Crianças e a fome: ninguém nasce egoísta

por mariafro
 

Já fiz inúmeros posts que mostram crianças lidando com a maior tranquilidade do mundo com a diversidade. Ninguém nasce racista, machista, homofóbico.

Nascemos egoístas? Se as crianças forem criadas em ambientes colaborativos aumentarão as chances de ela ver a colaboração como algo positivo, se experienciarem solidariedade há grandes chances de a solidariedade ser um valor importante em suas vidas, Vejamos alguns exemplos concretos:

Preconceito, ódio, discriminação se aprende e se ensina: Mãe, homem com homem pode namorar?

Crianças não são racistas, sexistas ou homofóbicas, mas podem se tornar

Mas se ao contrário ela for envenenada desde cedo com ódio e preconceitos ela terá muito mais dificuldades de se livrar dos preconceitos:

“Dont mix races”: Como o direita racista anda educando suas crianças

As crianças abaixo viveram uma experiência interessante diante de um problema. Em qual ambiente estão sendo educadas?

Leia também:

É a disputa de corações e mentes para a cidadania plena, estúpido!

Manhã Maior debate o caso da garotinha de Contagem que sofreu racismo dentro de sua escola

Vamos cuidar do futuro de nossas crianças, sim! Combatendo o racismo, hoje!

Escola reprodutora do Racismo: Estado de São Paulo condenado a pagar indenização

A escola que reproduz o racismo e a exclusão: desempenho dos alunos está relacionado à segregação racial

Lázaro e Helena da Unicef Brasil discutindo racismo na infância

Como prometido as fotos da pichação neonazista na EMEI

Professora Ana Carolina denuncia: picharam suásticas em nossa EMEI!

2 horas atrás

Tribunal da Justiça: Aécio é réu e será julgado por desvio de 4,3 bilhões da saude

por mariafro
 

Do blog do deputado estadual petista em Minas Gerais Rogério Correia

TJMG confirma: Aécio Neves é réu e será julgado por desvio de R$4,3 bi da saúde

Por Rogério Correia em seu blog

05/04/2013

 

Por três votos a zero, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu que o senador Aécio Neves continua réu em ação civil por improbidade administrativa movida contra ele pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Aécio é investigado pelo desvio de R$ 4,3 bilhões da área da saúde em Minas e pelo não cumprimento do piso constitucional do financiamento do sistema público de saúde no período de 2003 a 2008, período em que ele foi governador do estado. O julgamento deverá acontecer ainda esse ano. Se culpado, o senador ficará inelegível.

Desde 2003, a bancada estadual do PT denuncia essa fraude e a falta de compromisso do governo de Minas com a saúde no estado. Conseqüência disso é o caos instaurado no sistema público de saúde, situação essa que tem se agravado com a atual e grave epidemia de dengue.

Recurso

Os desembargadores Bitencourt Marcondes, Alyrio Ramos e Edgard Penna Amorim negaram o provimento ao recurso solicitado por Aécio Neves para a extinção da ação por entenderem ser legítima a ação de improbidade diante da não aplicação do mínimo constitucional de 12% da receita do Estado na área da Saúde. Segundo eles, a atitude do ex-governador atenta aos princípios da administração pública já que “a conduta esperada do agente público é oposta, no sentido de cumprir norma constitucional que visa à melhoria dos serviços de saúde universais e gratuitos, como forma de inclusão social, erradicação e prevenção de doenças”.

A alegação do réu (Aécio) é a de não ter havido qualquer transferência de recursos do estado à COPASA para investimentos em saneamento básico,  já que esse teria sido originado de recursos próprios. Os fatos apurados demonstram, no entanto, a utilização de valores provenientes de tarifas da COPASA para serem contabilizados como investimento em saúde pública, em uma clara manobra para garantir o mínimo constitucional de 12%. A pergunta é: qual foi a destinação dada aos R$4,3 bilhões então?

Clique aqui para ler o agravo de instrumento e a íntegra dos votos dos desembargadores

Anúncios