‘Minha vida virou um inferno quando contei que era bissexual’, diz Fani

por Homorrealidade
 
   Publicado pelo EGO   Em seu terceiro ensaio para o Paparazzo, que aconteceu em uma casa na paradisíaca praia de Itacoatiara, em Niterói, no Rio, Fani revelou detalhes íntimos de sua sexualidade, e relembrou a confusão que virou sua vida quando posou junto com Natalia Casassola para a “Playboy”.   “Depois da revista, quando falei que era bissexual, minha vida virou um inferno.Todas as meninas queriam experimentar fazer sexo comigo. Era agarrada em todos os lugares! Não podia entrar em um banheiro de boate que elas vinham atrás de mim. E muitas haviam acabado de posar comigo para fotos ao lado do namorado. Os largavam na pista e no banhaeiro chegavam e diziam que queriam que a primeira vez delas com mulher fosse comigo”, conta.      E o assédio não era apenas de mulheres desconhecidas. “Minha vida estava um inferno. Me tornei alvo das bissexuais. Eram atrizes, ex-BBBs… Todas queriam transar comigo. Para afastá-las, comecei a mentir e dizer que tinha inventado essa história de bissexualidade para me promover”, diz. Pela experiência que viveu, Fani descobriu que as mulheres são muito mais ousadas na abordagem do que os homens. “Elas são piores do que os homens. Não respeitam. Elas chegam te alisando, passando a mão, é uma abordagem muito agressiva”.   Hoje, Fani conta que não gosta mais de transar com mulheres. Esse era um desejo antigo que começou quando ela tinha 20 anos e surgiu “pelo simples prazer de transgredir as regras”, diz. Ela garante que apesar das várias transas que teve com pessoas do mesmo sexo, a experiência nunca a realizou plenamente. “Para mim, transar com mulher é uma preliminar eterna. Faltava sempre alguma coisa no final”. 
Uma experiência de ménage à trois a ajudou a tirar essa conclusão. No sexo com um homem e uma mulher, ela teve finalmente a certeza do que a satisfazia na cama. “Meus ex-namorados tinham ciúme e não queriam fazer ménage. Quando fiquei solteira e consegui transar com um homem e uma mulher descobri finalmente que gosto de homem, do macho alfa”.

Vídeo mostra skinheads em locais gay friendly em BH, em momento que suspeito é investigado

por noreply@blogger.com (Valmique)
 
 
Como hoje é sábado, dia de balada e Axé Brasil em BH, é importante ter conhecimento de um vídeo publicado no youtube por um grupo de neonazistas tem assustado muitas pessoas e servido de alerta para quem frequenta a Savassi (Veja no final da notíica). As imagens, feitas no ano passado, mostram jovens de roupa escura, cabeça raspada, coturnos e suspensórios percorrendo locais gay friendly da região. Com um aparelho de som na mão, eles dançam e fazem saudações nazistas. Em uma das cenas, o segurança de um dos locais, aparentemente, pede para que o grupo se retire. 
 Ao que tudo indica, os autores do vídeo podem estar envolvidos com a agressão de um morador de rua também na Savassi (imagem ao lado), na qual Antônio Donato Baudson Peret aparece em uma fotografia, divulgada nas redes sociais, enforcando um homem negro. O número 1488 que aparece no perfil do usuário que postou o vídeo, BRSP1488BH, é o mesmo pichado em um muro na Cidade Jardim. A imagem foi publicada por Antônio Donato. Inclusive, o suposto agressor já foi detido duas vezes e esteve envolvido em três agressões contra homossexuais. Nas ocasiões em que foi preso, ele foi acusado de participar de agressões contra um grupo de gays na Praça da Liberdade e a outra por agressão a skatistas em São Paulo. 
De acordo com Thiago Tavares, presidente da Safernet Brasil – organização não governamental de defesa e direito dos Direitos Humanos na internet -, e coordenador da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, a polícia será obrigada a instaurar inquérito para investigar o grupo autointitulado “White Skins”, como mostra no vídeo. 
Tavares explica que a partir da denúncia de qualquer pessoa que tiver o conhecimento, mesmo se for pela internet, a Polícia e o Ministério Público devem abrir uma investigação. “Isso independe da vontade do agredido. Acorrentar um morador de rua pelo pescoço é um crime de ação penal pública, que pode ser classificado como tortura, não apenas agressão”, explica. 
Ainda segundo o coordenador, os “White Skins” também cometeram crime de ação penal pública ao divulgarem fotos com imagens de suásticas e bandeiras nazistas. A lei 7.716 de 1989 prevê pena de 2 a 5 anos de prisão, além de multa, para quem comete esse crime. 
O Ministério Público está avaliando se acolhe ou não a denúncia. Mas as Polícias Civil e Militar ainda não abriram inquérito. 
 
