Globo sentiu a pancada: deu só 16 segundos de notícia sobre smartphones mais baratos

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Globo sentiu a pancada: deu só 16 segundos de notícia sobre smartphones mais baratos

por noreply@blogger.com (SARAIVA13)

Agora, mais gente poderá ler o blog “Os Amigos do Presidente Lula” no próprio smartphone durante o Jornal Nacional, enquanto espera pela novela ou pelo futebol.  :)

O Jornal Nacional da TV Globo (dia 9) deu a notícia da desoneração dos smartphones nacionais (que ficarão mais baratos), com má vontade. A notícia foi só lida rapidamente, em 16 segundos, sem nenhuma reportagem a respeito, apesar do grande interesse popular pelo assunto.

Olhe a diferença em relação à matéria do Jornal da Record, de 1 minuto e meio:  

A medida é mais um ponto para a popularidade do governo Dilma, por fazer a coisa certa. O smartphone, por vir com acesso à internet, é um dos sonhos de consumo de muita gente que ainda não tem. E, com isso, os aparelhos ficam mais acessíveis à todos, inclusive à população de baixa renda, sendo mais uma ferramenta para levar a todos os brasileiros o direito de ir e vir à informação e à sociedade do conhecimento.

Além disso a medida incentiva a fabricação dos aparelhos no Brasil.

Agora, mais gente poderá ler o blog “Os Amigos do Presidente Lula” no próprio smartphone durante o Jornal Nacional, enquanto espera pela novela ou pelo futebol. :) Por: Zé Augusto0 Comentários     Do Blog Os Amigos do Presidente Lula.

18 minutos atrás

Marco Feliciano exige que Daniela Mercury vá para a fogueira

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Marco Feliciano exige que Daniela Mercury vá para a fogueira

09/04/2013 15:38 | Categoria: Celebridades Compartilhar:Imprimir:

Marco Feliciano exige que Daniela Mercury vá para a fogueira Feliciano orou para que Jesus provoque a falência do Guaraná Jesus IDADE MÉDIA – Após apontar o Todo Poderoso como mandante do assassinato de John Lennon, o presidente da Inquisição dos Direitos Humanos, Marco Feliciano, teve uma queda de pressão súbita ao ver a foto de Daniela Mercury beijando sua esposa. “Meus sais!”, suspirou antes de desmaiar nos braços de Jair Bolsonaro. Assim que recobrou o sexto sentido, Feliciano surtou: “Minha santa periquita do bigode loiro! É bruxa! É uma bruxa! Bruxinha, bruxilda, bruxona! Fogueira nela, em nome do Senhor!”, berrou, em falsete, enquanto ajeitava uma ponta dupla em sua franja.

Em seguida, Feliciano responsabilizou Jesus pela alta do preço do tomate. “Esse fruto que se aproveitava, até então impunemente, de ter sido criado à imagem e semelhança da maçã, o símbolo do pecado, finalmente foi punido”, vociferou. “Vejam o que está acontecendo no Chipre, nome que lembra Chifre, que remete a Satanás. O ego de Jesus não pode ser ferido jamais”, concluiu, assim que terminou uma sessão de drenagem linfática.

No final da tarde, o metropastor comunicou à imprensa que irá afrontar os Direitos Humanos apenas três vezes por dia. 
Leia também Coreia do Norte inicia produção de Marcos Felicianos em massa Para se manter na Comissão, Feliciano sai do armário Ahmadinejad saúda Congresso por eleição de Feliciano

Pregação de Feliciano ouvida ao contrário traz refrão deOdara

10/04/2013 15:05 | Categoria: Cultura Compartilhar:Imprimir:

Pregação de Feliciano ouvida ao contrário traz refrão de Odara “Se Feliciano está com Jesus e eu com o diabo, alguma coisa está fora da nova ordem mundial”, declarou Caetano Veloso AMARALINA – Pesquisadores do núcleo de Baianidades & Outras Mumunhas Mais da Universidade de Santo Amaro da Purificação encontraram mensagens subliminares nas pregações do presidente da Acusação dos Direitos Humanos, Marco Feliciano. “Quando ouvimos o falsete ‘sai Satanáááááááaááás’ ao contrário, a contrapelo, identificamos com clareza cristalina os versos ‘Deixa eu cantar pro meu corpo ficar Odara / minha cara, minha cuca ficar Odara’”, revelou o acadêmico Tatau do Pelourinho.

Renomado pelos estudos pioneiros sobre a influência do sincretismo no comportamento sexual de líderes religiosos numa época de globalização e tribalismo, o professor Axé Saraiva Aiê encontrou mensagens cifradas nas madeixas alisadas e nas sobrancelhas depiladas do metropastor. “Menino Deus, quando a flor do teu sexo / Abrir as pétalas para o universo / E então, por um lapso, se encontrar no anexo”, cantarolou Saraiva Aiê, enigmático.

No fim da tarde, Silvio Santos anunciou a criação do programa “Qual é o músico?”. Segundo nota divulgada pelo SBT, os participantes terão que acertar as personalidades musicais ofendidas por Marco Feliciano a partir de sete notas tocadas pelo maestro Zezinho. 
Leia também Marco Feliciano exige que Daniela Mercury vá para a fogueira Em protesto contra Feliciano, Lula divulga foto beijando o espelho Feliciano diz que defesa do Flamengo está “dominada por Satanás” Bilhete de Chico Buarque à diarista é considerado magistral

19 minutos atrás

A ONIPRESENÇA DO GÊNERO WESTERN NO CINEMA MODERNO

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Vereadora propõe orar para resolver problemas da cidade

por Paulo Lopes Cleide Vieira é tambémpastora da Quadrangular A pastora-vereadora Cleide Vieira (foto), de Simões Filho (BA), disse ter obtido autorização de Joel Cerqueira (PT), presidente da Câmara, para criar um…

[[ This is a content summary only. Visit my website for full links, other content, and more! ]]

CINEMA ESGOTO E OUTRAS MENTIRAS…

porque a arte sai do ego e vai pro ralo…

A ONIPRESENÇA DO GÊNERO WESTERN NO CINEMA MODERNO

em cinema por gustavo halfen em 11 de abr de 2013 às 00:43 O cinema western, considerado um dos principais gêneros da sétima arte, obteve seus anos dourados nas décadas de 1930 e 1940, principalmente com os filmes de John Ford. Porém por toda a trajetória da história do cinema e, inclusive na atualidade suas características são frequentemente homenageadas. Embora muitas vezes despercebidos, os filmes de máfia, super heróis e thrillers de ação são recheados de referências dos mocinhos e bandidos do velho oeste.   7  0      1
clint eastwood 01 - 01.JPG Você pode dizer que não gosta, ou até mesmo dizer que nunca viu, mas o cinemawestern está mais próximo de nossas vidas do que parece. O gênero mais conhecido no Brasil como faroeste, é considerado um dos mais importantes da história do cinema e influenciou a maioria dos grandes filmes. O filme The Great Train Robbery (O Grande Assalto ao Trem, 1903) inovou a forma de fazer cinema, utilizando pela primeira vez em um filme de ficção, ambientes externos, movimento de câmera e montagem paralela, além de romper pela primeira vez a “quarta parede” na famosa cena do tiro na câmera; homenageada por Martin Scorsese em Goodfellas (Os Bons Companheiros, 1990) e Ridley Scott em American Gangster (O Gangster, 2007). É conhecido que nesta cena o público demonstrou certo desespero com medo que a bala os atingisse.great-train-robbery-1903-granger - 01.JPG
Cena clássica de The Great Train Robbery do tiro na câmera. Com o passar dos anos o cinema western foi tomando um formato mais característico, romanceando a colonização do oeste estadunidense; mostrando a relação do homem com a natureza quase desértica (O Estouro da Manada, 1951), as guerras contra os índios (Rastros de Ódio, 1956), a cultura indígena (Um Homem Chamado Cavalo, 1970) e a busca do ouro (O Ouro de Mackenna, 1969). O protagonista das estórias do velho oeste acabou traçando o perfil do mito do herói hollywoodiano: o “mocinho” xerife, esperto e bondoso que mata (ou prende) os bandidos de sua cidade; hoje tão em voga nas adaptações cinematográficas das HQs. A partir destes personagens, surgiram também os códigos de honra, que estão acima da lei, muito referenciados em filmes de máfia.
the searchers.jpg
Pôster do clássico Rastros de Ódio. O épico Stagecoach (No Tempo das Diligências, 1939) de John Ford, além de ser referência pura nos filmes de Indiana Jones, influenciou o diretor Orson Wells ao fazer Cidadão Kane, considerado o maior filme de todos os tempos. Em meados dos anos 1960 houve a produção europeia chamada western spaghetti, cujo principal porta voz foi Sergio Leone. Em sua “Trilogia dos Dólares”, com Clint Eastwood como protagonista, ele inovou o mito do herói, transformando-o em anti-herói; o homem sem nome e sem passado, mercenário, frio e solitário. Personagem este popularizado na atualidade pelos diretores Robert Rodriguez e Quentin Tarantino. A trilha sonora característica do gênero, nos filmes de Leone tomaram amplitude global; a música tema do longa, Três Homens em Conflito (Il Buonno, Il Bruto, Il Cativo, 1966), composta por Enio Morricone, é considerada uma das mais famosas e belas canções da sétima arte.the god, the bad and the ugly duelo.jpg
Cena do longa Três Homens em Conflito representando um duelo entre inimigos. Em 1970 o artista Alejandro Jodorowsky dirigiu o filme El Topo onde ele cultua o gênero western em uma saga surrealista ao herói, cujo protagonista evolui espiritualmente para se tornar o gatilho mais rápido do oeste. Na atualidade, mais precisamente em 2008, os irmãos Cohen levaram o Oscar de melhor filme com “Onde Os Fracos Não Têm Vez” (No Country for Old Man, 2008). Utilizando do humor negro, os Cohen desconstruíram o gênero western em uma análise decadente do xerife velho, fraco e inexperiente e fortalecendo o papel do bandido: frio, calculista, assustador e enigmático. Já em 2011, o prêmio de melhor diretor de Cannes foi para o dinamarquês Nicolas Refn, que em Drive nos traz o anti-herói criado por Leone, o homem sem nome, calculista e invencível, no papel principal de Ryan Gosling. Em 2013, concorrendo ao melhor filme no Oscar, Tarantino homenageou o gênero, que considera o seu preferido, no filme Django Livre, onde ele cita referências claras dos anos dourados do western, além do spaghetti; a estória agora se passa na região sul dos EUA, seu protagonista é negro, e a trilha sonora original é composta por Enio Morricone. Em uma época onde nada se cria e tudo se copia, é incontestável que em cada disparo de pistola, em cada busca de vingança e em cada disputa entre mocinho e bandido, vemos os westerns como pano de fundo.   7  0      1 
gustavohalfen Artigo da autoria de Gustavo Halfen.
Biólogo, cinéfilo, poeta, compositor, pintor, escritor, blogueiro….
Saiba como fazer parte da obvious. ARTIGOS RELACIONADOS

COMENTÁRIOS

20 minutos atrás

Show ‘O passo do colapso’ confirma em cena que Dado anda para frente

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Show ‘O passo do colapso’ confirma em cena que Dado anda para frente

por Mauro Ferreira  Resenha de show
Título: O passo do colapso
Artista: Dado Villa-Lobos (em foto de Mauro Ferreira)
Local: Theatro Net Rio (Rio de Janeiro, RJ)
Data: 8 de abril de 2013
Cotação: * * 1/2

Foi sintomático que os aplausos mais fortes recebidos por Dado Villa-Lobos na estreia nacional do show O passo do colapso tenham sido motivados por sua interpretação de Índios (Renato Russo, 1986), sucesso da Legião Urbana, a banda brasiliense que projetou este guitarrista e compositor belga-brasileiro que tem se aventurado cada vez mais como cantor no exercício de sua carreira solo. Dado cantou bem Índios, no fim do bis do show apresentado no Theatro Net Rio na noite de 8 de abril de 2013, mas – justiça seja feita – o artista não se escorou em cena no legado do grupo que integrou com Renato Russo (1960 – 1996) e Marcelo Bonfá. O roteiro incluiu músicas do cancioneiro da Legião - como a obscura Depois do começo (Renato Russo, 1987), reapresentada no (com)passo veloz do ska, e como Giz (Renato Russo, Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos, 1993) – sem jamais tirar o foco principal do repertório inédito lançado por Dado no seu segundo álbum solo, O passo do colapso, que ganha edição física em CD neste mês de abril de 2013 cinco meses após ter sido lançado em formato digital. O passo do colapso é disco climático produzido por Dado com Kassin. De início frio, o show – aberto com o rock Colapso (Dado Villa-Lobos, China e Jr. Black) – engrenou aos poucos e mostrou que Dado caminha bem em cena entre rocks e climas. Contudo, o roteiro ainda pode ser aprimorado. A junção de várias músicas inéditas no bloco inicial - Brilho de gente que faz brilhar (Beto Callado, 2012), Lucidez (Nenung e Dado Villa-Lobos, 2012) e Sobriedade (Nenung e Dado Villa-Lobos, 2012) – contribuiu para a frieza inicial. Até porque não são as melhores músicas do disco. O primeiro grande momento veio com Beleza americana (Fausto Fawcett e Carlos Laufer, 2012), música que derramou poesia urbana em cena, reproduzindo em cena o clima do CD. Outro destaque foi a canção Quando a casa cai (Nenung, 2012), cantada por Dado com a presença graciosa de Mallu Magalhães, repetindo o dueto gravado para o álbum. Na sequência imediata da intervenção rápida de Mallu, Dado convocou ao palco Fausto Fawcett, cuja participação em Overdose coração - parceria de Fawcett com Laufer, baixista da boa banda que incluía também Günter Fetter (teclados, programações, guitarra) e Lourenço Monteiro (bateria) – injetou pulsação em show que caminhava em passos lineares com a sucessão das músicas e das projeções de Clara Cavour. O cover de 3,6,9 - música recente de Cat Power, lançada pela cantora e compositora norte-americana em seu último álbum, Sun (2012) – reanimou o espírito roqueiro de Dado, artista formado entre os estilhaços da explosão punk que ecoou em Brasília (DF) na virada dos anos 70 para os 80. Por não ser em essência um cantor, Dado não conseguiu reverberar em cena toda a sensibilidade latente na letra de Filho, versão em português que fez de Son (Scott Weilland e Victor Indrizzi). Ainda assim, o show O passo do colapso sinaliza que Dado Villa-Lobos está andando para frente em cena, mesmo que eventualmente olhe para trás – com todo o direito, aliás – para reviver o legado que construiu como integrante da Legião Urbana, banda lendária que deixou órfãos no universo pop nacional.  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 de Abril de 2013 15:00

Dado ergue ‘Quando a casa cai’, balada de Nenung, com Mallu em show

por Mauro Ferreira  Mallu Magalhães participou da estreia nacional do show O passo do colapso, de Dado Villa-Lobos, na noite de 8 de abril de 2013. A cantora e compositora paulista e o compositor e guitarrista belga-brasileiro - vistos em foto de Maíra Cassel - reproduziram no palco do Theatro Net Rio, no Rio de Janeiro (RJ), o dueto na balada Quando a casa cai (Nenung), feito originalmente para o segundo disco solo gravado por Dado em estúdio, O passo do colapso, lançado em dezembro de 2012 e mote do show mostrado em primeira mão ao público carioca.

21 minutos atrás

Gays relatam desafio de sair do armário em diferentes locais do Brasil

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Gays relatam desafio de sair do armário em diferentes locais do Brasil

