Até o tomate foi ideoligizado, minha nossa!

por mariafro
 

O Tomate é a Manobra Diversionista

Por: Gilberto de Souza*, no Correio do Brasil

Daqui a pouco, só vai faltar alguns dos jornalões incentivarem uma marcha pela família, tradição e… tomates. Bastou a presidenta Dilma Rousseff desonerar, como preferem os economistas de plantão, em vez de dizer às claras que passou a cobrar menos impostos sobre os alimentos, e os preços desde então não pararam mais de subir. Junto com a escalada no valor do pomodoro, seguiram junto as equipes do jornalismo de secos e molhados para mostrar sabe-se lá exatamente o quê. Não foi, com certeza, para denunciar que esse movimento se trata de uma especulação sem precedentes com um produto que, dentro de mais alguns dias, estará sobrando nas bancadas das feiras e supermercados, a preços de ocasião. Parece até que a quebra na safra de apenas um item é capaz de constipar a economia brasileira. Balela.

Na trilha do tomate, seguiram morro acima também os preços da cebola, do alho, do manjericão e dos demais ingredientes da pizza, enquanto desaparece do noticiário o julgamento escandaloso que inocentou os assassinos dos trabalhadores extrativistas no Pará. Simplesmente, não se fala mais do caso Cachoeira e suas ligações com a Delta Engenharia. E da Privataria Tucana, então, nem sinal de vida. Talvez com medo de levarem uns tomates para casa, colados nos paletós bem cortados da Brioni Vanquish II. Vira e mexe, há sempre uma manobra diversionista para enganar criança e encher as minguadas páginas da mídia conservadora que, cada vez mais, precisa bater nas tetas do Palácio do Planalto para receber o colostro nutritivo que supre a absoluta falta de liquidez do mercado publicitário privado. Arrumam qualquer redemoinho, em copo d’água, para transformá-lo no tornado que ameaça virar o Brasil de ponta-cabeça.

Não se sabe, ao certo, quantos incautos mais conseguem enganar com essa conversa mole feito legume em fim de feira. Alguns deles são até divertidos, nas redes sociais. Os chargistas fazem a festa e, até aí, é ótimo para manter o bom humor, diante de crises muito mais sérias que ameaçam a tranquilidade dos brasileiros. A seca no Nordeste, por exemplo, é um fato que deveria fazer chorar o mais duro dos capitalistas desalmados. Mas esses não estão nem aí. Literalmente. Seguem com o pé no jatinho, rumo a Las Vegas ou Paris, para passar o fim de semana. Estão se lixando para o preço do tomate, da cenoura, do abacate ou qualquer outro vegetal que não seja aquele extraído das árvores, pintados de verde e chamados de dólar.

A choldra Pej. Grupo de pessoas desprezíveis; ralé, escória, súcia, segundo o mestre Caldas Aulete, entupida de dinheiro, mas sempre pronta a mais um golpe, precisa desses fatores sazonais, que costumam surpreender o desatento público, para mostrar a crise com a mão esquerda e, com a direita, fazer o dinheiro do trabalhador desaparecer, num passe de ilusionismo. Um desses mágicos que fazem a alegria dos desocupados, no Buraco do Lume, Centro do Rio de Janeiro, não produziria um número melhor do que esse, sob os auspícios das multinacionais, bancos transnacionais e especuladores de toda sorte.

Com a história do tomate, porém, a tendência é de quebrarem a cara, como aconteceu com outras armadilhas montadas na tentativa de mudar os rumos do país, na direção do brejo, de onde geralmente a choldra costuma sair. O brasileiro já sabe, muito bem, que se o tomate custa R$ 9 o quilo, basta passar alguns dias com um belo aglio e olio, ou algum outro molho à altura da imaginação dos chefs nacionais, que não deixam em nada a desejar diante dos melhores franceses. Quando a fruta começar a madurar demais na gôndola, entra em ação o agudo instinto de sobrevivência desse mecanismo fantasmagórico, conhecido pela alcunha de ‘mercado’, e o molho da nona, no domingo, já estará garantido em condições normais de temperatura e pressão. Não se espantem se, depois dessa, inventarem uma nova crise, mais uma vez recheada de abóboras.

Bom fim de semana a todos.

*Gilberto de Souza é jornalista, editor-chefe do Correio do Brasil

12 horas atrás

Culinária infantil para pais idiotas: Receita de Gagau de Farinha Láctea

por mariafro
 

Um advogado trabalhista segundo minhas fontes, que em tese existe pra defender os direitos dos trabalhadores que no Brasil são assegurados pela CLT escreve um texto vergonha alheia no facebook contra a PEC das empregadas. Recuso-me a reproduzir o chorume idiota e escravagista, mas quem quiser avaliar com seus próprios olhos acesse aqui.