Com informações do site Na Savassi

Empresa cria ação inovadora, usando o Futebol, para alertar sobre o Desmatamento!

por literatortura
 

 

 

Por Gustavo Magnani,

Cientes da situação da fauna e da flora no Brasil e de que o futebol é, de longe, o mais popular no país, a agência Grey141 resolveu usar o verde dos gramados para uma ação inovadora alertando os próprios brasileiros. O trabalho foi feito para a WWF, uma das maiores ong’s do mundo.

A ação parte do princípio de que a cada 4 minutos, uma área proporcional a um campo de futebol oficial, é desmatada. Infelizmente, a transformação de verde para marrom não foi ao vivo, mas sim na retransmissão da final do Torceio Internacional da Cidade de São Paulo, entre Brasil e Dinarmaca – onde a seleção brasileira sagrou-se campeã -. Números apontam que, depois do jogo, os acessos do site aumentaram em 73%. 

Quem sabe o bom resultado da iniciativa não faça com que ela seja, em breve, realizada em uma partida ao vivo. Imagina o possível efeito que isso teria em uma final de campeoanto estadual, ou, até, na Copa do Brasil? 

jogo-1

Fonte

*****

Gostou do post? O literatortura lançou uma revista com temática exclusivamente cultural, para que nossos leitores possam aproveitar de um conteúdo ainda mais aprofundado e qualificado! Não perca! Clique na imagem e assine!

_______________________________________________________________________________________________________

Gustavo Magnani, estudante de Letras da UFPR, proprietário do literatortura. Está revisando o primeiro livro, mas sente dificuldades hercúleas para escrever uma bio. [e, como pode-se notar, adora metalinguagem]

 

_______________________________________________________________________________________________________

 

6 horas atrás

Série de fotos mostra o que as pessoas leêm no metrô!

por literatortura
 

“ON THE ROAD,” BY JACK KEROUAC

 

Por Gustavo Magnani,

A coluna de fotografia desta semana se alinha com a maior paixão deste site que vos fala! O que as pessoas leêm no metrô de Nova York é o tema do ensaio da fotógrafa Ben-Haim. Ela disponibliza, inclusive periodicamente, seu trabalho num site próprio para o projeto:  Underground New York Public Library.

Ben sofre de um mal que muito litratorturado sofre por aí – e isso, de fato, é quase uma tortura – descobrir o título do livro que o fulano de tal está lendo: seja no metrô, no ônibus, na faculdade ou numa praça qualquer. A própria fotógrafa admite que quando não consegue descobrir qual o livro, ela simplesmente pergunta e mata a curiosidade.

Entrei em contato hoje mesmo com uma brasileira que descobri fazer a mesma coisa. Tentarei trazer o ensaio de uma maneira bacana para o site em algumas semanas e aí poderemos descobrir  o que as pessoas leêm no metrô BRASILEIRO!

Confira o ensaio:

View high resolution

“De gevangene van de hemel,” by Carlos Ruiz Zafón Dutch: Borrow I Read  English: “The Prisoner of Heaven”:  Borrow I Read

“DE GEVANGENE VAN DE HEMEL,” BY CARLOS RUIZ ZAFÓN

 

 

View high resolution

“Pale Fire,” by Vladimir NabokovBorrow I Read

“PALE FIRE,” BY VLADIMIR NABOKOV

View high resolution

“The Great Gatsby,” by F. Scott FitzgeraldBorrow I Read

“THE GREAT GATSBY,” BY F. SCOTT FITZGERALD

 

 

View high resolution

“Notes from the Underground,” by Fyodor DostoyevskyBorrow I Read

“NOTES FROM THE UNDERGROUND,” BY FYODOR DOSTOYEVSKY

*****

Gostou do post? O literatortura lançou uma revista com temática exclusivamente cultural, para que nossos leitores possam aproveitar de um conteúdo ainda mais aprofundado e qualificado! Não perca! Clique na imagem e assine!

_______________________________________________________________________________________________________

Gustavo Magnani, estudante de Letras da UFPR, proprietário do literatortura. Está revisando o primeiro livro, mas sente dificuldades hercúleas para escrever uma bio. [e, como pode-se notar, adora metalinguagem]

 

_______________________________________________________________________________________________________

 

13 horas atrás

A Menina que Odiava Livros: um sincero curta metragem de incentivo à literatura!

por literatortura
 

 

Por Gustavo Magnani,

“A Menina que Odiava Livros” é um curta metragem que adapta o livro homônimo de Manjusha Pawagi e Jeanne Franson. Foi indicado para mim via mensagem no literatortura e achei bastante interessante trazê-lo para cá. Quem quiser comprar o livro, basta Clicar aquiÉ um trabalho bastante interessante que reforça a importância da leitura no crescimento do indivíduo. Particularmente, não é tão mágico quanto Os fantásticos livros voadores do Sr.Morris Lessmore, porém, é bastante instrutivo e interessante. Vale a pena conferir!