por mark vynny Declarar-se abertamente gay, lésbica, bissexual ou transsexual para os pais, a família, amigos e colegas em escolas ou no trabalho pode ser um desafio complexo no Brasil, onde o assunto é tema de debates acalorados. “O armário é um espaço de gerenciamento de estigmas, de um segredo, uma informação que tem um peso social muito forte. É sempre um momento de muita tensão, um ritual de passagem”, avalia Fernando Teixeira Filho, professor do Departamento de Psicologia Clínica da Unesp, no campus de Assis. Muitas famílias se mantêm unidas através desse segredo, e revelá-lo publicamente pode significar a ruptura de alguns laços, e a criação de novos, diz o psicólogo, indicando que diversos fatores influenciam as reações de aceitação ou rejeição. Teixeira Filho diz que entre os que mais sofrem atualmente estão os transexuais, “que em geral sempre enfrentam uma reação péssima”, e os bissexuais, que vivem em “um armário dentro de um armário” e sofrem preconceito de todos os lados. Veja alguns depoimentos concedidos à BBC BrasilLilo OliveiraLilo Oliveira, universitária
“Tenho 20 anos, sou homossexual assumida e namoro uma linda guria. Como é ser homossexual nos dias de hoje? Bem, eu tenho me sentido como em uma guerra, na qual há aqueles fanáticos por religião, que zelam por seus preconceitos por detrás de palavras de um livro. Eu quero ter uma família, eu quero que minha namorada se torne minha esposa, queremos filhos, sonhamos com o casamento, morar juntas, dividir as coisas, como grande parte das mulheres sonham. Me questiono por que é mais fácil aceitar a violência do que o amor. Por que é tão natural ver mais uma mãe que jogou seu filho fora do que um casal homossexual adotá-lo. Para muitos, não temos religião – para nós, é na fé de algo melhor que continuamos a lutar por respeito, por um mundo onde vivamos em paz. Nos chamam de desgraça, de fim do mundo, de vergonha, de intolerantes, de vítimas sem motivos, de câncer social, mas eu olho a foto ao lado, e vejo amor, vejo sonhos, futuros, vejo brigas, risadas, desentendimentos, vejo um casal como qualquer outro. Ser homossexual hoje é acreditar que amanhã as coisas hão de melhorar, é não abaixar a cabeça, é ter antes de tudo orgulho de si mesmo e saber que não há nada de errado com você. E mostrar para a sociedade que não há mal nenhum em amar.” Thiago MonferdiniThiago Monferdini, 25 anos, redator publicitário
“Me assumi lá no começo dos anos 2000, em uma cidade de cerca de 30 mil habitantes no sul de Minas Gerais, que é provinciana ao extremo. Fácil? Não, não foi. Houve desmaios e gritos. Pedidos de perdão para encher agendas de analistas de toda a região, mas me lembro de uma sensação, a de liberdade. As três palavras mágicas ‘eu sou gay’ libertam! Eu prometo. Não existe nenhum olhar torto no mundo, nenhum cuspe na cara que dane a sensação de ter sido honesto consigo mesmo. As dores e prazeres são as maiores constâncias na vida de um homossexual, mas que chato seria se estas não existissem, não é? Hoje, liberto da cidade e do preconceito dos pais, eu afirmo: eu sou gay. Ouviu?” Júlio Cézar MirandaJúlio Cézar Miranda, psicólogo
“Tenho 26 anos, moro em São Paulo, sou psicólogo e ser gay hoje é algo que ainda desperta muito a curiosidade de todos. Muitos que se dizem héteros têm muita curiosidade ao saber como se dão as relações com gays e afins. Tendo intimidade, então, as coisas mudam: a pessoa quer se descobrir. O prazer está em voga em nossa sociedade, a casualidade, o momento, o lance. Ao me assumir em casa, meus pais sabiam já, mas se negavam a acreditar. É destruir sonhos patriarcais, laços familiares, sangue. É não viver conforme o padrão social e, com isso, fazer com que tudo e todos ao redor se desestruturem. Foi difícil, sim, pois as pessoas não são obrigadas a me aceitar como sou. Mas o que se passa comigo e com o meu interior e se isso está me fazendo feliz ou não é de direito coletivo? Afinal, pago minhas contas, impostos e não tenho privilégios por ser homossexual, e sim levo garrafadas e olhares tortos nas ruas por apenas ser quem sou. Sou um homem comum como qualquer outro, porém gosto de outros homens. Não acordei um dia de manhã e escolhi ser gay. Afinal, quem quer escolher o modo mais difícil de se viver? Ser gay não é escolha, e sim estado natural de viver.” Júnior MilérioJúnior Milério, 28 anos, jornalista
“Por volta dos 14 anos, disse para minha mãe que me interesso por meninos, e não por meninas. Com aquela idade, eu não imaginava o quanto a sexualidade de uma pessoa interfere na vida social. Meu interesse por meninos sempre foi natural, eu não escolhi. Ser gay não é uma opção. Nasci e cresci no interior de São Paulo e lá não há grupos de apoio a pais de gays, diferente de São Paulo hoje em dia, por exemplo. Então, minha mãe e eu tivemos que redescobrir, sozinhos, como amar novamente. E descobrimos. Garanto que o amor – acima de tudo o amor dentro de casa – me ajuda a ser completo na sociedade. Foi na universidade, quando me mudei para Campinas para estudar, que me entendi como gay e cidadão por completo. Desde então, minha batalha é diária para ser respeitado, mas não com violência. Minha arma contra o preconceito e a homofobia é a minha educação, minha formação. A gente que sofre preconceito, seja racial, sexual, social, se cobra muito para ser melhor, numa tentativa quase inglória de compensar alguma coisa que é vista como menos ou inferior. A falta de respeito. Essa é a principal dificuldade. O respeito é a base de qualquer relação. Da afetiva à social. Respeitar! A violência não é apenas quando um gay é agredido na rua. Esse é o cúmulo, o absurdo, o ápice da violência. Mas o princípio da violência é o desrespeito pelo que é diferente. Eu me sinto agredido quando quero ser cidadão e doar sangue e não posso. Quando vejo gente precisando de medula e sou proibido de fazer doação. E me sinto desrespeitado quando, apesar de ser proibido disso e de tantas outras coisas mais, me cobram impostos. Declaro imposto de renda. Pago minhas contas.” Andréia, 28 anos, advogada
“A primeira pessoa para quem eu contei da minha então recentíssima descoberta de ‘gostar de meninas’ foi há 12 anos, quando eu tinha 16 anos, e foi bem tranquilo. Poucos meses depois, meu pai descobriu por conta de um ‘vacilo’ meu. O momento da revelação foi um pouco tenso, pois na época nem eu sabia exatamente como me posicionar sobre o assunto. Meu pai me disse que se preocupava com o que eu poderia sofrer, mas afirmou que quem estivesse contra mim, estaria contra ele. Em seguida, com a minha autorização, contou para minha mãe, que ficou péssima e por anos não tocou no assunto comigo. Um dia, quando eu já tinha uns 19 anos, me deu uma revista cuja matéria de capa falava sobre lésbicas. Foi a forma de dizer que me aceitava. Hoje meus pais tratam naturalmente o assunto e não fazem qualquer diferença entre minha namorada e a do meu irmão: tratam ambas muito bem e com muito carinho. Nunca sofri qualquer discriminação em casa. No entanto, sei que o posicionamento da minha família não é a regra. Tive problemas com os pais de diversas namoradas. De uma delas, a mãe tomou celular, dinheiro, carro, tudo. Proibiu de me ver, mandou para a terapia, nada adiantou. Isso foi no primeiro ano de relacionamento. Depois disso, namoramos mais cinco anos (dois dos quais moramos juntas no exterior). Quanto aos meus amigos, nunca tive nenhum problema em me assumir gay. Todos, até mesmo os mais machistas, religiosos ou tradicionais, me aceitaram muito bem. Resumindo tudo isso, na prática vejo que o preconceito existe, mas a discriminação por orientação sexual é mais velada se o gay tiver boa condição social e nível profissional/educacional mais elevado. E que a postura de cada um perante o mundo contribui, em muito, para a quebra dos paradigmas.” César MartinsCésar Martins, 31 anos, produtor de moda e figurinista
“Quando fiquei com um menino pela primeira vez, aos 18 anos, contei para minha mãe e ela teve uma reação inusitada, dizendo ‘eu sou sua mãe, eu não sou burra’. Desde pequeno eu já sabia, e nunca mexeu comigo. Me incomodava mais que me chamassem de magro do que de bicha. Sempre fui muito tranquilo. Meus pais sempre me deram todos os brinquedos que eu pedi, e não eram convencionais para meninos. Meu pai nunca tocou no assunto, mas meus namorados dormem em casa, no meu quarto, e fazem parte da família, sem nenhum problema. Quanto ao ambiente profissional, sempre trabalhei com moda, e acho que, na verdade, não ser gay seria um problema. As modelos, por exemplo, teriam vergonha de se trocar na minha frente. Eu acho que ficou mais fácil, hoje em dia, ‘sair do armário’. Acho que se fala mais do assunto, veio mais à tona na sociedade.” fonte: BBC Brasil   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

CEO da Apple é eleito o gay mais influente dos Estados Unidos

por mark vynny Tim Cook já venceu as edições de 2011 e 2012 da revista norte-americana Tim Cook 02Tim Cook, CEO da Apple, nunca se assumiu homossexual, mas, ainda assim, foi eleito pelo terceiro ano consecutivo o LGBT mais influente dos Estados Unidos. No ranking, que inclui 50 artistas, empresários, jornalistas e políticos, elaborado anualmente pela revista “Out”, Cook aparece à frente da apresentadora Ellen DeGeneres (2º), do roteirista e produtor Ryan Murphy (3º) e do apresentador da “CNN” Anderson Cooper (5º). Dentre outras figuras conhecidas, aparecem na lista ainda o cantor Frank Ocean (10º), os estilistas Marc Jacobs (19º) e Tom Ford (31º) e a drag queen Ru Paul (50º). Conheça a seleção completa elaborada pela “Out” aquifonte: ParouTudo  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  10 horas atrás

Rio de Janeiro: Governo recebe certificado da União Europeia pelo seu combate à homofobia

por mark vynny Nos últimos dias 4 e 5 de abril foi realizado em Brasília o Seminário Brasil – União Europeia de Combate à Violência Homofóbica. O Governo do Rio recebeu da União Europeia e da da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República o Certificado de Boas Práticas em Políticas Públicas de Direitos Humanos para LGBT, como uma das cinco experiências que tiveram êxito no Brasil para a comunidade gay. O prêmio foi concedido por conta da atuação no Programa Estadual Rio Sem Homofobia, que combate à discriminação por orientação sexual  e identidade de gênero. A União Europeia avaliou o conjunto de ações e serviços implementados e oferecidos pelo Rio Sem Homofobia, entre 2010 e 2012, como os quatro Centros de Referência da Cidadania LGBT e o Disque Cidadania LGBT 0800 0234567, que foi destacado pelos representantes europeus. “Planos abrangentes como o Programa Estadual Rio Sem Homofobia teriam uma aplicabilidade clara em muitas cidades europeias”, disse o português Miguel Vale de Almeida, um dos responsáveis pela análise. O objetivo da avaliação, que foi realizada no segundo semestre de 2012, foi comparar as experiências brasileiras e europeias no combate à homofobia e no acolhimento à população LGBT, como forma de aprofundar o diálogo e a cooperação entre os dois governos no enfrentamento à discriminação por orientação sexual e identidade de gênero. “Foi com muita satisfação que recebemos essa certificação. Ela nos mostra que o Governo do Rio está no caminho certo. Sabemos que ainda temos um longo caminho pela frente e alguns obstáculos a superar, mas ficamos muito felizes pelo reconhecimento, que nos dá motivação para continuar trabalhando”, declarou Cláudio Nascimento (foto), coordenador do Programa Rio Sem Homofobia. fonte: A Capa   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  10 horas atrás

Marco Feliciano fecha sessão da CDHM para manifestantes, mas evangélicos entram

por mark vynny Manifestantes protestaram mais uma vez na sessão da CDHM protesto CDHMApós tumulto dos manifestantes na sessão desta quarta-feira, 10, na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), o pastor Marco Feliciano (PSC-SP) mudou o local do debate e proibiu a presença do público. No entanto, evangélicos convidados pelo pastor puderam entrar. A reportagem do portal “UOL” contou pelo menos 15 convidados de Feliciano ou de seu partido na sessão. O vereador Pastor João Campos (PSC-TO) de Palmas disse que compareceu à Câmara a convite de Feliciano. Já o pastor Ely Silva, de Belém (PA), disse à reportagem que era convidado do deputado Zequinha Marinho (PSC-PA). Procurado pelo site, Roberto Marinho, assessor do deputado, que também já deu declarações homofóbicas, negou que Feliciano tenha convidado aliados. “Não tem convidado dele aqui, não”, chamando os outros pastores, portanto, de mentirosos. fonte: ParouTudo 

22 minutos atrás

http://www.brasil247.com/

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Uruguai é considerado país mais liberal da América do Sul

: Além de aprovar a igualdade de casamento entre homossexuais e heterossexuais, o país legalizou o aborto e analisa a possibilidade de descriminalizar a maconha   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Falcão culpa empresariado e mídia por ‘Pibinho’

Claudio Manculi/Frame: SÃO PAULO, SP, 25.03.2013: RUI FALCÃO/ENTREVISTA - O presidente nacional do PT, deputado Rui Falcão durante entrevista coletiva sobre os encontros com as lideranças estaduais do partido, nesta segunda-feira (25), na sede nacional do PT, na região central“É hora de os trabalhadores irem para cima das empresas, para arrancar conquistas, porque a conjuntura está favorável, para elevar a produtividade, para aumentar a produção, para forçar o investimento que eles estão se recusando a fazer, numa espécie de sabotagem ao nosso projeto”, disse o presidente do PT em encontro regional do partido   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Edital investe mais de R$ 1 milhão em propostas de divulgação de comunidades tradicionais

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Campanha de vacinação vai reduzir a mortalidade e internações causadas pela gripe

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

‘Eleitor cri-cri de SP pode mudar rumos para 2014’, diz Vera Magalhães

: Segundo colunista da Folha, se os petistas contam com a boa avaliação de Dilma e o frescor de Haddad para conquistar o Estado mais crítico do Brasil, aos tucanos restará defender a hegemonia de 20 anos no poder Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Eliane: Dirceu constrange Planalto

: Para colunista, ao revelar movimento combinado para influir no julgamento, ex-ministro tentou melhorar as coisas para ele, mas piorou para todo mundo – principalmente para o governo e para os ministros que votaram para salvá-lo no Supremo   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Justiça concede perdão judicial a réus da Ação Penal 470

: Acusados de lavagem de dinheiro no processo do chamado mensalão, Lucio Bolonha Funaro e José Carlos Batista foram beneficiados pela delação premiada; eles colaboraram com o Ministério Público Federal (MPF), fornecendo informações e documentos que ajudaram na investigação   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Justiça garante edital de concessão do Maracanã

: Desembargadora caça liminar do MP que suspendia o processo licitatório do estádio por suspeita de superfaturamento e falta de transparência; abertura dos envelopes acontece esta manhã   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  5 horas atrás

Empresas de brasileiros em paraísos fiscais serão tributadas

: A decisão do STF não atinge organizações com sede nos países de tributação regular, mas abre precedente para que a cobrança possa ser autorizada futuramente   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  5 horas atrás

Argentina anuncia congelamento dos preços de combustíveis

: Medida é a terceira anunciada neste ano pelo governo de Cristina Kirchner para controlar a inflação; No final de janeiro, o secretário do Comércio Interior, Guillermo Moreno, fez um acordo com supermercados e redes de eletrodomésticos para manter os preços estáveis até maio   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  12 horas atrás

Setti questiona Dirceu: “Onde estão as provas”

: Blogueiro da Veja, Ricardo Setti diz que “é grave a acusação de Dirceu de que o ministro Fux prometeu absolvê-lo antes de ir para o Supremo. Só tem um problema: é a palavra de um réu condenado contra a de um juiz que o condenou. Onde estão as provas?”   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  12 horas atrás

Justiça suspende privatização do Maracanã

: Segundo decisão da juíza Roseli Nalin, da 5a Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Rio, há “graves indícios de irregularidade” na concorrência que definirá o futuro administrador do estádio por meio de Parceria Público-Privada (PPP); edital não detalha todos os projetos que terão de ser levados à frente após a concessão, o que tenderia a beneficiar a IMX, de Eike Batista   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

Sob vaias e xingamentos, vereadores elevam tarifa de ônibus para R$ 2,45

: Depois de uma longa sessão, a Câmara Municipal definiu aumentar em R$ 0,20 o valor da passagem do transporte público; revoltados, manifestantes chamaram vereadores de “vagabundos”; 15 vereadores aprovaram o reajuste; oposição votou contra e ainda contou com o apoio de Adriano Taxista; os parlamentares Renilson Felix se revoltou com protesto e pediu ação da SSP   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

Deputado Fonteles sobre Fux: “Merece impeachment”

: Em entrevista ao 247, deputado Nazareno Fonteles, do PT, defende que seja instalada uma comissão no Congresso para se analisar as ações do ministro do STF e decidir sobre a instalação de um processo de impeachment contra ele; autor de uma PEC que prevê ao Legislativo sustar atos do Judiciário, parlamentar diz que o que Luiz Fux fez – prometer absolvição ao ex-ministro José Dirceu por uma vaga no Supremo – “não é postura de um juiz, mesmo que ainda estivesse a caminho do cargo”   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

MPE dá parecer favorável a união de casal gay em MT

: As mulheres P.M e A.S.C anexaram ao pedido as certidões de nascimento atualizadas e atestado de testemunhas, documentos exigidos conforme previsto no Código Civil, comprovando que não existe impedimento ao casamento; Constituição Federal fixa o dever de o legislador infraconstitucional facilitar a conversão da união estável em casamento   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

Pelegrino avalia 100 dias de ACM: “baixa efetividade”

: Para o petista que foi derrotado pela quarta vez na disputa pela Prefeitura de Salvador, os cidadãos ainda não têm o que comemorar nos 100 primeiros dias de gestão de ACM Neto (DEM); segundo Pelegrino, dos 32 decretos baixados pelo prefeito, 24 não tiveram resultado; seriam medidas referentes à política de pessoal, saneamento básico, atenção psicossocial ou o plano de concessão do transporte coletivo; o petista bate duro no decreto da ‘ficha limpa’, ao qual o próprio prefeito teria desobedecido com a nomeação de três secretários que respondem a processos judiciais   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

Imigrantes haitianos terão situação regularizada

:  A Superintendência da Polícia Federal no Acre pretende iniciar o processo de regularização dos haitianos e outros estrangeiros que atravessaram o país nas últimas semanas e se abrigaram no Estado; o trabalho de regularização deve começar até meados da próxima semana; devido à situação, o governo do Acre decretou estado de emergência social nos municípios de Brasileia e Epitaciolândia   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

PPS reúne Serra e Aécio em conferência

: Ex-governador de São Paulo e senador mineiro dividem mesa de debate na abertura da conferência “A Esquerda Democrática pensa o Brasil”, marcada para as 14h30; fortalecimento de Aécio Neves no PSDB, que deve levá-lo à presidência nacional do partido e a candidatura à Presidência da República em 2014, alimenta especulações de que Serra pode migrar para o PPS de Roberto Freire, que já fez o convite; para a conferência do partido Serra vai…   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  15 horas atrás

Deputados alagoanos avaliam recurso ao TSE

: O Presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas já acionou o departamento jurídico do Poder para avaliar a decisão do TSE. Em julgamento realizado na noite desta terça-feira (09-4), o Tribunal Superior Eleitoral reduziu o número de deputados estaduais de 27 para 24. No âmbito federal, o Estado terá um deputado a menos a partir das próximas eleições, caindo de 9 para 8. A bancada federal também vai se reunir para discutir a questão.   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  15 horas atrás

Deputados alagoanos avaliam recurso contra decisão do TSE

: O Presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas já acionou o departamento jurídico do Poder para avaliar a decisão do TSE. Em julgamento realizado na noite desta terça-feira (09-4), o Tribunal Superior Eleitoral reduziu o número de deputados estaduais de 27 para 24. No âmbito federal, o Estado terá um deputado a menos a partir das próximas eleições, caindo de 9 para 8. A bancada federal também vai se reunir para discutir a questão. 

23 minutos atrás

Cara de pau em Cristo: Feliciano faz um afago público no cantor Caetano Velos

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

Cara de pau em Cristo: Feliciano faz um afago público no cantor Caetano Veloso

por Rosangela Basso Cara de pau em Cristo: Feliciano faz um afago público no cantor Caetano Veloso

Feliciano espera ‘reconhecimento’ de Caetano por hospital na Bahia

Ao iG, presidente da Comissão de Direitos Humanos diz confiar que cantor manifeste apoio por decisão tomada pelo governo dias após a Comissão de Direitos Humanos tratar do tema

O deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) está confiante de que irá receber um afago público do cantor Caetano Veloso, que em entrevista a jornais da Bahia disse que seria favorável à manutenção dele na presidência da Comissão de Direitos Humanos caso a luta de cerca de mil mineiros contaminados por chumbo em Santo Amaro da Purificação, cidade natal do cantor, ganhasse o Congresso Nacional. “Eu gostaria que ele viesse a público agora”, diz Feliciano ao iG .

