou do post? O literatortura lançou uma revista com temática exclusivamente cultural, para que nossos leitores possam aproveitar de um conteúdo ainda mais aprofundado e qualificado! Não perca! Clique na imagem e assine!

_______________________________________________________________________________________________________

Gustavo Magnani, estudante de Letras da UFPR, proprietário do literatortura. Está revisando o primeiro livro, mas sente dificuldades hercúleas para escrever uma bio. [e, como pode-se notar, adora metalinguagem]

 

_______________________________________________________________________________________________________

 

13 horas atrás

A Menina que Odiava Livros: um sincero curta metragem de incentivo à literatura!

por literatortura
 

 

Por Gustavo Magnani,

“A Menina que Odiava Livros” é um curta metragem que adapta o livro homônimo de Manjusha Pawagi e Jeanne Franson. Foi indicado para mim via mensagem no literatortura e achei bastante interessante trazê-lo para cá. Quem quiser comprar o livro, basta Clicar aquiÉ um trabalho bastante interessante que reforça a importância da leitura no crescimento do indivíduo. Particularmente, não é tão mágico quanto Os fantásticos livros voadores do Sr.Morris Lessmore, porém, é bastante instrutivo e interessante. Vale a pena conferir!

SINOPSE: Esta é a história de Meena, uma garota que simplesmente odiava os livros. Mas ela não conseguia ficar longe deles, porque em sua casa eles estavam por toda parte: nos armários da cozinha, nas gavetas, nas mesas, nos guarda-roupas e nas cômodas. Estavam também sobre o sofá, alguns entulhados na banheira e outros empilhados nas cadeiras.

Mas um dia o gatinho de Meena derrubou uma pilha enorme de livros infantis. Abertas pela primeira vez, as páginas dos livros libertaram os personagens e animais das histórias, que invadiram a sala, fazendo uma grande bagunça. Esse acontecimento mágico fez Meena viajar pelo fantástico mundo da literatura. [fonte ebooksgratis]

*****

Gostou do post? O literatortura lançou uma revista com temática exclusivamente cultural, para que nossos leitores possam aproveitar de um conteúdo ainda mais aprofundado e qualificado! Não perca! Clique na imagem e assine!

_______________________________________________________________________________________________________

Gustavo Magnani, estudante de Letras da UFPR, proprietário do literatortura. Está revisando o primeiro livro, mas sente dificuldades hercúleas para escrever uma bio. [e, como pode-se notar, adora metalinguagem]

 

_______________________________________________________________________________________________________

 

16 horas atrás

Os 10 Momentos Mais Marcantes da História da Televisão Brasileira

por literatortura
 

 

Por Gustavo Magnani,

Olá Senhoras e senhores, neste “sábado do vídeo”, trago, também, uma matéria mais “histórica”, assim como foi “15/03/94 – “O Dia em que Leonel Brizola humilhou a Rede Globo no próprio Jornal Nacional”. Esse vídeo é uma compilação dos 10 momentos que, segundo os leitores da Revista Monet, em uma votação aberta, escolheram. Ou seja, a lista tem um viés bastante brasileiro, afinal, é constituída por leitores brasileiro.

Por isso, inclusive, a compilação apresenta a mais famosa vilã de novela brasileira e um feito marcante de um esportista brasileiro, além da tristeza de outro.

E você, acha que faltou algum momento? Qual? Comente! 

10 Momentos Mais Marcantes da História da Televisão 

 

*****

Gostou do post? O literatortura lançou uma revista com temática exclusivamente cultural, para que nossos leitores possam aproveitar de um conteúdo ainda mais aprofundado e qualificado! Não perca! Clique na imagem e assine!

_______________________________________________________________________________________________________

Gustavo Magnani, estudante de Letras da UFPR, proprietário do literatortura. Está revisando o primeiro livro, mas sente dificuldades hercúleas para escrever uma bio. [e, como pode-se notar, adora metalinguagem]

 

_______________________________________________________________________________________________________

 

Argentina: Padre é expulso da Igreja por defender casamento gay

por mark vynny
 

Padre foi suspenso há três anos quando declarou apoio ao casamento gay. Agora, foi expulso

José Nicolás AlessioO padre argentino José Nicolás Alessio foi expulso da Igreja por ser favorável ao casamento homossexual. “Mais de 30 servindo ao povo de Deus não significam nada para a Igreja Católica. Tudo porque eu fui ter uma opinião diferente do arcebispo”, disse Alessio.

O arcebispo em questão é o papa Francisco. Em 2010, durante a briga da Igreja com o governo da presidente Cristina Kirchner, que tentava – e conseguiu – legalizar o casamento gay, Alessio se declarou favorável ao tema. O padre foi suspenso e as investigações sobre ele foram conduzidas pelo papa que na época era arcebispo de Buenos Aires.

fonte: ParouTudo

10 horas atrás

“O século 22 será dos gays”, diz Lygia Fagundes Telles

por mark vynny
 

Escritora tratou de homossexualidade em um de seus romances mais famosos, “Ciranda de Pedra”

Lygia Fagundes TellesPrestes a completar 90 anos no próximo dia 19, Lygia Fagundes Telles, uma das maiores escritoras do Brasil, disse o que pensa sobre Daniela Mercury assumir sua homossexualidade.

“Sou super a favor de que o ser humano faça o que ele quiser, todo o mundo é livre, a vida é curta. E o século 22 vai ser o século dos gays, pode escrever isso aí”, afirmou Lygia ao jornal “O Globo”.

A autora do agraciado com o Prêmio Jabuti “As Meninas”, já tratou de lesbianidade em contos como “A Escolha” (1985) e no romance que virou duas vezes novela da Rede Globo, “Ciranda de Pedra” (1954).

fonte: ParouTudo

 Compartilhar  Marcar como lido  Curtir

Comunidade Nin-Jitsu lança gravação ao vivo com B Negão, Chorão e Xis

por Mauro Ferreira
 
 Em novembro de 2012, o grupo gaúcho Comunidade Nin-Jitsu registrou show no Opinião, teatro bar situado em Porto Alegre (RS), terra natal da banda. A gravação ao vivo está sendo lançada neste mês de abril de 2013, via Coqueiro Verde Records, nos formatos de CD e DVD. Ao vivo no Opinião agrega no roteiro participações de nomes como B Negão, Chorão (1970 – 2013) – convidado deTudo que ela gosta de escutar, possivelmente numa de suas últimas gravações em disco – Edu K, Lucas Silveira, Papas da Língua e Xis, entre outros. O time de convidados está em sintonia com o estilo da banda, que une rock com rap, funk e reggae em fusão que evoca o som do Charlie Brown Jr., grupo liderado por Chorão. Eis as faixas do DVD: 
• CNJ
• Rap do trago
• Não Aguento mais
• Arrastão do amor – com Erick Endres
• Merda de bar – com Erick Endres
• Toda molhada
• Chuva nas calcinha
• Melô do analfabeto
• Martini
• Cowboy
• Detetive
• Funk da paz (Rebola o resbolah)
• Aperitivado / Ejaculação precoce
• Ah! Eu tô sem erva
• Quero te levar – com Lucas Silveira
• Funk até o caroço – com B Negão
• Us mano e as mina – com Xis
• Ela vai passar – com Papas da Língua
• Popozuda rock’n’roll – com Edu K
• Tudo que ela gosta de escutar – com Chorão
• Fazê a cabeça – clipe
11 horas atrás

‘Rapper’ baiano Mr. Armeng vai gravar CD produzido por Marote via Sony

por Mauro Ferreira
 
 O rapper baiano Mr. Armeng – visto ao centro na foto de Thiago Bernardes – vai gravar disco produzido por Dudu Marote. O álbum vai ser lançado pela Sony Music. A gravação do disco e o ingresso na companhia fonográfica multinacional são prêmios a que Mr. Armeng faz jus pela vitória no reality show musical Breakout Brasil!, promovido através de parceria da Sony Music com o Google e exibido pelo canal pago Sony Spin. Atualmente com 30 anos, Mr. Armeng – batizado Maurício Souza e filho do cantor Guiguio, ex-vocalista do bloco afro Ilê Aiyê – faz rap misturado com levadas de funk/soul e com elementos da música afro-baiana. Armeng está na estrada desde 2003, ano em que fundou a banda de rap Kbça Ativa. Em 2006, formou com o DJ Leandro Moraes (à esquerda na foto) e o percussionista Tiago da Lua o coletivo Freedom Soul Rec, com o qual gravou os singles A noite é nossa (hit na Bahia), Se você ficar e Vem cá.  
12 horas atrás

Remanescentes do extinto grupo Charlie Brown Jr. criam banda, A Banca

por Mauro Ferreira
 
 A morte de Alexandre Magno Abrão (1970 – 2013), o Chorão, em 5 de março, provocou o fim abrupto do Charlie Brown Jr. – o grupo que Chorão formara em Santos (SP) em 1992 e do qual era líder, voz e cérebro. Mas os músicos remanescentes da última formação da banda – Bruno Graveto (bateria), Champignon (baixo), Marcão (guitarra) e Thiago Castanho (guitarra) – vão permanecer em cena. Eles criaram nova banda, A Banca, para a qual foi convocada Helena de Andrade Papini, a Lena, para assumir o baixo, já que o então baixista Champignon vai assumir os vocais d’A Banca. Está prevista a gravação de um disco do novo quinteto até o fim de 2013.

 

closer: quando estar perto demais não é o bastante

por Manú Sena
 

Um homem caminha por uma rua cheia de gente quando se depara com um rosto de um mulher de cabelos vermelhos vindo em sua direção.A mulher o vê e em seguida é atropelada por um carro.E o resto da história não teria acontecido se ambos não estivessem, sob o risco do real.

Ler o artigo completo
   

4 horas atrás

closer: quando estar perto demais não é o bastante

por Manú Sena
 

Um homem caminha por uma rua cheia de gente quando se depara com um rosto de um mulher de cabelos vermelhos vindo em sua direção.A mulher o vê e em seguida é atropelada por um carro.E o resto da história não teria acontecido se ambos não estivessem, sob o risco do real.

Ler o artigo completo
   

PARABÉNS, NATURA! TODA RELAÇÃO É UM PRESENTE.

por Sergio Viula
 
 

Lembram do Malafeia na Avon? A empresa honrou seu compromisso e discretamente retirou o livro homofóbico dele do catálogo. Parabenizei a empresa na mesma medida em que a critiquei anteriormente.

Agora, vejam a diferença entre NÃO FAZER discurso discriminatório ou apoiar quem faça e PROMOVER iniciativas inclusivas que celebram a diversidade humana de fato. 

NATURA, PARABÉNS!

VEJAM O NOVO COMERCIAL “TODA RELAÇÃO É UM PRESENTE” e entendam por que digo isso. 

http://www.youtube.com/watch?v=pH5TugUigG8 

9 horas atrás

Hospital das Clínicas, em SP, será primeiro a tratar menor transexual com hormônio

por Sergio Viula
 

Hospital das Clínicas, em SP, será primeiro a tratar menor transexual com hormônio

Parecer do Conselho Federal de Medicina indica que aos 16 anos jovem transexual já pode receber hormônios para induzir desenvolvimento de características do sexo oposto ao de nascença    Por: Júlia Rabahie, da Rede Brasil Atual    Publicado em 12/04/2013, 18:14 Última atualização em 13/04/2013, 12:27 

A jovem Alessandra, de Presidente Prudente, fez o acompanhamento no CRT/SP e aguarda na fila do SUS para fazer a cirurgia de transgenitalização (Foto: Paulo Pepe/RBA)  
  São Paulo – O Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo será o primeiro no país a implementar tratamento hormonal a adolescentes transgêneros. Atualmente, a hormonoterapia só é concedida pela rede pública de saúde a maiores de 18 anos, mas um estudo francês feito em 2010, envolvendo 70 adolescentes com o chamado Transtorno de Identidade de Gênero (TIG), revelou que todos mantinham o transtorno na idade adulta. Com base nesse e em outros estudos médicos internacionais, o Conselho Federal de Medicina (CFM) passou, desde março, a recomendar a aplicação do novo método a partir dos 12 anos, quando começam os sinais da puberdade.

LEIA NA ÍNTEGRA AQUI: REDE BRASIL ATUAL

13/04/2013 às 10:59 | atualizado em 13/04/2013 às 10:59

Paródia ‘Boy Is A Bottom’ faz sucesso no Facebook; veja vídeo

 
 

Do Gay1 Entretenimento 

Vídeo postado na rede social já tem quase dois mil compartilhamento (Vídeo: Facebook)

“Beiradeiros do Rio Iriri, na Estação Ecológica da Terra do Meio”: três minutos de beleza e sensibilidade

RACISMO por racismoambiental
 

“Este vídeo foi produzido por Tiago Bucci, antropólogo colaborador durante expedição de campo de março de 2013 à Estação Ecológica da Terra do Meio, Pará. Estes moradores às margens do Rio IRIRI necessitam de acesso à cidadania. A construção participativa de acordos em termo de compromissos é uma conquista jurídica importante, mas educação, saúde e outras questões sociais de direito ainda são desafios”.

