O dia em que a Aphoto (quase) foi despejada

por Daniel Dantas Lemos
 

 
Por Alex Gurgel
Presidente da Associação Potiguar de Fotografia (Aphoto)

 
 Terça-feira, quinze pra meio dia, um calor insuportável em Natal. Pelo celular, Adrovando Claro (diretor cultural da Aphoto) agoniado e com uma voz apressada, bombardeia uma noticia trágica: “A Aphoto está sendo despejada do Mercado de Petrópolis”. Aviso que já estou indo em direção ao Mercado e ela vai narrando que havia alguns fiscais da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Sensur), querendo desocupar o box 38 da Aphoto… “Homi, venha correndo que vão levar as coisas”, gritava Adrovando, num desespero só.
 
Quando cheguei ao Mercado Municipal de Petrópolis, encontrei Adrovando e Samuel (o rapaz que estava abrindo o box algumas por semana) estavam “arrumando as coisas” para a Sensur levar. De pronto, me apresentei como presidente da Aphoto, e comecei a explicar ao funcionário da prefeitura chamado Jonas Mendes, que se identificou como diretor do departamento de Feiras e Mercados, os problemas que envolvem o box 38 que ainda está em nome de outra pessoa…
 
Jonas entendeu que o quiproquó em torno do box 38 não é problema exclusivo da Aphoto, pois, a direção da entidade tentou várias vezes resolver a situação na gestão passada e de vários ex-secretários, para torna de direito da Aphoto (o box) o que já usa de fato. A primeira providência é a Prefeitura de Natal rever o processo em andamento que transfere o box do nome de terceiros (desaparecidos e ignorados) para o nome da Aphoto.
 
Muito educadamente, Jonas relatou os planos de a Prefeitura de Natal em revitalizar o Mercado de Petrópolis e quer todos os boxes abertos. Expliquei sobre a importância do trabalho da Aphoto no desenvolvimento da Fotografia Potiguar, assegurando que o box da Aphoto funciona para expandir a nossa fotografia e também serve como ponto de referência para fotógrafos de outros lugares possam fazer um intercâmbio com fotógrafos natalenses. Até dezembro passado, o box da Aphoto estava aberto todas as manhãs. A pessoa que ficava pela manhã teve um problema de saúde e teve que ficar em casa.
 
Depois da Chegada do aphotista Canindé Soares e muitos telefonemas depois para pessoas comprometidas com a fotografia, o diretor do departamento de Feiras e Mercados resolveu deixar o box da Aphoto em paz e marcou uma reunião com o secretário da Sensur, Raniere Barbosa, para que a diretoria vá apresentar seus argumentos para se manter no box 38, na Rua da Literatura, do Mercado de Petrópolis. Até resolver a pendenga do box com a transferência da “permissão” para o nome da Aphoto, o box ficará fechado, mas  ainda sob custódia da entidade.
 
Na tarde de ontem, Adrovando me liga aliviado, depois de toda a articulação para “liberar” o box da Aphoto de uma “ação de despejo”… era só felicidade. “A Aphoto é uma entidade cultural de categoria e não pode ser tratada dessa maneira”, bradava o diretor de cultura da Aphoto. A ligação de Adrovando era para articular um “Ato de Desagravo”, no  próximo sábado, quando a Aphoto vai realizar a entrega das Carteiras de Sócios e faz um chamamento para que todos os sócios possam ir até o Mercado de Petrópolis, na sede da Aphoto, para buscar suas carteiras. Na ocasião, haverá uma roda de samba na praça de alimentação do Mercado onde os aphotistas estão se confraternizando…
 
Anúncios