Agência Câmara Feliciano fechou novamente nesta quarta (10) a reunião da Comissão de Direitos Humanos após protesto de manifestantes

O “reconhecimento”, segundo o deputado, deveria vir após decisão do Ministério da Saúde de criar um hospital especial para tratar os mineiros contaminados. A decisão foi tomada pelo governo federal dias após audiência pública da Comissão de Direitos Humanos, tratando do tema. “Realizamos uma única audiência pública até agora, justamente sobre esse tema, e o hospital foi anunciado”, afirma o deputado, que comemora a decisão como uma vitória sua à frente da comissão. Caetano havia dito que “se a Comissão fizer algo útil e justo (pelos mineiros), mesmo sob Feliciano, aplaudirei. “O que não quer dizer que aplaudo a escolha do seu presidente”, ressaltou. Agora, de acordo com Feliciano, decisões judiciais favoráveis à concessão de aposentadorias ao mineiros também estão saindo depois da audiência. O debate público foi realizado há duas semanas em meio a protestos de manifestantes contrários a permanência do pastor e líder da igreja evangélica Assembleia de Deus Catedral do Avivamento no comando da comissão. Feliciano afirma que o requerimento de audiência publica esperou três anos para ser aprovado na comissão. Apesar da disposição de Feliciano em receber apoio de Caetano Veloso, o cantor se manifestou hoje pela saída do deputado do comando da comissão. Após a circulação de um vídeo no qual o pastor credita o sucesso do cantor ao diabo, Caetano usou sua conta no Twitter para se opor a Feliciano. Caetano postou em sua conta no microblog as hashtags #Absurdo e #ForaFeliciano.  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  10 horas atrás

Olha o mico homofóbico: Acre proíbe o premiado filme “Eu não quero voltar sozinho” em projeto de cinema nas escolas

por Rosangela Basso Olha o mico homofóbico: Acre proíbe o premiado filme “Eu não quero voltar sozinho” em projeto de cinema nas escolas 

Acre censura filme gay ao confundi-lo com kit anti-homofobia

Parou Tudo

Curta foi confundido com kit anti-homofobia no Acre

Premiado em festivais em várias partes do mundo, o curta-metragem “Eu Não Quero Voltar Sozinho” foi proibido no Acre. Pior: todo o programa Cine Educação, do qual ele fazia parte, foi suspenso por lá. Tudo começou, segundo os produtores Diana Almeida e Daniel Ribeiro – este, também diretor do filme – quando alguns alunos que o assistiram em sala de aula pensaram se tratar do “kit anti-homofobia” e reclamaram a líderes religiosos. Estes, sem saber do que realmente se tratava, mobilizaram políticos para proibir o programa educacional. Segundo comunicado de Ribeiro, os secretários de Educação e de Direitos Humanos do Estado discutem a reativação do Cine Educação, porém, o seu curta deve ser definitivamente excluído do programa. Não, você não está no Irã, onde os habitantes vivem em Estado religioso. Você está no falso Estado laico chamado Brasil. Veja ou reveja o premiado e delicado curta-metragem que os estudantes do Acre não podem ver na escola:   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

Que horror: Bolsonaro diz que se tivesse participado da ditadura deputado Ivan Valente estaria no “saco”

por Rosangela Basso Que horror: Bolsonaro diz que se tivesse participado da ditadura deputado Ivan Valente estaria no “saco”

Até quando Bolsonaro ficará impune?

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

Lula não é citado em investigação do Ministério Público: O que a imprensa publicou, o fez por sua conta e risco

por Rosangela Basso Lula não é citado em investigação do Ministério Público: O que a imprensa publicou, o fez por sua conta e risco

Correio do Brasil

Lula falou ao público latino-americano, em Cuba Lula tem preferido não falar sobre declarações de Marcos Valério O Ministério Público Federal no DF (MPF/DF) confirmou, na tarde desta quarta-feira, que requereu à Polícia Federal a instauração de inquérito para “apurar um dos fatos descritos pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza em depoimento prestado à Procuradoria Geral da República (PGR) em setembro de 2012″, conforme nota publicada no último dia 5. Mas, em nenhum momento, afirma que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estaria envolvido nesta ação, como esclareceu a instância judicial, por meio de sua porta-voz, Carla Zanetti, em entrevista ao Correio do Brasil. – O que a imprensa publicou (acerca das ilações quanto ao ex-presidente Lula estar envolvido no processo), o fez por sua conta e risco – afirmou Zanetti. O que a nota expedida pela instituição pontuou, acrescenta, é que “o teor específico desta ação corre sob sigilo de Justiça” e o relato “divulgado na imprensa” não seria confirmado ou negado pela promotoria exatamente porque está protegido do conhecimento público. O pedido de investigação à Polícia Federal, segundo confirma o MPF, restringe-se à informação de Valério sobre o citado “repasse de US$ 7 milhões por parte de fornecedora da Portugal Telecom em Macau (China), ao Partido dos Trabalhadores (PT), por meio de contas bancárias no exterior”. Se houve realmente o fato e quem estaria nessa operação; além de todas as demais questões relativas ao processo, segundo Zanetti, “serão apuradas ao longo da investigação”. Em nenhum momento, porém, o Ministério Público teria citado o ex-presidente Lula. Quando foram publicadas as primeiras notícias sobre o um provável depoimento de Marcos Valério sobre o possível repasse de recursos à Portugal Telecom, o ex-presidente Lula teria dito a repórteres que o publicitário era um “mentiroso” e, depois não tocou mais no assunto. Novamente questionado sobre o tema, o ex-presidente afirmou, por meio de nota assinada pelo presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, disse que “não há nova informação em relação às que foram publicadas há cinco meses”.  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  13 horas atrás

Senado criminaliza omissão diante de violência contra mulheres

por Rosangela Basso 
Senado criminaliza omissão diante de violência contra mulheres 

Projeto pune com de até dois anos de cadeia a falta de “medidas legais cabíveis” ao atendimento da mulher vítima de violência, quando houver lesão corporal ou morte

POR FÁBIO GÓIS

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (10) o Projeto de Lei 14/2000, que pune com pena de seis meses a dois anos de prisão a omissão de autoridade policial diante de violência contra mulheres, nos casos em que a falta da prestação de socorro resultar em lesão corporal ou morte. Aprovada em caráter terminativo, a proposição segue direto para a Câmara, caso não haja recurso de senadores para votação também em plenário. A matéria foi apresentada em 2010 pela então senadora Rosalba Ciarlini (DEM-RN), hoje governadora do Rio Grande do Norte, e altera a Lei Maria da Penha, que não define punição nos casos de inoperância policial. Segundo ela, o novo tipo penal vai punir agentes públicos, “em caso de negligência na adoção de medidas legais cabíveis para a proteção de mulher”. “A Lei Maria da Penha impõe à autoridade policial certas providências legais, que devem ser executadas com o fim de proteger a mulher em iminência de sofrer ou de já ter sofrido violência doméstica. No entanto, há casos em que a autoridade policial não observa tais medidas de forma diligente e a vítima acaba sofrendo novos males, muitas vezes de forma fatal. Mostra-se premente, portanto, punir a autoridade policial que, uma vez conhecedora da violência ou da ameaça, não envida os esforços necessários para a pacificação social, sua função primária”, registra Ciarlini, na justificação do projeto. O projeto altera o artigo 1º, que passa a ser redigido assim: “Constitui crime, em caso de iminência ou de prática de violência doméstica e familiar contra a mulher, a não adoção das medidas legais cabíveis, conforme o caso, previstas nos artigos 10, 11 e 12 desta Lei, quando da omissão resultar lesão corporal ou morte”.  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  14 horas atrás

“Dizem que ficam chocados ao ver casais do mesmo sexo, olhe as fotos deste casamento e me diga: O que te choca?

por Rosangela Basso Dizem que ficam chocados ao ver casais do mesmo sexo, olhe as fotos deste casamento e me diga: O que te choca?
Ig
Com direito a atraso duplo, paulistanas sobem ao altar cercadas pela família: “O que é meu é meu, o que é dela é dela, a gente se respeita”

Bianca Corol entrou acompanhada pelo pai José Geraldo Sousa. Foto: Edu Cesar

Camila entrou acompanhada pela mãe Eliana Sandra. Foto: Edu Cesar


As duas juntas no altar . Foto: Edu Cesar
 A daminha de honra traz as alianças até o altar . Foto: Edu Cesar
 Elas fizeram questão de ter todos os rituais clássicos de um casamento . Foto: Edu Cesar

Depois do “sim” das duas e da troca de alianças, é hora de assinar o livro de casamentos do cartório . Foto: Edu Cesar
Bianca recebe o abraço da sogra Eliana Sandra. Foto: Edu Cesar
Nick Jovino, marido do irmão de Camila, foi um dos padrinhos. Aqui ele cumprimenta Bianca fortemente emocionado. Foto: Edu Cesar


A vó Norma, de 93 anos, largou tudo na Mooca e veio dar a benção para a neta Camila . Foto: Edu Cesar

 A festa de casamento foi realizada no mesmo local da cerimônia civil . Foto: Edu Cesar

Te chocou em quê? 

Te agrediu por quê?

Para mim os poetas tem razão:

Qualquer maneira de amar vale a pena

Parabéns as noivas, que seja eterno enquanto dure.

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  15 horas atrás

Deputado Ivan Valente para Bolsonaro: “Quem é o fascista que tá aí? É você, torturador. Você devia estar na cadeia, bandido!”

por Rosangela Basso Deputado Ivan Valente para Bolsonaro: “Quem é o fascista que tá aí? É você, torturador. Você devia estar na cadeia, bandido!” 

Palmas para o Deputado Ivan Valente!

Feliciano é motivo de bate-boca entre deputados na Câmara e outros vídeos - TV UOL  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  16 horas atrás

Adolescente comete suicídio após colegas divulgarem foto dela sendo estuprada

por Rosangela Basso Adolescente comete suicídio após colegas divulgarem foto dela sendo estuprada

por Daniela Novais - Brasília em Pauta

 Crédito : Arquivo da Família Rehtaeh Parsons, uma adolescente canadense, cometeu suicídio em Halifax, no Estado da Nova Escócia, após sofrer bullying por mais de um ano e meio em decorrência de um estupro que sofreu quando tinha 15 anos, que ficou público após a divulgação de uma foto do ocorrido, tirada pelos agressores. A imagem se tornou um viral e agravou os problemas psicológicos que a garota desenvolveu após o trauma. Ela tinha 17 anos e morreu no hospital, após tentar se enforcar em casa na última quinta (04).

Segundo a rede de TV CNN, a família afirmou que Rehtaeh demonstrou tendências suicidas desde que a foto da violência circulou entre colegas de escolas através de e-mails e mensagens de textos. Segundo Leah Parsons, mãe da jovem, ela mudou de escola, fez análise, mas o estado psicológico da filha piorou depois que uma investigação sobre seu estupro foi encerrada sem penas para os quatro envolvidos. 

No facebook, a mãe da adolescente criou uma página em homenagem à jovem e postou: “Rehtaeh nos deixou hoje porque quatro garotos acharam que estuprar uma garota de 15 anos não teria problema e distribuir uma foto que arruinou seu espírito e reputação seria divertido. Todo o bullying e perturbação ocasionou isso. Depois, a Justiça também falhou com ela. Essas são as pessoas que me tiraram minha linda garota”.  
O porta voz da polícia de Halifax, Scott MacRae, justificou o encerramento de caso na falta de evidências para que alguém fosse punido pelo suposto estupro. As autoridades confirmaram, porém, que uma foto da garota fazendo sexo com um dos quatro acusados circulou entre celulares e computadores, o que faria com que, mesmo se o ato fosse consensual, as imagens seriam consideradas pornografia infantil, mas mesmo para esse fato não houve pena.
 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  18 horas atrás

Campanha pelo casamento igualitário na Irlanda: Como você se sentiria se tivesse que pedir permissão de todos para casar?

por Rosangela Basso Campanha pelo casamento igualitário na Irlanda: Como você se sentiria se tivesse que pedir permissão de todos para casar? 

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  18 horas atrás

O Cristo Vingador só existe na cabeça de Feliciano e Almeidinha

por Rosangela Basso O Cristo Vingador só existe na cabeça de Feliciano e Almeidinha

Almeidinha escreve a Feliciano

Matheus Pichonelli - Carta Capital

Caro Feliciano, Vou te confessar uma coisa. Por puro receio, nunca frequentei um culto evangélico. Nada contra, tenho até alguns amigos evangélicos, mas só de ver pastores como o senhor já coloco o cadeado no bolso e me vacino. Fora isso, sempre me dei bem com todo mundo. Tive, durante um tempo, um funcionário da firma que era crente. O apelido dele era Crente. Ele explicava, todo santo dia, que nem todo crente era evangélico, e que nem todo evangélico fazia sessão de descarrego. Nunca dei a mínima: sou católico, apostólico e paulistano, brinco com todos, faço piada igual: chamo os crentes de crentes, os católicos de papa-hóstia, os ateus de vagabundos, os brancos de branquelas e os negros de macacos. A maldade está no ouvido de quem ouve. Para mim, que se encontrar na rua não sei distinguir um papa Francisco de um Edir Macedo, o importante é não perder a esportiva. O Cristo Vingador só existe na cabeça de Feliciano e Almeidinha
O Cristo Vingador só existe na cabeça de Feliciano e Almeidinha Por isso tiro o chapéu para o senhor. Tirando o Rafinha Bastos e o Danilo Gentili, não é todo dia que vemos na tevê um sujeito de coragem dizer as verdades que doem mas precisam ser ditas. Por exemplo: todo mundo sabe, só não tem coragem de dizer, que a África é um continente amaldiçoado. Minha cunhada, uma feminista lésbica incapaz de casar e procriar, como observa o mandamento, me esfregou, dia desses, o mapa africano e mostrou como tudo ali é linha reta, resultado do fatiamento acertado entre as potências colonialistas do século sei lá qual. Disse que, seu quisesse entender os problemas da África, era melhor ler a história da Inglaterra, e não a Bíblia. Como se existisse Inglaterra no tempo de Noé – além de feminista e lésbica, minha cunhada é burra. Deixa ela pra lá. Em casa, comemoramos feito gol em Copa do Mundo a sua declaração sobre a ditadura gayzista – durante muito tempo achei que a autoria dessa frase era minha; não patenteei mas tomei posse por usucapião. Faça dela bom proveito. Concordo com o senhor quando fala da podridão dos sentimentos dos homossexuais. Esses dias postei no Facebook duas mensagens. Uma delas, uma frase atribuída ao Arnaldo Jabor: “No Brasil, o homossexualismo (minha cunhada diz que “ismo” é errado, mas ela é intolerante até com a gramática) já foi proibido, tolerado e agora é aceito. Vou embora daqui antes que seja obrigatório”. Choro de rir só de reproduzir a frase. A outra é uma foto em defesa do senhor. Tinha a imagem de um bando de bicha-louca se abraçando, mostrando a língua, as partes baixas e outros penduricalhos. A conclusão era: “para ter respeito é preciso, primeiro, se dar ao respeito”. Esse é meu décimo primeiro mandamento. Digo isso porque me preocupo com meus filhos. Daqui a pouco vai ser comum andar com eles na rua e encontrar marmanjo de barba se beijando sem uma única lampadazinha fosforescente para colocar pudor na bagunça. O senhor sabe como é: as crianças não têm filtro pra essas coisas. Não têm desejo próprio: se veem mulher beijando homem, logo saem beijando também. É automático. Se veem pássaro voando pelos fios de transmissão, logo sobem no poste, se atiram, se arrebentam. Se veem alguém cuspir no chão, cospem também. Se veem atropelamento, logo se enfiam debaixo dos caminhões. Logo, se virem homens beijando homens nas ruas, logo vão agarrar os amiguinhos. O senhor já pensou que fim será disso? Por isso é preciso combater a ditadura da gayzice. Não é porque sou católico, apostólico e paulistano que não temos um objetivo em comum. Nossa Bíblia é a mesma. Mas, como sou observador atento da Palavra, devo dizer que ando em um dilema. Dias atrás, pinçaram no YouTube um vídeo em que o senhor diz exatamente o que eu disse aos meus filhos a vida toda. Que esse povo do meio artístico tem pacto com o Demo. E o maior exemplo disso foi o assassinato do John Lennon, aquele vagabundo que nunca pegou na enxada e viva dizendo que os Beatles eram mais populares do que Cristo. Pagou com a própria vida. Por isso eu digo para meus filhos: “não falem mal de Deus se não Deus te ferra”. Fico feliz em saber que não sou o único a defender que a morte do sujeito, como a de tantos outros, foi um castigo divino. Imagina se Deus não intervém? Um sujeito que defendia um mundo sem conflito, o amor livre, que botava o dedo na cara dos chefes de Estado, que reunia multidões nas ruas pra dizer que a “guerra já era” e alertava que a vida era o que nos acontecia enquanto estávamos ocupados fazendo outros planos? Que mundo ele queria? Um mundo pacífico, cheio de cordeirinhos sem graça pulando feliz, pelado, cantando que a vida é bela, que tudo é lindo e que era melhor fazer amor do que fazer a guerra? Quem ia dar jeito nos comunistas do Vietnã? Quem ia combater a ditadura da gayzice? Como eu digo, Deus sabe o que faz. Santo Mark Chapman. Quando a sua pregação foi parar no YouTube, eu mostrei para o meu filho caçula. Pra quê? Ele ficou aterrorizado. Agora anda com medo de ser alvejado na rua pelo Pai, pelo Filho e pelo Espírito Santo. Toda vez que se benze, fecha os olhos e espera o balaço. Disse que se receber um tiro para cada pecado que cometeu alguém lá de cima vai precisar de uma garrucha calibre 12. Eu achei até bom. Toda vez agora que o moleque faz arte eu mando baixar a cabeça que o céu vai descarregar o tiroteio. O bichinho se benze e se treme todo – pra tomar banho, agora só de sunga e em dois minutos. Até água economizei. Se alguém coloca Beatles perto dele, ele se borra todo. “Não quero morrer que nem o John Lennon”, ele repete. Até aí tudo bem. O problema foi que a professora, provavelmente outra feminista lésbica, soube dos desassossegos do menino, o chamou pra conversar e perguntou se ele conhecia os Dez Mandamentos. De cor, ele respondeu. “Então avisa o trouxa do seu pai, o trouxa daquele pastor, e qualquer trouxa que te vier com essa história de John Lennon de novo que pecado é usar o Santo Nome em vão para falar bobagens.” Pra quê? Quando soube, rasguei os corredores da escola, empurrei segurança, avisei que pagava mensalidade todo mês e ia fazer o que quisesse ali dentro. Falei um monte para a velha. E troquei o menino de escola. Nessa vida, é bom saber com quem se anda. Se a professora não dá educação pro menino, quem vai ensinar o menino? É o que te pergunto: pra que pagamos tantos impostos, tantas mensalidades? Para sustentar a ditadura da gayzice? Só por cima do meu cadáver. Do nosso. Siga firme e que Deus nos proteja e siga alvejando os Johns Lennons desta vida. Um abraço, Almeidinha  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  19 horas atrás

Essa frase que Caetano Veloso gravou, anos atras, define Feliciano: Você é burro, cara!

por Rosangela Basso Essa frase que Caetano Veloso gravou, anos atras, define Feliciano: Você é burro, cara!

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  19 horas atrás

Mãe Menininha do patuá? É Mãe Menininha do Gantois, estúpido!

por Rosangela Basso Mãe Menininha do patuá? É Mãe Menininha do Gantois, estúpido!