5 horas atrás

Ducci dispara contra Fruet: ” é inexperiente”

 
: “Existe realmente uma grande imprecisão ou manipulação nos números que são divulgados pela administração Gustavo Fruet”, diz um trecho da nota de Ducci, ex-prefeito de Curitiba, que garante ter deixado R$ 416 milhões em caixa 
5 horas atrás

Parceria Gurgel & Valério oficializa candidatura JB

FICHA CORRIDA por Gilmar Crestani
 

E depois o MP precisa de um factóite para dizer de sua importância. Quando, por seu procurador-geral, o MP vira o braço armado dos golpistas, mostra apenas que o papel que foi dos militares em 1964, avocam para si em pleno século XXI. Quem não sabe investigar, e mistura desejo com acusação, merece ser colocado de volta ao seu lugar e deixar quem existe para investigar (Polícia Federal) que cumpra o papel que é a razão de sua existência.

Gurgel tem posição incoerente, diz presidente do PT

DE SÃO PAULO

O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou ontem considerar “curioso” que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, dê crédito ao empresário Marcos Valério, mas não ao ex-ministro José Dirceu, ambos condenados pelo Supremo Tribunal Federal no caso do mensalão.

A declaração fez referência à entrevista na qual Dirceu disse à Folha que o ministro Luiz Fux, do STF, prometeu absolvê-lo no processo do mensalão.

Ao comentar a declaração, Gurgel disse que Dirceu não merecia crédito.

O procurador, no entanto, enviou depoimento de Valério para que o Ministério Público investigasse um suposto envolvimento do ex-presidente Lula com o mensalão.

Falcão afirmou ainda não ver necessidade em aprovar uma nota de solidariedade a Lula pela investigação e disse se tratar de mais uma “invencionice” para atingir a imagem do ex-presidente.

Filed under: Marcos ValérioRoberto Gurgel Tagged: Golpismo  

5 horas atrás

‘Triple collection’ junta três álbuns com três formações diferentes do Yes

NOTAS MUSICAIS por Mauro Ferreira
 
 Lançado no Brasil neste mês de abril de 2013, via Warner Music, o volume dedicado ao Yes na série The triple album collection – que embala em box simplórias reedições em CD de três títulos da discografia de determinado artista ou banda – repõe em catálogo três álbuns que flagram o grupo inglês de rock progressivo com três formações distintas. Por ordem cronológica, o primeiro título é Yes, álbum de estreia da banda, gravado e lançado em 1969 com a formação original do grupo, que incluía o guitarrista Peter Banks. Na sequência, The Yes album – terceiro álbum da banda, lançado em 1971 – marca a entrada no grupo do guitarrista Steve Howe, recrutado para substituir Banks. Por fim, 90125 – álbum de 1983 – se diferencia da formação dos anteriores por contar com Trevor Rabin, o guitarrista, compositor e cantor sul-africano convidado em 1982 a se juntar ao Yes, com o qual permaneceu até 1994.
5 horas atrás

Programa MCMV. Dilma está cega há 4 anos?

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://ossamisakamori.blogspot.com.br Veja em que mão está entregue a administração no nosso País, para uma pessoa considerada “gerentona”, mãe do PAC, tocador do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). O governo dos presidentes Lula e Dilma vem executando o programa desde 2009. Exatos 4 anos depois, Dilma gerentona, descobre que as casas do programa MCMV, não […]
5 horas atrás

Pablo Neruda: “Assim é minha vida”

RACISMO por racismoambiental
 
Meus deveres caminham com meu canto.
Sou e não sou:
é esse meu destino.
Não sou,
se não acompanho as dores
dos que sofrem:
são dores minhas.
Porque não posso ser
sem ser de todos,
de todos os calados
e oprimidos.
Venho do povo
e canto para o povo.
Minha poesia
é cântico e castigo.
Me dizem:
“Pertences à sombra”.
Talvez, talvez,
porém na luz caminho.
Sou o homem
do pão e do peixe,
e não me encontrarão
entre os livros,
mas com as mulheres
e os homens:
eles me ensinaram o infinito.
6 horas atrás

Pirâmide de favores e desfavores

FICHA CORRIDA por Gilmar Crestani
 

Um amigo maçônico diz que apesar de ser secreta, a maçonaria não prejudica, só ajuda as pessoas. Primeiro, é meia verdade. Só ajuda, os maçônicos. Segundo, se você beneficia um amigo este benefício com algo que não é seu, tipo cargo público, alguém mais merecedor pode estar sendo prejudicado. E por aí vai… Na minha opinião, se fosse boa não precisava ser secreta.

Principal ramo da maçonaria reelege servidor aposentado

DE SÃO PAULO – Com 43,5% dos votos, o servidor aposentado Marcos José da Silva foi reeleito grão-mestre geral do Grande Oriente do Brasil (GOB), o cargo máximo do maior ramo da maçonaria brasileira.

Devido ao grande número de recursos, a apuração da votação feita em 9 de março só foi concluída ontem. A expectativa era de que até 40 mil maçons votassem, mas menos de 24 mil compareceram em todo o país.

Silva derrotou o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), que disputou pela terceira vez, e o advogado Benedito Ballouk.

Filed under: Maçonaria Tagged: Entre Amigos  

6 horas atrás

Governo não apoia desaposentadoria, diz ministro

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://economia.estadao.com.br BRASÍLIA – O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse nesta sexta-feira, 11,que o governo não está apoiando a proposta que permite ao aposentado elevar o valor da aposentadoria, caso tenha tempo adicional de trabalho e contribuição. “Estamos pedindo um prazo para fazermos uma análise, portanto o governo não está […]
6 horas atrás

Terrorista, Veja produz seu segundo caso Boimate

 
: Em 1984, o jovem repórter Eurípedes Alcântara caiu numa pegadinha de primeiro de abril e acreditou numa reportagem de uma revista científica sobre o cruzamento genético entre o boi e o tomate; o caso “boimate”, levado às páginas de Veja, se consagrou como a maior “barriga” jornalística de todos os tempos, mas não impediu que Eurípedes se tornasse diretor de redação da revista da Abril; nesta semana, Veja diz que a presidente Dilma “pisou no tomate” e que o alimento virou piada nacional; tabelinha entre Abril e Globo é mais um momento baixo do jornalismo brasileiro, em sua campanha para disseminar terrorismo, pedir juros altos e combater o PT 
6 horas atrás

Serra virou uma ameaça à democracia

CENTRODOMUNDO por Paulo Nogueira
 

Ele parece ignorar que para tirar um partido do poder no Brasil de hoje basta ter mais votos. Quando você imagina que Serra não pode descer mais baixo, ele sempre surpreende. Veja um trecho de uma palestra sua num encontro do PPS: “O Estado brasileiro foi capturado por um grupo em seu benefício. Esta força

O post Serra virou uma ameaça à democracia apareceu primeiro em Diário do Centro do Mundo.

6 horas atrás

EM CAMPANHA CONTRA DILMA, ÉPOCA PISA NO TOMATE

SINTONIA FINA por Rilton Nunes
 
 
Em sua capa desta semana, a revista semanal das Organizações Globo anuncia que o governo Dilma faz tudo errado no combate à inflação e diz que a presidente e o ministro Guido Mantega pisaram no tomate; auto-referente, a Globo usa declaração da global Ana Maria Braga, que disse usar uma joia ao pendurar um colar de tomates no pescoço, para afirmar que a inflação hoje assusta os brasileiros; nunca é demais lembrar, no entanto, que, nos dois governos FHC, a inflação foi substancialmente maior do que a agora, sem disparar o mesmo alarme; será síndrome de abstinência de juros altos ou de ter amigos no poder? 
Nunca é demais relembrar os dados de inflação dos últimos governos. Na primeira gestão FHC (1995-1998), a taxa média foi de 9,7% ao ano. Na segunda (1999-2002), de 8,8%. Com Lula, os índices foram mais civilizados, sempre dentro da meta e, agora, com Dilma, a taxa média é de 6,2%. No entanto, nunca o alarma dos veículos de comunicação tradicionais soou tão alto como agora. Em sua capa desta semana, a revista Época, das Organizações Globo, afirma que a presidente Dilma Rousseff e seu ministro Guido Mantega pisaram no tomate – produto que simboliza a alta de preços recente. Anuncia ainda que o governo federal faz tudo errado no combate à inflação – como se, por exemplo, iniciativas recentes, como a desoneração das contas de luz não tivesse a menor importância. Auto-referente, a Globo usa uma declaração da apresentadora global Ana Maria Braga, a de que estava usando uma joia, ao pendurar um colar de tomates no pescoço, para indicar que a população brasileira estaria apavorada com a inflação. Detalhe: quem será que pediu para Ana Maria Braga fazer sua piadinha ridícula? Com a capa desta semana, Época, na verdade, apenas acentua sua cruzada contra o governo Dilma e, a um só tempo, alia interesses políticos da Globo a interesses econômicos seus e de apoiadores. Os dois objetivos principais são derrotar o PT nas próximas eleições e garantir o início de um ciclo de alta de juros. No fundo, trata-se de uma síndrome de abstinência de juros e também um sintoma da falta de amigos no poder. Abaixo, um trecho da reportagem:  Estou usando uma joia.” Com essa frase, a apresentadora Ana Maria Braga apresentou o colar de tomates de seu figurino no programa da quarta-feira passada. Foi apenas uma das muitas piadas que pipocaram ao longo da semana sobre o mais novo símbolo da inflação. Numa piada da internet, a atriz Claudia Raia, chefe de uma quadrilha internacional de prostituição na novela das 9, diz que mudará de ramo e traficará tomates. Em outra, um caqui que se passa por tomate vai para a cadeia. Alguém sugeriu um novo programa social – Meu Tomate Minha Vida. Na semana em que a inflação acumulada nos últimos 12 meses ultrapassou o teto da meta estipulada pelo Banco Central, o Brasil se transformou no “país do tomate”. Com alta de 122% em um ano, o fruto contribuiu para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechar o período em 6,59%. Inflação oficial acumulada em 12 meses fica em 6,59%, diz IBGE 
Não se acredita num descontrole que leve o país aos patamares de inflação do final dos anos 1980, quando, na casa dos 1.000% ao ano, ela obrigava os brasileiros a apostar corrida, entre as gôndolas dos supermercados, com os funcionários responsáveis pela remarcação de preços. É um erro, porém, comparar os índices desses dois períodos, tantas foram as mudanças da economia na conquista da estabilidade. Mesmo que o patamar atual não pareça assustador, ele é. Índices desse porte estão longe de representar um problema trivial.

Um primeiro efeito: na semana passada, os supermercados divulgaram que, em fevereiro, registraram queda de 2,1% nas vendas de alimentos e bebidas, em comparação com o mesmo mês de 2012. O consumo diminuiu sobretudo entre a classe média e os mais pobres. De acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), as vendas para famílias de menor renda caíram 4% em 12 meses. Essa situação – em que os maiores beneficiários do crescimento recente da economia brasileira perdem poder de compra – é a principal fonte de preocupação para o futuro político da presidente Dilma Rousseff. 
Dois dias antes da divulgação do IPCA, a presidente convocara a seu gabinete três de seus principais consultores econômicos: o ex-ministro Delfim Netto, Luiz Gonzaga Beluzzo e Yoshiaki Nakano, que cuidou das contas de várias administrações tucanas. O governo só se pronunciou sobre o assunto depois que o índice foi divulgado, na última quarta-feira. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que não pouparia esforços para evitar a alta de preços e quis demonstrar otimismo. 
 Afirmou que a entressafra agrícola terminará em breve, que as pressões sobre o setor de serviços estão mais brandas. Também lembrou que a inflação de março foi a mais baixa do ano – segundo ele, um bom sinal. Procurado por ÉPOCA para comentar o assunto, Mantega não quis dar entrevista. O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, também não quis se pronunciar.  Na sexta-feira, durante um evento em São Paulo, Mantega afirmou que “as medidas que forem necessárias serão tomadas pelo governo”. “Não titubeamos em tomar as medidas, inclusive, posso dizer, mesmo medidas que são consideradas não populares, como elevação da taxa de juros, quando isso é necessário”, afirmou. “O Banco Central tem dito que não há e não haverá tolerância com a inflação”, disse Tombini no mesmo dia. SINTONIA FINA 

6 horas atrás

Serra, esse é o homem que a imprensa brasileira chama de ‘o mais preparado’ e que tem um ‘currículo exemplar’. É muito cinismo!