Aconselho ‘dicumforça’ a esta classe média que arrota Europa e grita contra o pagamento de FGTS às domésticas (o INSS já era obrigatório e espero imensamente que um advogado trabalhista saiba disto) que invista seu dinheiro na produção e luvas, certeza que vão me agradecer futuramente. Mas Humberto E. Nadamais certamente com dó do rebento do advogado trabalhista (eu por mim comunicava ao conselho tutelar que o advogado trabalhista não sabe fazer um mísero mingau para o seu rebento nem botar pra dormir a sua cria) resolveu ensinar o pai advogado trabalhista a fazer um gagau. Como é uma receita de utilidade pública nestes tempos de segunda abolição da escravatura, reproduzo aqui. Bom proveito classe média futura consumidora de luvas.

Culinária infantil para pais idiotas: Receita de Gagau de Farinha Láctea

Por: Humberto E. Nadamais, via Facebook e O Correio da Elite

Dado que muitos pais não têm competência técnica, ética, moral e outros quesitos necessários para cuidar de seus filhos e, por isso, estão terceirizando os cuidados da prole a domésticas, empregadas, babás, professores e avós, este blog resolveu dar uma ajudazinha para eles, pais. Na redes sociais encontramos milhares de testemunhos de pais despreparados. Não queremos que as crianças padeçam de fome por causa do desconhecimento paterno sobre como preparar pratos sofisticados como o que segue. Assim, os pais ainda aproveitam para desfrutar os raros momentos com seus filhinhos nesta vida tão corrida, que tem nos impedido de curtir situações de carinho e amor que só alcançamos no convívio com nossos entes queridos. Não se apavore e vá em frente. Imagine que você está se emprenhando para cumprir as metas definidas pela empresa:

Ingredientes ( você sabe o que é “ingrediente”, não? ):
500 ( é o que vem depois do 499 ) ml ( mililitros, uma medida de quantidade ) de leite ( aquilo que sai das fêmeas dos mamíferos; geralmente se usa leite de vaca. Sim, vaca, aquele bicho que faz “Muuuu!”; Veja a foto aqui ) quente ( contrário de “frio” )
10 ( uma dezena, vem depois da unidade 9 ) colheres ( colher, amigo, isso que você pegou é um coador de café… não, cacete, isso aí é um garfo… alí, ó, do lado da faca, issooooo! ) de sopa ( esqueci de dizer, a colher é a de sopa; essa aí é de sobremesa, a de sopa é aquela ali ó…essa mesma! Como assim, “por quê elas têm esses nomes?” Sei lá, oras! ) de Farinha Láctea ( Isso, essa lata sobre a mesa, eu deixei aí prá facilitar para você. Abra a tampa e… CUIDADO, NÃO VAI SE CORTAR!! Isso, beleza! Viu como não foi difícil? )
3 ( vem depois do 2 ) colheres de sopa ( essa você já aprendeu ) de açúcar ( aquele pó branco que… NÃO, CARAMBA, ESCONDE ISSO, QUE DÁ CADEIA! É aquilo que fica no açucareiro, será o Benedito que eu tenho que fazer tudo por aqui? Aquele pó doce, que é o contrário do “sal”. Ó lá, tá até escrito no recipiente… Não tá vendo que nesse tá escrito “sal”? O outro… isso, esse mesmo! Tá pegando o jeito!!! )

Modo de Fazer:
Colocar tudo ( “tudo”, não, ô imbecil: as colheres de sopa e o açucareiro você deixa fora! ) no liquidificador ( eu deixei ele pronto ali na pia, pois sabia que você o confundiria com o aspirador de pó e…ESCONDE ESSE PÓ, EU JÁ DISSE! ) e bater até ficar cremoso ( “bater” os ingredientes no liquidificador e não, bater na filha chorona ou na babá insubmissa )
Servir em potinhos de sobremesa ( estão ali, ó; é só pegar e despejar o conteúdo que se encontra no copo do liquidificador, no interior e… EU DISSE “INTERIOR”!… isso, dentro dos potinhos… isso, beleza, acertou um! Pelo menos já tem um pouquinho pra criança comer )
Quantidade: 4 porções

TÁ VENDO COMO FOI FÁCIL, PAPAI? VOCÊ É MOTIVO DE ORGULHO PARA NOSSA SOCIEDADE! PARABÉNS

 

12 horas atrás

Gerson Carneiro: Fora Feliciano!

por mariafro
 

Encorajado pela Daniela Mercury apresento-lhes meu marido: Enio Barroso. (@Enio_PTrem)

E todos somos a favor do FORA FELICIANO!

Feliciano não nos representa!

Nota do Maria Frô: pessoas bem resolvidas sexualmente vivem sua vida sexual não tem tempo pra fiscalizar fiofó alheio. Todo ser humano sadio não tem em Marco Feliciano um representante simples assim.

Anúncios