A ignorância e a estupidez não tem limites.

  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  20 horas atrás

“Porque sou evangélico demais deixei de ser pra poder explicar essa loucura (Feliciano) que não tem nada com o evangelho”

por Rosangela Basso “Porque sou evangélico demais deixei de ser pra poder explicar essa loucura (Feliciano) que não tem nada com o evangelho”

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  um dia atrás

Adolescente que sofreu bullying será indenizada por dano moral

por Rosangela Basso Adolescente que sofreu bullying será indenizada por dano moral

Migalhas

A 5ª câmara Cível do TJ/RS manteve a decisão de 1º grau que determinou a reparação de R$ 10 mil por danos morais a uma adolescente que foi ofendida na escola e nas redes sociais. Os pais da jovem que deu início às ofensas, motivando seus colegas a fazerem o mesmo, serão responsáveis pelo pagamento.

A autora relatou que, em outubro de 2011, a ré realizou uma verdadeira campanha para sua desmoralização no meio escolar e nas redes sociais. Conforme as provas apresentadas no processo, a jovem a chamava de “escrota, homem mirim, inimiga, infantil“, entre outros. A demandada reconheceu as ofensas verbais, porém disse que não teve a intenção de denegrir a sua imagem. A juíza de Direito Elisabete Correa Hoeveler, da comarca de Porto Alegre/RS, estabeleceu a reparação em R$ 10 mil, a título de danos morais. A ré recorreu da decisão e pediu a redução do valor indenizatório. Alegou ainda que não foram comprovados os danos morais sofridos, sustentando que não houve intenção de ridicularizar ou denegrir a honra da adolescente. Já a autora pleiteou a condenação também ao pagamento de indenização pelos danos materiais experimentados, já que necessitou trocar de escola, com mensalidade superior, em razão das ofensas sofridas. A 5ª câmara Cível do TJ/RS negou por unanimidade os recursos, mantendo a decisão de 1º grau. O relator, desembargador Jorge Luiz Lopes do Canto, reconheceu o dano moral, tendo em vista que a autora foi ultrajada pelo uso de palavras ofensivas que resultaram na violação do dever de respeitar a gama de direitos inerentes à personalidade de cada ser humano. Considerou ainda que “as referidas ofensas dão conta de um fenômeno moderno denominado de bullying, que se trata de conduta ilícita e deve ser reprimida também na esfera civil com a devida reparação“. O relator destacou o valor da indenização por dano moral deve ter caráter preventivo, com o objetivo de a conduta danosa não voltar a se repetir, e também punitivo, visando à reparação pelo dano sofrido, não devendo, porém, se transformar em objeto de enriquecimento ilícito. Assim, manteve o montante fixado em 1° grau. Quanto ao dano material, negou o pedido, pois a de troca de colégio teria sido decidida anteriormente pela família. O processo corre em segredo de Justiça.
Fonte: TJ/RS  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 de Abril de 2013 18:50

Para todas as crianças – Campanha mundial contra homofobia

por Rosangela Basso Para todas as crianças – Campanha mundial contra homofobia

Católicos e amigos cantam juntos para apoiar a população LGBT nos Estados Unidos. Cantam para celebrar boas novas do amor de Cristo. Composto por David Lohan !

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 de Abril de 2013 17:58

Marca de cerveja ironiza anúncios que usam mulheres para vender: A imagem da mulher na publicidade

por Rosangela Basso Marca de cerveja ironiza anúncios que usam mulheres para vender: A imagem da mulher na publicidade

Comercial traz discussão sobre a imagem da mulher na publicidade

Marca de cerveja ironiza anúncios que usam modelos para vender. Rachel Moreno, psicóloga e autora do livro A Imagem da Mulher na Mídia, fala sobre a representação feminina nas peças publicitárias 

Por Felipe Rousselet

No dia 28 de março, a marca de cerveja Bohemia lançou um comercial televisivo para promover suas vendas no qual ironiza anúncios de outras marcas que utilizam a imagem de mulheres bonitas. A peça publicitária foi criada pela agência de publicidade AlmapBBDO, uma das maiores do país. No entanto, a mesma agência possui também a conta da cerveja Antarctica, também da Ambev, marca mais popular e que tradicionalmente explora o estereótipo da “mulher gostosa” nas suas propagandas. Fórum conversou com a psicóloga Rachel Moreno, autora do livro A Imagem da Mulher na Mídia, para saber a sua análise da nova peça publicitária, da representação feminina na publicidade e a razão pela qual a imagem da mulher é tão vendável aos olhos do mercado publicitário e de seus clientes.  Fórum - O que a senhora achou da nova propaganda da cerveja Bohemia, que faz uma brincadeira com outras marcas que utilizam a imagem da “mulher gostosa” em suas propagandas? Rachel Moreno - Em um primeiro momento, gostei. Finalmente uma propaganda de cerveja que rende homenagem a quem consegue degustar cerveja de fato, as características organoléticas e a qualidade da cerveja mais do que a imagem que é associada a ela. Fiquei feliz, fiquei contente. Só que parei para pensar. A propaganda é boa, sem dúvida, mas não deixa de ser uma propaganda da Ambev, que acabou segmentando o mercado. Acho que tiveram a sensibilidade de perceber que estava provocando algumas reações negativas e acabaram segmentando. Afinal, a Ambev é dona da Skol e outras marcas de cerveja que acabam utilizando a imagem da “mulher gostosa” para vender. Existe um mercado mais crítico em relação a essa abordagem de utilizar essa imagem [da “mulher gostosa”], e existe outro mercado, tradicional, que eles vão continuar tentando atingir da mesma maneira para ampliar o seu público. A terceira coisa que me chamou atenção nessa história é que as mulheres estão se transformando em um segmento absolutamente importante dentre os bebedores de cerveja, mas elas ainda não são contempladas pelas publicidade. O que temos é a “mulher gostosa” que cai feito mosca no colo do homem bebedor de cerveja ou, então, nessa propaganda Bohemia, uma senhora que aparenta ter bastante idade e não representa a maioria das mulheres consumidoras de cerveja. Fica faltando ainda direcionar o produto às mulheres especificamente. Eu me pergunto a razão disso. Outro dia, estava conversando com uma pessoa que conheço em uma agência de publicidade e ela me disse, “entendo o porquê de vocês reclamarem quanto à imagem da mulher na propaganda, mas temos que trabalhar com o imaginário do bebedor de cerveja. E o que você imagina que o imaginário do bebedor de cerveja veja após a segunda garrafa? Mulher bonita e gostosa caindo no seu colo”. Ou seja, este é o foco. Qual seria o porquê dessa resistência em trabalhar com mulheres especificamente? Será que isso feminiliza o produto ao ponto deles terem medo de afastar o bebedor de cerveja masculino?  Será que as mulheres ainda se veem como transgressoras ao beber cerveja? Acho que não. Acho que a publicidade está no caminho, mas ainda falta reverem de forma mais aprofundada os seus preconceitos. Fórum – A agência que produziu o comercial da Bohemia, a AlmapBBDO, é a mesma que possui a conta da Antarctica, uma cerveja mais popular e que costuma utilizar a imagem da “mulher gostosa”. Como você vê essa situação, uma cerveja popular utilizando a imagem da “mulher gostosa”, enquanto outra cerveja, premium e da mesma agência, critica esta postura?Rachel Moreno - Como cerveja premium, eles estão querendo atingir um segmento que presta mais atenção na cerveja em si, na qualidade da cerveja. Os senhores mais velhos provavelmente caracterizam melhor isso do que mulheres. Mas, de forma geral, você não tem propagandas direcionadas para as mulheres em termos de cerveja, este é um ponto constante. Outra coisa que eu gostaria de levantar em relação à propaganda da cerveja é o horário em que ela é veiculada. Sei que existem agrupamentos que estão pressionando para que se modifique a lei para que a propaganda de cerveja também passe depois das nova da noite, porque antes disso temos crianças assistindo televisão. Só que existe uma resistência muito grande, uma bancada que defende os interesses da indústria cervejeira e que resiste a isso. Fórum – Como a senhora vê essa diferença feita pela publicidade, em relação ao poder aquisitivo dos consumidores de cerveja?Rachel Moreno - Essa pergunta remete a muita informação e muito trabalho que eles [mercado publicitário] possuem acumulado em termos de pesquisa. Não tenho acesso a esses dados, mas fiz algumas pesquisas algum tempo atrás. O que sei é que o grande público, que consome bastante, é focado nos jovens, que não são tão conhecedores de cerveja assim. Sei que o hábito entre esses jovens muitas vezes é começar com a melhor cerveja e depois da segunda ou terceira cerveja, ver quanto dinheiro resta no bolso e quantas cervejas dá pra comprar e aí podem baixar a qualidade da marca. Depois da segunda ou terceira cerveja a descriminação entre as marcas é menos sutil. Aí o que interessa é prolongar o papo regado a cerveja, que acaba sendo um objeto intermediário para essa sociabilidade. Até por isso as nossas cervejas são mais aguadas que outras cervejas de fora, particularmente as europeias. Por um lado, há um público mais conhecedor e uma cerveja que pretende ser premium. Por outro, você tem um grande público que pode começar com uma cerveja premium e acabar com uma mais barata. Então, eles [marcas de cerveja] têm que se comunicar de  modo a garantir o segmento que lhes interessa e o maior número de consumidores possível. Fórum - O mercado publicitário objetiva vendas e lucros. Neste contexto, qual a razão da imagem da mulher ser tão vendável nas publicidades de cerveja? Rachel Moreno - O que acontece é que a sociabilidade, a situação de relaxamento entre  diversos amigos em um ambiente social, para jogar conversa fora, tem como corolário, digamos, uma situação cercada de pessoas simpáticas, mulheres gostosas que prestam atenção em você. É um pouco dessa fantasia que a cerveja tenta preencher. É essa a promessa de felicidade que ela apresenta como uma consequência do seu consumo. É nisso que as pessoas acabam apostando, consciente ou inconscientemente. Fórum – Como a senhora vê o retrato da mulher pela publicidade? Existiram avanços nos últimos anos? Rachel Moreno - Houve um avanço sim, mas não aqueles que nós esperávamos. Não aqueles que as mulheres esperam em termos de um retrato mais fiel dos avanços que as mulheres tiveram na sociedade de modo geral. Avançamos muito ultimamente. Uma gama muito grande de mulheres são chefes de família, estamos em todas as carreiras e profissões, mas ainda temos o teto, não chegamos lá em cima ainda. Estamos no mercado de trabalho, provamos nossa competência, acumulamos mais anos de estudo em qualquer tipo de cargo ou nível no qual a gente esteja. Ou seja, nossa parte da lição de casa nós fizemos. Agora, a isso tudo não corresponde o retrato, digamos, mais fiel disso em termos de publicidade. Mas, por outro lado, a publicidade tem sido a que mais se atualiza sua imagem, inclusive em relação à programação. Vou dar um exemplo para tornar isso mais concreto. Um tempo atrás não tinham negros ou negras na publicidade. Depois de um tempo, começou a ter mulheres negras na publicidade. Pesquisei e fui ver porque isso acontecia. Basicamente, em um primeiro momento, aconteceu porque passou a ter um segmento da população negra com poder aquisitivo, o que tornou este segmento interessante para a publicidade. Depois, em um segundo momento, a indústria se reposicionou e achou mais interessante focar uma classe social, um pouco abaixo daquela que ela focava, por achar que ganharia mais em quantidade de venda, do que focando aquele segmento mais alto, classe A e B 1, que é mais restrito,  no qual poderia ganhar mais com o preço, mas menos em quantidade total. E quando você foca um segmento mais popular, encontra predominância, ou uma grande proporção, de negros na população. E se você quer falar com esse segmento, o negro tem de se reconhecer também para poder se sentir atingido pela publicidade. Então, a propaganda começou a colocar imagens de mulheres negras. Depois disso, começou a acontecer o que costuma acontecer em termos de programação com relação a qualquer coisa. Quando um anunciante foca um público determinado, o conteúdo da programação acaba se “contaminando” e criando um ambiente favorável à discussão daquele produto, procedimento ou comportamento. Se você tem como anunciante uma marca de cosméticos, tem de falar de beleza em algum momento ou mostrar pessoas bonitas. Então, negros e negras começaram a entrar na publicidade para depois entrarem na programação. Isso é um avanço, por um lado. Mas, por outro, que tipo de negro e negra aparece na publicidade? São negros e negras que possuem um perfil bastante diferenciado, nariz mais afinado, cabelo mais cacheado, uma tez mais clara. Elas representam tão pouco a diversidade da mulher brasileira quanto a Gisele Bündchen representa a diversidade das mulheres brasileiras brancas. Está distante do modelo, muito distante. Justamente para servir do modelo pelo qual as pessoas tem de comprar produtos e procedimentos para se aproximarem cada vez mais dele, uma promessa de beleza e felicidade impossíveis.
 Revista Forum   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 de Abril de 2013 17:43

Juízes afirmam em nota que Joaquim Barbosa foi desrespeitoso, agressivo, grosseiro

por Rosangela Basso  Juízes afirmam em nota que Joaquim Barbosa foi desrespeitoso, agressivo, grosseiro 

E foi mesmo.

Assista o vídeo:

Associações de juízes criticam postura de Barbosa

Após reunião tensa com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, nessa segunda-feira (8/4), três entidades de classe da magistratura emitiram uma nota de esclarecimento sobre a criação de novos tribunais regionais federais. Durante a audiência, o ministro criticou a aprovação no Congresso da PEC 544/2002, que prevê a instalação de mais quatro TRFs, e as próprias entidades. O texto é assinado pela Associação dos Magistrados Brasileiros, a Associação dos Juízes Federais do Brasil e a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho. De acordo com a nota, o ministro Barbosa “agiu de forma desrespeitosa, premeditadamente agressiva, grosseira e inadequada para o cargo que ocupa”. As entidades também defendem a necessidade e a instalação dos novos TRFs, proposta que tramitou por mais de uma década no Congresso. Segundo as associações, os deputados e senadores tiveram total liberdade para decidir sobre a matéria, como estabelece a Constituição Federal. A nota ainda reitera que “as pessoas passam e as instituições permanecem. A história do Supremo Tribunal Federal contempla grandes presidentes e o futuro há de corrigir os erros presentes”. Em outra nota, publicada pela Ajufe, são listados números para justificar a necessidade dos quatro novos TRFs. De acordo com a associação, o Conselho Nacional de Justiça teve conhecimento, em diversas oportunidades, sobre o interesse de aumentar a quantidade de tribunais regionais federais e a PEC 544/2002. O texto também afirma que é incorreta a afirmação de que os novos TRFs custarão R$ 8 bilhões aos cofres públicos. “Segundo dados da Lei Orçamentária de 2013, todo o orçamento da Justiça Federal, incluindo 1º e 2º graus, é de R$ 7,8 bilhões”, diz. A viabilidade financeira da PEC 544/2002, de acordo com a nota, foi comprovada por estudos técnidos do Conselho da Justiça Federal. Leia a nota: A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), entidades de classe de âmbito nacional da magistratura, considerando o ocorrido ontem (8) no gabinete do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), vêm a público manifestar-se nos seguintes termos: 1. O presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, agiu de forma desrespeitosa, premeditadamente agressiva, grosseira e inadequada para o cargo que ocupa. 2. Ao permitir, de forma inédita, que jornalistas acompanhassem a reunião com os dirigentes associativos, demonstrou a intenção de dirigir-se aos jornalistas, e não aos presidentes das associações, com quem pouco dialogou, pois os interrompia sempre que se manifestavam. 3. Ao discutir com dirigentes associativos, Sua Excelência mostrou sua enorme dificuldade em conviver com quem pensa de modo diferente do seu, pois acredita que somente suas ideias sejam as corretas. 4. O modo como tratou as Associações de Classe da Magistratura não encontra precedente na história do Supremo Tribunal Federal, instituição que merece o respeito da Magistratura. 5. Esse respeito foi manifestado pela forma educada e firme com que os dirigentes associativos portaram-se durante a reunião, mas não receberam do ministro reciprocidade. 6. A falta de respeito institucional não se limitou às Associações de Classe, mas também ao Congresso Nacional e à Advocacia, que foram atacados injustificadamente. 7. Dizer que os senadores e deputados teriam sido induzidos a erro por terem aprovado a PEC 544, de 2002, que tramita há mais de dez anos na Câmara dos Deputados ofende não só a inteligência dos parlamentares, mas também a sua liberdade de decidir, segundo as regras democráticas da Constituição da República. 8. É absolutamente lamentável quando aquele que ocupa o mais alto cargo do Poder Judiciário brasileiro manifeste-se com tal desprezo ao Poder Legislativo, aos Advogados e às Associações de Classe da Magistratura, que representam cerca de 20.000 magistrados de todo o país. 9. Os ataques e as palavras desrespeitosas dirigidas às Associações de Classe, especialmente à Ajufe, não se coadunam com a democracia, pois ultrapassam a liberdade de expressão do pensamento. 10. Como tudo na vida, as pessoas passam e as instituições permanecem. A história do Supremo Tribunal Federal contempla grandes presidentes e o futuro há de corrigir os erros presentes. Brasília, 9 de abril de 2013. NELSON CALANDRAPresidente da AMB NINO OLIVEIRA TOLDOPresidente da Ajufe JOÃO BOSCO DE BARCELOS COURAPresidente em exercício da Anamatra Leia a nota sobre os TRFs: A Associação dos Juízes Federais do Brasil – Ajufe, entidade de classe de âmbito nacional da magistratura federal, a propósito das declarações do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), em reunião com entidades de classe da magistratura brasileira, aberta a jornalistas, na qual Sua Excelência afirmou que houve uma movimentação “sorrateira”, “de surdina” e “açodada” pela aprovação da PEC 544/2002, que cria quatro novos tribunais regionais federais, vem a público apresentar os seguintes esclarecimentos: 1. Em primeiro lugar, em relação à PEC 544/2002, a Ajufe repudia a acusação de que houve atuação “sorrateira” em favor de sua aprovação. Ao longo de mais de uma década em defesa da PEC, a atuação da Associação sempre foi republicana, aberta e transparente, dialogando com todos os segmentos do Poder Judiciário, da sociedade civil organizada e da imprensa. 2. A Ajufe e os juízes federais produziram estudos consolidados em notas técnicas e cartilhas; publicaram dezenas de artigos em jornais de grande circulação e participaram de diversos seminários, audiências e atos públicos, com o objetivo de demonstrar os fundamentos técnicos em favor da PEC. 3. Em segundo lugar, soa estranho que se chame de açodada a aprovação de um projeto de emenda constitucional que tramita há 11 (onze) anos e 7 (sete) meses no Congresso Nacional, em procedimento público, que contou com amplos e aprofundados debates, seja nas comissões, seja nos plenários do Senado Federal e da Câmara dos Deputados. 4. Em terceiro lugar, é inverídico afirmar que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) não teve conhecimento ou oportunidade de apreciar a PEC 544/2002. Em julgamento realizado na 98ª sessão ordinária, no dia 09/02/2010, nos autos do processo nº 0200511-29.2009.2.00.0000, acolhendo, por maioria, proposta do então Conselheiro Leomar Barros, o CNJ deliberou pela emissão de uma nota técnica em favor da criação dos novos tribunais federais. 5. A expansão e a descentralização do 2º grau da Justiça Federal, com a criação de novos tribunais, é uma necessidade premente, uma vez que o número de juízes federais na 1ª Instância cresceu 668% (seiscentos e sessenta e oito por cento) entre 1987 e 2013, passando de 277 (duzentos e setenta e sete) para 2.129 (dois mil cento e vinte e nove), enquanto o número de integrantes do 2º grau, entre 1989 a 2012, cresceu somente 89% (oitenta e nove por cento), passando de 74 (setenta e quatro) desembargadores para 139 (cento e trinta e nove). 6. Segundo dados do “Justiça em Números” do CNJ, edição 2012, a Justiça Federal é o menor dos ramos do Poder Judiciário nacional, com a mais elevada  relação entre o  número de magistrados de 1ª e 2ª graus. 7. Ainda segundo o “Justiça em Números 2012”, os desembargadores da Justiça Federal estão submetidos a uma carga individual de trabalho excessiva, muito superior à dos seus colegas das Justiças do Trabalho e Estadual. 8. A combinação de um reduzido número de tribunais e desembargadores com a elevada demanda processual faz do 2º grau da Justiça Federal o mais congestionado dos ramos do Poder Judiciário, como constatou o  “Justiça em Números 2012”, conforme se vê do gráfico ao lado. 9. É totalmente incorreta a afirmação de que os novos tribunais vão custar R$ 8 bilhões aos cofres públicos. Segundo dados da Lei Orçamentária de 2013, todo o orçamento da Justiça Federal, incluindo 1º e 2º graus, é de R$ 7,8 bilhões. O 1º grau, que não será ampliado, consome 78,6% desse orçamento, e o 2º grau, que será parcialmente ampliado, 21,4%. Como se vê, os custos serão bem inferiores aos erroneamente alardeados por Sua Excelência. 10. Acerca dos custos, ainda é importante destacar que o Conselho da Justiça Federal (CJF), órgão responsável pela supervisão administrativa e orçamentária da Justiça Federal, concluiu, a partir de estudos técnicos (Ofício nº 2012/01822), que a criação dos tribunais proposta por meio da PEC 544/2002 está em conformidade, do ponto de vista orçamentário e financeiro, com os limites da lei de responsabilidade fiscal. 11. Por fim, insinuar que uma associação de classe iludiu o Congresso Nacional é desmerecer e diminuir a capacidade técnica e política do parlamento brasileiro, que possui quadros experientes que jamais se submeteriam a artimanhas dessa natureza. 12. Os esclarecimentos acima resgatam a discussão técnica e republicana que orientou a aprovação da PEC 544/2012, demonstrando a total inconsistência das informações e adjetivações ofensivas veiculadas pelo ministro Joaquim Barbosa. Brasília, 9 de abril de 2013, NINO OLIVEIRA TOLDOPresidente da Ajufe
Conjur  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 de Abril de 2013 15:32

