8 horas atrás

A privataria é imortal e o Amaury é o nosso candidato a rei da Academia Brasileira de Letras

por Nogueira Junior
 
 
“Dizem que um certo ex-príncipe quer ser imortal. Parem as máquinas. Por que quem tem um rei vai nomear ex-príncipe. Amaury Ribeiro Jr. tem o apoio de respeitados jornalistas, acadêmicos, blogueiros etc. pra nos representar na ABL. Entre você também neste movimento. Segue o manifesto em defesa da imortalidade da Privataria Tucana. Retransmita-o para todos os seus amigos, assine-o, divulgue-o.  
Renato Rovai, Blog do Rovai 
Manifesto A Privataria é Imortal

Não é a primeira vez que a Academia Brasileira de Letras tem a oportunidade de abrir suas portas para o talento literário de um jornalista. Caso marcante é o de Roberto Marinho, mentor de obras inesquecíveis, como o editorial de 2 de abril de 64:

“Ressurge a Democracia, Vive a Nação dias gloriosos” – o texto na capa de “O Globo” comemorava a derrubada do presidente constitucional João Goulart, e não estava assinado, mas trazia o estilo inconfundível desse defensor das liberdades. Marinho tornou-se, em boa hora, companheiro de Machado de Assis e de José Lins do Rego.

Incomodada com a morte prematura de “doutor” Roberto, a Academia acolheu há pouco outro bravo homem de imprensa: Merval Pereira, com a riqueza estilística de um Ataulfo de Paiva, sabe transformar jornalismo em literatura; a tal ponto que – sob o impacto de suas colunas – o público já não sabe se está diante de realidade ou ficção.

Esses antecedentes, “per si”, já nos deixariam à vontade para pleitear – agora – a candidatura do jornalista Amaury Ribeiro Junior à cadeira 36 da Academia Brasileira de Letras.” Manifesto Completo, ::AQUI:: 

8 horas atrás

A agonia do Estadão

por Nogueira Junior
 
 
Paulo Nogueira, Diário do Centro do Mundo 
“O Estadão está virtualmente morto. 
Está cumprindo todas as excruciantes etapas da agonia dos jornais (e das revistas) na era da internet: demissões, demissões, demissões. Menos páginas, borderôs menores. 
E futuro nenhum. 
Pode ser que, em breve, o Estadão circule duas ou três vezes por semana, como está acontecendo com tantos jornais no mundo. 
A Folha, em outras circunstâncias, vibraria. Na gestão Frias, um dos dogmas na Barão de Limeira era que apenas um jornal sobreviveria em São Paulo. 
Semimorto o Estado, ficaria a Folha, portanto.” Artigo Completo, ::AQUI:: 
9 horas atrás

Excrescência da política brasileira

por Nogueira Junior
 
 
Mário Augusto Jakobskind, Direto da Redação 
“O caso do pastor Marco Feliciano, que se arrasta há um mês, não se restringe apenas ao parlamentar, muito menos à Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. Trata-se de uma ofensiva conservadora, especialmente fundamentalista religiosa, que representa um retrocesso para o país. 
Feliciano, segundo a Folha de S. Paulo, agora em defesa protocolada no Supremo Tribunal Federal, confirmou suas anteriores declaraçõe racistas afirmando que “paira sobre os africanos uma maldição divina”. 
Remover Feliciano do cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias é uma necessidade, sem dúvida, mas não basta. Ele representa uma excrescência da política brasileira e é preciso frear a ousadia de seus pares que formam a Frente Parlamentar Evangélica. Mais informações » 
9 horas atrás

Bono propõe a Lula ‘cruzada internacional’ contra a fome

por Nogueira Junior
 
Lula e Bono conversaram em Londres (Foto: Ricardo Stuckert/IL)

Para vocalista do U2, ex-presidente é o único líder mundial com capacidade de interlocução entre socialistas e capitalistas 
Redação, Rede Brasil Atual 
O vocalista da banda U2, Bono, propôs ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a realização de uma “cruzada internacional” contra a fome em torno de um programa Bolsa Família “planetário”, segundo a assessoria do petista. 
Os dois se encontraram hoje (9) em Londres, onde conversaram sobre questões de segurança alimentar, relativas sobretudo ao continente africano. 
“Você é hoje a única pessoa em condições de liderar uma cruzada internacional para transformar o Bolsa Família num programa planetário, que atenda a todos os pobres do mundo. Vamos, eu me junto a você e fazemos isso juntos”, teria dito Bono. 
Lula, de acordo com sua assessoria, fez um balanço dos programas brasileiros de inclusão social, que retiraram da miséria absoluta mais de 30 milhões de pessoas, e disse ao roqueiro que o dinheiro gasto com a guerra do Iraque e com a ajuda aos bancos europeus e norte-americanos seria possível “atender a todos os pobres do mundo durante 150 anos”. 
Para Bono, depois que o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela retirou-se da politica, Lula teria se tornado o principal interlocutor mundial dos mais pobres. “Você é o único interlocutor capaz de falar com capitalistas e socialistas, com dirigentes dos países ricos e com as lideranças do Terceiro Mundo”. 

Anúncios