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Serra não declara apoio, mas quer união  
Em evento do PPS, ex-governador afirma que oposição deve se unir e diz considerar Aécio um “bom nome” para a disputa eleitoral. Logo depois, entretanto, nega ter feito o comentário 

JULIANA BRAGA 

No dia seguinte à participação do presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) em encontro do PPS no Congresso, o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) rompeu o isolamento para prestigiar o evento, em que pregou a união das forças de oposição. No entanto, Serra deu declarações dúbias quanto o apoio ao correligionário mineiro na corrida eleitoral de 2014. 

Após quarenta minutos de discurso no seminário “A esquerda democrática pensa o Brasil”, José Serra foi indagado se apoiará o nome de Aécio Neves para a presidência do partido, em maio. “Claro que apoiarei”, respondeu. Em seguida, ao ser interpelado se o senador mineiro representa um bom concorrente à Presidência da República, o ex-governador de São Paulo foi menos enfático: “É um bom nome”, limitou-se a responder. Já na saída do Congresso, enquanto aguardava o carro, foi perguntado novamente sobre o assunto, mas se recusou a comentar o assunto e negou que a pergunta anterior tivesse sido feita. 

Serra se limitou a dizer que, na política, era necessário ser racional e deixar as “paixões no passado”, mas, novamente, se esquivou de responder se a afirmação poderia ser interpretada como um apoio ao senador mineiro. “Eu sou passional, mas não levo paixão para as grandes decisões políticas. Sou racional demais para isso, é perda de tempo. Não posso deixar paixões do passado influírem nas decisões para o futuro”, afirmou.

O tucano, que tem sido cortejado pelo PPS, disse ser necessário aglutinar a oposição e se mostrou otimista em relação a 2014. “Eu me proponho a trabalhar pela união de todas as forças. Para que o movimento seja vitorioso, nós temos que somar, trazer gente que está do outro lado, de boa-fé, para o lado de cá”, sustentou. Mais uma vez, negou que a afirmação significasse uma eventual candidatura própria. “Eu disse que estou à disposição para o trabalho de união, e acho que tenho credencial para isso, pela melhor fórmula possível. Pode ser por meio de várias candidaturas ou de uma só. Mas isso não significa que eu esteja me colocando.” Ele ainda teceu duras críticas aos petistas e disse que as heranças das gestões de Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff serão “piores que as da ditadura e do ex-presidente Fernando Collor de Mello”.

Filiação
Desde a derrota na eleição do ano passado, quando concorreu à prefeitura de São Paulo, José Serra tem perdido espaço dentro do PSDB enquanto tenta frear o crescimento da influência do ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves na legenda. Desde então, tem crescido o desejo do PPS de atraí-lo para a sigla e lançá-lo candidato à Presidência da República em 2014. “Quem não gostaria de ter o Serra em seu quadro? É um grande nome e ajuda a incorpar a oposição”, afirmou o líder do partido na Câmara, Rubens Bueno (PR). Tanto Serra quanto Bueno, entretanto, negaram ter tratado do assunto na reunião que tiveram a portas fechadas, com o presidente do partido, Roberto Freire, após a palestra. 

Hoje, o Diretório Nacional da legenda se reúne para tratar sobre a possibilidade de fusão com outras legendas da oposição. A ideia é ter um grupo maior, inclusive para seduzir José Serra. Um dos partidos com quem o PPS tem conversado é o PMN.

6 horas atrás

Cardeais sem batina

CONSA por Hélio Consolaro
 
Os ministros do STF estão nus. E a imagem que a sociedade brasileira vê não é nada imaculada – 247

Num belo dia, uma segunda-feira, o presidente do 

Leonardo Attuch

Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, marca reunião com presidentes de associações de magistrados e, sorrateiramente, permite que o encontro seja gravado por jornalistas. Sua intenção era passar um pito coletivo nos próprios colegas, como se sua posição permitisse abusos de autoridade. Na manhã seguinte, na terça-feira, os juízes respondem com uma nota inédita na história da República, dizendo que os homens passam e as instituições ficam – e Barbosa é tratado como um “erro histórico” da suprema corte. Vinte e quatro horas depois, na quarta-feira, um político condenado na Ação Penal 470, José Dirceu, revela ter sido procurado por outro ministro do STF, Luiz Fux, que prometera sua absolvição enquanto escalava rumo ao poder. Se for verdade, trata-se de um ato no mínimo reprovável, cometido por um integrante da instância máxima da Justiça. Um dia depois, na quinta-feira, o dono da maior banca de advocacia do Rio de Janeiro, Sergio Bermudes, revela que irá pagar do seu próprio bolso uma festa de arromba, para mais de 200 convidados, destinada a celebrar os 60 anos de Fux. A cada dia que passa, a suprema corte brasileira avança no seu strip-tease permanente, retirando uma peça a mais de roupa. E o fato é que todos os seus ministros estão nus. Até recentemente, protegidos pela toga preta, eles eram percebidos como representantes máximos de uma elite da ética, do conhecimento e da sabedoria. Mas agora, expostos à luz do sol, são revelados ao público como realmente são: seres humanos dotados de vaidade, ambição, complexos de superioridade, esperteza e até alguma dose de malandragem. Hoje, as mentes mais maduras do STF deveriam estar refletindo sobre o erro histórico que foi julgar a Ação Penal 470 às vésperas de uma eleição e permitir que o processo, transmitido pela TV Justiça, sofresse ampla manipulação midiática. Se tivesse seguido seu curso natural, passando pelo primeiro grau e por todas as instâncias do Judiciário, o que garantiria aos réus o direito básico ao duplo grau de jurisdição, a instituição teria sido preservada. A vaidade, no entanto, falou mais alto. E os ministros acreditaram estar participando daquilo que seria “um julgamento para a história”. Só agora, aos poucos, começam a se dar conta de que eles é que estão sendo julgados por suas ações. Nus, são como cardeais sem batina, que perderam a pureza e todo o ar de santidade. Hélio Consolaro é professor, jornalista, escritor. Membro da Academia Araçatubense de Letras. 

6 horas atrás

Corte avalia que postura do presidente do STF estimula discurso de cerceamento do direito de defesa

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 

Ministros apelam a Barbosa para que analise recursos de réus do mensalão

Corte avalia que postura do presidente do STF estimula discurso de cerceamento do direito de defesa

Felipe Recondo, de O Estado de S. Paulo BRASÍLIA – A resistência do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, em levar a julgamento do plenário os recursos de réus do mensalão mobilizou ministros do tribunal. Mesmo aqueles que votaram pela condenação maciça dos réus consideram um erro do ministro deixar engavetados pedidos da defesa para que os prazos de recursos contra a condenação sejam estendidos. 
Barbosa ouviu ponderação de Celso de Mello para que leve os recursos da defesa ao plenário - Antônio Cruz/ABr - 19/03/2013 Antônio Cruz/ABr – 19/03/2013 Barbosa ouviu ponderação de Celso de Mello para que leve os recursos da defesa ao plenário Ao final da sessão de quinta-feira, 11, o Estado presenciou a conversa inicialmente entre o decano do tribunal, ministro Celso de Mello, com o presidente da Corte. Depois, juntaram-se Dias Toffoli e Luiz Fux. Celso de Mello fazia uma ponderação – em tom de apelo – para que Joaquim Barbosa levasse os recursos movidos pelos advogados a plenário antes da publicação do acórdão do julgamento.
A conversa antecipava o que viria pela frente. Uma hora depois, um grupo de nove advogados, incluindo os ex-ministros da Justiça Márcio Thomaz Bastos e José Carlos Dias, encaminhava ao STF a mais enfática petição protocolada até agora no processo. O pedido era o mesmo que fizera Celso de Mello ao presidente do tribunal: que o plenário analise os pedidos por mais prazo para a defesa antes da publicação do acórdão.
Celso de Mello argumentara que a resposta ao pedido dos advogados por mais prazo é um tema sensível e diz respeito à garantia ao direito de defesa. Além disso, ele lembrou a Barbosa, o andamento do processo poderia ser prejudicado se os agravos não fossem julgados antes da publicação do acórdão. Afinal, o prazo para recursos estaria correndo com questões prévias pendentes de decisão do plenário. 
Nas palavras de Celso de Mello, o julgamento dessas questões prévias pelo plenário evitaria dúvidas sobre o procedimento do tribunal. E esvaziaria, como disse um integrante da Corte, qualquer discurso de que o tribunal perseguiu os réus por não ter julgado os recursos a tempo.
Ainda na conversa, Celso de Mello alertou que a condução do processo do mensalão seguiu “tão bem” ao longo dos sete anos de tramitação. Não poderia, na reta final, sofrer percalços.
Atraso. Se os recursos não forem julgados antes da publicação do acórdão, o processo poderá sofrer atrasos, na avaliação de alguns ministros. 
Com a publicação do acórdão do julgamento, o tribunal começa a contar o prazo de cinco dias para recurso contra a condenação. Se posteriormente os ministros decidirem ampliar esse tempo, como pedido pelos réus, será aberto novo prazo. 
Joaquim Barbosa inicialmente mostrou-se resistente, mas ouviu a ponderação dos colegas. Na saída da sessão, o ministro desconversou sobre a possibilidade de levar a julgamento do pleno os agravos movidos pelos réus. Disse apenas que até quarta-feira não há sessão. Então por isso não poderiam ser julgados. 
“Minha preocupação número um com esse processo é publicar. Só não foi publicado ainda porque é grande e o serviço do tribunal não tem capacidade, agilidade de fazê-lo de um dia para outro”, respondeu Barbosa após sessão de quinta-feira.
Se a ponderação de Celso de Mello – que é partilhada por outros ministros – surtir efeito, os agravos seriam levados a julgamento na sessão plenária de quarta-feira. Até lá, o acórdão do mensalão não seria publicado. Análise dos votos. Os advogados pediram a Joaquim Barbosa aumento no prazo para os embargos de declaração – recurso contra possíveis contradições ou obscuridades nos votos dos ministros. Queriam ter, em vez de cinco dias corridos, pelo menos 20 dias.
Alegam que o acórdão terá milhares de páginas e que será humanamente impossível ler tudo e preparar recursos em apenas cinco dias. 
Todos os pedidos feitos pelos advogados foram negados por Barbosa. Em uma das decisões, ele afirmou que a defesa do ex-ministro José Dirceu tentava manipular prazos para atrasar o processo. Contra essa decisão, os advogados moveram outros recursos – agravos regimentais. E por meio deste recurso, o pedido por mais prazo obrigatoriamente tem de ser julgado em plenário. Márcio Thomaz Bastos, que defende um dos réus, moveu uma reclamação contra Barbosa.

6 horas atrás

Belluzzo: ‘Obsessão de analistas e da imprensa em cobrar alta de juros virou uma doença’

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 

Belluzzo: ‘Obsessão de analistas e da imprensa em cobrar alta de juros virou uma doença’

12/4/2013 9:54
Por Redação – de Brasília 
Belluzzo, um dos mais respeitados economistas brasileiros, acredita que 'União Européia poderia ser reconstruída se ela usufruísse um pouco mais liberdade' Belluzzo, um dos mais respeitados economistas brasileiros, fala sobre inflação e pressão da mídia sobre a economia O economista Luiz Gonzaga Belluzzo, em entrevista ao editor Luis Nassif, intitulada Quatro perguntas para Luiz Gonzaga Belluzo, falou sobre a inflação, a política de juros e sobre a carga negativa de analistas e da mídia conservadora sobre o desempenho econômico brasileiro. Acompanhe aqui o pensamento do professor da Universidade Federal de Campinas (Unicamp) e consultor em Economia.
– A presidenta Dilma pediu ao senhor e aos seus colegas conselhos sobre como o BC deve reagir à persistência da inflação?
– Fomos convidados a avaliar a proposta de criação de um fundo de reserva dos membros do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). É claro que o comportamento da inflação, a necessidade de proteger e estimular a indústria, em dificuldade há 30 anos, e o cenário internacional foram avaliados. A obsessão de analistas e da imprensa em cobrar uma alta de juros virou uma doença, um samba de nota só, uma visão de prazo curtíssimo.
– O senhor não acha que a evolução do IPCA e as respostas do BC geram ainda mais incertezas?
– É verdade que a economia está crescendo pouco e isso é um problema. Mas as perspectivas mais amplas não são tão ruins. Estamos sujeitos ao contexto internacional, que não é bom. Pela primeira vez, começamos a ter noção do que está acontecendo aqui e que respostas estão sendo dadas. Desde a instituição do regime de metas, o Banco Central tem tido dificuldade em atingi-las.
– Isso significa que domar a inflação continua sendo um desafio além da política de juros?
– Sim. Mesmo após a instituição do câmbio flexível, do maior controle fiscal e das metas, que garantem a estabilidade, a inflação se mostra resistente. A média dos últimos 15 anos, de 5,8%, deixa claro que os índices ainda são influenciados por um resquício de indexação que não permite quedas maiores. Em todo começo de ano, há pressões dos hortifrutis. O vilão da vez é o tomate. O sistema de formação de preços segue uma lógica na qual há todos os agentes econômicos querendo indexar pela maior taxa.
– Seria o caso de o BC mexer na meta de inflação e ajustá-la à realidade?
– Isso acabaria gerando uma expectativa mais negativa. De forma acertada, o Banco Central tem deixado claro que continua caminhando em direção à meta usando os instrumentos que tem. Mas cumprir a meta na paulada provocaria uma desaceleração muito forte da economia. A situação é bem diferente da que vivi quando estive no governo. Na época, os preços se orientavam pela correção monetária, formando uma catraca com salários. É pena que alguns colegas meus leiam tão pouco e façam análises que levam muitos a embarcar em equívocos.
O texto foi publicado, originariamente, na edição do diário Correio Brasileiense, nesta quinta-feira.