PGR pede abertura de ação penal contra Feliciano por induzir ou incitar discriminação ou preconceito de raça

por Rosangela Basso PGR pede abertura de ação penal contra Feliciano por induzir ou incitar discriminação ou preconceito de raça

Congresso em Foco

 Agência Brasil Marco Feliciano diz que suas declarações são baseadas em conhecimentos teológicos e que não teve intenção de discriminar A Procuradoria-Geral da República (PGR) encaminhou ontem (8) parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a abertura de ação penal contra o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos. O deputado é investigado no Inquérito 3590 por induzir ou incitar discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia e religião. A pena é de um a três anos de prisão e multa. O caso é relatado pelo ministro Marco Aurélio Mello, a quem caberá examinar, inicialmente, o pedido da PGR. O recebimento da denúncia, ou seja, a reautuação do inquérito (procedimento preliminar de investigação) em ação penal (processo) depende, porém, da aprovação da maioria dos ministros do Supremo. Feliciano já é réu no Supremo em outro processo (Ação Penal 612), por estelionato, sob relatoria do ministro Ricardo Lewandowski. No inquérito relatado por Marco Aurélio Mello, o deputado é investigado por duas mensagens que publicou no Twitter em 2011. Em uma delas, escreveu: “A podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam (sic) ao ódio, ao crime, a rejeição”. Na outra, postou que os africanos são amaldiçoados pelo personagem bíblico Noé. A PGR não divulgou o teor do parecer do procurador-geral da República. O deputado alega inocência. Em defesa apresentada no Supremo em março, Feliciano disse que é “vítima de uma perseguição fria e calculista por uma simples interpretação teológica” sobre um trecho da bíblia. Afirma ainda que, em momento algum, teve a intenção de “tratar de forma injusta ou desigual os homossexuais”. O deputado sustenta que sua explicação foi baseada em “conhecimentos teológicos”. Feliciano alega ainda que não há lei que tipifique discriminação por orientação sexual, mas apenas por raça, etnia, cor, religião ou procedência nacional. “Não há crime, nem pena ou medida de segurança sem prévia lei”, afirma. Presidentes enrolados Marco Feliciano, porém, está longe de ser o único presidente de comissão com problemas na Justiça. Como mostrou o Congresso em Foco, dos 21 deputados que presidem comissões permanentes na Câmara, oito (veja quem são eles) são alvos de investigação no Supremo Tribunal Federal a pedido da Procuradoria-Geral da República. Juntos, eles respondem a 14 inquéritos e quatro ações penais. Quatro figuram como réus na mais alta corte do país, acusados de terem cometido crimes de corrupção, contra a ordem tributária, formação de quadrilha, falsidade ideológica e até estelionato. A situação não é diferente no Senado. Dos 11 senadores que presidem comissões permanentes na Casa, quatro (veja a lista) devem explicações ao Supremo. Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 de Abril de 2013 11:46

Ditadura evangélica?: Deputado ameaça levar 4 milhões de pessoas ao Congresso para dizer que “essa nação é cristã”

por Rosangela Basso 

Ditadura evangélica?: Deputado ameaça levar 4 milhões de pessoas ao Congresso para dizer que “essa nação é cristã”

Não tenho absolutamente nada contra evangélicos, tenho uma família que é, que me respeita por eu não ser. Portanto, família laica, Estado laico, respeito a liberdade que cada um tem em ser o que se é.

“São 12 milhões de fiéis e de eleitores”

Parlamentares evangélicos aproveitaram uma homenagem à Igreja Assembleia de Deus, ontem, na Câmara dos Deputados, para tentar consolidar uma base de apoio à permanência do deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM). “Se querem colocar essa pecha (de evangélicos homofóbicos) contra nós, não vai colar”, disse o pastor e deputado Takayama (PSC-PR), também integrante da CDHM. Cerca de 400 líderes e integrantes da Assembleia de Deus acompanharam a homenagem na Câmara. “Todos nós, pastores que estamos aqui, amamos os homossexuais. Não amamos a prática”, afirmou Takayama, que presidia a sessão solene, em referência às recentes declarações de Feliciano. O deputado ainda ameaçou: “Se (os líderes da Câmara) deixarem prevalecer a posição de meia dúzia de ativistas (de retirar Feliciano da presidência da comissão), podemos colocar dois, três e até quatro milhões de pessoas na porta do Congresso para dizer que só o senhor é Deus, e essa nação é cristã”. Antes de Takayama, o deputado Pastor Eurico (PSB-PE) falou à plateia. “Temos que parabenizar um homem corajoso, como ele (Feliciano), para defender nosso povo evangélico”, disse. Segundo a assessoria de Feliciano, ele não compareceu ao evento porque cumpria compromissos religiosos em Ribeirão Preto (SP). Assembleia
Estima-se que cerca de 20 mil pastores da igreja homenageada estejam em Brasília para a Assembleia Geral Ordinária (AGO), que elegerá a nova presidência da Convenção Geral da Assembleia de Deus no Brasil (CGADB). A organização divide com o Ministério de Madureira o poder sobre a maior igreja evangélica no Brasil. “São 12 milhões de fiéis e de eleitores também, por que não falar nisso?”, compara o deputado federal Silas Câmara (PSD-AM), irmão do pastor Samuel Câmara, que disputa a presidência da CGADB. Samuel anuncia: “Se eleito, meu compromisso de ouro é a rotatividade de lideranças, que isso seja uma cláusula pétrea”. O pastor enfrentará pela terceira vez o candidato à reeleição, José Wellington Bezerra da Costa, na presidência há 25 anos — recorde na história centenária da igreja. A Assembleia de Deus conta com o maior número de integrantes na bancada evangélica na Câmara. Dos 84 deputados, 24 são da CGADB e dois de Madureira. Nas eleições de 2010, Marco Feliciano não teve apoio da sua igreja — o escolhido em São Paulo foi o filho de Bezerra da Costa, Paulo Freire (PR), também eleito. Com a repercussão das polêmicas, no entanto, Feliciano começa a ganhar prestígio entre os pares. Sua presença é aguardada hoje na programação da assembleia, promovida no Parque da Cidade. “Se continuarem como estão fazendo, estão colaborando para ser eleita em 2014 a maior bancada evangélica da história do Brasil, independentemente de qual seja a igreja”, afirma Silas Câmara, sobre as críticas a Feliciano. Para o deputado Ronaldo Fonseca (PR-DF), representante da CGADB no DF, o ganho para os evangélicos com os conflitos protagonizados por Feliciano são inquestionáveis. “Tenho divergências com relação às declarações dele. Não representam a igreja nem a bancada, mas o debate contribui para fortalecer a opinião pública evangélica na defesa dos valores cristãos. A CGADB não entra em questão partidária, mas, obviamente, buscamos nomes para a eleição, e o nome dele é interessante, já que tudo indica que terá muitos votos”, afirma Fonseca. O evento de ontem contou ainda com a presença da ex-senadora Marina Silva, integrante da Assembleia de Deus, e do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), que também discursou. Agnelo destacou que “o trabalho social e espiritual da Assembleia de Deus é importante para o país e para o povo”. Colaborou Leandro Kléber AMANDA ALMEIDA ÉTORE MEDEIROS Correio Braziliense  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 de Abril de 2013 10:23

Estudo mostra que mulheres são maioria no jornalismo brasileiro

por Rosangela Basso Estudo mostra que mulheres são maioria no jornalismo brasileiro

Thais Leitão
Repórter da Agência Brasil Brasília – A maioria dos jornalistas brasileiros é formada por mulheres brancas, solteiras, com até 30 anos de idade. No total da categoria, elas representam 64%. A constatação faz parte de um levantamento divulgado na última semana, pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). O estudo Características Demográficas e Políticas dos Jornalistas foi feito a partir de respostas encaminhadas por 2.731 jornalistas brasileiros em todos os estados e em outros países. Os dados foram coletados, entre 25 de setembro e 18 de novembro do ano passado, por e-mail, redes sociais, notícias em canais especializados e página da pesquisa na internet. O levantamento também indica baixa presença de negros (pretos + pardos, segundo classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE) na profissão. Os pretos correspondem a 5% dos jornalistas e os pardos, 18%. Sobre a formação profissional, o trabalho indica que nove em cada dez são diplomados em jornalismo, majoritariamente em instituições privadas de ensino. Além disso, quatro em cada dez têm cursos de pós-graduação. A maioria defende a exigência de algum tipo de formação superior para o exercício da profissão, sendo mais da metade a favor da diplomação específica em jornalismo. O levantamento mostrou também que quase três quartos da categoria são favoráveis à criação de um órgão de autorregulamentação do exercício da profissão. Dois terços têm renda até cinco salários mínimos e quase metade dos jornalistas trabalha mais de oito horas por dia.

25 minutos atrás

Por que a surpresa?

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com/2013/04/httpmais.html

por Blog Justiceira de Esquerda http://mais.uol.com.br/view/14401800  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  31 minutos atrás

PELA REVISÃO DA AP470 – JULGAMENTO DO MENTIRÃO OU IMPRENSALÃO

por Blog Justiceira de Esquerda 

AGORA QUEREM IMPEDIR OS RECURSOS PREVISTOS NOS CÓDIGOS E NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL! http://salafehrio.blogspot.com.br/2013/04/pela-revisao-da-ap470-julgamento-do.html  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  42 minutos atrás

Joaquim Barbosa: salvador da pátria ou colecionador de lambanças?

por Blog Justiceira de Esquerda 
No CUTUCANDO DE LEVE DA CARTA MAIOR -  A mídia conservadora e a televisão, com amplo apoio popular, transformaram Joaquim Barbosa no “herói nacional” que lavou a alma do brasileiro condenando gente da Casa Grande. Mas ele, agora, está ficando cada vez mais isolado, mais esquecido institucionalmente.
Luiz Flávio Gomes*
Do pó viemos e ao pó retornaremos. A finitude é da essência humana. Não existe exceção. A mídia conservadora e a televisão, com amplo apoio popular, transformaram Joaquim Barbosa no “herói nacional”, no salvador da pátria, que lavou a alma do brasileiro condenando gente da Casa Grande, gente que não tem nada a ver com a senzala. Ele mesmo, no entanto, diz coisa bem diferente: considera-se um anti-herói (declarou isso para a Folha de S. Paulo).
Herói ou anti-herói? A população está cada vez mais dividida (sobretudo a que manifesta nas redes sociais). Para a presidência da República Joaquim Barbosa tem 9% dos votos, diz o Datafolha. Unanimidade, sobretudo nas personalidades públicas, nunca haverá! Por quê?

Porque “em todas as coisas existe um misto de atração-repulsa, amor-ódio, generosidade e egoísmo. Basta olhar um pouco mais de perto para constatar que os sentimentos mais elevados são permeados de seu contrário (…) na origem do processo de hominização existe uma contradição fundamental entre o comportamento do primata frugívoro, omnívoro, de um lado, e, do outro, o carniceiro terrestre (…) o apolíneo é antagônico ao dionisíaco (…) em cada coisa, em cada situação, existe seu contrário (…) até Deus, na tradição ocidental, tem seu contrário: Satã (…) Eros é o arquétipo da imperfeição, do equilíbrio conflituoso, de uma sede de alteridade que persegue tudo e todos” (Mafessoli: 2004, p. 63).

Em grande parte somos os responsáveis pela construção da nossa história de vida, que necessariamente tem que estar pautada pela ética (entendida como a arte de viver bem humanamente, como diz Savater). Joaquim Barbosa continua apoiado por muita gente, que anda irada (com razão) contra os desmandos no nosso país, com as falcatruas, com as malandragens feitas com o dinheiro ou os gastos públicos, com a discriminação dos pobres e miseráveis, com a impunidade dos ricos (sic) (a impunidade, na verdade, é geral, porque é irmã gêmea da seletividade).

De qualquer modo, dentro do Poder Judiciário brasileiro talvez nunca tenha havido um juiz populista tão habilidoso em explorar a comoção nacional contra as injustiças, o sentimento de impotência da população diante da impunidade, sua ira, sua irresignação. Mas todo mundo tem seu lado anti-herói: tratamento descortês com os próprios colegas do STF, ataques pessoais graves contra eles, xingamentos gratuitos contra jornalistas, acusações genéricas contra os juízes e advogados, ofensas depreciativas aos juízes (que seriam tendenciosos em favor da impunidade) etc.

Seguindo o mesmo caminho conflitivo e populista do ex-senador Demóstenes, Joaquim Barbosa está ficando cada vez mais isolado, mais esquecido institucionalmente. Aprovaram uma Emenda Constitucional no Congresso, criando mais Tribunais no país, sem que ele tivesse sido sequer comunicado do dia da votação (tanto que ele reclamou que tudo foi feito na “surdina”, que agiram “sorrateiramente”). Num estado institucional normal, jamais o Congresso deixaria de avisar e protagonizar o presidente do Poder Judiciário.

Qual é o problema? Quem exerce o poder no isolamento (sobretudo dentro do seu próprio Tribunal), tem sempre um final muito triste. Joaquim Barbosa não está ouvindo os conselhos de Maquiavel. Adula o povo, com seus sedativos populistas, mas ao mesmo tempo faz lambanças com seu desequilíbrio emocional, denotando falta de sensatez, de prudência e de razoabilidade. Joaquim Barbosa não está percebendo que na hora do ”impeachment” (tal como o do Demóstenes) o povo (que o apoia incondicionalmente) não vota. E mesmo que votasse, sua aprovação é minoritária (9%).

O brasileiro (diz Sérgio Buarque de Holanda) tem mesmo disposição para cumprir ordens e adora alguns tiranos ou tiranetes, mas é preciso saber mandar, com muita liderança e habilidade. Contra o autoritarismo terceiro-mundista, herdeiro dos absolutismos do tipo Luís XIV, até mesmo o mais humilde dos miseráveis da senzala sabe reagir. A cobrança virá, começando, claro, por todos os que foram ofendidos grosseira e injustamente por ele, que prontamente contarão com o apoio dos insatisfeitos da Casa Grande (banqueiros, políticos, donos da mídia etc.). O processo de fritura da criatura já começou! Isso é muito ruim para o já esgarçado funcionamento das instituições. Estamos cada vez mais distantes de fazer do Brasil uma grande nação. Que pena!