SINOPSE: Esta é a história de Meena, uma garota que simplesmente odiava os livros. Mas ela não conseguia ficar longe deles, porque em sua casa eles estavam por toda parte: nos armários da cozinha, nas gavetas, nas mesas, nos guarda-roupas e nas cômodas. Estavam também sobre o sofá, alguns entulhados na banheira e outros empilhados nas cadeiras.

Mas um dia o gatinho de Meena derrubou uma pilha enorme de livros infantis. Abertas pela primeira vez, as páginas dos livros libertaram os personagens e animais das histórias, que invadiram a sala, fazendo uma grande bagunça. Esse acontecimento mágico fez Meena viajar pelo fantástico mundo da literatura. [fonte ebooksgratis]

*****

Gostou do post? O literatortura lançou uma revista com temática exclusivamente cultural, para que nossos leitores possam aproveitar de um conteúdo ainda mais aprofundado e qualificado! Não perca! Clique na imagem e assine!

_______________________________________________________________________________________________________

Gustavo Magnani, estudante de Letras da UFPR, proprietário do literatortura. Está revisando o primeiro livro, mas sente dificuldades hercúleas para escrever uma bio. [e, como pode-se notar, adora metalinguagem]

 

_______________________________________________________________________________________________________

 

16 horas atrás

Os 10 Momentos Mais Marcantes da História da Televisão Brasileira

por literatortura
 

 

Por Gustavo Magnani,

Olá Senhoras e senhores, neste “sábado do vídeo”, trago, também, uma matéria mais “histórica”, assim como foi “15/03/94 – “O Dia em que Leonel Brizola humilhou a Rede Globo no próprio Jornal Nacional”. Esse vídeo é uma compilação dos 10 momentos que, segundo os leitores da Revista Monet, em uma votação aberta, escolheram. Ou seja, a lista tem um viés bastante brasileiro, afinal, é constituída por leitores brasileiro.

Por isso, inclusive, a compilação apresenta a mais famosa vilã de novela brasileira e um feito marcante de um esportista brasileiro, além da tristeza de outro.

E você, acha que faltou algum momento? Qual? Comente! 

10 Momentos Mais Marcantes da História da Televisão 

 

*****

Gostou do post? O literatortura lançou uma revista com temática exclusivamente cultural, para que nossos leitores possam aproveitar de um conteúdo ainda mais aprofundado e qualificado! Não perca! Clique na imagem e assine!

_______________________________________________________________________________________________________

Gustavo Magnani, estudante de Letras da UFPR, proprietário do literatortura. Está revisando o primeiro livro, mas sente dificuldades hercúleas para escrever uma bio. [e, como pode-se notar, adora metalinguagem]

 

_______________________________________________________________________________________________________

 

Argentina: Padre é expulso da Igreja por defender casamento gay

por mark vynny
 

Padre foi suspenso há três anos quando declarou apoio ao casamento gay. Agora, foi expulso

José Nicolás AlessioO padre argentino José Nicolás Alessio foi expulso da Igreja por ser favorável ao casamento homossexual. “Mais de 30 servindo ao povo de Deus não significam nada para a Igreja Católica. Tudo porque eu fui ter uma opinião diferente do arcebispo”, disse Alessio.

O arcebispo em questão é o papa Francisco. Em 2010, durante a briga da Igreja com o governo da presidente Cristina Kirchner, que tentava – e conseguiu – legalizar o casamento gay, Alessio se declarou favorável ao tema. O padre foi suspenso e as investigações sobre ele foram conduzidas pelo papa que na época era arcebispo de Buenos Aires.

fonte: ParouTudo

10 horas atrás

“O século 22 será dos gays”, diz Lygia Fagundes Telles

por mark vynny
 

Escritora tratou de homossexualidade em um de seus romances mais famosos, “Ciranda de Pedra”

Lygia Fagundes TellesPrestes a completar 90 anos no próximo dia 19, Lygia Fagundes Telles, uma das maiores escritoras do Brasil, disse o que pensa sobre Daniela Mercury assumir sua homossexualidade.

“Sou super a favor de que o ser humano faça o que ele quiser, todo o mundo é livre, a vida é curta. E o século 22 vai ser o século dos gays, pode escrever isso aí”, afirmou Lygia ao jornal “O Globo”.

