contos do rio estige e a decadência humana

por Fernanda Pacheco
 

O livro “Contos do rio Estige”, lançado recentemente pela editora Patuá, causa impacto logo no início. Os mais inflados dirão que não há nada de excepcional, enquanto outros muitos dirão que faz mais do que sentido a obra do autor Luiz Fernando Pierotti.

Ler o artigo completo
   

3 horas atrás

a mira certeira de shirin neshat

por camila mello
 

Sobre o talento de uma artista do Irã. 
Ler o artigo completo
   
3 horas atrás

sobre o que falava machado de assis?

por Priscila Yamany
 

Ciúme, vaidade, falsidade, loucura, hipocrisia. Lendo assim, parece até que as obras machadianas são pessimistas ou, com o perdão da palavra, realistas. No entanto, nem um destes dois termos define Machado, que sempre vai além do que esperamos, criando milhares de entrelinhas em cada frase, em cada capítulo, em cada romance, conto ou crônica.

Ler o artigo completo
   

3 horas atrás

nem felizes. nem para sempre.

por Laís Vilela
 

Artigo que mostra uma compilação de fotos trabalhando com o imaginário negativo atrelado aos contos de fadas. E se as princesas nunca tivessem conhecido seu final feliz?

Ler o artigo completo
   

3 horas atrás

as cores de clementine

por fabita
 

O significado poético da palheta de cores do personagem que deu vida ao Brilho Eterno

Ler o artigo completo
   

3 horas atrás

django livre: o ”southern” de quentin tarantino.

por Leandro Peixoto de Godoy
 

O último filme de Quentin Tarantino, lançado em 2012, faz uma homenagem aos westerns spaghettis, filmes que eram feitos na Itália e pegavam carona no sucesso dos westerns estadunidenses que ao final dos anos 1970 estavam com a popularidade em queda. É impressionante como a linguagem cinematográfica de Quentin Tarantino consegue passear na trajetória do cinema autoral e do cinema tributo e ainda se manter original.

Ler o artigo completo
   

3 horas atrás

poesia interiorana com ar cosmopolita

por Guilherme Ziggy
 

Quem consegue fazer poesia e viver disso no Brasil em pleno século XXI? Tirando os novos expoentes editoriais, que são envoltos em enorme marketing e publicam semestralmente um novo livro, aparentemente mais ninguém, certo? Errado! No interior de São Paulo, um novo grupo de poetas deu a cara pra bater e tem ido atrás do seu próprio público. Na cara, coragem e raça, o grupo Poesia dos Minérios, fundado em 2012, tem arduamente escalado os degraus dos exigentes leitores brasileiros.

Ler o artigo completo
   

5 horas atrás

livio de marchi – a arte em madeira

por diana ribeiro
 

O artesão italiano dá vida à madeira construindo incríveis peças. 
Ler o artigo completo