*Luiz Flávio Gomes é jurista e diretor-presidente do Instituto Avante Brasil
(www. institutoavantebrasil.com.br). CUTUCANDO DE LEVE: Joaquim Barbosa: salvador da pátria ou colecionador de lambanças?  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  uma hora atrás

JUSTIÇA CONCEDE PERDÃO JUDICIAL A RÉUS DA AÇÃO PENAL 470

por Blog Justiceira de Esquerda 

Acusados de lavagem de dinheiro no processo do chamado mensalão, Lucio Bolonha Funaro e José Carlos Batista foram beneficiados pela delação premiada; eles colaboraram com o Ministério Público Federal (MPF), fornecendo informações e documentos que ajudaram na investigação
11 DE ABRIL DE 2013 
Daniel Mello Repórter da Agência Brasil
São Paulo – A Justiça Federal em São Paulo concedeu perdão judicial a Lucio Bolonha Funaro e José Carlos Batista, réus em um processo desmembrado da Ação Penal 470, o mensalão. O juiz substituto da 2ª Vara Federal Criminal em São Paulo, Márcio Ferro Catapani, reconheceu que os acusados cometeram crime de lavagem de dinheiro. Entretanto, ambos foram beneficiados pela delação premiada. Eles colaboraram com o Ministério Público Federal (MPF), fornecendo informações e documentos que ajudaram na investigação.
Segundo o MPF, entre 2002 e 2003, Lucio Bolonha Funaro e José Carlos Batista, associados com com Valdemar Costa Neto e Jacinto Lamas e Antonio Lamas, criaram uma estrutura criminosa voltada à ocultação, dissimulação e movimentação de recursos oriundos de crimes contra a administração pública. O esquema permitia o repasse de pagamentos feitos por ordem de líderes do PT a Valdemar Costa Neto, então líder da bancada do PL no Congresso, em troca de apoio político.
Costa Neto foi condenado a sete anos e dez meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento da Ação Penal 470. Jacinto Lamas, ex-secretário do PL, foi condenado a cinco anos de reclusão por lavagem de dinheiro.
A movimentação do dinheiro era feita, de acordo com o MPF, a partir de uma conta bancária aberta em nome da empresa de fachada, a Guaranhuns Empreendimentos. A empresa recebeu diversas transferências eletrônicas de uma empresa de Marcos Valério. “É possível concluir que a Guaranhuns Empreendimentos era de fato uma peça fundamental no expediente criminoso de ocultação, movimentação e dissimulação de recursos oriundos de crimes perpetrados contra a administração pública”, ressaltou o juiz Catapani. http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/98585/Justi%C3%A7a-concede-perd%C3%A3o-judicial-a-r%C3%A9us-da-A%C3%A7%C3%A3o-Penal-470.htm  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  uma hora atrás

Democracia X Justiça: como nasce um ‘Fux’?

por Blog Justiceira de Esquerda 
 Na Ilharga
As revelações de ex-ministro José Dirceu sobre os bastidores da campanha de José Fux à Suprema Corte não são novas.
Tampouco singulares do percurso trilhado pela maioria dos integrantes daquela instituição. 
Joaquim Barbosa, por exemplo. 
Valeu-se de um encontro fortuito com Frei Betto para fazer chegar sua aspiração e seu currículo à Presidência da República, exercida por Lula. 
Assim por diante. 
Embora conhecido, o percurso de Fux nem por isso deixa de inspirar um misto de constrangimento e perplexidade pelo avançado despudor que revela no acesso a um posto, teoricamente, reservado à sobriedade e à isenção. 
Relata Dirceu ter sido procurado em 2010 pelo então ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em garimpagem de apoios à indicação para o STF. 
Seis meses após intenso assédio, o ex-chefe da Casa Civil aquiesceu em receber Fux no escritório de advocacia de um amigo, cujo titular, por certo, pode atestar a veracidade do encontro.
Pregoeiro de um leilão em que era a própria mercadoria, Fux teria ofertado a Dirceu o seu voto de absolvição no julgamento da AP 470. 
Dirceu, por certo, tem testemunhos que podem reiterar seu relato.
O silêncio de Fux é eloquente. O que ele fez dessa promessa é igualmente sabido e revelador.
Não cabe discutir o caráter dos escolhidos para o STF. 
Mas o saldo do método não é dos melhores. E isso diz respeito à democracia e a suas instituições.
Desvios de comportamento, que vão da vaidade efervescente, ao desequilíbrio mais ostensivo no exercício de um missão, em si, credora de predicados opostos, foram – e tem sido – cumulativamente testemunhados pela sociedade.
Poucos, se é que cabe ombrear alguém à dignidade solitária do ministro Ricardo Lewandowski, declinaram da genuflexão desfrutável pelo enredo conservador montado em torno do julgamento da AP 470.
Fux, por certo, não foi um deles. 
A tal ponto não o foi, que empresta pertinência à dúvida.
O que mais teria prometido Fux, e a quem, ao longo de um julgamento que se tornou explicitamente político, com juízes banhando-se nus, aos olhos da Nação, nas águas de uma sintonia eleitoral escrachada, sem pejo, nem apego à decência?
O tempo não regenera os pilares trincados daquele espetáculo midiático, em que provas inexistentes foram supostas, e dúvidas incontornáveis foram torneadas em formato de condenação. 
A resistência do ministro Joaquim Barbosa ao legítimo direito de acesso aos votos e aos prazos de recursos pleiteados pela defesa do acusados, ademais de arbitrária, transpira suspeitas e medo.
O conjunto empresta contundente atualidade ao debate ora em curso na Argentina.
A Presidenta Cristina Kirchner acaba de enviar ao Congresso seis projetos destinados a democratizar as instâncias do judiciário no país.
Um deles preconiza a eleição direta pela população, de membros do Conselho da Magistratura.
O Conselho argentino julga desvios e desmandos de juízes e advogados. 
Integrado por personalidades eleitas pelo voto direto, como preconiza a reforma, seu poder de quebrar o corporativismo e desguarnecer a impunidade no judiciário cresce significativamente.
Não por acaso a oposição, que se valeu do Judiciário para barrar a Ley de Meios, já se manifesta contrária à mudança.
No Brasil, o Conselho Nacional de Justiça é recente, tendo sido criado apenas em 2004. 
É formado por 15 membros, nove integrantes dos Tribunais Superiores e das Justiças Federal, Estadual e do Trabalho, dois integrantes do Ministério Público, dois advogados e dois cidadãos ‘com notável saber jurídico e reputação ilibada’. 
O mandato é de dois anos. E as indicações são autorreferentes. 
Como nas capturadas agencias reguladoras, os fiscalizados aqui tem influencia determinante na nomeação dos fiscais.
Uma das funções do CNJ, porém, é assegurar que os magistrados ‘julguem com imparcialidade’.
Fosse composto de personalidades eleitas pelo voto direto da sociedade, o que diria o CNJ do comportamento esvoaçante, digamos assim, de magistrados como o senhor Fux?
O desassombro do governo argentino na democratização do judiciário sugere mais que isso.
A composição da Suprema Corte brasileira obedece a uma mecânica de indicação mais antidemocrático que a do Vaticano na escolha do Papa.
O caso do ministro Fux é ilustrativo de um vício de origem que acolhe as naturezas mais voluntariosas e melífluas. Nem por isso as mais condizentes com as expectativas e compromissos intrínsecos às obrigações daquela corte.
Por que não democratizar esse processo, se não de imediato pelo voto direto, ao menos para livra-lo das sombras de onde emergem os ‘Fux’ e assemelhados?
A ver.
(Saul Leblon- Carta Maior) Na Ilharga: Democracia X Justiça: como nasce um ‘Fux’?  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  2 horas atrás

NOTA DE REPÚDIO AO MINISTRO JOAQUIM BARBOSA

por Blog Justiceira de Esquerda 

 O Instituto Baiano de Direito Processual Penal – IBADPP, fiel às suas diretrizes e princípios, vem a público emitir nota de repúdio ao Presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça, ministro Joaquim Barbosa, diante de sua conduta reiteradamente autoritária e desrespeitosa. Uma sucessão de eventos de falta de urbanidade e pouco apreço pela divergência vem marcando a atuação do ministro Joaquim Barbosa no STF. Além de agressões verbais a outros ministros da Suprema Corte, não foram poucas as vezes em que o ministro, de forma deseducada e deselegante, destratou os seus pares e os advogados, além do próprio Procurador-Geral da República, ao afirmar em determinada oportunidade que precisaria ensinar o Ministério Público a fazer uma peça acusatória.  Em 5 de março, o Ministro irritou-se com uma pergunta de um jornalista do jornal O Estado de São Paulo e afirmou, interrompendo-o: “Me deixa em paz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre. Estou pedindo, me deixe em paz. Já disse várias vezes ao senhor. (…)”. A pergunta que tanto exasperou o ministro dizia respeito à nota pública subscrita em 2 de março de 2013 pelos presidentes da Associação dos Magistrados Brasileiros, da Associação dos Juízes Federais do Brasil e da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho, na qual tais entidades diziam não admitir o lançamento de “dúvidas genéricas sobre a lisura e a integridade dos magistrados brasileiros” e pediam ao ministro Joaquim Barbosa “comportamento compatível com o alto cargo que ocupa, bem como tratamento respeitoso aos magistrados brasileiros, qualquer que seja o grau de jurisdição.” Na oportunidade, as associações classistas referiam-se a uma afirmação do ministro, segundo quem os juízes fariam “conluios” com advogados por interesses próprios e que teriam mentalidade “pró-impunidade”. Em 8 de abril, o Ministro, ao receber representantes de entidades de juízes do Brasil, afirmou grosseiramente que eles teriam agido de maneira “sorrateira” ao apoiar a aprovação, pelo Congresso Nacional, da criação de quatro novos Tribunais Regionais Federais, aliás, anseio de magistrados, do Ministério Público, advogados e servidores da Justiça. Agora, além de ofender os juízes presentes em seu gabinete (o que reforça a reprovação de sua atitude, pois ainda mais deseducada), ofendeu de igual modo o Parlamento que aprovou a criação dos novos tribunais. Não bastasse, afirmou o ministro que “tudo foi feito à base de conversas de pé de ouvido, sem manifestação oficial de órgãos importantes do Poder Judiciário, do Conselho Nacional de Justiça” e que a atuação das entidades foi “à base de cochichos“. Desdenhou dos parlamentares ao dizer textualmente que “os senadores e deputados foram induzidos a erro. Porque ninguém colocou nada no papel” e também das entidades representativas dos magistrados: “Pelo que eu vejo, vocês participaram de forma sorrateira na aprovação. São responsáveis, na surdina, pela aprovação.” Ao ser contrariado pelo presidente da Associação dos Juízes Federais, que afirmou ter sido tudo feito de forma democrática e transparente, e não sorrateiramente, o ministro passou a travar tensa discussão com o vice-presidente da AJUFE, dizendo-lhe: “O senhor abaixe a voz que o senhor está na presidência do Supremo Tribunal Federal” e “só me dirija a palavra quando eu lhe pedir.” No decorrer da discussão o ministro resolveu, então, assacar igualmente contra os advogados, afirmando que “é muito bom para a advocacia a criação de quatro novos tribunais com mais milhares de empregos de juízes.” E, ironicamente, vaticinou que os novos tribunais iriam “ser criados em resorts, em alguma grande praia.“ Diante dessa fieira de condutas inapropriadas, o IBADPP solidariza-se com os juízes e advogados do Brasil, assim também com o Congresso Nacional, e espera que o Ministro Joaquim Barbosa encontre a serenidade e a urbanidade necessárias para presidir a Suprema Corte e o Conselho Nacional de Justiça.

Dica de Maria Luiza Quaresma Tonelli http://guerreiroscomzd.blogspot.com.br/2013/04/nota-de-repudio-ao-ministro-joaquim.html   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  2 horas atrás

Santiago: Promoção relâmpago de promotor a desembargador

por Blog Justiceira de Esquerda

Promotor Francisco Santiago vaiu recorrer (Foto: Ministério Público)
No novojornal
O jogo do poder em Minas Gerais virou teatro do absurdo, carreiras são construídas em função de pareceres e decisões que atendem a elite governante

 Confira também

Divulgação de salários pagos por empresas públicas é examinada

Alves recorrerá da decisão que alterou composição das bancadas

Não há tema proibido com Feliciano, diz Campos

Falta de acordo entre partidos impede votações da reforma política

Fux se tornou um embaraço para a justiça brasileira

  Interação

Imprimir
Enviar por e-mail
 
 
Delicious
Digg
Google bookmarks
Reddit
Windows live
Yahoo my web
Dr. Francisco Santiago, polêmico promotor das causas midiáticas, já declarou nos corredores do Fórum que o Júri da Galoucura, onde pretende condenar inocentes sem provas, deve ser um dos últimos de sua vida no Ministério Público. Não que esteja se retirando da vida jurídica. Mas já está tudo acertado para sua promoção ao cargo de Procurador do MP, e indicação na lista do quinto constitucional, sendo o escolhido pelo Governador Anastasia, para Desembargador do TJMG. Segundo seus próprios colegas; “em agradecimento aos bons serviços prestados à sociedade mineira, segurando por anos o processo do Mandante do Crime da modelo Cristiana Aparecida Ferreira, envolvida diretamente com o mensalão tucano ocorrido em Minas Gerais”. Nem nos tempos das capitanias hereditárias, a coisa era tão descarada. Os cargos no TJMG viraram moeda de troca de favores e negociatas. Assim como disse Joaquim Barbosa que a criação dos TRFs, foi feita de maneira escusa, a nomeação de um promotor a procurador e imediatamente a desembargador, mostra o limbo escondido nas entranhas do Judiciário, desrespeitando outros procuradores, que também ambicionavam tal cargo, mas não participam de chicanas jurídicas. Porém, como a Justiça Humana, ao contrário da Justiça Divina, é cheia de falhas, ele irá ocupar a cadeira deixada vaga pelo Desembargador Hélcio Valentim, afastado do TJMG, por venda de Habeas Corpus para traficantes e que foi aposentado compulsoriamente, recebendo proventos de R$16.000,00 mensais. Juristas afirmam que Santiago ocupará a cadeira que merece e que diante da punição recebida por seu antecessor e de seu posicionamento já previamente divulgado, no futuro, o novo desembargador, favorável ao Ministério Público, certamente que decisões parciais irão ser tomadas em casos que ele julgar, o que contamina definitivamente qualquer chance dos recursos impetrados pelos advogados. Ação Penal Pública Subsidiária distribuída, tendo como réu Walfrido dos Mares Guia em função do  assassinato da modelo Cristiana Aparecida Ferreira, foi coincidentemente distribuída para Santiago, permanecendo parada e conclusa com ele desde fevereiro deste ano Neste diapasão, a Justiça Mineira se atola cada vez mais em seus próprios erros.
Inicial da Ação Penal Pública Subsidiária tendo como réu Walfrido dos Mares Guia, em relação ao assassinato da modelo Cristiana Aparecida Ferreira
Movimentação da Ação Penal Pública Subsidiária que comprova sua paralização desde fevereiro

Matérias relacionadas:
Barbosa já analisa prisão preventiva de Azeredo, Clésio e Walfrido
Juíza do “Mensalão Mineiro” manda investigar morte de modelo
Caso Cristiane: Um habeas corpus que desmoraliza o STJ
Fantasma da modelo assassinada segue a aterrorizar políticos

http://www.novojornal.com/politica/noticia/santiago-promocao-relampago-de-promotor-a-desembargador-10-04-2013.html

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  2 horas atrás

JOAQUIM BARBOSA: ESTOQUISTA DE PROCESSOS!

por Blog Justiceira de Esquerda No guerreiroscomzd.blogspot Relembrando que Joaquim Barbosa continua o mesmo, com mais poderes. Para que não esqueçamos de que ele ficou 127 dias de licença em 2010, 30 dias em 2009, 66 em 2008. Mesmo de licença, frequentava bares. Resumindo, além de beberrão não gosta de trabalhar. Só trabalha se estiver sob os holofotes. É um ególatra, estoquista de processos! Confiram a matéria de Mariângela Gallucci em 07.08.2010!

BRASÍLIA – O ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, que está de licença por recomendação médica, alegando que tem um “problema crônico na coluna” e, por isso, enfrenta dificuldade para despachar e estar presente aos julgamentos no plenário do STF, não tem problemas para marcar presença em festas de amigos ou se encontrar com eles em um conhecido restaurante-bar de Brasília. Funcionários do Ministério reclamam de processos parados de Barbosa - Estado de S. Paulo Estado de S. Paulo Funcionários do Ministério reclamam de processos parados de Barbosa Veja também:Licenças de Barbosa emperram Supremo Na tarde de sábado (ontem), a reportagem doEstado encontrou o ministro e uns amigos no bar do Mercado Municipal, um point da Asa Sul. Na noite de sexta-feira, ele esteve numa festa de aniversário, no Lago Sul, na presença de advogados e magistrados que vivem em Brasília. Joaquim Barbosa está em licença médica desde 26 abril. Se cumprir todos os dias da mais nova licença, ele vai ficar 127 dias fora do STF, só neste ano. Em 2007, ele esteve dois dias de licença. Em 2008, ficou outros 66 dias licenciado. Ano passado pegou mais um mês de licença. Advogados e colegas de tribunal reclamam que os processos estão parados no gabinete do ministro. Processos estocados. Neste sábado, a reportagem do Estado aproximou-se da mesa onde Barbosa estava no Bar Municipal. O ministro demonstrou insatisfação e disse que não daria entrevista. Em seguida, entretanto, passou a criticar um texto publicado pelo jornal no último dia 5 intitulado “Licenças de Barbosa emperram o Supremo”. No texto havia a informação de que Barbosa é o campeão de processos estocados no STF, apesar de ter sido poupado das distribuições nos meses em que ficou em licença. De acordo com estatísticas do tribunal, tramitam sob a sua relatoria 13.193 processos, incluindo os que estão no Ministério Público Federal para parecer. O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante Júnior, disse que o STF deveria encontrar uma solução para os processos que estão parados e que essa saída poderia ser a redistribuição das ações.  Barbosa, de licenca desde abril no Tribunal, conversa com pessoas no bar e restaurante Mercado Municipal, na Asa Sul. (Foto: Ed Ferreira/AE) De acordo com Barbosa, o jornal tinha publicado uma “leviandade”. O ministro afirmou que a reportagem foi usada por um grupo de pessoas que, segundo ele, quer a sua saída do STF. “Mas eu vou continuar no tribunal”, disse, irritado. Ele afirmou que não é verdade que as suas licenças emperram os trabalhos da Corte. O ministro reclamou que não foi procurado pela reportagem para se manifestar sobre as queixas feitas por advogados e colegas de STF por causa de suas licenças médicas. Ministros do Supremo chegaram a dizer que se Barbosa não tem condições de trabalhar deveria se aposentar. “Você não me procurou”, disse. A verdade é que o Estado só publicou a reportagem do último dia 5 depois de contatar um assessor do ministro. Esse funcionário disse que Barbosa não daria entrevista. Ao ser confrontado com essa informação, o ministro disse: “Você tinha de ter ligado para o meu celular”. Depois, não quis mais falar. Volta temporária. Na semana passada, o presidente do STF, Cezar Peluso, anunciou que Barbosa voltaria ao plenário da Corte. O regresso será, porém, temporário: é só para participar de um julgamento que diz respeito ao mensalão petista, processo do qual ele é relator, e outros casos em que a conclusão do julgamento depende do voto dele. O ministro participará desse julgamentos e retornará para a licença, para se tratar em São Paulo. Entre os processos nas mãos de Barbosa está uma ação que discute se as empresas exportadoras de bens e serviços devem recolher ou não a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Na sessão da semana passada, o julgamento do processo foi interrompido porque o placar ficou empatado em 5 a 5. Caberá a Barbosa desempatar o julgamento. De acordo com estatísticas disponíveis para assessores do tribunal, Barbosa é o campeão em processos no STF, apesar de ter sido poupado das distribuições nos meses em que ficou em licença. Tramitam sob sua relatoria 13.193 processos, incluindo os que estão na Procuradoria-Geral da República para parecer. Na outra ponta das estatísticas, Eros Grau, que se aposentou na segunda-feira, era o responsável por 3.515 processos em tramitação. Ao todo, estão em andamento no tribunal 92.936 ações. FONTE:  http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,de-licenca-medica-joaquim-barbosa-vai-a-festa-de-amigos-e-a-bar-em-brasilia,591930,0.htm
http://guerreiroscomzd.blogspot.com.br/2013/04/joaquim-barbosa-estoquista-de-processos.html  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  2 horas atrás