6 horas atrás

PT brilha no Distrito Federal

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Acesso a informação passa a valer no DF
Entra em vigor a norma que permite aos brasilienses saber sobre gastos públicos e processos relacionados a licitações e contratos de órgãos do Distrito Federal 

ALMIRO MARCOS 

Vânia Vieira:  
Vânia Vieira: “O sigilo é exceção. A transparência é a regra”

Desde ontem, qualquer cidadão passou a ter o direito legal de acessar o conteúdo de documentos e informações relacionados com órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), da Câmara Legislativa do e do Tribunal de Contas do DF (TCDF). Será possível se informar sobre contratos, licitações e projetos, por exemplo, além de gastos com obras públicas. A entrada em vigor da Lei Distrital de Acesso à Informação regulamenta, inclusive, algumas iniciativas de transparência que já vinham sendo adotadas no âmbito local desde o ano passado, sendo que a mais conhecida delas é a divulgação dos salários dos servidores públicos na internet.

“O que ocorre a partir de agora é uma ampliação das informações disponíveis para a população. Somente aqueles documentos considerados de caráter sigiloso é que não podem ser divulgados. Mas que fique claro que o sigilo é exceção. A transparência é a regra. O cidadão tem o direito de saber e terá acesso total a isso”, explica a titular da Secretaria de Transparência e Controle do DF (STC), Vânia Lúcia Ribeiro Vieira. 

Ela explicou que houve um esforço das diversas áreas do governo para se organizar a fim de facilitar a divulgação das informações. “Se surgirem dificuldades, iremos ajustando com o tempo”, acrescentou. Uma das novidades é a criação de um Serviço de Informações ao Cidadão Digital (www.e-sic.df.gov.br), por meio do qual a pessoa poderá solicitar o dado desejado. Ele foi criado nos moldes do que já existe na Controladoria-Geral da União (CGU) e terá o funcionamento centralizado na STC. 

A busca por detalhes dos gastos públicos também poderá ser feita pessoalmente, por meio das ouvidorias das diversas áreas do governo. Os órgãos terão prazo de 20 dias (prorrogáveis por mais 10) para dar uma resposta a quem solicita as informações. “Uma questão fundamental é que o cidadão não precisará mais justificar o motivo pelo qual está buscando a informação. Ela é pública e terá de ser repassada”, reforça Vânia Vieira.

Em 18 de novembro do ano passado, a presidente Dilma Rousseff (PT) sancionou a Lei Federal de Acesso à Informação Pública, que tem como objetivo principal dar publicidade e transparência aos gastos e ações públicos. O prazo era de seis meses para regulamentação, sendo que cada unidade da Federação e município deveria tomar providências para criar suas próprias leituras da lei. 

Em junho, o DF iniciou a primeira iniciativa relacionada com o assunto, publicando na internet o salário dos seus servidores. A medida chegou a ser contestada na Justiça por sindicatos, mas o GDF conseguiu respaldo do Judiciário. A Lei Distrital da Informação foi assinada em dezembro pelo governador Agnelo Queiroz, com prazo de quatro meses para regulamentação, e entrou em vigor ontem. “Se antes havia contestações, elas agora perdem força com a entrada em vigor da legislação”, conclui a secretária.

Festa na Emater

Os 35 anos da Emater-DF foram comemorados ontem com a entrega de sete patrulhas mecanizadas a seis associações e uma cooperativa de produtores rurais. Na ocasião, o governador Agnelo Queiroz também autorizou a contratação de 21 servidores concursados para o órgão, além de outros 40 para a Secretaria de Agricultura. O evento ainda marcou a premiação das empresas de laticínios Kapra e São Lucas no Concurso do Queijo Candango. Elas foram escolhidas por um júri especializado como as melhores produtoras do novo tipo de queijo, elaborado com base em receita elaborada pela Emater-DF.  

Verba para  a educação

As 657 escolas da rede pública do DF contarão com R$ 103,8 milhões este ano para despesas de custeio e manutenção. Os recursos fazem parte do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira e serão administrados pelas próprias unidades de ensino. “Esse dinheiro está inserido no contexto da Gestão Democrática das Escolas, efetivada pela atual administração, onde os gestores das unidades têm mais autonomia para aplicar os recursos. Mas eles também têm responsabilidade na prestação de contas”, explica o secretário de Educação do DF, Denílson Bento.  

6 horas atrás

O Aposentado Invocado diz o mesmo diuturnamente:”Sempre que vejo alguém falar mal do Congresso, tenho a certeza que o faz por não ter vivido um país sem a voz da instituição mais democrática do Brasil, o Legislativo.”

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Além do poder 

ORLANDO BRITO
orlandobrito.df@dabr.com.br 

 

Pacote de AbrilO dia 13 de abril de 1977 ficou marcado como aquele em o Brasil viveu um dos episódios mais tristes da nossa história: o fechamento do Congresso por uma Emenda Constitucional. A intervenção na Constituição continha seis decretos-lei que permitiam ao então presidente, o general Ernesto Geisel, maior domínio e controle sobre o Parlamento. Ficou conhecida como a “Constituinte do Alvorada” e, principalmente, “Pacote de Abril”. 

Além de fechar o Senado e a Câmara, o Pacote de Abril cassava o mandato de vários parlamentares, mantinha a eleição indireta para governadores e estabelecia que dois terços dos senadores passariam a ser escolhidos pelo próprio Palácio do Planalto. Estava criada a figura do “senador biônico”. E mais, estendia o mandato presidencial de cinco para seis anos. 

Como foi – No dia seguinte à edição das medidas, consegui chegar até o plenário da Câmara, cenário da minha cobertura cotidiana para o jornal em que eu trabalhava à época, O Globo. É preciso lembrar que, mesmo fechado por decreto presidencial e cercado pelos militares, os soldados não entraram no edifício do Parlamento. Os poucos autorizados a ter acesso eram alguns funcionários, encarregados da manutenção de aparelhos dos gabinetes mais importantes, como refrigeradores e, ainda, de irrigar as plantas dos jardins internos. E foi numa dessas que entrei, com um grupo de conhecidos meus do dia a dia, servidores da Câmara. Para não chamar a atenção e não ser barrado pelos sentinelas, troquei meu equipamento sofisticado, pesado e vistoso por uma simples câmara Leica, pequena, leve e silenciosa que cabia no bolso do paletó.

Pois foi com a discreta Leica, que me acompanha até hoje, que fiz essa triste imagem aí: em vez de parlamentares em suas cadeiras, no lugar de oradores na tribuna e do povo nas galerias, somente um vigilante guardando o plenário completamente vazio. Era 14 de abril de 1977. 

Sempre que vejo alguém falar mal do Congresso, tenho a certeza que o faz por não ter vivido um país sem a voz da instituição mais democrática do Brasil, o Legislativo.

6 horas atrás

A imprensa brasileira se contradiz. No Japão é bom, mas no Brasil a mesma receita é ruim. É triste!

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Japão lança cartada radical para crescer Pacote do governo, conhecido como “Abenomics”, conta com injeção de recursos para reverter longa deflação 
Banco central do país terá papel fundamental no plano, que espera reverter fenômeno que se perpetua há 15 anos RODRIGO RUSSO DE SÃO PAULO Chamado de radical e até revolucionário, o recém-lançado pacote para reverter 15 anos de deflação e estimular o crescimento no Japão é visto por especialistas como uma última cartada para estimular a economia local –a terceira maior do mundo, atrás de EUA e China. 
Mas a ação, apelidada, de “Abenomics” (referência ao novo premiê, Shinzo Abe), não está livre de críticas. 
À Folha Rajiv Biswas, economista-chefe para Ásia e Pacífico da consultoria IHS Global Insight, observa que, com alto nível de endividamento público em relação ao PIB e taxas de juros praticamente a zero, as alternativas estratégicas do país eram muito limitadas –e muitas das opções anteriores não conseguiram reverter a deflação. 
O fenômeno da deflação faz com que as pessoas e empresas poupem dinheiro em vez de gastá-lo, piorando ainda mais a situação econômica e as perspectivas de crescimento em um país que envelhece de forma rápida e com mão de obra em queda. 
O “Abenomics” tem três vertentes: uma maciça injeção de dinheiro na economia, por meio de afrouxamento monetário (“quantitative easing”) e compra de títulos de longo prazo do governo, a cargo do Banco do Japão (banco central local), medidas de estímulo fiscal, com aumento de gastos públicos, e reformas estruturais. 
BANCO DO JAPÃO
O Banco do Japão terá papel fundamental na proposta de sair de taxas negativas e alcançar taxa de inflação de 2% nos próximos anos. 
No início deste mês, o Legislativo local confirmou a indicação de Haruhiko Kuroda, 68, para o cargo de presidente da instituição –que logo anunciou a injeção de US$ 1,4 trilhão na economia em menos de dois anos. 
Kuroda, mestre em economia pela prestigiosa Universidade de Oxford, onde teve aulas com o vencedor do Nobel John Hicks, está alinhado com a política mais agressiva desejada pelo premiê Abe. Antes de assumir o cargo, em março, Kuroda exercia a presidência do Banco Asiático de Desenvolvimento. 
“Ele tem sólidas credenciais para a presidência do Banco do Japão, combinando fortes noções de administração com uma considerável experiência em coordenação econômica internacional na instituição regional, componentes tidos como chave para o papel no banco central nacional”, avalia Biswas. 
O antecessor de Kuroda no cargo, Masaaki Shirakawa, tinha mentalidade mais conservadora e defendia ação disciplinada dos bancos centrais. Durante sua campanha para premiê, Abe chegou a ameaçar mudança nas leis que garantem independência do Banco do Japão caso a instituição não implementasse políticas mais agressivas. 
RESULTADOS
Até o momento, o “Abenomics” já resultou em depreciação do iene, fazendo com que as exportações do país ganhem competitividade, em aumento dos índices de confiança dos negócios e em alta nos mercados financeiros. 
Além disso, a OCDE (Organização para a Cooperação e para o Desenvolvimento Econômico) elogiou as medidas e revisou de forma bastante favorável a projeção de crescimento do Japão no primeiro trimestre de 2013: de 1,5% do PIB, estimativa de novembro, para 3,2% em março. 
O economista Biswas alerta que as novas políticas devem gerar recuperação em 2013, mas terão desafio maior a partir de abril de 2014, quando haverá aumento de imposto sobre vendas, de 5% para 8%, o que pode reduzir o consumo doméstico. 
Outro problema que terá que ser desarmado pelo governo japonês é o nível de dívida pública. “Apesar de uma crise não ser iminente, já que 95% da dívida é doméstica, essa é uma possibilidade real no médio prazo, a não ser que o governo reduza firmemente o deficit fiscal nos próximos cinco anos, uma tarefa difícil”, afirma Biswas. 
Há o temor de que, com a implantação do “Abenomics”, as taxas de juros também aumentem e tornem o pagamento dessa dívida insustentável a longo prazo, o que poria em risco o crescimento do país. 
6 horas atrás

NICOLE BAHLS, GERALD THOMAS E O MACHISMO CONTEMPORÂNEO

MINGAU DE AÇO por Alexfig
 
 
Por Alexandre Figueiredo

O incidente entre Gerald Thomas e a paniquete Nicole Bahls, ocorrido na noite de anteontem na Livraria da Travessa, no Rio de Janeiro, não requer maniqueísmos. Mas há uma tentação em parte da opinião pública em criar esse maniqueísmo, até mesmo nas esquerdas médias, embora aparentemente não havia um texto sistemático nisso.

Antes de detalharmos isso, avisamos, para quem chegou da viagem, que no incidente Gerald Thomas, conhecido diretor e autor teatral, afeito a uma polêmica bem nos matizes chamados “pós-modernos” de banalização da vanguarda e do escândalo, num sensacionalismo pretensamente cult, estava lançando um livro, Arranhando a Superfície, quando a equipe do programa Pânico na Band se aproximou dele.

Gerald Thomas parecia contraditório, no seu misto de revolta e rendição. Ele quis agarrar Nicole Bahls como um valentão queria agarrar uma menina pequena pelo qual se sentia sexualmente atraído. A atitude de Gerald Thomas foi extremamente machista, pretensamente provocativa e cínica, e apenas resultou, como em toda atitude “polêmica” e “pós-moderna”, a uma controvérsia sem muito sentido.