A autora do agraciado com o Prêmio Jabuti “As Meninas”, já tratou de lesbianidade em contos como “A Escolha” (1985) e no romance que virou duas vezes novela da Rede Globo, “Ciranda de Pedra” (1954).

fonte: ParouTudo

 Compartilhar  Marcar como lido  Curtir

Comunidade Nin-Jitsu lança gravação ao vivo com B Negão, Chorão e Xis

por Mauro Ferreira
 
 Em novembro de 2012, o grupo gaúcho Comunidade Nin-Jitsu registrou show no Opinião, teatro bar situado em Porto Alegre (RS), terra natal da banda. A gravação ao vivo está sendo lançada neste mês de abril de 2013, via Coqueiro Verde Records, nos formatos de CD e DVD. Ao vivo no Opinião agrega no roteiro participações de nomes como B Negão, Chorão (1970 – 2013) – convidado deTudo que ela gosta de escutar, possivelmente numa de suas últimas gravações em disco – Edu K, Lucas Silveira, Papas da Língua e Xis, entre outros. O time de convidados está em sintonia com o estilo da banda, que une rock com rap, funk e reggae em fusão que evoca o som do Charlie Brown Jr., grupo liderado por Chorão. Eis as faixas do DVD: 
• CNJ
• Rap do trago
• Não Aguento mais
• Arrastão do amor – com Erick Endres
• Merda de bar – com Erick Endres
• Toda molhada
• Chuva nas calcinha
• Melô do analfabeto
• Martini
• Cowboy
• Detetive
• Funk da paz (Rebola o resbolah)
• Aperitivado / Ejaculação precoce
• Ah! Eu tô sem erva
• Quero te levar – com Lucas Silveira
• Funk até o caroço – com B Negão
• Us mano e as mina – com Xis
• Ela vai passar – com Papas da Língua
• Popozuda rock’n’roll – com Edu K
• Tudo que ela gosta de escutar – com Chorão
• Fazê a cabeça – clipe
11 horas atrás

‘Rapper’ baiano Mr. Armeng vai gravar CD produzido por Marote via Sony

por Mauro Ferreira
 
 O rapper baiano Mr. Armeng – visto ao centro na foto de Thiago Bernardes – vai gravar disco produzido por Dudu Marote. O álbum vai ser lançado pela Sony Music. A gravação do disco e o ingresso na companhia fonográfica multinacional são prêmios a que Mr. Armeng faz jus pela vitória no reality show musical Breakout Brasil!, promovido através de parceria da Sony Music com o Google e exibido pelo canal pago Sony Spin. Atualmente com 30 anos, Mr. Armeng – batizado Maurício Souza e filho do cantor Guiguio, ex-vocalista do bloco afro Ilê Aiyê – faz rap misturado com levadas de funk/soul e com elementos da música afro-baiana. Armeng está na estrada desde 2003, ano em que fundou a banda de rap Kbça Ativa. Em 2006, formou com o DJ Leandro Moraes (à esquerda na foto) e o percussionista Tiago da Lua o coletivo Freedom Soul Rec, com o qual gravou os singles A noite é nossa (hit na Bahia), Se você ficar e Vem cá.  
12 horas atrás

Remanescentes do extinto grupo Charlie Brown Jr. criam banda, A Banca

por Mauro Ferreira
 
 A morte de Alexandre Magno Abrão (1970 – 2013), o Chorão, em 5 de março, provocou o fim abrupto do Charlie Brown Jr. – o grupo que Chorão formara em Santos (SP) em 1992 e do qual era líder, voz e cérebro. Mas os músicos remanescentes da última formação da banda – Bruno Graveto (bateria), Champignon (baixo), Marcão (guitarra) e Thiago Castanho (guitarra) – vão permanecer em cena. Eles criaram nova banda, A Banca, para a qual foi convocada Helena de Andrade Papini, a Lena, para assumir o baixo, já que o então baixista Champignon vai assumir os vocais d’A Banca. Está prevista a gravação de um disco do novo quinteto até o fim de 2013.

 

closer: quando estar perto demais não é o bastante

por Manú Sena
 

Um homem caminha por uma rua cheia de gente quando se depara com um rosto de um mulher de cabelos vermelhos vindo em sua direção.A mulher o vê e em seguida é atropelada por um carro.E o resto da história não teria acontecido se ambos não estivessem, sob o risco do real.

Ler o artigo completo
   

4 horas atrás

closer: quando estar perto demais não é o bastante

por Manú Sena
 

Um homem caminha por uma rua cheia de gente quando se depara com um rosto de um mulher de cabelos vermelhos vindo em sua direção.A mulher o vê e em seguida é atropelada por um carro.E o resto da história não teria acontecido se ambos não estivessem, sob o risco do real.

Ler o artigo completo
   

Anúncios