Em que Globo se pode realmente confiar?

por Blog Justiceira de Esquerda 
O PIGão/Corvão não confia, sempre cria golpe e produz caos.
 Jornal dos Marinho avisa na manchete desta terça-feira que os preços dos alimentos sobem e ameaçam a meta de inflação; Valor Econômico, que é metade Globo, metade Folha, anuncia o contrário; dados oficiais, divulgados hoje, apontam recuo dos preços; será que o Globo pisou no tomate?; por trás de tudo isso, evidentemente, há a pressão para que o Comitê de Política Monetária do Banco Central eleve os juros na reunião previstas para os dias 16 e 17 Mais: http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/98396/Em-que-Globo-se-pode-realmente-confiar.htm
Aldo   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  2 horas atrás

Gurgel vê com ‘absoluto descrédito’ acusação de Dirceu contra Fux

por Blog Justiceira de Esquerda 

Interessante este PGR que vê com absoluto descrédito a acusação de Dirceu contra Fux, porém acredita totalmente na acusação de Marcos Valério contra Lula !!!!!!!!!!!!!!!!!!Viva o judiciário brasileiro. Gurgel vê com ‘absoluto descrédito’ acusação de Dirceu contra Fux
http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/04/10/gurgel-ve-com-absoluto-descredito-acusacao-de-dirceu-contra-fux.htm

Fux, um embaraço para a justiça brasileira
http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/98528/Fux-um-embaraço-para-a-justiça-brasileira.htm

Fux a Vaccarezza: “mato no peito”
http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/04/10/fux-a-vaccarezza-mato-no-peito/
ALDO  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  3 horas atrás

Deixar de acreditar em quem ajudou na construção do Brasil pra acreditar nessa gente? Ah Tá!

por Blog Justiceira de Esquerda 

Xeque - Marcelo Bancalero

Então você quer que eu acredite num louco que inventa uma mentira, num prevaricador que cria uma denúncia, num bêbado que bate em mulher e rasga a Constituição, num bandido cheio de fazendas (segundo o próprio JB), num anti-ético que prefacia livros de julgamento que preside, de ministros que mudam seus votos, mesmo tendo votado no mesmo assunto de forma diferente em outros processos, em ministra que fala absurdos no seu voto depois some com o vídeo da internet, e em ministro que assume ter pedido favores para fazer parte do STF? E deixe de acreditar nas pessoas que construíram este país? Ah tá! Tô Fora! http://xeque-mate-noticias.blogspot.com.br/2013/04/deixar-de-acreditar-em-quem-ajudou-na.html#links  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  3 horas atrás

Dilma presenteia os barões da mídia

por Blog Justiceira de Esquerda 

Por Altamiro Borges
Na sua perigosa política de desoneração da folha de pagamento, o governo Dilma anunciou nesta semana um presentão para os donos da mídia. Globo, Veja, Folha e Estadão, entre outros veículos, nem festejaram a bondade presidencial, já que o seu esporte favorito é atacar o governo, ocupando o lugar da oposição demotucana. Segundo o sítio Meio&Mensagem, o ministro Guido Mantega baixou duas medidas que reduzem os tributos das empresas de comunicação, acatando proposta do senador Francisco Dornelles.
O decreto beneficia diretamente os setores de jornais, revistas, livros, rádio, televisão e internet. Ele reduz as contribuições sociais das empresas, de 20% da folha de pagamento para 1% a 2% do faturamento. “Estima-se que o setor de mídia venha a economizar R$ 1,2 bilhão por ano a partir de janeiro de 2014, quando o benefício entra em vigor”, revela o jornalista Luciano Martins Costa, no Observatório da Imprensa. Para piorar, o governo não impôs qualquer contrapartida, como a manutenção do emprego dos trabalhadores.
Desde o final do ano passado, os impérios midiáticos têm desempregado centenas de profissionais. Nesta semana, o Estadão demitiu um quarto dos seus jornalistas. Como antídoto contra a crise mundial, o governo desonera a folha de pagamento e não exige qualquer contrapartida. Baita presentão! Uma bondade, à custa dos cofres públicos, de R$ 1,2 bilhão. Se a intenção é acalmar a ira dos barões da mídia, não passa de mais uma ilusão da presidenta Dilma no seu “namorico” com o principal partido da direita nativa. Lamentável! Altamiro Borges: Dilma presenteia os barões da mídia  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  3 horas atrás

Malafaia lança Eduardo. Eduardo rompe com Dilma

por Blog Justiceira de Esquerda 
 
O Sr. Campos tem todo direito de se candidatar, o que não pode é ficar cuspindo no prato que comeu e come muitíssimo bem. 
Então está na hora de entregar os cargos ao governo federal. Malafaia lança Eduardo. Eduardo rompe com Dilma http://www.conversaafiada.com.br/politica/2013/04/10/malafaia-lanca-eduardo-eduardo-rompe-com-dilma/
 Com crítica a Dilma, Campos é estrela de programa do PSB.http://www1.folha.uol.com.br/poder/1260265-campos-estrela-propagandas-do-psb-com-critica-velada-a-dilma.shtml

Neste caso é melhor ele se mudar de Recife.
Viva a justiça eleitoral brasileira. 
Campos visita SP e RS e diz que consegue governar PE de longe 
http://www1.folha.uol.com.br/poder/1259453-campos-visita-sp-e-rs-e-diz-que-consegue-governar-pe-de-longe.shtml
Aldo  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  3 horas atrás

16 milhões para um só do PSDB

por Blog Justiceira de Esquerda

E você, já esqueceu alguma vez de declarar 16 milhões na sua declaração de imposto de renda? O senador Álvaro Dias conseguiu esquecer. Também um valor tão insignificante quanto esse é fácil de não se lembrar! 
 
THIETRE – RIO DE JANEIRO

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  5 horas atrás

Por que a surpresa?

por Blog Justiceira de Esquerda 
No AlhoeOlho
Na virada do ano, o ministro Luiz Fux deu uma entrevista à Folha contando sua peregrinação (lobby) junto a políticos (entre eles o ex-ministro José Dirceu) visando conseguir ser escolhido para um assento no STF.
No mês passado, Fux, conforme informou o jornalista Maurício Dias na sua prestigiosa coluna, foi acusado de pressionar a OAB para colocar o nome da sua jovem filha em lista e para concorrer a um cargo de desembargadora no Tribunal de Justiça no Rio de Janeiro: só para lembrar, Fux foi desembargador no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.
Neste fim de semana, em entrevista à Folha de São Paulo, José Dirceu confirma a visita de Fux e acrescenta que o juiz garantiu (como uma forma de barganha) que iria absolvê-lo no julgamento do “mensalão do PT”. Questionado, o ministro negou a promessa e para piorar mais sua imagem, afirmou que na época desconhecia o fato de Dirceu ser réu no processodo “mensalão do PT”. Houve quem torcesse o nariz para a revelação de Dirceu. Ora, com esse histórico do juiz por que a surpresa? Ou é desconhecimento, ou é hipocrisia http://alhoeolho.blogspot.com.br/2013/04/por-que-surpresa.html  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  6 horas atrás

A última do prevaricador geral

por Blog Justiceira de Esquerda  TerrordoNordeste Questionado acerca da declaração de Dirceu, afirmo Gurgel:”São denúncias que, em princípio, para mim não merecem qualquer crédito. A história do Fux é uma história de honradez e o mesmo não se pode dizer de quem o acusa. “Não prevaricador safado. Dirceu é mais honesto que você.  Um sujeito que engaveta um inquérito de um bandido da laia de DEMostenes Torres, que dispensa uma licença de R$ 3 milhões de reais, que defende o vergonhoso auxilio alimentação para o MP não tem moral para acusar quem quer que seja.  Por hoje basta, não há condições de continuar com esta droga de internet.http://wwwterrordonordeste.blogspot.com.br/2013/04/a-ultima-do-prevaricador-geral.html  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  8 horas atrás

DEPUTADO FONTELES SOBRE FUX: “MERECE IMPEACHMENT”

por Blog Justiceira de Esquerda  Em entrevista ao 247, deputado Nazareno Fonteles, do PT, defende que seja instalada uma comissão no Congresso para se analisar as ações do ministro do STF e decidir sobre a instalação de um processo de impeachment contra ele; autor de uma PEC que prevê ao Legislativo sustar atos do Judiciário, parlamentar diz que o que Luiz Fux fez – prometer absolvição ao ex-ministro José Dirceu por uma vaga no Supremo – “não é postura de um juiz, mesmo que ainda estivesse a caminho do cargo”

:  Gisele Federicce _247 – Crítico ferrenho de alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado federal Nazareno Fonteles, do PT do Piauí, defende que seja impetrado um processo de impeachment contra Luiz Fux, depois das denúncias feitas pelo ex-ministro José Dirceu à Folha de S.Paulo. “Isso não é postura de um juiz”, afirma ele, em entrevista concedida ao 247 nesta quarta-feira 10.
Dirceu contou ter sido “assediado moralmente” durante seis meses por Fux, que era ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pleiteava uma vaga na Corte Suprema (leia mais). Fux teria ido atrás do petista depois de saber de sua influência no Planalto. Quando finalmente conseguiu um encontro, prometeu, segundo o ex-ministro, absolvê-lo no caso do ‘mensalão’. Não foi o que aconteceu.
Numa entrevista concedida em dezembro passado ao mesmo jornal, Luiz Fux admitiu ter procurado autoridades, inclusive Dirceu, para conseguir uma indicação do governo para o tribunal. Na ocasião, declarou que ‘mataria no peito’ o julgamento da Ação Penal 470, porque tinha experiência. “Desde aquela entrevista anterior, que o Fux falou várias leviandades, eu defendi o procedimento de impeachment contra ele”, disse Fonteles, que é autor de uma PEC, no Congresso, que prevê ao Legislativo sustar atos do Judiciário.
Na avaliação do deputado, não só Fux deveria ser alvo de impeachment, mas o próprio presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, por ter sido relator de um processo que condenou sem provas e pelo comportamento com seus pares, e Gilmar Mendes, que já esteve no centro das atenções em uma série de polêmicas. Agora se isso irá realmente acontecer, ele diz não saber. “No mínimo tem que se abrir uma comissão especial para analisar o caso”, avalia, especificamente sobre o episódio com Luiz Fux.
Leia abaixo os principais trechos da conversa:
Como o senhor recebeu as denúncias feitas pelo ex-ministro José Dirceu à Folha?
Desde aquela entrevista anterior, que o Fux falou várias leviandades, eu defendi o procedimento de impeachment contra ele. Claro que ninguém é proibido de buscar seus interesses, mas aquilo não é postura de um juiz, mesmo que ainda estivesse a caminho do cargo. Parlamentares e outras autoridades já foram punidas por muito menos.
Agora com essa entrevista, não se trata do que o Zé está dizendo só. O que o Zé coloca tem muita congruência. Como um ministro aspira algo e depois diz que não sabia de nada [que Dirceu era réu no processo]? Não tem sentido. Aquilo foi uma grande mancada, dá lógica à realidade do conteúdo do que o Zé Dirceu disse.
Acha que se Dirceu tivesse sido absolvido, teria dado essa entrevista?
Eu não sei. Eu nunca conversei longamente com o Zé sobre o julgamento, tive encontros rápidos. Às vezes alguém te machuca, você perdoa, e aquilo passa, não tem porque falar mais. Mas não é um caso desse, que ainda não está concluído.
Isso merecia um processo de impeachment no Senado. Não só ele, mas o Barbosa, como relator e pelo comportamento que tem tido com os pares, e o Gilmar Mendes, por envolvimentos com casos do passado. Cabe sim o pedido de impeachment, mas se o Senado vai fazer, eu não sei. É muito feio o que aconteceu.
Mas o senhor consegue visualizar, de fato, um processo de impeachment contra um ministro do STF ocorrendo no Congresso Nacional?
Se a coisa for bem conduzida… Muitas vezes, no Senado, depende de como a coisa chega. Com tudo isso que está aí, no mínimo tem que se abrir uma comissão especial para analisar o caso, para ver se instala ou não [o processo de impeachment].
Hoje temos um caso sério, porque o próprio presidente do STF tem o comportamento questionado. No caso de um impeachment, não pode alguém suspeito presidir o processo. Isso só pra mostrar a gravidade institucional que se está vivendo, pois quem preside o Supremo hoje também merecia ter instalado um pedido como esse.
Na sua visão, a presidente Dilma indicou o ministro Fux ao Supremo por conta da promessa de absolvição?
Eu não acredito nisso. É só olhar o seguinte: o Barbosa, a Cármen Lúcia, foram escolhidos, e não havia preocupações desse tipo. Ouvi de várias pessoas que o processo [da AP 470] tinha tantas falhas que não havia como prosperar. Eu não via essa preocupação. Até uma entrevista dessa quando vem à tona demonstra tantas coisas, fica muito ruim você espontaneamente chegar e dizer [que irá fazer algo], e depois fazer tudo ao contrário.
Fica ruim de que forma? O senhor vê a atitude como traição?
Ruim para a instituição. É importante que os próximos processos [de escolha de ministros] sejam mais transparentes, o mais claro possível, e que o Senado seja mais cuidadoso. Uma acusação como essa contra o Fux deve alertar o Senado a fazer certos tipos de perguntas. Esse processo deve ser melhorado.
Sempre que há crises como essa, eu reforço a ideia de mudanças para aperfeiçoar os processos e a República ser beneficiada com isso. Por exemplo, o Supremo deveria ser maior? Eu acredito que sim. Quando você diminui o número [de membros], aumenta-se a chance de conchavo. Quanto maior, mais chances de ser mais justo, de representar melhor as situações adversas de todos os lugares do País. http://www.brasil247.com/pt/247/poder/98563/Deputado-Fonteles-sobre-Fux-Merece-impeachment-Deputado-Fonteles-sobre-Fux-Merece-impeachment.htm   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  8 horas atrás

Mídia esconde processo contra Aécio

por Blog Justiceira de Esquerda 
Por Altamiro Borges
Por três votos a zero, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu, na semana passada, que o tucano Aécio Neves continua como réu na ação civil por improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Estadual. O ex-governador é investigado pelo desvio de R$ 4,3 bilhões da área da saúde e pelo não cumprimento do piso constitucional de financiamento do sistema público de saúde entre 2003 e 2008. A mídia comercial, que adora um escândalo político, é tão seletiva que não deu qualquer destaque à decisão do TJMG.
Segundo o sítio do deputado Rogério Correia, “desde 2003, a bancada estadual do PT denuncia essa fraude e a falta de compromisso do governo de Minas com a saúde. Consequência disso é o caos instaurado no sistema público de saúde, situação que tem se agravado com a atual e grave epidemia de dengue no estado”. O ex-governador mineiro, que vive se jactando do tal “gestão de gestão”, poderá sofrer uma baita indigestão. O julgamento da ação está previsto para ocorrer ainda neste ano.
Se for considerado culpado pelo desvio dos recursos públicos, o senador ficará inelegível. Sua cambaleante candidatura presidencial entraria em coma – que não é alcoólica. É lógico que o grão-tucano tem muitos defensores. A mídia não deu manchete para a decisão da justiça e evitará tratar do tema. Ela só gosta de levantar suspeitas de corrupção contra os tais “lulopetistas”. Já a Justiça é cega! Até hoje não julgou o chamado mensalão tucano – que a mídia trata como mensalão mineiro. A conferir! Altamiro Borges: Mídia esconde processo contra Aécio  Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

Manipuladores!!!_+_ MANCHETES INFLACIONADAS_+_ DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA – LEI DE MEIOS – ACÚMULO DE FORÇAS_+_Para a sociedade avançar, os privilégios da mídia têm que acabar

por Blog Justiceira de Esquerda 

 

MANCHETES INFLACIONADAS

  
  ME CANSEI, DE LERO-LERO, DÁ LICENÇA       MAS EU VOU SAIR DO SÉRIO …

DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA – LEI DE MEIOS – ACÚMULO DE FORÇAS

   Sim, eu quero: e você, quer? Seus conhecidos, amigos e parentes, o que pensam desse assunto? São a favor da concentração de meios em poucas mãos, são contra, ou são indiferentes? Estão dispostos a fazer algo a respeito? (não basta alguns quererem e gritarem muito, culpando alguém por omissão ou covardia …)

Para a sociedade avançar, os privilégios da mídia têm que acabar

O dinheiro do contribuinte tem que ser mais bem empregado.

Jânio não conseguiu varrer os privilégios fiscais da imprensa
Jânio não conseguiu varrer os privilégios fiscais da imprensa

  Li “A Renúncia de Jânio”, do jornalista Carlos Castelo Branco, o último grande colunista político brasileiro. O que me levou a esse velho livro foram as recentes evocações do infame golpe militar de 1964 em seu aniversário, no dia 31 de março.O golpe, de alguma forma, começa em Jânio, o demagogo que renunciou à presidência em 1961 quanto estava fazia apenas sete meses no cargo, por motivos jamais explicados. Mas o que mais me chamou a atenção no livro é um episódio que mostra bem o regime de privilégios fiscais desfrutados há muito tempo pelas empresas jornalísticas brasileiras. Castelinho, que foi assessor de imprensa de Jânio, conta que certa vez estava preparando uma sala para um pronunciamento que ele, Jânio, faria naquela noite em rede nacional de televisão. No lugar escolhido, a biblioteca do Palácio da Alvorada, Castelinho viu sobre a mesma um exemplar do Estadão de domingo. Em cima, estava um bilhete do presidente: “Não toquem neste jornal. Preciso dele”. “Só soube do que se tratava quando Jânio o ergueu na mão para exibi-lo audaciosamente ao país [na fala em rede] como fruto de privilégios, o esbanjamento de papel comprado com subvenção oficial, pago, portanto, pelo povo”, escreveu Castelinho. É o chamado “papel imune”. Os contribuintes subvencionam há décadas o papel usado para imprimir jornais e revistas. Jânio apontou o mal, mas não foi capaz de resolvê-lo. Os mesmos empresários que tanto falam num Estado mínimo não se embaraçam em, nas sombras, mamar nele em coisas como o papel imune, e em muitas outras. Dinheiro público foi sempre usado também para financiar – em condições de mãe para filho – empreendimentos que deveriam ser bancados por nossos intrépidos, aspas, capitalistas da mídia. Nos anos 90, Roberto Marinho comemorou ao lado de FHC a inauguração de uma supergráfica projetada para quando o jornal chegasse – hahaha – à marca de 1 milhão de exemplares. FHC não estava na foto porque Roberto Marinho queria promovê-lo. É que o governo tinha concedido um empréstimo especial às Organizações Globo para fazer a gráfica que hoje parece uma piada.