Mas quem imagina que Nicole Bahls representava, dentro desse teatrinho maniqueísta, a imagem do “feminismo oprimido”, se enganou. O conflito não era entre machismo e feminismo, mas entre dois lados de uma cultura machista que só causa problemas, quando há um grande choque de interesses, já que o único problema estava mesmo é que Gerald Thomas queria forçar o assédio à moça, que não o queria.

Nicole Bahls também é uma musa da mídia machista, e naquele evento ela, como sempre, vestia roupas sumárias. Consta-se que ela só se veste discretamente em dias de muito frio, mas naquela ocasião, o de um lançamento de um livro numa livraria conceituada como a Livraria da Travessa, não era para ela estar vestida assim, mesmo quando fazia o papel de “repórter sensual” de um humorístico.

Os partidários de Nicole Bahls e de Gerald Thomas tentam dar suas respectivas rotulações aos respectivos ídolos. Os de Nicole a definem como uma “feminista dotada de liberdade do corpo” e os de Gerald o definem como um “intelectual vanguardista arrojado e polêmico”. Nem um, nem outro.

No machismo contemporâneo, associado a um contexto pós-tropicalista tanto da parte do “erudito” Gerald quanto da parte da “popular” Nicole, os dois lados tentaram disputar para ver quem é que ganha uma imagem de “transgressor” na opinião pública, e na opinião pública média, a vitória aparentemente é da paniquete, que “enfrentou” o assédio de um diretor teatral prolixo e arrogante.

No entanto, o que se viu foi um empate. Nicole errou feio, porque mesmo naquele contexto “sensual”, vestiu de forma apelativa demais, não bastasse o corpo siliconado e anabolizado que ela exibe que a faz “cheinha” demais. E errou Gerald Thomas, porque foi mais um ato de “provocação gratuita” que ele fez.

Vale aqui dizer que Gerald Thomas tornou-se a banalização, desde os anos 90, do vanguardismo cultural dos anos 60, levando ao extremo a atitude de provocar e chocar o público. Chega a um ponto que essa provocação, quando se torna gratuita, perde o seu sentido expressivo, pois a provocação como um fim em si mesmo elimina o sentido da arte e transforma a polêmica num mero produto.

Deve-se tomar cautela com o episódio. Não houve maniqueísmos. Nicole não foi a mocinha inocente assediada sexualmente por um diretor teatral decadente, mas uma mulher a serviço da imagem mercadológica da sensualidade, que reduz o corpo feminino a um objeto de consumo.

Se Gerald Thomas agiu feito um machista assanhado, Nicole também fez por onde para se envolver nesse escândalo. Ela acaba pagando o preço caro das mulheres que “sensualizam demais”, como tantas outras que não foram assediadas por diretores teatrais, mas tiveram fotos reproduzidas em propagandas de prostíbulos europeus. É o espetáculo do machismo contemporâneo.

7 horas atrás

Lula pula fora da briga entre Lindbergh e Cabral

 
: Ex-presidente deixa claro que não irá intervir no PT do Rio, impedindo a candidatura de Lindbergh Farias, como quer o governador Sergio Cabral, do PMDB; clima fratricida torna mais complexa a corrida eleitoral no Rio de Janeiro, liderada pelo deputado Anthony Garotinho, do PR 
7 horas atrás

Governo do 1,5%

FICHA CORRIDA por Gilmar Crestani
 

FHC sob orientação  subserviente de Margareth Tatcher foi o governo do 1% contra os 99%. Agora o PSDB levanta outra bandeira, que atinge 1,5% do universo dos menores infratores. Essa gente gosta de pensar pequeno, na miudagem. Um foco desfocado, pela miopia daquele que a mídia incensou como tendo “os melhores quadros”…  É por isso que os grupos mafiomidáticos, que também são minúsculos embora barulhentos, apoiam essa chinelagem!

Jovens internados na antiga Febem por mortes são 1,5%

Punição mais dura defendida por Alckmin atingiria 134 adolescentes

Maioria dos internos da Fundação Casa está lá por tráfico de drogas e roubos; debate ganhou fôlego após crime em SP

AFONSO BENITESDE SÃO PAULO

Se aprovada, a proposta que o governo de São Paulo quer levar ao Congresso Nacional para endurecer a punição de jovens infratores atingiria hoje 134 adolescentes do Estado que cumprem medida socioeducativa.

São menores de 18 anos que cometeram crimes de homicídio e latrocínio (roubo seguido de morte). O número representa menos de 1,5% dos 9.016 internos da Fundação Casa (antiga Febem).

A discussão sobre a punição de jovens foi reaberta após o assassinato do estudante Victor Hugo Deppman na terça-feira, em São Paulo.

Ele foi morto após entregar o celular ao assaltante, sem reagir. O suspeito estava a três dias de atingir a maioridade.

Os dados da Fundação Casa mostram que a maioria foi detida por roubo (44,1%) e tráfico de drogas (41,8%), crimes que não se enquadrariam no critério de gravidade estipulado pela gestão de Geraldo Alckmin (PSDB).

Hoje, um jovem pode ficar até três anos detido e, quando libertado, as informações da internação não constam de sua ficha criminal.

O projeto prevê que esse prazo chegue a até dez anos, em caso de reincidência. Além disso, assim que o jovem completasse 18 anos, seria levado para uma penitenciária. Seus crimes também ficariam registrados na ficha de antecedentes criminais.

Para especialistas ouvidos pela Folha, a proposta não necessariamente interfere na redução da criminalidade.

“Não adianta instituir a pena de morte se a polícia não investigar direito. Quem comete um crime imagina que, se não for pego, não vai ser punido. Isso vale para jovem e adulto”, diz o defensor público Flávio Frasseto, da área de Infância e Juventude.

O advogado Ariel de Castro Alves, ex-conselheiro do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, disse que é mais fácil reeducar um jovem na Fundação Casa do que em um presídio.

“Essa questão é financeira. Um interno da fundação custa cerca de R$ 5.000 ao mês. Já um preso, R$ 1.000.”

Ontem, Alckmin disse que há dez anos discute a revisão do ECA e que acredita que a atual legislação não educa os adolescentes infratores.

“Hoje, o menor não pode passar mais de três anos [internado] e sai com a ficha limpa. O menor com 17 anos, 11 meses e 29 dias, se cometer um crime, dois crimes, três crimes, o máximo é três anos. Nós entendemos que isso não educa”, disse o governador.

O governo federal disse ser contrário às mudanças.

Colaboraram DANIELA LIMA e EDUARDO GERAQUE

Filed under: Isto é PSDB! Tagged: geraldo alckmino minúsculo  

7 horas atrás

Ministro Luiz Fux cancela jantar bancado por advogado

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 

Ministro Luiz Fux cancela jantar bancado por advogado

MÔNICA BERGAMO
COLUNISTA DA FOLHA
MARCO ANTÔNIO MARTINS
DO RIO 

O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), pediu ontem ao advogado Sergio Bermudes que ele cancelasse o jantar que estava preparando para o magistrado. 
O organizador da festa, marcada para o dia 26, queria reunir políticos e a cúpula do judiciário nacional e do Rio de Janeiro em seu apartamento de 800 metros quadrados, na zona sul do Rio. O evento celebraria os 60 anos de Fux. 

SCO/STF e Folhapress
Ministro Luiz Fux e advogado Sergio Bermudes
Ministro Luiz Fux e advogado Sergio Bermudes

“Estamos cancelando a pedido do ministro”, disse Bermudes na noite de ontem. 
Segundo relato do advogado, Fux informou que sua mãe, Lucy, de 78 anos, teve uma crise de hipertensão com a repercussão negativa da celebração, o que teria preocupado o ministro. 
A divulgação do jantar pela Folha causou constrangimento no Supremo. Nos bastidores, ministros criticaram a festa, para a qual foram disparados 300 convites. 
Além de ser bancada pelo advogado, ela ocorreria pouco depois de o presidente da Corte, Joaquim Barbosa, ter criticado o que considera “conluio” entre juízes e advogados no Brasil. 
Coincidiria também com o julgamento dos recursos apresentados pelos réus do mensalão, que tentam reduzir suas penas. 
Além de todos os ministros do Supremo, Bermudes chamou para o evento todos os integrantes do Superior Tribunal de Justiça, os 180 desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio, o prefeito da cidade, Eduardo Paes, e o governador Sérgio Cabral. 
O mal-estar foi agravado pela informação de que a filha do ministro, Marianna Fux, é candidata a desembargadora do TJ do Rio. 
Na festa, ela teria a oportunidade de circular entre potenciais eleitores, já que cabe aos desembargadores do TJ, convidados para a celebração, escolher, a partir de uma lista sextupla da OAB-RJ, os três nomes que serão apresentados ao governador Cabral. O governador então escolhe o novo desembargador. 
Cabral negou ontem ter recebido o convite para o jantar. Ele também disse não ter conhecimento de articulação em prol da escolha da filha do ministro. “Nunca ouvi falar disso. A mim nunca chegou esse assunto. Agora, que ela é uma advogada brilhante e respeitada, ela é.” 
Antes da desistência de Fux, Bermudes havia defendido a realização do evento sob o argumento de que Fux nunca julgou ação em que atua como advogado, informação reiterada pelo gabinete do ministro. 
“Sempre fomos muito amigos. É uma amizade de 40 anos que começou quando ambos éramos professores. Fui orientador dele e o ministro Fux sempre se julga impedido de atuar nas ações assinadas por mim ou por sua filha”. Marianna Fux, 32, trabalha no escritório do advogado. 
Colaboraram CRISTINA GRILLO e ITALO NOGUEIRA, do Rio, e FELIPE SELIGMAN, de Brasília

7 horas atrás

PT desautoriza pedido de investigação contra Luiz Fux. “A investigação é sobre se a campanha teve utilização de caixa dois. Essa é a investigação e não sobre o [ex] presidente Lula”, disse. O dirigente Romênio Pereira disse que o PT não precisa fazer ato em defesa de Lula. “Os ataques que eles estão sofrendo são os mesmos dos últimos oito anos”, afirmou. Na mesma linha, a ex-prefeita e presidente do diretório estadual do Ceará, Luizianne Lins, disse que “há tempos queriam processar Lula por tudo quanto é motivo”.

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 

PT desautoriza pedido de investigação contra Luiz Fux

DO VALOR O presidente do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP), desautorizou nesta sexta-feira (12) qualquer pedido, feito em nome do partido, de investigação do ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal). 
A declaração de Falcão foi em sentido contrário à articulação do setor jurídico do PT de São Paulo, que quer entregar uma representação à Procuradoria-Geral da República defendendo a apuração da conduta de Fux no Supremo e o “impeachment” do ministro. 

Silva Junior – 14.nov.2012/Folhapress
Rui Falcão, presidente nacional do PT
Rui Falcão, presidente nacional do PT

“Não estamos propondo nenhuma investigação do ministro do Supremo Tribunal Federal. O PT não está propondo essa investigação”, repetiu Falcão, na sede do PT em São Paulo, depois de reunir-se com o diretório nacional do partido. 
O núcleo jurídico do PT de São Paulo, coordenado pelo advogado Marco Aurélio Carvalho, pretende enviar uma representação ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pedindo a apuração da conduta de Fux durante sua candidatura ao cargo de ministro do STF. 
O grupo cita entrevista dada pelo ex-ministro José Dirceu à Folha, na qual disse que Fux teria prometido “absolver” o petista no julgamento do mensalão, enquanto ainda pleiteava uma vaga no Supremo. 
O presidente do PT, no entanto, afirmou que Carvalho não representa a opinião do comando petista. “Ele não fala em nome do partido. Ele pode falar por ele. Se falou em nome do PT está desautorizado”, disse Falcão. 
Apesar disso, Falcão criticou Gurgel por ter defendido Fux. “É curioso que o próprio procurador que diz que Dirceu não merece crédito porque é réu, dá crédito a outro réu, que tem uma pena maior”, disse Falcão, referindo-se ao publicitário Marcos Valério.
A declaração do dirigente petista foi uma resposta à afirmação do procurador-geral, que desmereceu Dirceu, réu no caso do mensalão. 
LULA
Ao mesmo tempo, a Procuradoria da República do Distrito Federal pediu à Polícia Federal a abertura de um inquérito criminal para investigar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por suposto envolvimento no esquema do mensalão, com base em depoimento prestado por Valério em setembro. O inquérito da Polícia Federal foi aberto na noite de quinta-feira. 
Hoje, o PT decidiu não divulgar nota em apoio ao ex-presidente. Dirigentes petistas, de diferentes correntes internas da legenda, minimizaram a investigação envolvendo o presidente de honra do partido. 
Para Rui Falcão, a investigação é “mais uma das muitas invencionices criadas para atingir Lula”. 
“Não há nenhuma necessidade de soltar nota de solidariedade até porque a gente não acha que ele [Lula] esteja agravado e nem que esteja sendo investigado pessoalmente”, afirmou Falcão a repórteres, depois de participar de uma reunião do diretório nacional do partido, em São Paulo. “A investigação é sobre se a campanha teve utilização de caixa dois. Essa é a investigação e não sobre o [ex] presidente Lula”, disse. 
O dirigente Romênio Pereira disse que o PT não precisa fazer ato em defesa de Lula. “Os ataques que eles estão sofrendo são os mesmos dos últimos oito anos”, afirmou. 
Na mesma linha, a ex-prefeita e presidente do diretório estadual do Ceará, Luizianne Lins, disse que “há tempos queriam processar Lula por tudo quanto é motivo”. 

