Estados Unidos: ‘Homem grávido’ vai recorrer de decisão que impede seu divórcio

por mark vynny
 

Juiz negou divórcio, pois casamento homossexual é proibido no Arizona. Thomas Beatie ganhou fama ao trocar de sexo e dar à luz a três filhos.

Thomas BeatieO americano Thomas Beatie, transexual conhecido como “homem grávido”, pretende recorrer da decisão de um juiz do estado do Arizona (EUA) que negou o divórcio entre ele e sua ex-mulher Nancy, porque o casamento homossexual é proibido no estado.

> Homem trans quer dar à luz ao quarto filho

Thomas Beatie anunciou a separação em abril do ano passado, mas ainda não conseguiu oficializá-la.

O juiz Douglas Gerlach acredita que, como Thomas e sua ex-mulher têm órgãos genitais femininos, o casamento é homossexual, o que é proibido no estado. Assim, o juiz interpreta que o matrimônio não pode ser encerrado porque nunca foi legal.

No último dia 29 de março, Gerlach disse que não tinha competência para homologar o divórcio porque não há provas suficientes de que Beatie era um homem quando ele se casou com Nancy Beatie, no Havaí.

Quando haviam se casado, em 2003, Thomas e Nancy se apresentaram como heterossexuais porque ele nasceu mulher, mas trocou de sexo antes do matrimônio. Eles tiveram três filhos.

No dia 2 de abril, Thomas Beatie e sua atual namorada, Amber Nicholas, se reuniram com seu advogado em Phoenix, no Arizona.

Thomas mudou de sexo aos 24 anos e é legalmente homem. Mas mantém os órgãos sexuais femininos. Quando era mulher, se chamava Tracy Lagondino.

Sua ex-mulher Nancy fez uma histerectomia e não podia ser mãe. O primeiro filho foi concebido por inseminação artificial, com esperma de um doador. Depois, ele teve outros dois filhos, Jensen e Austin Beatie.

Em abril de 2008, em entrevista à apresentadora Oprah Winfrey, Thomas disse que, para ele, “a necessidade de ter um filho não é um sentimento masculino ou feminino, mas humano”. “Sou uma pessoa e tenho direito de ter um filho biológico”, disse ele na época.

fonte: G1

2 horas atrás

França: Senado aprova lei do casamento homossexual

por mark vynny
 

Senadores aprovaram o texto após uma semana de tensos debates. Projeto de lei volta agora para Assembleia Nacional.

protestos ParisO Senado, a Câmara Alta do Parlamento francês, aprovou nesta sexta-feira (12) o projeto de lei sobre o casamento homossexual, que voltará agora à Assembleia Nacional (Câmara Baixa) para ser submetido a uma segunda leitura.

Os senadores aprovaram o texto após uma semana de tensos debates. A Assembleia Nacional o aprovou por ampla maioria em primeira leitura no dia 12 de fevereiro.

O primeiro artigo do texto, o mais importante, que autoriza o casamento e a adoção para os casais homossexuais, foi adotado ‘em conformidade’, ou seja, nos mesmos termos em que foi aprovado em primeira leitura na Assembleia, razão pela qual deve ser, salvo alguma surpresa, definitivamente adotado.

No Senado votaram em sua imensa maioria pelo texto as bancadas de esquerda (socialistas, comunistas, ecologistas, radicais de esquerda). A direita (UMP) e os centristas (UDI-UC) se opuseram ao texto, com algumas exceções.

“Há em cada um de nós uma emoção profunda” e com esta decisão “reconhecemos simplesmente a plena cidadania dos casais homossexuais”, declarou a ministra da Justiça, Christiane Taubira, ao fim da votação.

“Ficamos orgulhosos com esta votação que faz a sociedade avançar”, disse o chefe da bancada socialista, François Rebsamen.

Já o senador e ex-primeiro-ministro de direita Jean-Pierre Raffarin considerou que este texto acrescenta “uma ruptura de sociedade a uma crise econômica”. “Não acreditem que a votação da lei apagará esta ruptura”, acrescentou.

Os opositores ao casamento homossexual na França já convocaram uma nova manifestação contra a lei para o dia 26 de maio.

fonte: G1

2 horas atrás

“A primeira vez que me apaixonei por uma mulher foi em 1991”, conta Daniela Mercury

por mark vynny
 

Daniela Mercury e Malu VerçosaEm entrevista à revista “Veja” dessa semana, Daniela Mercury falou dos outros relacionamentos que teve com mulheres, além do atual, com a jornalista Malu Verçosa.

> Daniela Mercury assume novo amor: “Malu agora é minha esposa”
> “A mãe de minhas filhas voltou a ser feliz”, diz ex-marido de Daniela Mercury

“A primeira vez que me apaixonei por uma mulher foi em 1991. Depois, namorei outras”, contou.

A cantora disse que teve um relacionamento intenso com outra mulher antes do seu casamento com o publicitário Marco Scabia.

“A relação mais séria foi com uma mulher com quem fiquei antes de me casar com o Marco. Com ela, não assumi publicamente a relação. E foi muito ruim. Vivia com medo do que a imprensa e os paparazzi pudessem fazer conosco”, explicou.

Daniela revelou ainda que nunca escondeu dos seus amigos e da sua família seus relacionamentos.

“Veja, eu nunca neguei que tivesse estado com mulheres. Quem estava à minha volta, meus filhos, meus amigos, sabia. Só nunca tornei a coisa pública”, afirmou.

Daniela e Malu eram amigas havia dois anos quando perceberam que estavam apaixonadas e, três meses depois, já estavam morando juntas.

fonte: A Capa