Na inauguração do parque gráfico da Globo, em 1999, o Estado serviu de babá e evitou o risco de um investimento fracassado
Na inauguração do parque gráfico da Globo, em 1999, o Estado serviu de babá
e evitou o risco de um investimento fracassado

  Por que o empréstimo? Ora, a Globo era então já uma potência. Tinha mais de metade do faturamento da publicidade nacional, graças à tevê e a expedientes amorais como o chamado BV (bonificação por vendas). A empresa poderia, perfeitamente, bancar o passo (torto) que decidira dar com a nova gráfica. Mas não. O Estado babá estava ali, à disposição, na figura sorridente de FHC. Essencialmente, o resultado é que a fortuna da família Marinho foi poupada do risco de um investimento que poderia fracassar, como aconteceu. Coisa parecida aconteceu com as outras grandes empresas em suas incursões para fazer novos parques gráficos: dinheiro farto, quase dado. Fora o papel imune, naturalmente. E fora, mais recentemente, artifícios como a criação de PJs (pessoas jurídicas) para reduzir os impostos pagos. Note. As companhias jornalísticas não querem pagar impostos, mas depois esperam que o Estado – com dinheiro alheio, do “Zé do Povo”, como dizia o patriarca Irineu Marinho – esteja com os cofres cheios para bancar seus investimentos. Para completar a tragicomédia, as empresas promovem campanhas sistemáticas de engambelação coletiva destinadas a provar, aspas, que os impostos são elevados no Brasil. Não são. A carga tributária brasileira, na casa de 35%, é bem menor que a de países modelos, como a Escandinávia. A diferença é que, neles, as corporações pagam o que devem. Vá, na Dinamarca ou na Noruega, inventar PJs e você é chutado da esfera corporativa e submetido a desprezo nacional. Para que o Brasil avance socialmente, as mamatas das empresas de mídia – fiscais e não só fiscais — têm que acabar. Não é fácil, como vemos ao constatar o que deu do brado janista de meio século atrás. Sucessivos governos têm vergado ao poder de intimidação da mídia. (Para a qual vigora ainda uma inacreditável reserva de mercado, aliás.) Mas nada é fácil. O poder de manipulação da mídia se reduziu, graças à internet. Se há uma hora para fazer o que deve ser feito, é esta. O dinheiro que custam as mordomias bilionárias da mídia deve servir à sociedade: que se construam escolas, hospitais e estradas com ele, em vez de vê-lo dar acesso à lista de superricos da Forbes. Dilma tem que se mexer, em nome do Brasil.   Paulo Nogueira THIETRE MIGUEL – RIO DE JANEIRO-RJ    Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

Proibida de se despedir, apresentadora da Globo sai do ar chorando

por Blog Justiceira de Esquerda 

TV Globo proibiu despedida de Carla Vilhena,
 que só soube de sua substituição através da imprensa
 (Foto: Divulgação)

Globo proíbe despedida, e apresentadora sai do ar chorando. Carla Vilhena só soube pela imprensa que seria substituída em telejornal da Tv Globo

Foram dramáticos os últimos minutos da jornalista Carla Vilhena como apresentadora do Bom Dia São Paulo e do bloco paulista do Bom Dia Brasil, na última sexta-feira. Carla soube pela imprensa, na véspera, que deixaria o telejornal, que apresentava desde meados de 2010. Na sexta, ela escreveu uma nota de despedida do público, mas foi proibida pela direção de jornalismo da Globo, enquanto apresentava o Bom Dia São Paulo, de ler o texto. Abalada, Carla não conseguiu terminar sua participação no Bom Dia Brasil. Na bancada, mas fora do ar, chorava tanto que teve de ser substituída, às pressas, por uma moça do tempo. Foi embora sem levar suas roupas e pertences, amparada por funcionários da Globo. Desde ontem, o telejornal está sendo apresentado pela repórter Monalisa Perrone. O jornalista Marco Aurelio Mello, ex-colega de trabalho de Carla Vilhena e fundador do blog DoLadoDeLa, publicou texto em que se solidariza com a apresentadora. Leia abaixo.

Minha Solidariedade à Carla Vilhena

Marco Aurelio Mello A nova direção de jornalismo da TV Globo parece que não gostar muito de investir nas relações humanas. Nem mesmo o departamento de RH, que deveria gerenciar “as emoções” consegue saber com antecedência o que está acontecendo, para tomar medidas paliativas necessárias numa grande corporação. 
O choro copioso da querida Carla Vilhena, apresentadora do Bom Dia São Paulo e do bloco local do Bom Dia Brasil, impedida de se despedir de seus telespectadores na última sexta-feira, dá bem a dimensão da falta de tato dos gestores. Depois de saber PELA IMPRENSA que seria substituída na bancada pelo correspondente em Nova Iorque, Rodrigo Bocardi, Carla, com a delicadeza que lhe é peculiar, escreveu uma mensagem de despedida, mas a direção proibiu-a de lê-la. Abalada, Carla não conseguiu terminar sua participação e foi substituída pela uma moça do tempo. Saiu do ar amparada por funcionários da Globo. Trazer Rodrigo de volta para o Brasil com assento em uma bancada é um movimento importante. O repórter, que teve carreira meteórica na emissora durante o mensalão, faz com desenvoltura o jogo da casa. Quem não se lembra da moedinha na pista do aeroporto de Congonhas, para incriminar Lula pelo acidente da TAM, em julho de 2007? Rodrigo é um bom sujeito. Trabalhamos juntos no Jornal da Globo, com Ana Paula Padrão. Ele tinha vindo da Band, onde começou como coordenador de telejornal, uma função burocrática. Teve a felicidade de fazer jornalismo na Faculdade do Morumbi, onde a elite paulistana se encontra. Fez amizade com os Saad, circula em altas rodas e conhece detalhadamente a cartilha neolibelês. Sonhava em ser editor de economia e pediu para que eu o apadrinhasse nesse sentido. Como acumulava – para que testassem minha capacidade – as funções de editor de política e economia do telejornal, cujo noticiário era majoritariamente composto por esses dois temas, concorde,i e indiquei seu nome ao então editor-chefe, Luiz Claudio Latgé. Competente, logo Rodrigo caiu nas graças de toda a equipe, mas alimentava em silêncio o sonho de ser repórter, o que no caso dele não era difícil, porque tem boa estampa, boa voz e é muito bem relacionado. Será muito bem teleguiado na nova função. Depois de dois anos na bancada, Carla volta à reportagem. Passa a engrossar o coro do Fantástico. Como apresentadora, a bela morena de olhos azuis encantou o país no Jornal da Band, no fim dos anos 90. Beleza, postura e voz eram tão marcantes, que foi convidada pela Globo para ser apresentadora do Novo SPTV, em 1998. Como na emissora a fila é grande, Carla ficou para lá e para cá, até que conseguisse sua própria bancada num jornal de rede. Apresentou os SPTV, os Bom Dias, o Jornal Hoje, o Fantástico e até o Jornal Nacional, nas folgas dos apresentadores titulares. É o tipo de profissional de quem não se ouve críticas, só elogios. Torço para que ela supere a dor de ser cortada sumariamente, como já aconteceu com tantos outros. Carla, o mundo não só aí. Um beijo no seu coração. Leia também

 Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  9 horas atrás

Oportunidade para a paz na Colômbia

por Blog Justiceira de Esquerda 

Do blog: http://areitoimagen.blogspot.com.br/

No Altamiro Borges Editorial do sítio Vermelho: Em fato inédito na história da Colômbia, o país se uniu na última terça-feira (9) para apoiar os diálogos de paz que se realizam em Havana, Cuba, entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo (Farc-EP), para pôr fim ao conflito armado que se estende há mais de meio século. 
Centenas de milhares de pessoas saíram às ruas na Marcha pela Paz e a Esperança, tendo por símbolos a cor branca e a bandeira da Colômbia, expressando o objetivo – a paz com democracia e justiça social – e a união nacional para abrir uma nova página na história do país. A Marcha aglutinou o mais amplo e diversificado leque de forças políticas e movimentos sociais, além de intelectuais, artistas e defensores dos direitos humanos, num pluralismo que atesta o quão arraigado é o desejo de paz no país. 
A manifestação desta terça-feira foi uma forte expressão da grande aspiração nacional por uma reconciliação justa, democrática e duradoura, por uma paz que faça parte da democracia, da participação popular na vida do país e na construção de seu destino. 
O sentido da participação da sociedade e do seu ativo apoio aos diálogos entre as Farc e o governo foi sintetizado pelo escritor William Ospina, no texto “Oração pela Paz”, em que reafirmou a ideia defendida em seus artigos: “Não haverá paz sem uma comunidade que a apoie, exija e acompanhe”.
A unidade nacional se manifestou nas palavras do líder indígena Feliciano Valencia: “A Colômbia é hoje uma só, mestiça e palpitante, onde a identidade alimenta os povos indígenas, os negros e o sangue derramado durante tantos anos em prol de uma redenção social e de um país que seja patrimônio de todos”. 
A manifestação indicou ainda o sentido de urgência que tem o povo colombiano em encontrar uma solução definitiva para o conflito, o que se expressou nas palavras da líder da luta pelos direitos humanos, Piedad Córdoba: “Faz 65 anos que pedimos paz, suplicamos a paz e hoje já não podemos pedir, suplicar e esperar (…) É a hora da paz, porque merecemos tê-la, que viva a paz na Colômbia”.
O apoio maciço que as Farc e o governo do presidente Santos conquistaram para o diálogo em que estão empenhados é o mais convincente argumento de que esta é uma oportunidade histórica que não pode nem deve ser desperdiçada.
Obviamente, o sentido de urgência não deve ser confundido com oportunismo eleitoral nem quaisquer outros interesses imediatistas. Por certo, as partes envolvidas no diálogo sabem que há um caminho a percorrer. São animadores os sinais de que estão dispostas a trabalhar com afinco e aturadamente, com seriedade, profundidade e frontalidade para vencer todos os obstáculos e cumprir todas as etapas previstas no acordo inicial geral. 
A paz na Colômbia, para além de ser uma questão nacional, é também uma das principais reivindicações dos movimentos populares, democráticos, patrióticos e anti-imperialistas da América Latina. Se concretizada, será uma vitória de todo o povo colombiano e latino-americano e sem dúvida se incorporará ao conjunto de conquistas democráticas e patrióticas na região, que alteram positivamente o quadro político e pavimentam o terreno para avançar na luta pela definitiva independência. Sendo assim, é uma derrota para as forças que nutrem em relação à América Latina e o Caribe objetivos hegemonistas por meio do militarismo e das ameaças de intervenção.
A Marcha pela Paz e a Esperança foi a mais eloquente demonstração de que o ambiente político e social na Colômbia tornou-se mais propício à paz, assim como para a democracia e a justiça social e de que emergem novos movimentos e novas possibilidades para o desenvolvimento da luta política e social. Altamiro Borges: Oportunidade para a paz na Colômbia

26 minutos atrás

Poder Judiciário anula a absurda demissão imposta pelo ex-Secretário Antonio F. P. ao agente policial Genivaldo Celerino da Silva – defendido pelo advogado Paulo Lopes de Ornellas – que interveio a roubo efetuando disparos em via pública sendo absolvido por exclusão da ilicitude

por noreply@blogger.com (EUCLIDES VIEIRA DE SANTANA)
 

O GOVERNO CONTINUA FUDENDO O POLICIAL CIVIL E FAVORECENDO O MILITAR- Geraldo Alckmin com medo da tropa encaminha projeto para o pagamento da diferença salarial para quem teve os vencimentos diminuidos em decorrência da absorção do ALE… É só para a PM!

por Flit Paralisante Enviado em 11/04/2013 as 1:23 -  SÓ PM ??????? PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 10, DE 2013 Mensagem A-nº 070/2013, do Senhor Governador do Estado São Paulo, 9 de abril de 2013 Senhor Presidente Tenho a honra de encaminhar, por intermédio de Vossa Excelência, à elevada deliberação dessa nobre Assembleia, o incluso projeto de lei complementar que dispõe sobre a absorção do Adicional de Local de Exercício – ALE nos vencimentos dos integrantes da Polícia Militar, e dá providências correlatas. A propositura, que decorre de estudos realizados no âmbito da Secretaria de Gestão Pública em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública, objetiva traçar regras específicas para a adequada aplicação das medidas preconizadas na lei complementar em que se converterá o Projeto de lei complementar nº 8, de 2013. Enunciados, assim, os motivos que embasam a propositura e tendo em vista a natureza da matéria, venho solicitar que a apreciação da propositura se faça em caráter de urgência, nos termos do artigo 26 da Constituição do Estado. Reitero a Vossa Excelência os protestos de minha alta consideração. Geraldo Alckmin GOVERNADOR DO ESTADO A Sua Excelência o Senhor Deputado Samuel Moreira, Presidente da Assembleia Legislativa do Estado. Lei Complementar nº               de         de                    de 2013. Dispõe sobre a absorção do Adicional de Local de Exercício – ALE nos vencimentos dos integrantes da Policia Militar, e dá providências correlatas. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte lei complementar: Artigo 1º – Se em decorrência da absorção do Adicional de Local de Exercício – ALE nos vencimentos dos integrantes da Polícia Militar, prevista na lei complementar em que vier a ser convertido o Projeto de lei complementar nº 8, de 2013, resultar remuneração mensal líquida inferior ao mês de fevereiro de 2013, a diferença será paga, sob código específico, em caráter excepcional, variável e transitório. § 1º – O disposto neste artigo aplica-se exclusivamente aos policiais militares em atividade. § 2º – O valor da diferença de que trata o “caput” deste artigo não será considerado para nenhum efeito legal e sobre ele não incidirão quaisquer vantagens pecuniárias e descontos obrigatórios por lei. Artigo 2º – Para efeito de apuração da remuneração mensal líquida, a que se refere o artigo 1º desta lei complementar, serão considerados os valores relativos a: I – padrão de vencimento; II – Regime Especial de Trabalho Policial Militar – RETPM, calculado sobre o padrão de vencimento; III – Adicional de Local de Exercício – ALE; IV – adicionais por tempo de serviço e sexta parte, quando for o caso, calculados sobre os incisos I e II; V – contribuição previdenciária calculada sobre o resultado do somatório do inciso I a IV deste artigo; VI – Imposto de Renda, quando for o caso, calculado sobre o somatório dos incisos I a IV, com dedução do valor apurado nos termos do inciso V deste artigo. Parágrafo único – Para os fins do disposto no artigo 1º desta lei complementar, será considerada como remuneração mensal líquida o somatório dos valores a que se referem os incisos I a VI deste artigo, excetuado o correspondente ao inciso III. Artigo 3º – A partir de 1º de março de 2013, sempre que houver alteração dos valores das parcelas referidas no artigo 2º desta lei complementar, o valor da diferença será recalculado, até que a remuneração mensal líquida seja igual ou superior àquela apurada em fevereiro de 2013. Artigo 4º – Esta lei complementar entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de 1º de março de 2013. Palácio dos Bandeirantes, aos        de                   de 2013. Geraldo Alckmin _____________________________ Quem nunca teve o RETP e outros adicionais turbinados , quem nunca descontou como  melhor lhe aproveita as verbas devidas à previdência estadual , quem  sempre teve o IRPF descontado mensalmente sem antecipar deduções,CONTINUARÁ GANHANDO MENOS . 
   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  4 horas atrás

Poder Judiciário anula a absurda demissão imposta pelo ex-Secretário Antonio F. P. ao agente policial Genivaldo Celerino da Silva – defendido pelo advogado Paulo Lopes de Ornellas – que interveio a roubo efetuando disparos em via pública sendo absolvido por exclusão da ilicitude

por Flit Paralisante

Sentença Registrada
24/01/2013 Concedida em Parte a Segurança – Sentença Resumida Ante o exposto, CONCEDO EM PARTE A SEGURANÇA, com supedâneo no artigo 269, inciso I, do Código de Processo Civil para ANULAR o ato administrativo que demitiu o impetrante, assim como para determinar sua reintegração do impetrante em seu antigo posto, computando-se o tempo para todos os efeitos. DEIXO de conceder qualquer pagamento, porque o mandado de segurança é via inadequada para tanto. Custas e despesas ex lege. Sem honorários. P.R.I.C. Ocorre que no feito, o trânsito em julgado criminal se deu por absoluta exclusão da ilicitude da conduta, situação diversa da falta de provas ou tão apenas de ausência de censura penal. O que se confirmou em processo-crime foi que o impetrante estava atendendo a chamado popular e tendia a interromper roubo acabado de ocorrer, quando suspeitando da posse de arma de fogo, disparou em parte não letal. Essa conduta, como lá se verificou, e aqui nada divergiu, seguramente não autoriza demissão a bem do serviço público, o que expõe a pena aplicada à absoluta incongruência da razoabilidade. Ao exceder o razoável e o devido processo legal substancial, sobretudo porque decisão não se equipara a arbítrio, andou mal a Administração Pública que invadiu campo de ilegalidade, esfera que pode ser controlada pelo Poder Judiciário. Significa dizer: diante de decisão absolutamente ilegal e contrária ao que efetivamente ocorrido, insubsistente a decisão administrativa. Ante o exposto, CONCEDO EM PARTE A SEGURANÇA, com supedâneo no artigo 269, inciso I, do Código de Processo Civil para ANULAR o ato administrativo que demitiu DECRETO DO GOVERNADOR SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA Decretos de 10-4-2013 Declarando nulo, em cumprimento à sentença proferida pelo MM Juiz de Direito da 13ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central da Capital, nos autos do Mandado de Segurança 0045778-14.2012.8.26.0053, declara nulo o ato que demitiu Genivaldo Celerino da Silva, RG 24.929.517 (GS/9144-2010- DGP/11.813-09) e reintegra o interessado ao serviço público, no cargo de Agente Policial de 3ª Classe, padrão I, da EV-C da LC 1151-2011, do Quadro da Secretaria da Segurança Pública, vago em decorrência do falecimento de Antonio Leal. 
Observação: A Procuradoria deste Estado -  atualmente advogando por honorários  tomados dos particulares  - ainda teve a desfaçatez de apelar da sentença pleiteando efeito suspensivo da decisão que reintegra o policial , ou seja , queria ver o infeliz sofrendo mais alguns anos ; quem sabe morrendo antes de uma decisão favorável.                      A Fazenda Pública deveria pagar honorários  de sucumbência em dobro ou triplo daqueles que são impostos aos particulares, talvez assim se colocasse fim na safadeza da Administração e dos advogados do governo.

   Compartilhar  Marcar como não lido  Curtir  7 horas atrás