7 horas atrás

Gurgel tem posição incoerente, diz presidente do PT

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Gurgel tem posição incoerente, diz presidente do PT DE SÃO PAULO O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou ontem considerar “curioso” que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, dê crédito ao empresário Marcos Valério, mas não ao ex-ministro José Dirceu, ambos condenados pelo Supremo Tribunal Federal no caso do mensalão. 
A declaração fez referência à entrevista na qual Dirceu disse à Folha que o ministro Luiz Fux, do STF, prometeu absolvê-lo no processo do mensalão. 
Ao comentar a declaração, Gurgel disse que Dirceu não merecia crédito. 
O procurador, no entanto, enviou depoimento de Valério para que o Ministério Público investigasse um suposto envolvimento do ex-presidente Lula com o mensalão. 
Falcão afirmou ainda não ver necessidade em aprovar uma nota de solidariedade a Lula pela investigação e disse se tratar de mais uma “invencionice” para atingir a imagem do ex-presidente.
7 horas atrás

Fernando Rodrigues Os conservadores

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Fernando Rodrigues Os conservadores BRASÍLIA – Com 21 anos de ditadura militar (1964-1985) nas costas, o Brasil desenvolveu uma aversão natural a tudo que pudesse recender a conservadorismo ou pensamento de direita. Nas eleições presidenciais diretas no atual período democrático, os candidatos mais competitivos sempre se definiram como de centro ou de esquerda. 
O Brasil passou a ser uma das maiores democracias do planeta com uma aberração. Não havia ninguém relevante para ocupar de peito aberto o campo conservador de direita. 
Muito disso foi só retórica. Todos os presidentes da República eleitos pós-ditadura sempre flertaram com políticas ortodoxas na economia. Não foram propriamente de esquerda. Até o ex-presidente Lula, que governou o Brasil de 2003 a 2010, adotou várias ações que poderiam ser classificadas como conservadoras –sobretudo na condução das regras de livre mercado e finanças. 
Nesse ambiente, por rejeitar o seu próprio DNA, o principal partido vocacionado para o conservadorismo acabou definhando. Trata-se do PP (Partido Progressista). Essa legenda é herdeira direta da Arena (que também se chamou PDS, PPR e PPB). Foi a agremiação que sustentou a ditadura militar. Mas, exceto por alguns de seus integrantes mais exóticos, todos os demais pepistas passaram a rejeitar a classificação de “conservadores”. Direita, nem pensar. 
O PP foi grande até 1994, quando elegeu 86 deputados. Depois, desceu a ladeira. Tem agora meras 37 cadeiras na Câmara. Nesta semana, trocou seu presidente. Saiu Francisco Dornelles, de 78 anos, e entrou o senador Ciro Nogueira, de 44 anos. 
A intenção de Nogueira é fazer do PP o principal partido conservador do Brasil. “Há um vácuo nesse campo da política. Vamos preenchê-lo”, diz ele. Aliado de Dilma Rousseff, terá de demonstrar na prática essa intenção nas eleições de 2014. 
O PP terá sucesso? Aí é outra história. As urnas dirão no ano que vem. 
fernando.rodrigues@grupofolha.com.br
7 horas atrás

Defensores acusam Barbosa de ‘cerceamento’

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Defensores acusam Barbosa de ‘cerceamento’ Réus do mensalão foram prejudicados, dizem advogados em documento enviado ao STF DE BRASÍLIA Depois de o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, afirmar que a defesa do petista José Dirceu no julgamento do mensalão tenta manipular os prazos recursais, nove advogados que atuaram no caso enviaram novo documento ao ministro da corte e relator do caso, acusando-o de “cerceamento” de direito, “abuso”, “incoerência” e “erro”. 
As críticas se referem tanto à decisão de Barbosa de não permitir que as defesas tenham acesso antecipado aos votos dos ministros antes da publicação do acórdão (resultado oficial do julgamento), como ao fato de ele não ter levado ao plenário o debate, conforme requerido diversas vezes ao longo das duas últimas semanas. 
“Os recursos regimentais cabíveis não podem ser sonegados ao conhecimento do plenário, como têm sido neste caso”, diz o documento. 
Segundo os advogados, ao negar o acesso aos votos, o presidente do Supremo “cerceou o direito fundamental de examinar o texto do acórdão condenatório em condições materialmente dignas”. 
Eles afirmam que a disponibilização dos votos é algo possível, tanto que o próprio ministro já adotou a prática em outros casos “igualmente televisionados”. “A incoerência da proibição –ainda mais num caso tão excepcional como esta ação penal 470– não se justifica por nenhuma razão de direito”, afirma o recurso. 
DIREITOS FUNDAMENTAIS
A peça foi elaborada por nove advogados que atuam na defesa de sete réus, entre eles o próprio José Dirceu, Delúbio Soares, João Paulo Cunha, José Genoino e José Roberto Salgado, entre outros. Assinam o documento nomes como Márcio Thomaz Bastos, Alberto Toron, Arnaldo Malheiros Filho e José Luis Oliveira Lima. 
Eles criticaram o argumento de Barbosa de que eles tiveram oportunidade de acompanhar o julgamento ao vivo, via rádio ou pela TV Justiça. Segundo os advogados, os direitos fundamentais em jogo são “muito sérios” e “devem ser tratados por meio de argumentos rigorosamente jurídicos”. 
(FELIPE SELIGMAN)
7 horas atrás

Novo presidente do PP defende apoio à reeleição de Dilma

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Novo presidente do PP defende apoio à reeleição de Dilma Senador Ciro Nogueira diz querer transformar partido em referência conservadora para a política brasileira 
Político quer penas duras para usuários de drogas e se diz contra Comissão da Verdade e liberação do aborto FERNANDO RODRIGUES DE BRASÍLIA Cortejado por todos os principais partidos que tentam chegar ao Planalto, o novo presidente do PP (Partido Progressista), o senador pelo Piauí Ciro Nogueira, se declarou pessoalmente favorável a uma aliança formal entre o seu partido e o PT para sustentar a reeleição da presidente Dilma Rousseff, em 2014. 
Aos 44 anos, mas com uma longa carreira política (quatro mandatos de deputado federal antes do Senado), Nogueira faz uma ressalva sobre a necessidade de unificar a legenda. Em entrevista à Folha e ao UOL, ele reconheceu que hoje a situação é desfavorável para que o PP dê o seu tempo de TV e rádio para Dilma usar na campanha. 
Só não deixa dúvida sobre sua preferência pessoal: “Eu defendo o apoio à presidente Dilma”. É um posicionamento muito diferente da neutralidade mantida pelo ex-presidente do PP, senador Francisco Dornelles, do Rio, que em 2010 manteve a sigla neutra na disputa presidencial. 
Nogueira não deseja hostilizar a ala anti-PT do seu partido e contrária ao apoio oficial à reeleição de Dilma, mas se empenha na construção de um consenso que possa resultar na aliança em 2014. 
O fato de o PP comandar o Ministério das Cidades não implica uma aliança automática, pois essa também era a conjuntura em 2010. O que poderá mudar o cenário é um processo de consulta aos diretórios da sigla nos Estados. 
Para Ciro Nogueira, a presidente e o PT terão de se esforçar para oferecer um acordo que não sufoque o PP nas disputas por vagas no Congresso e em algumas eleições de governadores. 
“O PT, historicamente, é um partido que não costuma apoiar candidatos de outros partidos. Nós estamos precisando também de gestos do outro lado”, diz o pepista. 
O problema para esse acordo de apoio mútuo é que o PP tem como prioridade dois Estados nos quais o PT também deve ter candidato próprio ao governo: Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Nesse caso, seria necessário firmar um pacto de não agressão e garantir que Dilma se mantenha equidistante nessas disputas. 
O PP é o herdeiro direto da Arena (depois renomeada como PDS), legenda de sustentação da ditadura militar (1964-1985). Embora a sigla já tenha feito acordos regionais com o PT, o acerto nunca foi reproduzido eleitoralmente em nível nacional. 
O PP apoiando o PT em 2014 seria o fechamento completo do ciclo da redemocratização, com a união formal das duas forças mais antagônicas do fim da ditadura. 
Se embarcar no projeto reeleitoral de Dilma, o PP sufocará ainda mais os presidenciáveis que tentarão concorrer contra a atual presidente. 
Ideologicamente, o PP deseja ser o “partido conservador” do Brasil. Segundo Nogueira, “há um vácuo” que pode ser ocupado pela sigla. 
Fala sem ressalvas que defende menos impostos e menos presença do Estado na economia. É a favor de endurecer as penas até para usuários de drogas. Não deseja flexibilizar a lei do aborto. Também quer reduzir a maioridade penal e se declara contra a Comissão da Verdade.
7 horas atrás

Com Dirceu e Genoino, PT debate ação anticorrupção e a Folha não gosta

APOSENTADO INVOCADO por Helio Borba
 
Com Dirceu e Genoino, PT debate ação anticorrupção Campanha preliminar feita pelo marqueteiro João Santana, porém, foi rejeitada 
Depois de condenação no mensalão, petistas querem mobilização em favor do financiamento público em eleições DE SÃO PAULO DE BRASÍLIA Com a presença de José Dirceu e de José Genoino, condenados no julgamento do mensalão, a cúpula do PT discutiu ontem o formato de uma campanha publicitária pela reforma política, contra a corrupção eleitoral. 
A criação da campanha foi objeto de discussão no comando do partidário, que busca uma saída para a crise em que a sigla mergulhou após o mensalão. Para os petistas, levantando a bandeira da reforma, o partido apresenta uma proposta concreta para sair da defesa no caso. 
O PT partiu da constatação de que não adianta insistir no argumento de que houve, na verdade, um esquema de caixa dois. No julgamento do escândalo, em 2012, petistas defenderam a tese de que o dinheiro pago a congressistas era doação eleitoral irregular, o que foi rejeitado pelo STF (Supremo Tribunal Federal). 
O principal mote da campanha petista é a adoção do financiamento público exclusivo de campanhas, com o fim das doações privadas. A medida foi classificada pelo presidente da sigla, deputado Rui Falcão, como ” a melhor maneira de combater a corrupção e o abuso do poder econômico” nas eleições. 
O partido começa hoje a coletar assinaturas para apresentar ao Congresso o projeto de lei de iniciativa popular sobre o assunto. Além do financiamento público, a proposta defende o voto em lista nas eleições para deputado e vereador e a convocação de uma Assembleia Constituinte exclusiva sobre o tema. 
A primeira versão das peças publicitárias, elaboradas pelo marqueteiro João Santana, foi apresentada ontem ao Diretório do PT e reprovada pelos dirigentes. Em preto e branco e com imagem de cédulas de reais, as peças tratavam como “dinheiro sujo” o financiamento privado de campanhas eleitorais. 
Foram consideradas excessivamente agressivas e violentas pelos petistas, que as devolveram para a equipe de marketing. 
O partido pretende coletar, até fevereiro, cerca de 1,5 milhão de assinaturas para apresentar o projeto 
Estão previstos, no dia 16, quatro eventos, em Minas Gerais, no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo –este último com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na comemoração do aniversário do Sindicato dos Bancários. 
(PAULO GAMA E CATIA SEABRA)
7 horas atrás

É hoje também! RJ – Ato-Encontro de Resistência de Comunidades Impactadas na Aldeia-Quilombo ManguiN’Ação: a partir das 13 horas

RACISMO por racismoambiental
 

O filme abaixo é um exemplo do que vem acontecendo em Manguinhos e em outras comunidades e que justifica Atos-Encontros como o do próximo sábado. Produzido por A Nova Democracia, seu título é “Manguinhos: Jovem é eletrocutado por PMs e população se levanta contra as UPPs”. Mas é muito mais do que isso que ele mostra. TP.

Este Ato-Encontro visa denunciar a violação sistêmica de direitos humanos e a situação de grave risco à saúde e à vida de centenas de famílias das favelas de Manguinhos e do Jacaré-Jacarézinho devido à precariedade dos sistemas de saneamento, poluição dos rios e do ar, às remoções arbitrárias e ao cerceamento da cidadania de seus moradores pelo controle social e militarizado do Governo Federal, do Estado e da Prefeitura, em suas políticas de urbanização (PAC-Grandes Favelas), pacificação e de privatização dos serviços públicos direta ou através de parcerias público-privadas. Este Encontro também visa ampliar a área de contato e interação com as redes de solidariedade de resistências e de lutas e fortalecer estas resistências através da ação em rede, coordenada, sistêmica e anti-sistêmica. Vejam, a seguir, algumas reflexões a respeito dos motivos que nos levam a esta atividade e, em seguida, dados objetivos sobre a Programação, incluindo como chegar ao local.

Justificativa

Apesar de ter recebido centenas de milhões em investimentos, que, supostamente, deveriam melhorar as condições de habitação, saneamento e de saúde das comunidades de Manguinhos pelo PAC-Manguinhos, o que vemos, cerca de 5 anos após o anúncio dos investimentos e início das obras, é que Manguinhos ainda está vulnerável às enchentes, como ocorreu em março deste ano (uma das cheias de maior intensidade e impacto para a região em toda a sua história, conforme relatos de moradores antigos), que os efluentes de esgoto doméstico e industrial continuam sendo despejados nos rios, pelas tubulações construídas pelo PAC, nos rios Faria-Timbó e Jacaré, o que caracteriza crime ambiental.

Nem mesmo os conjuntos habitacionais construídos pelo PAC resistiram à inundação. Técnicos e moradores denunciam a falta de qualidade do material utilizado nas obras e do projeto de drenagem de águas fluviais, pluviais e de esgotos, no conjunto localizado mais próximo de Benfica, junto a Av. Dom Hélder Câmara (antiga Suburbana), além da ocorrência de rachaduras em obras recém-inauguradas, buracos nas vias recentemente pavimentadas. Os moradores, técnicos e movimentos sociais de Manguinhos também denunciam a insuficiência do tamanho das residências dos novos conjuntos habitacionais, cuja metragem é inferior ao mínimo convencionado internacionalmente pelas ONU (44 metros quadrados), os do PAC tem cerca de 40m. Os moradores dizem que cozinham o feijão com a água que pinga da roupa no varal e reclamam: ‘a sociedade não entende por que nos estendemos a roupa do lado de fora, ou por que fazemos ‘puxadinho’ então vem me visitar e mora aqui uns dias pra entender…’

As obras do PAC, ainda que os investimentos tivessem como prioridade o saneamento e a habitação, não reduziram os pontos de alagamento pluvial de Manguinhos, ao contrário, estes foram elevados. Nem resolveu o problema da coleta precária do lixo, que continua precária. Nem apontou uma solução real para o problemas dos aterros sanitários (lixões) que existem nas favelas de Manguinhos, apenas maquiagens.

O padrão individualizado dos processos de indenização, reassentamento e/ou remoção do PAC também têm causado graves riscos à saúde, com histórico recente (pós-PAC) de famílias com vários registros hospitalares de problemas respiratórios, leptospirose, tuberculose, problemas motores por cortes e invalidez para o trabalho, entre outros associados à contaminação da água, que estão co-relacionados com a precariedade do sistema de saneamento e à condição de baixa renda e de miséria de parte expressiva dos moradores desta região. As famílias que ainda não receberam a indenização, que muitas vezes demora a ser cumprida, ou não chegaram a um acordo com o Estado, em uma relação mediada por agentes privados (Trabalho Social) que tem interesse direto na redução dos custos da ‘realocação’, esta famílias vivem entre escombros, no que eles mesmos chamam de ‘cidade dos ratos’.

Além dos danos ambientais, este padrão de ‘remoção’ tem desestruturado laços familiares e comunitários. O PAC tem usado a sua Procuradoria para induzir oficiosamente à aceitação dos seus termos nos processos de negociação. Além disto, são constantes e prolongadas as situações de corte de água, luz, telefonia (e internet), que, além da poeira das obras, e do barulho das demolições que já se arrastam por cerca de 3 a 4 anos, são causa de adoecimento, além do estresse causado por estas péssimas condições de vida, o que também reduz a capacidade de resistência e luta pela garantia do Direito à Moradia Digna. Movimentos sociais de Manguinhos vêm denunciando, desde o início das remoções, a insuficiência dos valores de indenização regulamentados por Decreto (a nosso ver, inconstitucional), o que leva ao endividamento de muitas famílias ou à reprodução de condições de moradia irregular e inadequada.

O mais grave no entanto é a manutenção de relações de poder neocoronelistas e alianças entre as classes dominantes no local e no governo municipal, estadual e federal que se traduzem em práticas de controle social d’exceção, de fragmentação do movimento social local e ameaças contra ativistas e moradores das áreas atingidas, para que não denunciem, com a sua própria existência e presença física, os processos de corrupção institucionalizados nas políticas ‘sociais’ e de ‘urbanização’, de indenização para fins de remoção (desadensamento), seleção dos moradores dos novos conjuntos habitacionais, entre outras.

A implantação da UPP reitera este cenário, não altera as correlações de forças dominantes no local, pior, as reforça, mantendo à margem do campo institucional, as resistências críticas e independentes. Estas relações de poder são constituídas por práticas de ruptura com a institucionalidade democrática, sem a convocação de eleições, sem consultas à população, acumulação de cargos e até postos de chefia em partidos e na gestão de políticas ‘sociais’ ‘público-privadas’, golpes d’estado, etc… Todo este conjunto de práticas reforçam o domínio político do PMDB sobre as favelas da região norte da cidade, conforme já foi denunciado na imprensa, sob a proteção das UPPs…

As UPPs estão inscritas em um projeto de segurança da cidade da Copa e das Olimpíadas, de especulação imobiliária e gentrificação (expulsão dos mais pobres para áreas mais distantes e suburbanizadas), de controle político-social institucionalizado (UPP Social) e militarizado. Seu pano de fundo são os conflitos pela posse e apropriação do território, uso social ou privatização e espoliação? Ela, a UPP, é o braço armado deste eixo estratégico de reprodução deste projeto de cidade global capitalista d’exceção.

Os conflitos entre a UPP e a comunidade, principalmente com determinado segmento –  a juventude -, são cotidianos. Os jovens relatam que são revistados diariamente, diversas vezes por dia, de forma constrangedora. Violência verbal, racismo, agressões e tortura. Detenção ilegal. Uso abusivo da força, com a presença marcante em espaços de convívio como padarias e lanchonetes, armados de fuzis e granadas. Há relatos de quedas consecutivas de armas de fogo nestes espaços, entre outros abusos, inclusive em relação ao estatuto da PM. Estas violências não são denunciadas, muitas vezes, devido ao medo da presença constante e ameaçado dos algozes no espaço de convívio comunitário. Os conflitos, no entanto, começam a emergir cada vez com maior força nestas comunidades. E o histórico e clima do confronto, cada vez mais acirrado.

No intercurso de nossa participação formação do GT Rede das impactadas notamos diversos relatos de violação de direitos pelas UPPs. Mas, este conflito latente só ganha oficialidade quando ‘não temos mais nada a perder’, quando a vida de um parente querido foi ceifada, em casos de desespero e de catarse coletiva. Mas, é preciso notar que esta catarse tem um vetor de conhecimento coletivo que zela pelo cumprimento do rito legal no registro das ocorrências e identificações policiais (Posso Me Identificar?), como ocorreu em Manguinhos, em que o protesto dos amigos e moradores não permitiu que a versão dos militares fosse naturalizada e no Jacaré-Jacarezinho, recentemente, diante da morte de dois jovens moradores destas áreas em conflito com os militares das UPPs. Desde então, outros tantos, dezenas, de conflitos expressos, cotidianamente, têm ocorrido nesta região. O que corresponde a uma situação explosiva em que outros casos extremos virão à tona, repetindo a tragédia como farsa, ou serão ‘silenciados’…

O primeiro pré-encontro de um grupo/rede em formação

Este será o primeiro pré-encontro itinerante do processo de formação e fortalecimento da rede dos grupos de resistência de base comunitária das comunidades impactadas da cidade e região metropolitana do RJ.

A construção desta rede de favelas, ocupações entre outras comunidades impactadas pelo projeto dominante de cidade/sociedade e de desenvolvimento urbano-capitalista vem sendo sugerida e requisitada desde 2010, quando nos encontramos na organização do Fórum Social Urbano, como forma de fortalecimento da resistência de cada uma e do conjunto destas comunidades. Mas, provavelmente, desde antes disto, seu reconhecimento como uma rede articulada em conjunto por diversos agentes territorializados, têm sido difícil devido aos processos vigentes de fragmentação social, induzidos por práticas de exceção e de agenciamento e cooptação do campo social-institucionalizado.

Desde então (2010), vimos nos encontrando nas resistências das ocupações, contra as remoções arbitrárias, mais recentemente, na Rio + 20, em Conferências, Seminários sobre a questão das favelas e direitos humanos, mas nossa ação não é diretamente articulada com nossos pares, co-irmãos de luta e de luta, em experiências que construirmos como na formação da Rede de Comunidades de Favelas Contra a Violência de Estado, a partir de 2003, e de suma importância para as resistências na cidade até hoje, e da qual queremos ser, junto e na relação com outros espaços de articulação, um grupo de trabalho e ação direta das comunidades impactadas.

Em 2012 nos encontramos nos protestos da Rio + 20, nas ações e resistência dos pescadores, contra os impactos da TKCSA, de discussão das UPPs e protestos contra diversas situações de violências em comunidades de favelas e ocupações. Mais especificamente, em uma leitura crítica do campo social institucionalizado, estas comunidades, desde fins deste ano passado (2012) vem emergindo a necessidade de reconhecimento, formação e fortalecimento deste GT/Rede das Impactadas junto as demais articulações da sociedade contra o modelo de cidade dominante.

Os grupos sociais que estão organizando este Encontro são grupos de resistência às remoções arbitrárias e ao projeto de cidade dominante, de base comunitária, que contam com o apoio de Fóruns abrangentes como o Fórum de Saúde. o Fórum de Justiça, e que também estão juntos em outros espaços de articulação de lutas como o Comitê Popular da Copa e das Olimpíadas, o Conselho Popular e a Rede de Comunidades de Favelas e Movimentos Sociais Contra a Violência de Estado, também muito importantes para as suas resistências.

Encontro:

  • Praça Américo Júnior – na sede da Associação de Moradores da Vila Turismo/Favelinha – Manguinhos, a partir das 13h.

Como chegar:

  • De Trem: Estação de Manguinhos (ramal Central – Saracuruna), passar ponte sobre o Rio Faria Timbó e subir pela Estrada de Manguinhos até a Rua Luiz Gregório de Sá (pu Rua do Meio), seguindo-a até o fim dela na Praça.
  • De Metrô: Estação de Maria da Graça (Linha 2 – Pavuna) – descer até a Av. dos Democráticos e desta até Rua Fiscal Monteiro (ao lado da Igreja Universal), descer até a Rua Luiz Gregório de Sá (Rua do Meio) e daí no sentido da sede na Praça.
  • De ônibus: Pela Av. dos Democráticos, descer próximo a GRES Unidos de Manguinhos, descer pela Estrada de Manguinhos e virar à esquerda, na segunda entrada, na esquina da padaria, após o mercado, na Rua Luiz Gregório de Sá ou Rua do Meio e descer até a Praça.
  • Av. Dom Hélder Câmara (antiga Suburbana), no ponto posterior ao da UPA-Manguinhos, descer na Praça e caminhar pela Av. dos Democráticos até a Estrada de Manguinhos, descer por esta e virar à esquerda, na segunda entrada, na esquina da padaria, após o mercado, na Rua Luiz Gregório de Sá ou Rua do Meio e descer até a Praça.
  • Linha Amarela (ponto de ônibus da saída de Bonsucesso) – terá que voltar pela Av. Dos Democráticos, no sentido Jacarézinho, passar pela Ten. Abel Cunha até a Rua Gil Gafré (na esquina tem um posto Ipiranga) e descer até a Praça.

PROGRAMAÇÃO EM CONSTRUÇÃO:

Abertura:

13h-14h – Mística do Encontro nos Labirintos da Favelinha

13h30-14h30 – Evocação e acolhimento dos nossos saudosos Luiz Poeta e do jovem Matheus e seus parentes e amigas na Praça de Vila Turismo… Mística de Confraternização das comunidades participantes sobre o Coração da Luta!

14h30-16h – Visitas guiadas: Beira Rio, Linha (Parque João Goulart), Mandela de Pedra (ao lado da Refinaria de Manguinhos) e Conab (Vitória de Manguinhos) pelo Parque Metropolitano de Manguinhos, como espinha dorsal – Ponto de Encontro no ‘anfi-teatro’ de rua próximo à Estação e à entrada da Fiocruz, pela Leopoldo Bulhões

16h – Passeata de retorno

17h – Retomada da Feira Grátis (próximo à Beira-Rio)

18h30 – Lançamento do Dossiê de Tipologias de Violações de Direitos à Moradia, do Ambiente (Territorialidade) e à Cidade/Cidadania

19h – Artivismo, Malabares, Grafite e Exibição de vídeos e fotos – com Câmera Aberta e transmissão ao vivo via web (a confirmar)

20h30 – Roda de Rima – Faixa de Gaza Poética! – CCRP-Manguinhos Com Sahel Relato 7, BCNHP e DJ Tikano, entre outras atrações (a confirmar)

FEIRA GRÁTIS:
É uma ideia bem simples, cada um leva o que quiser e/ou puder (roupas, cds, serviços, abraços, massagem, comida, fotos, música, enfim, qualquer coisa) e quem não puder não leva nada além da presença e da alegria. Também não há restrições sobre o que pegar, a ideia é fazer as coisas circularem, no fundo sempre é um troca, de experiências. Por isso, a feira grátis é diferente da feira de trocas, pois aqui, você não precisa dar nada para receber alguma coisa em troca.

Fora isso, tragam suas faixas e cartazes contra as remoções, contra a violência policial, contra o extermínio da juventude favelada, contra a militarização, etc

7 horas atrás

ALTA RODA – CORRIDA AO OURO

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://www.carronovo.com.br Dessa vez, um segredo bem guardado. Congelamento das alíquotas do IPI até 31 de dezembro – cancela os dois aumentos previstos para abril e julho – foi anunciado durante feriado da Páscoa. No momento, o governo está preocupado não apenas em sustentar o crescimento no mercado de veículos, mas de tabela controlar reflexos na […]
7 horas atrás

Focco pede ao MP atitude contra nomeação Zé Gomes

 
: Fórum Goiano de Combate à Corrução encaminha pedido ao procurador-geral de Justiça, Lauro Machado Nogueira, para que tome providências judiciais necessárias à anulação da nomeação e posse do presidente da Saneago, considerado ficha-suja pela organização; pede ainda abertura de inquérito civil público para investigar a conduta dos membros do Conselho de Administração da empresa, que deu posse a Gomes 
8 horas atrás

Maílson, 80% ao mês, critica inflação de Dilma

 
: Bras�lia-DF 29/06/06 Foto: Jos� Paulo Lacerda
Encontro Nacional da Ind�stria. Terceiro painel. Na foto: Mailson da Nobrega.É ou não ou cúmulo da cara de pau? O economista Maílson da Nóbrega, que comandou o Ministério da Fazenda no fim do governo Sarney e entregou ao País uma hiperinflação, tem a pachorra de condenar a atual política monetária e criticar a meta de inflação brasileira de 4,5% ao ano, segundo ele, “já em si muito alta”; lobista do sistema financeiro, Maílson pede a combinação de recessão, desemprego e juros altos; o incrível é que este personagem tenha espaço para comentar a economia com ares de guru 
8 horas atrás

Aos vencedores, os tomates

HARIOVALDO por Morvan Bliasby
 

A Dama dos Homens Bons, já cansada, também luta pelo tomate

Devotos de São Serapião.

Esta guerra contra a ninguenzada só está começando. Mas, com firmeza, devagar e sempre, venceremos. Relembrando nossos mentores-mor, os quais já se encontram com Belzeb., digo, com a beleza do paraíso, hermanos Reagan e Tatcher, para os quais o Estado é um entrave, ou, consoante o próprio Reagan, “O Estado não é solução, é o problema”, “Reduziremos o Estado a uma situação que ele caberá em uma bacia” e outros aforismos e adágios reservados aos bem-nascidos e cultos, como nossos hermanos do Norte.

Não vos desespereis. Perdemos a Batalha do Tomate (por Hariovaldo, o sumo-serapiano), não a guerra. O Mantega que nos aguarde. Ou se derreta. Sobre isto, ainda, texto de dois comunistas empedernidos:  Tomate trai, baixa o preço e oposição vai pro vinagre (de Emir Sader, por Gerson Carneiro)!

Relembrando ainda recentes quase-sucessos, na Bolívia, terra do índio (arhhhhg!) Evo [i]Morales, quase ganhamos a Guerra da Água, proibindo o canelau de pegar água da chuva! Que acinte. Água, mesmo da chuva, pertence aos de benz… Na Venezuela, nem nos falem. Lá, infelizmente, o povo está bastante Maduro, graças ao tal de Chavez, que continua influindo, infelizmente…

Aqui no Brasil, estamos tendo progresso, apesar da vermelhoide de nome nefando. Jerôme Walkce, moleque de recad., digo, porta-voz da FIFA, já proibiu a patuleia de utilizar o nome Mané Garrincha para o Estádio construído em Brasília. Por causa da FIFA, o Estádio irá se chamar “Estádio Nacional“. O sr. Walcke alega que o nome “Mané Garrincha” criaria problema de pronúncia para outros povos e outras abobrin., digo, explicações teóricas, sobre a importância dos nomes para os Estádios. Que o sr. Walcke é um Mané, é fato. Infelizmente, jamais será Garrincha

Este, de Mané, só a alcunha. Pernas desalinhadas. Passes iluminados. Saudade eterna.

A FIFA também está tentando fazer o Acarajé ficar de fora da Copa 2014!  Apoiado. O acarajé prejudica aos homens de benz proprietários da cadeia (neles?) de lojas patrocinadora da FIFA. Esta cadeia (vejo gente correndo!) de lojas é conhecida por vender a gororob., digo, iguaria, mais cara do planeta e a merluza com nome pomposo, por isso cara, mesmo que insípida. Mas o que está em jogo (sem trocadilho) é a saúde dos homens de benz que insistem em se misturar com os pés-rapados: nós, os de benz, comemos nossas iguarias; o ninguenzau consome sarrabulho, caninha, acarajé e outros alimentos quentes (em todos os sentidos) e seus produtos organo-sulfurosos acabarão por infestar o ambiente. Além do mal que isto faz à camada de ozônio, é hospital na certa.

Por fim, lembrar a vocês, irmandade serapiônica, que a Monsanto está fechando o cerco! Esta amabilíssima empresa está tentando conseguir apreender e controlar o resto das patentes sobre comida que eles ainda não possuem. É uma questão de tempo: a comida do mundo vai ser toda patenteada e nós os da Casa Grande, teremos conforto ilimitado. A plebe que coma grama ou assista tevê, o que dá na mesma…

Só para registro, existe um texto na Internet, denominado Monsanto vs Mãe Terra! Mais de hum milhão de comunistas rubiáceos, carmins, marcianos, que sejam, já assinaram. É um abaixo-assinado contra nossa querida Monsanto e o seu plano de tornar os bens da terra atributos exclusivos para os de benz, com d’antanho o era. Não assinem, por amor de São Serapião. Nós, da Casa Grande, temos que ficar do lado das corporações. Elas são a salvação do mundo contra a pobraiada indomável.
Monsanto neles. Tomates, não; ainda estão muito caros. E não esqueçam: “Çerra é 45, ou qualquer número. Çerra é Çerra” (d. a. Emerson57).

E pensar que este hortirrubro já foi nossa bala de prata… que salada.

Morvan, Abril de 2013.

8 horas atrás

Após erupção solar, Terra pode ter tempestade geomagnética

APOSENTADOS SOLTE O VERBO por ASOV – Aposentado! Solte o Verbo…
 
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude Erupções ocorridas no Sol nesta semana, consideradas as mais intensas deste ano, podem provocar até o fim da manhã deste sábado (13) uma tempestade geomagnética na Terra, que, dependendo da intensidade, pode afetar sistemas de telecomunicações do planeta e a rede de distribuição de energia elétrica, segundo cientistas. Na última quinta-feira (11), a agência […]
8 horas atrás

Dilma mente sobre PIB per capital em 2022

 
Para chegar no PIB per capita, dobro de 2013, em 2022, o Brasil teria de crescer uma média de 8,5% ao ano. Isto em média! No mundo todo, só China mantém crescimento do PIB neste nível, com população controlado pelo governo 
8 horas atrás

Apocalipse 2013

 
O sertanejo é um forte, mas há muito está exausto; hoje, a tarefa de mudar a saga de seca é de todos os brasileiros 
8 horas atrás

Fiúza prevê a revolta das empreguetes

 
: Segundo o colunista do Globo, domésticas irão esfolar seus patrões com os direitos que lhes foram concedidos; o jornalista afirma ainda que o “socialismo chegou à cozinha”; será ele mais um escravocrata? 
9 horas atrás

‘Como homem de teatro minha função é apontar vossas falhas’

CENTRODOMUNDO por Paulo Nogueira
 

É o que escreveu em seu blogue Gerald Thomas a respeito da violência sexual cometida contra a modelo Nicole Bahls. Gerald Thomas deveria estar respondendo agora a uma tentativa pública de estupro, ocorrida na noite do lançamento de um livro seu. Mas não. Ele está escrevendo em seu blogue. E se jactando. E agredindo a

O post ‘Como homem de teatro minha função é apontar vossas falhas’ apareceu primeiro em Diário do Centro do Mundo.

9 horas atrás

Gerald Thomas defende apalpada em Nicole Bahls

 
: “Um dia depois, a imprensa ESCROTA (mas é o trabalho dela), explora somente o lado sensasionalista da coisa: “GERALD THOMAS ESTUPRA NICOLE BAHLS!!” ORA BAHLS!!! Vem uma menina, de (praticamente) bunda de fora, salto alto de “fuck me”, seios a mostra, dentro de um contexto chamado PANICO e eu (que não deixo me intimidar e gosto desse pessoal) entro no jogo e viro as cartas”. Assim o diretor de teatro Gerald Thomas explica sua tentativa de apalpar a genitália da paniquete 
10 horas atrás

Cardeais sem batina

 
Os ministros do STF estão nus. E a imagem que a sociedade brasileira vê não é nada imaculada 
10 horas atrás

Fux cancela festa de arromba paga por advogado

 
: Evento para 300 convidados seria bancado pelo advogado Sergio Bermudes, que também emprega Mariana Fux, filha do ministro do Supremo Tribunal Federal, mas foi cancelado diante da repercussão negativa; “Pago do meu bolso”, havia dito Bermudes ao 247; no STF, Joaquim Barbosa vêm condenando o “conluio” entre advogados e juízes, mas Bermudes também afirma que o presidente do STF comete “leviandades”; evento causou constrangimento no STF 
10 horas atrás

Em campanha contra Dilma, Época pisa no tomate

 
: Em sua capa desta semana, a revista semanal das Organizações Globo anuncia que o governo Dilma faz tudo errado no combate à inflação e diz que a presidente e o ministro Guido Mantega pisaram no tomate; auto-referente, a Globo usa declaração da global Ana Maria Braga, que disse usar uma joia ao pendurar um colar de tomates no pescoço, para afirmar que a inflação hoje assusta os brasileiros; nunca é demais lembrar, no entanto, que, nos dois governos FHC, a inflação foi substancialmente maior do que a agora, sem disparar o mesmo alarme; será síndrome de abstinência de juros altos ou de ter amigos no poder? 
14 horas atrás

O pênalti bizarro que virou mania na internet

CENTRODOMUNDO por Diario do Centro do Mundo
 

Quer rir? Aproveite. Esta é para rir no final de semana. A jogada mais hilariante da semana veio numa disputa de pênalti em que o time inglês Tottenham Spurs acabou eliminado para o Basel da Suíça na Liga Europa, o equivalente à nossa Sulamericana. O pênalti bisonho batido por um dos mais controvertidos jogadores do

O post O pênalti bizarro que virou mania na internet apareceu primeiro em Diário do Centro do Mundo.

tem a ver comigo

por Betina Siegmann

Edney Souza

Professor, Palestrante, Empreendedor

Luíz Müller Blog

Espaço de divulgação de textos e ações que defendem trabalho decente no Rio Grande e no Brasil

silvio.evanni's Blog

"O HOMEM DEPENDE DO SEU PENSAMENTO" - Informação; Política; Saúde; Cultura; Esporte; Turismo...

Alexandre Melo Franco de M. Bahia

Constituição, Direitos Fundamentais, Diversidade, Teoria do Processo...

ALÔ BRASIL

O caminho para sua salvação é saber a verdade..

Joelson Miranda

ITAQUAQUECETUBA/SP

Para além da aula: blog do Professor Celso

Orientações e dicas para os estudantes do Ensino Médio

Blog do murilopohl

A serviço do PT, Democrático, Socialista e Revolucionário

Enseada Turismo

Sua agência virtual

Blog do EASON

Política, Música & Outros Papos

Poemas e contos da anja e para anja

poemas e contos sensuais e eróticos

following the open way

commenting the content of "The open way"

Mamillus de Venus

TOQUE PERTUBADO NA MENTE SUTIL

nadandonapororoca

Just another WordPress.com site

lolilolapt

Just another WordPress.com site

brazilnotes

Just another WordPress.com site

%d blogueiros gostam disto: